21 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Alckmin convoca guerra do chuchu contra Bolsonaro nas redes sociais

Alckmin convoca guerra do chuchu contra Bolsonaro nas redes sociais

Não vai faltar chuchu nem açaí na campanha, se depender de Geraldo Alckmin (PSDB) e houver revide de Jair Bolsonaro (PSL). ... 

Leia mais

28 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em PT vai radicalizar nos próximos dias pela libertação de Lula

PT vai radicalizar nos próximos dias pela libertação de Lula

Os dirigentes petistas sacaram que o “bico doce” não funciona com a mídia e o judiciário, principais artífices do golpe que mantém Lula prisioneiro político em Curitiba há 113 dias. Por isso o PT tende a radicalizar pela libertação imediata do ex-presidente. ... 

Leia mais

21 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em CUT anuncia para o Brasil: “agora é guerra” pela liberdade de Lula

CUT anuncia para o Brasil: “agora é guerra” pela liberdade de Lula

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse nesta sexta (20) que “agora é guerra” na luta pela liberdade de Lula. ... 

Leia mais

13 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em URGENTE: Explosões são ouvidas em Damasco

URGENTE: Explosões são ouvidas em Damasco

Segundo relatos, explosões foram ouvidas na região de Damasco, na Síria, enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na sexta-feira que estava ordenando “lançar ataques aéreos de precisão contra a Síria”. ... 

Leia mais

13 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em EUA anunciam ataque à Síria

EUA anunciam ataque à Síria

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que atacará a Síria. A ofensiva militar contará com o apoio da França e da Inglaterra. ... 

Leia mais

20 de março de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Fora da política não há salvação

Fora da política não há salvação

Para o deputado Enio Verri (PT-PR), somente a politização pode tirar o Brasil desse campo de guerra em que está sendo jogado pela aventureira e apátrida Casa-grande. “O caminho do fascismo é o caos social, dentro do qual as vítimas são os pobres e os considerados diferentes”, escreve, referindo-se ao assassinato da vereadora do Rio Marielle Franco. ... 

Leia mais

20 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em ONU: já há “ciberguerra entre países”

ONU: já há “ciberguerra entre países”

O português António Guterres, secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu a criação de regras globais para minimizar o impacto da ciberguerra sobre os civis. Segundo jornal espanhol El País, o português disse que a próxima guerra começará com um ciberataque maciço para destruir a capacidade militar, sobretudo do comando, do controle e da comunicação, com a finalidade de paralisar as tropas e a infraestrutura básica, como as redes elétricas. ... 

Leia mais

12 de agosto de 2016
por Esmael Morais
29 Comentários

Governador Beto Richa declara nova guerra contra os professores do Paraná

servidores_richa_guerraO governador do Paraná Beto Richa (PSDB), em entrevista à TV Veja, afirmou nesta sexta (12) que professores, servidores públicos e adversários são responsáveis pela quebradeira no estado. Leia mais

2 de maio de 2016
por Esmael Morais
15 Comentários

Beto Richa reabre nova guerra contra os professores do Paraná; assista

beto_richaO governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, declarou nova guerra contra os servidores públicos, em geral, e contra os professores, em particular, ao enviar nesta segunda-feira (2) mensagem à Assembleia Legislativa que impede o desconto da mensalidade sindical em folha de pagamento.

O tucano está reunido agora à noite, no Palácio Iguaçu, onde tenta arregimentar deputados para nova batalha no Centro Cívico. Ou seja, Richa está “reativando” a famigerada bancada do camburão. Abaixo, assista ao vídeo: Leia mais

16 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
13 Comentários

Beto Richa mira o judiciário para sair do foco da mídia nacional

O governador Beto Richa (PSDB) se cansou das operações e ações do Poder Judiciário que lhe impuseram tímidas, porém, estratégicas derrotas, principalmente naquelas de ordem moral. Exemplo concreto disso é a Operação Publicano, do Gaeco, cuja investigação avançou até o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por isso, agora, ele decidiu partir para o contra-ataque contra a magistratura.

O tucano não tromba de frente com juízes, promotores, procuradores, evidentemente. O modus operandi dele é sofisticado e utiliza “força de trabalho” terceirizada – uma espécie de freelancers.

Uma das estratégias do Palácio Iguaçu tem como objetivo questionar moralmente os homens da capa preta. Ou seja, cobra o judiciário na mesma moeda que o governador é cobrado.

Não que a magistratura não tenha exagerado nos penduricalhos que dá salário de marajás a alguns juízes, procuradores e promotores.

