7 de Janeiro de 2018
por esmael
17 Comentários

Leonardo Attuch: O golpe foi dado para que os gringos roubassem o nosso petróleo

O jornalista Leonardo Attuch, em artigo especial, desenterra a cabeluda história da espionagem dos Estados Unidos contra a Petrobras e Dilma Rousseff, em 2013, nas vésperas do golpe que a depôs do cargo. Para o editor do 247, diferente do Oriente Médio, as petroleiras internacionais conseguiram se apoderar da maior descoberta recente de petróleo no Brasil [o pré-sal] sem dar um único tiro. Leia mais

4 de Janeiro de 2018
por esmael
6 Comentários

Requião denuncia: “Fundos Abutres” ficaram com os R$ 10 bilhões da Petrobras; assista

O senador Roberto Requião (MDB-PR) fez pronunciamento ao vivo nas redes sociais, nesta quinta-feira (4), denunciando a doação de R$ 10 bilhões da Petrobras para o “Fundos Abutres” cujos integrantes não eram nem acionistas na estatal na época da representação judicial contra a companhia brasileira nos Estados Unidos. Estes “Fundos Abutres” são os mesmos que roubaram metade da Argentina num passado recente. Abaixo, acompanhe ao vivo. Leia mais

12 de dezembro de 2017
por esmael
6 Comentários

Requião pede levante popular em defesa do Brasil; ouça o áudio

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou nesta terça-feira (12) que somente um levante popular é capaz de impedir a reforma da previdência, a entrega do petróleo a estrangeiros e a corrupção no governo Michel Temer. Abaixo, ouça.

20 de novembro de 2017
por esmael
17 Comentários

Requião: Lobby inglês no Senado mudou as regras do pré-sal; assista ao vídeo

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) denuncia nesta segunda-feira (20) o lobby inglês no Senado que mudou as regras do pré-sal para beneficiar as estrangeiras de petróleo. Segundo o parlamentar, Misshell — apelido de Michel Temer — ajustou as regras de exploração do pré-sal em favor das inglesas Shell, BP e Premier Oil.

31 de outubro de 2017
por esmael
16 Comentários

Enio Verri: Leilão do pré-sal pode dar R$ 1 trilhão em prejuízo ao Brasil

O deputado Enio Verri (PT-PR) não tem dúvidas de que o golpe foi para retirar o óleo e a soberania do Brasil. Ele destaca que Michel Temer doou por R$ 0,01 o litro de petróleo no leilão da semana passada, portanto um prejuízo de R$ 1 trilhão ao Brasil.

6 de dezembro de 2016
por esmael
20 Comentários

Shell financiou premiação à Lava Jato

transparencia_relatorio_lavajatoA petrolífera multinacional Anglo-Holandesa Royal Dutch Shell, a Shell, figura entre os financiadores da Transparência Internacional, que na semana passada concedeu prêmio anticorrupção à força-tarefa Lava Jato.

28 de outubro de 2016
por esmael
42 Comentários

Serra caiu na Lava Jato: Odebrecht pagou ao tucano propina de R$ 23 milhões em conta secreta na Suíça

serra_propina_odebrechtAgora só falta o ministro das Relações Exteriores José Serra (PSDB-SP) cair do governo golpista de Michel Temer (PMDB).

18 de outubro de 2016
por esmael
42 Comentários

Requião diz que Lula não será preso: “Isto é um jogo para desviar a atenção do que interessa”

requiao_lava_jato
O senador Roberto Requião (PMDB-PR), num Face Live, afirmou que a força-tarefa Operação Lava Jato, comandada pelo juiz Sérgio Moro, está sendo usada para a entrega do Brasil ao neoliberalismo econômico. Abaixo, assista ao vídeo.

27 de setembro de 2016
por esmael
19 Comentários

Mishell Temer recebe cumprimentos da Shell pela entrega do pré-sal

Brasil 247

mishell_temerO presidente da Shell, Ben van Beurden, reuniu-se nesta terça-feira 27 com Mishell Temer e afirmou que o Brasil é um dos principais países de interesse para a petroleira investir e ter “parceria” com a Petrobras.

12 de agosto de 2016
por esmael
32 Comentários

Temer doa barril de petróleo aos gringos por menos de uma garrafinha de água mineral

carcara_petroleo_doacaoAs comunidades científica e desenvolvimentista denunciam que o interino Michel Temer (PMDB) está doando ao capital estrangeiro o petróleo brasileiro da reserva de Carcará, localizado em águas ultraprofundas da Bacia de Santos, pelo irrisório valor de dois dólares (R$ 6,28) por cada barril. Menos que o preço de uma garrafinha de água mineral vendida a R$ 8 na Olimpíada do Rio.

