19 de junho de 2018
por esmael
Comente agora

Bolsonaro no salão de beleza; assista

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) transmitiu ao vivo o trato na juba num salão de beleza do Rio de Janeiro. Leia mais

4 de junho de 2018
por esmael
Comente agora

Folha defende corte de impostos para garantir lucros de sócios gringos da Petrobras

O pior cego é aquele que não quer ver, diz o velho ditado. E é verdade. Veja o caso do Congresso Nacional que, segundo a Folha, não vê espaço para União reduzir o preço dos combustíveis. Ora bolas, carambolas. Leia mais

29 de maio de 2018
por esmael
Comente agora

Gleisi: “É crime atrelar os preços dos combustíveis no Brasil ao dólar”

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, publicou um vídeo nesta terça-feira (29) no qual afirma que Michel Temer comete crime ao atrelar aumentos de combustíveis à cotação do dólar e à variação internacional do petróleo. “Os trabalhadores não recebem em dólar”, disse. Leia mais

28 de maio de 2018
por esmael
Comente agora

Assista: Milhares protestam na BR-277

Em Cascavel, Oeste do Paraná, milhares de pessoas marcharam até a BR-277 para pedir intervenção militar, apoiar a greve dos caminhoneiros e pedir a saída de Michel Temer. Leia mais

28 de maio de 2018
por esmael
Comente agora

No Paraná, comerciantes vão às ruas contra Temer e a favor da greve dos caminhoneiros

Comerciantes do município de Cascavel, no Oeste do Paraná, fecharam suas lojas no início desta segunda-feira (28) para protestar contra Michel Temer e em favor à continuidade da greve dos caminhoneiros. Abaixo assista ao vídeo. Leia mais

27 de maio de 2018
por esmael
Comente agora

Em pronunciamento, Temer promete reajuste mensal no diesel; assista

Michel Temer fez um pronunciamento na noite deste domingo (27) no qual prometeu reajuste mensal no óleo diesel e a redução de R$ 0,46 no combustível pelo período de 60 dias. Leia mais

24 de maio de 2018
por esmael
Comente agora

Temer pode quebrar estados e municípios com redução do ICMS

Daqui a pouco, às 19h, o presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB-CE) reúne os líderes para discutir a crise de abastecimento provocada pela greve dos caminhoneiros. A proposta é limitar a alíquota para cobrança do ICMS no transporte incidente em operações internas com combustíveis. Leia mais

22 de maio de 2018
por esmael
Comentários desativados em Temer tenta desmobilizar greve de caminhoneiros, mas aumentos continuam

Temer tenta desmobilizar greve de caminhoneiros, mas aumentos continuam

O governo Michel Temer bate ‘biela’ na tentativa de desmobilizar a greve dos caminhoneiros. Promete zerar a CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) no preço do diesel, mas não se compromete em frear a política de reajuste nas bombas. Leia mais

13 de março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Beto Richa espanta empresários do Paraná

Beto Richa espanta empresários do Paraná

O deputado Requião Filho (MDB) escreve que o governador do Paraná Beto Richa (PSDB) desgraçou os micro e pequenos empresários. Sentindo o impacto do aumento de impostos, muitos desses empreendedores foram embora do Estado — até para o Paraguai. “Quem acredita em Beto Richa eu não sei, mas tenho certeza que o empresariado paranaense sabe muito bem com quem está lidando”, afirma. Leia mais

13 de fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Um governo de fantasias e alegorias…

Um governo de fantasias e alegorias…

O deputado Requião Filho (MDB) denuncia que, neste Carnaval, o paranaense segue dançando quadradinho para bancar o alto custo do governo Beto Richa (PSDB). “Um governo sem enredo, sob a batuta do bloco dos amigos de plantão, não pensa, não trabalha, não desfila pelo povo…”, escreve. Leia mais

7 de dezembro de 2017
por esmael
8 Comentários

Beto Richa convence empresários da necessidade de aumentar impostos; assista

O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Glaucio Geara, disse que foi “convencido” pelo governo Beto Richa (PSDB) que o aumento dos impostos, na casa dos 58%, é “coisa boa” para o empresariado e consumidor paranaenses.

31 de maio de 2016
por esmael
5 Comentários

Operação Zelotes da Polícia Federal indicia presidente do Bradesco

luiz_trabuco_bradesco_zelotes

O presidente do Bradesco, Luiz Trabuco, foi indiciado pela Polícia Federal depois de investigações da Operação Zelotes.