Mas o que chama a atenção do Blog do Esmael é a quantidade de entidades patronais, as ligadas aos coxinhas, ensaiando abrir fogo contra o que elas consideram “mordomias” no judiciário paranaense, dentre as quais o auxílio-moradia. Coincidência ou não, essas organizações têm relações umbilicais com o governador Beto Richa.

Como ninguém é tonto nem nasceu ontem, se deduz que está em curso uma ofensiva contra o judiciário visando tirar o tucano da vitrine (foco midiático). A pancadaria contra os juízes — aos quais não nutro simpatia alguma — é diabolicamente estudada, planejada e executada.

Para complicar mais ainda, até os participantes BBB16 folgaram em sapecar o inquilino do Palácio Iguaçu.

Note o caro leitor que antes o “culpado” pelas travessuras do tucano era o PT. Agora o diabo da vez é o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR).

A falta de dinheiro para aguentar os elevados custos do TJPR possivelmente fez o amor sair correndo pela janela.

Portanto, parece que o namoro entre Richa e judiciário chegou ao fim. Ou é amor bandido, como se falava antigamente?

Leia mais

19 de agosto de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

Richa planeja golpe contra eleições nas escolas; educadores preveem nova “guerra” contra tucano no PR

lemos_eleicao_escolaQuem avisa amigo é, diz o ditado. E foi isso que fez na tarde desta quarta-feira, 19, o deputado Professor Lemos (PT). Da tribuna da Assembleia Legislativa, o parlamentar alertou que o governador Beto Richa (PSDB) vai declarar nova “guerra contra os educadores”, se der o golpe contra a democracia nas escolas. ... 

Leia mais

2 de novembro de 2014
por Esmael Morais
64 Comentários

Magoado com a derrota de Aécio, FHC declara guerra a Dilma e ao PT

lula_dilma_aecio_fhc.jpgO ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, prócere do PSDB nacional, reclama a beça em seu artigo dominical do “lulopetismo”, que, segundo ele, desconstruiu Marina Silva, o legado tucano e a candidatura de Aécio Neves que “foi reduzido a playboy, farrista contumaz e ‘candidato dos ricos’!.

“Até eu, que nem candidato era, fui sistematicamente atacado pelo PT, como se tivesse quebrado! o Brasil três vezes”, registra FHC, visivelmente magoado com o PT.

O ex-presidente, porta-voz dos derrotados, avisa que o PSDB não vai “afrouxar o sutiã” e declara guerra a presidenta reeleita Dilma Rousseff e ao PT. “Depois de uma campanha de infâmias, fica difícil crer que o diálogo proposto não seja manipulação”.

A seguir, leia a íntegra do artigo de FHC: Leia mais

12 de agosto de 2014
por Esmael Morais
10 Comentários

Israel pede desculpas por chamar Brasil de “anão diplomático”

O presidente eleito de Israel, Reuven Rivlin, conversou por telefone na segunda-feira (11/08) com a presidente Dilma Rousseff e lhe pediu desculpas pelas declarações realizadas por um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores que rotulou o país de “anão diplomático”. “Na conversa dos dois mandatários, o chefe de Estado israelense apresentou desculpas pelas recentes declarações do porta-voz de sua Chancelaria em relação ao Brasil. Esclareceu que as expressões usadas por esse funcionário não correspondem aos sentimentos da população de seu país em relação ao Brasil”, afirma o Palácio do Planalto em nota divulgada à  imprensa.

No último mês de julho, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, em entrevista ao jornal The Jerusalem Post, qualificou o Brasil de “anão diplomático” por criticar a ofensiva israelense e considerar “desproporcional” o uso da força de Israel na Faixa de Gaza. De acordo com o Planalto, durante a conversa telefônica “foi evocada a grave situação atual da Faixa de Gaza” e Rivlin afirmou que “o país estava defendendo-se dos ataques com mísseis que seu território vinha sofrendo”.

Dilma transmitiu ao presidente do Estado de Israel que o governo brasileiro “condenara e condena ataques a Israel, mas que condena, igualmente, o uso desproporcional da força em Gaza, que levou à  morte centenas de civis, especialmente mulheres e crianças”. A presidente reiterou a posição do Brasil em todos os foros internacionais em defesa “da coexistência entre Israel e Palestina, como dois Estados soberanos, viáveis economicamente e, sobretudo, seguros”.