21 de julho de 2016
por esmael
62 Comentários

Requião vira garoto propaganda de manifestação contra o golpe no dia 31; assista

reuqiaoaoo_playerO senador Roberto Requião (PMDB-PR) gravou dois vídeos, em seu Twitter, convocando as manifestações antigolpe no dia 31 de julho. Abaixo, assista:

7 de julho de 2016
por esmael
35 Comentários

Enquanto Cunha chorava, Câmara liberava o pré-sal da Petrobras aos estrangeiros

fup_pre_salPor 22 votos favoráveis e cinco contrários, a Comissão Especial da Petrobras e Exploração do Pré-Sal aprovou nesta quinta-feira (7) o Projeto de Lei 4567/16, que entrega o pré-sal para as petrolíferas multinacionais. A votação foi ofuscada com o choro de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, no acordão com Michel Temer (PMDB), renunciou a presidência da Câmara para preservar o mandato.

28 de Fevereiro de 2016
por esmael
23 Comentários

Após entrega do pré-sal, direita agora quer privatizar a Petrobras

do Brasil 247 

Poucos dias depois da aprovação, no Senado, do projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que determina o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal, o que abre o negócio para empresas estrangeiras, a direita brasileira, empolgada, já quer privatizar a estatal.

Em um artigo publicado na Veja deste fim de semana, o economista e ex-ministro da Fazenda do governo Sarney Maílson da Nóbrega propõe o debate, argumentando que a mudança “beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil”.

“Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável”, escreveu o economista em sua página no Facebook, na última sexta-feira, em um texto em que adiantava a ideia do artigo. “Na verdade, a Petrobras foi privatizada pelos que a assaltaram com objetivos de manter-se no poder, financiar projetos políticos e enriquecer”, disse ele.

Abaixo, a íntegra de seu texto publicado no Facebook:

Meu artigo na Veja que circula neste fim de semana sugere discutir a privatização da Petrobrás. Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável. Essa ideia predominou no mundo na primeira metade do século XX, mas foi seguidamente abandonada diante da globalização, da paz mundial e de novas reflexões sobre o tema. Na verdade, a Petrobras foi privatizada pelos que a assaltaram com objetivos de manter-se no poder, financiar projetos políticos e enriquecer. A Petrobrás, vítma de objetivos megalomaníacos do PT, está superendividada, perdeu prestígio internacional e as condições de participar ativamente da exploração do petróleo. Sua privatização beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil. Não eliminaria as vantagens de determos o petróleo, nem seu uso para gerar royalties e apoiar programas sociais.

25 de Fevereiro de 2016
por esmael
69 Comentários

Artigo de Gleisi Hoffmann: “O pré-sal é nosso e Dilma não é traidora”

Gleisi Hoffmann*

A votação de ontem no Senado foi, para mim, o símbolo mais forte da luta política que estamos enfrentando no país hoje. Uma luta que disputa a concepção de Estado que queremos. Foi realmente duro receber no final do processo de votação uma proposta do governo para flexibilizar a participação da Petrobras na exploração do pré-sal, maior reserva de petróleo do mundo recentemente descoberta. Difícil também votar contra o governo, contra o meu governo, nosso governo.

Desde que se iniciou a discussão sobre as mudanças de regras no pré-sal temos nos articulado e resistido. Nem o governo nem a presidenta Dilma orientaram a bancada a ter outra posição. Entendemos, também, desde o início, que o governo não iria se envolver diretamente na disputa (sua posição sempre foi clara a respeito do pré-sal), dado que parte expressiva de sua base, e particularmente o presidente do Senado, senador Renan Calheiros, grande apoiador do governo, tinha interesse na matéria. Um governo de coalizão cobra seu preço.

Essa não era uma disputa entre governo e oposição, mas uma disputa sobre a estratégia que um país, detentor de um grande tesouro, tem de adotar para utilizá-lo. Fizemos as primeiras resistências e conseguimos a vitória de segurar o projeto no ano passado.

Ontem tínhamos a sensação de disputa apertada, até em razão da votação do dia anterior, do requerimento de retirada de urgência do projeto, que perdemos por apenas dois votos. Diante disso, avaliamos que poderíamos ganhar a votação. Fomos à luta. Isso com certeza também teve impacto no PSDB e setores do PMDB que antes avaliavam que ganhariam a votação independente de posicionamento do governo.

O senador Renan Calheiros estava pessoalmente empenhado em aprovar a matéria. Desceu ao plenário para conversar com os colegas. Respeito o senador Renan, que tem sido um presidente do Congresso equilibrado e é, sem dúvidas, um grande apoiador e articulador da governabilidade da presidenta Dilma.

Por convicção, ou por ter de cumprir um acordo com a oposição, Renan, temendo perder a votação, cobrou de Dilma um posicionamento mais firme em relação ao tema. Saiu daí o substitutivo que foi aprovado. Sem ele, acredito que ganharíamos a votação

24 de Fevereiro de 2016
por esmael
35 Comentários

Ao vivo: Senado vota entrega do pré-sal

O Senado Federal vota na tarde desta quarta-feira (24) o projeto de lei 131/2015, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), que desobriga a Petrobras de explorar o pré-sal.

Os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (PMDB-PR), integrantes do grupo denominado “Desenvolvimentistas”, assumiram a linha de frente contra a proposta do tucano.