A Operação Zelotes, deflagrada pela Polícia Federal em março de 2015, investiga um dos maiores esquemas de sonegação fiscal já descobertos no Brasil.

Além do Bradesco, estão sob investigação da Zelotes: Ford e Mitsubishi (automobilístico), BR Foods (alimentício) (BR Foods), Camargo Corrêa (construção civil), comunicação (RBS, afiliada da Rede Globo no Sul) e os bancos/financeiras Opportunity, Safra, Santander, BankBoston, dentre outros.

2 de maio de 2016
por esmael
10 Comentários

Temer cogita CPMF. Cadê os patos?

O vice Michel Temer, consumando o golpe, vai enfiar goela-baixo dos patos da Fiesp a CPMF — o imposto do cheque.

O diabo é que os patos do sistema S são valentes com uma mulher, como a presidente Dilma, mas se comportam como umas tchutchuquinhas com um homem.

O presidente da Fiesp, Pato Skaf, disse ser contra a recriação da CPMF. No entanto, ele defende o corte de programas sociais como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Fies, Plano Safra, etc.

Temer sabe que, se liquidar com uma penada os direitos sociais, ele abriria as portas do inferno.

A confusão e a incerteza são tantas que, pelo sim pelo não, a Fiep (Paraná) reforçou a segurança do pato gigante em Curitiba.

30 de março de 2016
por esmael
10 Comentários

Comerciantes declaram hoje “guerra do vinho” contra Beto Richa; tucano segue quebrando o Paraná

Ouça o áudio:

Comerciantes e produtores de vinho protestam às 15 horas desta quarta-feira (30), em Curitiba, no Mercado Municipal, contra a política tributária do governador Beto Richa (PSDB).

Os manifestantes irão denunciar que o tucano segue quebrando o Paraná com sua irresponsabilidade fiscal, por isso eles vão declarar oficialmente a “guerra do vinho”, hoje à tarde, contra o tucano.

Donos de restaurantes denunciam a taxa de ICMS cobrada pela administração do governador do PSDB. Segundo os organizadores do ato, 54% do valor final do vinho é referente ao imposto.

A manifestação dos comerciantes pretende divulgar ao consumidor que o preço alto não é culpa das empresas. O comerciante Cesar Heiden afirma que o movimento reúne todos os envolvidos na produção e venda de vinho.

Na última segunda-feira (28), em entrevista ao Blog do Esmael, o ex-secretário de Estado da Fazenda, Heron Arzua, havia dito que o setor de importação — inclusive de vinhos — evita os tributos do governo Beto Richa.

“As importações estão se dando via Santa Catarina. O vinho do Paraná, por exemplo, é o mais caro do país”, declarou.

A política tributária de Beto Richa ameaça quebrar grandes empresas, como a Positivo Informática, que, para sobreviver, trocou o Paraná pelo estado do Amazonas. Outras companhias, a exemplo do setor moveleiro, estão cruzando a fronteira rumo ao Paraguai em virtude do proibitivo ICMS.

Voltemos à guerra do vinho.

O imposto sobre os vinhos teria aumentado de 4% para mais da metade do valor total, segundo os organizadores do ato. As empresas do Simples, com carga tributária simplificada, são as mais afetadas pelos aumentos.

Em comparação com outros estados, o Paraná prioriza o imposto menor para produtos indispensáveis.

O ato dos comerciantes e produtores para chamar atenção dos consumidores sobre a cobrança de ICMS do vinho será amanhã, entre três e cinco horas da tarde, no Mercado Municipal de Curitiba.

Com informações e áudio da rádio Bandnews Curitiba.

29 de dezembro de 2015
por esmael
23 Comentários

PT quer alíquota de 40% de impostos para os “coxinhas” muito ricos

do Brasil 247

O Partido dos Trabalhadores vai pressionar a presidente Dilma Rousseff a mudar sua política econômica. Em uma nota divulgada nesta segunda-feira 28, o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, defendeu que o governo deve se concentrar em uma nova pauta nos próximos meses e pediu “ousadia” para devolver à população “a confiança perdida após a frustração dos primeiros atos de governo”.

Entre as medidas já definidas pelo partido que serão cobradas do governo Dilma, conforme noticia nesta terça a colunista Natuza Nery, do Painel, está a mudança da tabela no Imposto de Renda. A ideia é que haja uma faixa nova, com alíquota de 40%, para os que ganham mais de R$ 100 mil por mês, e isenção para quem ganha até R$ 3.800. De acordo com cálculos do PT, o ganho para os cofres públicos seria de R$ 80 bilhões.