Segundo o comunicado, Dilma enfatizou que a “crise atual não poderá servir como pretexto para qualquer manifestação de caráter racista, seja em relação aos israelenses, seja em relação aos palestinos”. Além disso, a presidente também manifestou sua esperança que “a continuidade do cessar-fogo e as negociações atuais entre as partes possam contribuir para uma solução definitiva de paz na região”.

Pedido de desculpas ridiculariza críticos da imprensa

O telefonema de Riulin mostra com precisão o ridículo dos críticos brasileiros que fizeram coro com o porta-voz israelense. Para azar de quem levou o anão diplomático! a sério, a atitude do presidente de Israel deixa claro que era uma definição menor, de um funcionário sem qualificação para emitir conceitos em nome do governo, alguma coisa que se poderia chamar de gafe! !” o que torna ainda mais curioso que tenha sido aceita e divulgada com tanta facilidade.

Via Opera Mundi, com informações do Blog de Paulo Moreira Leite

Leia mais

5 de agosto de 2014
por Esmael Morais
6 Comentários

Unicef contabiliza mais de 400 crianças mortas e 2,5 mil feridas em Gaza

via Agência Brasil

Mais de 400 crianças morreram e 2,5 mil ficaram feridas nos bombardeios do Exército israelense em Gaza, indicou hoje o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que calcula que 370 mil menores precisam urgentemente de ajuda psicológica para ultrapassar esta situação traumática.

O número de crianças mortas durante esta operação militar é 408 e supera o de menores mortos durante a [operação] Chumbo Fundido!, a ofensiva anterior de Israel, entre 2008 e 2009 – durante a qual 350 crianças morreram. Se se comparar a demografia de Gaza com a dos Estados Unidos seria como se 200 mil crianças norte-americanas tivessem morrido, disse à  imprensa Pernille Ironside, que dirige o gabinete do Unicef em Gaza.

Ironside assinalou que não há eletricidade no território palestino, controlado pelo movimento islâmico Hamas, e que os sistemas de água potável e de saneamento não funcionam, de modo que o risco de surgirem doenças transmissíveis e diarreia é iminente.

Há que ter em conta o tamanho da Faixa de Gaza. São 45 quilômetros de comprimento por seis a 14 [quilômetros] de largura e não há uma única família que não tenha sido diretamente afetada por alguma perda!, adiantou. A destruição é total. Usaram armas horríveis que provocam amputações terríveis. E isto aconteceu diante dos olhos das crianças, que viram morrer os seus amigos, os seus pais!, disse Ironside.

Por isso, o Unicef calcula que 370 mil menores precisam de ajuda psicológica para tentarem ultrapassar, de algum modo, o trauma vivido. Um menino ou uma menina que tenha hoje 7 anos de idade já passou por três ofensivas: a de 2008-2009, a de 2012 e a de agora!, assinalou a responsável da agência da ONU.

Ironside disse ainda que 142 escolas na Faixa de Gaza, incluindo 89 da Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos, ficaram danificadas nos bombardeios israelenses, adiantando que três estabelecimentos de ensino da ONU foram alvo de ataques diretos.

Para responder ao disparo de fog Leia mais

28 de julho de 2014
por Esmael Morais
7 Comentários

Conselho de Segurança da ONU pede cessar-fogo imediato em Gaza

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) formalizou na madrugada de hoje (28), em Nova York, uma declaração apelando para um cessar-fogo humanitário imediato e incondicional! entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza. Aprovada por unanimidade pelos 15 membros do conselho, a declaração pede para as partes envolvidas no conflito aplicarem totalmente! o cessar-fogo durante a celebração do fim do Ramadã, esta semana, e estenderem para além desse período, buscando uma negociação da paz na região.

As 15 nações apelaram ao respeito pleno do direito humanitário internacional, sobretudo no que diz respeito à  proteção dos civis! e enfatizaram que as instalações civis e humanitárias, incluindo as da ONU, devem ser respeitadas e protegidas!. Há três dias, um bombardeio atingiu uma escola da ONU em Gaza. A declaração também cobra de ambas as partes o esforço de implementar um cessar-fogo duradouro e totalmente respeitado, baseado na iniciativa de mediação egípcia!.

O Conselho de Segurança também ressaltou a necessidade de fornecimento imediato de assistência humanitária à  população da Faixa de Gaza, com o aumento das contribuições dos países ao Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Além dos cinco membros permanentes (Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido e França), os dez membros eleitos que compõem o conselho atualmente são: Argentina, Austrália, Chade, Chile, Coreia do Sul, Jordânia, Lituânia, Luxemburgo, Nigéria e Ruanda.