A pauta lesa-pátria poderá impactar diretamente na qualidade de vida dos brasileiros, pois a lei estabelece que 75% dos royalties do pré-sal sejam investidos na educação e 25% na saúde.

Assista ao vivo pela TV 15:

24 de Fevereiro de 2016
por esmael
Comentários desativados em Em tempos de entrega do pré-sal, trabalhadores realizam seminário sobre crise energética em Curitiba

Em tempos de entrega do pré-sal, trabalhadores realizam seminário sobre crise energética em Curitiba

Os trabalhadores do setor energético brasileiro não querem ficar vendo a banda passar, onde fala-se abertamente em entregar a operação do pré-sal da Petrobras às petrolíferas multinacionais. Por isso, eles realizam nesta quinta-feira (25), em Curitiba, o Seminário Regional de Energia e Saneamento no Estado do Paraná.

Na esteira dessa calorosa discussão no Congresso Nacional, que vota o PL 131/2015, nesta quarta-feira (24), de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), que abre as reservas de petróleo para a exploração das Shell e Chevron da vida, a classe pretende se posicionar frente à crise nacional nos setores energético e hídrico.

O evento, gratuito e aberto ao público, terá início às 9 horas, e é organizado pela CNTI (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria) em conjunto com o Sindenel (Sindicato dos Eletricitários de Curitiba) e pelo  Sindelpar (Sindicato dos Eletricitários no Estado do Paraná), com o apoio da UGT (União Geral dos Trabalhadores).

Os temas centrais serão: O estado atual do setor de saneamento no Brasil; Os efeitos da crise hídrica e seus reflexos no meio ambiente, no consumo e na economia brasileira; Energia elétrica, consumo e preservação/ensaio elétrico – arco voltaico; O estado atual do setor elétrico brasileiro; Os efeitos da crise energética na economia e no cotidiano.

Nesse encontro será feito um diagnóstico atual da crise hídrica e seus reflexos na economia brasileira, com o objetivo de informar e subsidiar a sociedade organizada sobre esse importante tema.

“É de vital importância a participação de líderes sindicais, comunitários, profissionais liberais, independentemente de serem ou não ligados ao setor energético, pois as consequências da falta de uma política nacional de abastecimento hídrico e energético poderá levar ao colapso de várias cadeias produtivas”, destaca o presidente do Sindenel, Alexandre Donizete Martins.

Para o presidente do Sindelpar, Paulo Sérgio dos Santos, que também preside o Conselho Estadual do Trabalho do Paraná, os profissionais do setor energético já vêm alertando o governo federal sobre os desdobramentos de uma crise de energia no país.

“Infelizmente, pouco se tem feito para modernizar as malhas de distribuição, que estão envelhecidas e que não vem acompanhando a demanda nos períodos de pico, ocasionando os tão conhecidos apagões nos grandes centros urbanos”,  alerta Paulo Sérgio.

SERVIÇO:

SEMINÁRIO SOBRE A CRISE NACIONAL NO SETOR ENERGÉTICO E HÍDRICO.

Local: HOTEL LIZON

Avenida Sete de Setembro, 2246

Data: 25 de fevereiro (quinta-feira)

Horár

1 de novembro de 2015
por esmael
26 Comentários

Requião diz que elites querem “guerra civil” ao proporem venda do país

requiao_congressoQue o senador Roberto Requião (PMDB-PR) não tem papas na língua todos nós já sabemos, pois ele fala e escreve o que pensa. Não foi diferente sua ira santa em relação à Fundação Ulysses Guimarães (FUG), braço político de seu partido, que apresentou esta semana um plano de governo denominado “Uma ponte para o futuro”. Na verdade, segundo o parlamentar, a legenda peemedebista, com apoio da velha mídia, pretende vender o que não lhe pertence. Ele se refere ao pré-sal brasileiro cujas reservas serão destinadas à educação e à saúde. Leia mais

2 de Janeiro de 2015
por esmael
9 Comentários

Velha mídia veste a carapuça do ‘inimigo externo’ do país. Que fazer?

do Brasil 247
dilma_midia_petrobrasO ponto alto do discurso da presidente Dilma Rousseff ao tomar posse do seu segundo mandato foi, sem dúvida, o que abordou a Petrobras.

Dilma falou em defender a empresa de seus “predadores internos e inimigos externos”. Em seguida, arrematou: “Não podemos permitir que a Petrobrás seja alvo de um cerco especulativo dos interesses contrariados com a adoção do regime de partilha e da política de conteúdo local, que asseguraram ao nosso povo, o controle sobre nossas riquezas petrolíferas” (leia mais aqui).

Foi um recado claro para determinadas forças que tentam se valer da crise de imagem da Petrobras para forçar uma mudança de regime na produção de petróleo no País. Quem mais destaca, entre essas forças, é o grupo Globo, dos irmãos Marinho, o primeiro a dizer, com todas as letras, que a Lava Jato obrigaria a Petrobras a retomar o regime de concessões de petróleo, no lugar do modelo de partilha.