União Europeia compra petróleo russo, via Arábia Saudita

As sanções da União Europeia e dos Estados Unidos à potência energética Rússia – como se diz no Brasil – é ‘pra inglês ver‘, segundo a agência de notícias Reuters.

As receitas de petróleo e gás da Rússia estão aumentando, apesar das sanções de europeus e americanos.

A Rússia do presidente Vladimir Putin vai ganhar mais com a venda de energia em 2022 do que em 2021.

Considerado um brilhante truque do petróleo, Putin aumentou a venda para a Arábia Saudita, que fornece o commodity para os países que embaragaram os russos.

Sim, é um faz de conta.

UE e EUA fingem que sancionam a Rússia, que finge estar sancionada.

Americanos e europeus compram petróleo russo, mas não da Rússia.

Eles adquirem a energia dos sauditas, que a compra dos russos.

A Rússia é o segundo maior produtor de petróleo do mundo, superado apenas pelos Estados Unidos (com a Arábia Saudita em um estreito terceiro lugar).

A Reuters vê “lavagem de petróleo” nessa triangulação.

A agência de notícias mostrou através do rastreamento de navios do Refinitiv Eikon que a Arábia Saudita importou 647.000 toneladas (48.000 barris por dia) de óleo combustível da Rússia via portos russos e estonianos em abril-junho deste ano. 

Este é um aumento de 320.000 toneladas no mesmo período do ano passado, observa.

O problema é que o petróleo russo supostamente sancionado chega à União Europeia mais caro devido à ação de atravessadores.

Quem sofre com essa política é o povo europeu, que está sendo castigado pelo calor extremo e em breve será testado pelo inverno.

Enquanto isso as companhias de energia e petróleo privadas – americanas e europeias – nunca ganharam tanto dinheiro quanto agora.

Qual o papel da Ucrânia nisso tudo?

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.