O Conselho de Segurança é o único órgão do sistema internacional capaz de adotar decisões obrigatórias para todos os Estados-Membros da ONU, podendo, inclusive, autorizar intervenção militar para garantir a execução de suas resoluções. Dos 15 países do conselho, cinco são membros permanentes !“ Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China !“ e dez são rotativos, ficando dois anos no órgão e sendo substituídos. O voto negativo de apenas um membro permanente configura veto a uma eventual resolução do conselho.

A declaração foi divulgada logo depois da reuni Leia mais

24 de julho de 2014
por Esmael Morais
26 Comentários

Israel critica, mas Brasil mantém condenação ao terror em Gaza

O governo de Israel criticou a postura do governo brasileiro de convocar o embaixador em Tel Aviv para consultas e de! publicar duas notas em uma semana condenando a escalada da violência entre Israel e Palestina. Em comunicado à  imprensa, o Ministério das Relações Exteriores de Israel manifestou desapontamento! diante das críticas do Brasil.

Ato contínuo, o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, defendeu hoje (24) a posição do governo brasileiro que condenou energicamente o uso desproporcional da força! por Israel em conflito na Faixa de Gaza. Condenamos a desproporcionalidade da reação de Israel, com a morte de cerca de 700 pessoas, dos quais mais ou menos 70% são civis, e entre os quais muitas mulheres, crianças e idosos. Realmente, não é aceitável um ataque que leve a tal número de mortes de crianças, mulheres e civis”, disse o ministro. “E é sobre esse fato que essa nova nota fala!, ressaltou Figueiredo em entrevista.

O ministro lembrou que, na semana passada, o Itamaraty já havia divulgado nota condenando o movimento islâmico Hamas pelos foguetes lançados contra Israel, e também Israel pelo ataque à  Faixa de Gaza. Israel se queixa que, na última nota, não repetimos a condenação que já tínhamos feito. A condenação que já tínhamos feito continua somos absolutamente contrários ao fato de o Hamas soltar foguetes contra Israel. Isso se mantém. Não há dúvida. Não pode haver dúvida disso!, afirmou Figueiredo.

Ele acrescentou que a última nota do Itamaraty não omite nada que foi dito antes. “Ao contrário, a gente pede o cessar-fogo imediato. Cessar-fogo quer dizer o quê? [Cessarem] os ataques das duas partes. Não há cessar-fogo unilateral, não é isso que a gente pede. A gente pede que as duas partes parem os ataques. Isso permanece.!

via Agência Brasil, editado.

Leia mais

24 de julho de 2014
por Esmael Morais
12 Comentários

Brasil reforça crítica a Israel por terror em Gaza e retira embaixador do país

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil emitiu um comunicado em que considerou inaceitável a ofensiva de Israel em Gaza e condenou a força desproporcional usada por Israel. Além disso, o Embaixador brasileiro em Tel Aviv foi chamado a sair do país. Esta foi a segunda vez que o Brasil se manifestou oficialmente sobre os conflitos que começaram há pouco mais de duas semanas.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil emitiu um comunicado em que considerou inaceitável a ofensiva de Israel em Gaza e condenou a força desproporcional usada por Israel. Além disso, o Embaixador brasileiro em Tel Aviv foi chamado a sair do país. Esta foi a segunda vez que o Brasil se manifestou oficialmente sobre os conflitos que começaram há pouco mais de duas semanas.

O governo brasileiro voltou a criticar nesta quarta-feira (23/07) a ofensiva de Israel em Gaza, pediu a implementação de um cessar-fogo e chamou para consultas o embaixador do país em Tel Aviv. Além disso, em diversas cidades brasileiras estão acontecendo manifestações organizadas por comunidades árabes e simpatizantes da causa palestina. ... 

Leia mais

21 de julho de 2014
por Esmael Morais
Comentários desativados em Um beijo pela paz no Oriente Médio

Um beijo pela paz no Oriente Médio

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à  Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à  Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

O ex-prefeito de Piraquara, Gabriel Samaha, o Gabão, ex-presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), foi flagrado no fim de semana dando um beijo em um israelense em protesto que pedia paz no Oriente Médio. ... 

Leia mais

16 de março de 2014
por Esmael Morais
16 Comentários

Nova ordem mundial: anexação da Crimeia à  Rússia deve ter apoio de 70%; guerra ou paz?

do Brasil 247 Como previsto, a população da Crimeia deve aprovar, neste domingo, sua anexação à  Rússia. O referendo teve início à s 2h de Brasília e será encerrado à s 14h, quando já será noite na região.