O PT também defende outra medida que atinge os mais ricos: a criação de um imposto semelhante ao IPVA cobrado sobre o uso de jatinhos e helicópteros. E cobra um plano nacional de defesa do emprego. Os dirigentes petistas alertam o Planalto que militantes saíram às ruas no último dia 16 para defender o projeto de partido, não o governo Dilma. Uma forma de avisar que a base de apoio do governo está ameaçada.

O partido é contra o ajuste fiscal implementado pelo ex-ministro da Fazenda, Joaquim Levy, substituído por Nelson Barbosa. Apesar de Barbosa ter feito um discurso em defesa da continuidade das medidas do ajuste, o PT afirmou na nota de ontem ter confiança no novo ministro, assim como em Valdir Simão, que passou a comandar o ministério do Planejamento.

12 de dezembro de 2015
por esmael
9 Comentários

Richa enfrenta manifestação de empresários neste domingo 13

O governador Beto Richa (PSDB) será alvo de protesto neste domingo 13, em Curitiba, durante lançamento da campanha  “Não Vou Pagar o Pato” contra aumento de impostos. O evento às 10h30, na Boca Maldita, será coordenado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

“Novamente os governantes recorrem ao aumento de impostos para cobrir rombos nos cofres públicos. Mas não vemos nenhum esforço efetivo da parte deles para cortar gastos desnecessários e aplicar o dinheiro público com mais eficiência e transparência”, disse Edson Campagnolo, presidente da Fiep.

Além do tucano, a presidente Dilma Rousseff (PT) também está no radar das críticas do empresariado paranaense. Eles são contra a criação e aumento de impostos e a volta da CPMF, que tramita no Congresso Nacional.

A Fiep levará um pato inflável de 12 metros de altura à manifestação de amanhã, onde serão distribuídos folhetos, adesivos, “patecos”, e também será feita a coleta de assinaturas.

18 de novembro de 2015
por admin
21 Comentários

Coluna do Alvaro Dias: Quem quer a volta da CPMF?

Download

Alvaro Dias*

Em entrevista recente, a presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que a aprovação da CPMF seria, na opinião dela, fundamental para o Brasil atingir superávit primário e acelerar o processo de saída da crise.

A presidente brasileira disse que a CPMF é fundamental para a estabilização econômica do País. “Precisamos aprovar a CPMF não para se gastar mais, mas para se crescer mais”, acrescentou Dilma.

A declaração da presidente da República faz parte de uma estratégia do Palácio do Planalto de tentar convencer a população da necessidade de aprovação, pelo Congresso, da recriação da CPMF. Dentro desta estratégia, não é descartada a aparição futura de Dilma em um pronunciamento na televisão, para defender a recriação da chamada “contribuição provisória”.

Toda a disposição e os argumentos da presidente, entretanto, podem não ser suficientes para convencer uma população que hoje, majoritariamente, rejeita não apenas a volta da CPMF, mas qualquer novo imposto que se pense em criar.

De acordo com pesquisa CNT/MDA, divulgada em outubro, 86,7% dos entrevistados afirmaram que não estão dispostos a pagar mais impostos para ajudar o país a sair da crise. Em outro questionamento, 70,5% disseram que não são a favor da volta da CPMF.

Resultado parecido foi auferido por pesquisa realizada pela Fiesp, apresentada no início de novembro. De acordo com a sondagem, do universo de pessoas que sabem o que é a CPMF, 86% dizem não gostar do imposto. Do total de pessoas que sabem o que é a CPMF e não gostam dela, 78% rejeitam a contribuição “porque é mais um imposto”.

Como os números atestam, há uma distância abissal entre a vontade do governo de recriar a CPMF e a disposição da população em tolerar mais um imposto a ser pago.

Ouvimos sempre deste governo que já superamos tempestades iguais ou até mais violentas do que essa ao longo da história, mas certamente não as superamos aumentando impostos.

Se já há recessão, inflação e desemprego, aumentar impostos não é a solução para sairmos da crise. Aumentar impostos, ao contrário, significa elevar as dificuldades das empresas e de toda a cadeia produtiva.

Recriar a CPMF, portanto, é inibir ainda mais o processo de crescimento econômico, que precisa ser alimentado, motivado, estimulado com credibilidade, segurança jurídica, redução dos gastos públicos e, sobretudo, administração proba e compe