Ao todo, as urnas estão abertas em 27 unidades regionais e uma pesquisa do instituto GfK aponta que 70% da população deve votar a favor da anexação à  Rússia e apenas 11% pela volta à  Ucrânia !“ na semana passada, o parlamento aprovou uma declaração de independência.

Muitos votaram já nas primeiras hora do dia e registros de pessoas que acompanham a votação apontam para uma vitória tranquila da proposta de anexação !“ bandeiras russas também dominam a paisagem das principais cidades da Crimeia, como Sebastopol e Simferopol.

A votação é acompanhada por observadores de diversos países. Seus resultados não serão reconhecidos pela União Europeia e pelos Estados Unidos, mas isso não fará diferença. A partir deste domingo, a Crimeia será parte da Rússia e uma resolução da ONU contra o referendo também foi vetada pelos russos (leia mais aqui sobre o nascimento de uma nova ordem mundial).

Leia, abaixo, o noticiário da Reuters a respeito do referendo:

Crimeia vota sobre união com Rússia enquanto presença militar aumenta

Por Mike Collett-White e Ronald Popeski

SIMFEROPOL, Ucrânia/KIEV, 16 Mar (Reuters) – Cidadãos da Crimeia votaram em um referendo neste domingo para decidir sobre uma cisão da Ucrânia e uma união com a Rússia, com Kiev acusando Moscou de aumentar rapidamente a presença militar na península em uma “violação crua” de um tratado internacional.

Em meio a uma crise Leste-Oeste reminiscente da Guerra Fria, o ministro da Defesa em exercício da Ucrânia, Ihor Tenyukh, disse que o número de militares russos na Crimeia está agora duas vezes maior que o nível acertado com Moscou e que a força de Kiev estão tomando “medidas apropriadas” ao longo da fronteira com a Rússia.

Tenyukh afastou qualquer sugestão que a Ucrânia, enfraquecida econômica e militarmente, poderia desistir ante o poderio russo.

“As decisões serão tomadas dependendo de como os eventos desdobrarem-se. Mas quero dizer mais uma vez que esta é nossa terra e que nós iremos abandoná-la”, disse ele à  agência Interfax.

Países ocidentais dizem que a votação, que deverá ser a favor da união com a Rússia devido a uma maioria de idioma russo na região, é ilegal e está sendo conduzida sob ameaça.

Nas Nações Unidas, 13 membros do C Leia mais

4 de março de 2014
por Esmael Morais
25 Comentários

Rússia x Ucrânia: Putin ameniza tensão, mas não descarta guerra

Vladimir Soldatkin e Alissa de Carbonnel, via Brasil 247MOSCOU/KERCH, Ucrânia, 4 Mar (Reuters) – O presidente Vladimir Putin disse nesta terça-feira que a Rússia só usará a força militar na Ucrânia como último recurso, em comentários cujo objetivo aparente é acalmar as tensões entre Ocidente e Oriente causadas pelo temor de uma guerra na ex-república soviética.

A Rússia, entretanto, se reservou o direito de usar todas as opções na Ucrânia para proteger seus compatriotas lá que estão vivendo em “terror”, disse Putin.

Putin declarou em uma coletiva de imprensa em sua residência oficial, nos arredores de Moscou, que houve um “golpe inconstitucional” na Ucrânia, e que o presidente deposto, Viktor Yanukovich, aliado da Rússia, ainda é o líder legítimo do país, apesar de ter entregado o poder.

“Só pode haver uma avaliação do que aconteceu em Kiev, na Ucrânia em geral. Esse foi um golpe anticonstitucional e a tomada armada do poder. Ninguém discute isso”, disse Putin, parecendo relaxado diante de um pequeno grupo de repórteres.

“Quanto a levar forças. Por enquanto não existe tal necessidade, mas essa possibilidade existe”, disse ele. “O que poderia servir como motivo para usar força militar? Ela seria naturalmente o último recurso, absolutamente o último.”

Mais cedo nesta terça-feira, Putin ordenou que as tropas envolvidas em um exercício militar no oeste russo, perto da fronteira com a Ucrânia, voltassem à s suas bases. Ele disse que homens armados que haviam tomado prédios e outras instalações na Crimeia eram grupos locais.

PREà‡OS DA GAZPROM

Aumentando a pressão sobre Kiev, a Gazprom, maior produtora russa de gás, disse que irá retirar um desconto nos preços do gás para a Ucrânia a partir de abril, segundo a Leia mais