29 de abril de 2015: O dia em que o Paraná chorou sangue – Pra nunca esquecer

Relembre: Clima pesado na véspera do massacre de 29 de abril

Professores farão ato para marcar os 3 anos do massacre de 29 de abril

Há 3 anos: Richa transformou o Centro Cívico numa praça de guerra

Relembre: Justiça deu aval para Richa descer a borracha nos servidores do Paraná

Há 3 anos: Professores retomavam greve contra o confisco da previdência por Richa

Relembre: Os “preparativos” de Richa para o 29 de abril

Relembre: Os bastidores do confisco da previdência e do massacre de 29 de abril

Há 3 anos, Gleisi denunciava o confisco da previdência dos servidores por Richa

Relembre: 10 dias para o massacre de 29 de abril

Relembre: Confisco da previdência comprometeu o futuro do Paraná

Para lembrar: Sobe a tensão entre os servidores e a “bancada do camburão”

Há 3 anos: Beto Richa era Dick Vigarista, segundo a APP-Sindicato

Para lembrar: “bancada do camburão” aprova urgência para o confisco da previdência

Para lembrar: Richa e deputados ‘do camburão’ são alvos de protestos no interior

Lembrando 2015: Cresce a pressão dos professores contra o governo Richa

Educadores em greve planejam magamanifestação contra Beto Richa no Paraná

greve_educacao_richaO conselho estadual da APP-Sindicato se reúne nesta terça (25), a partir das 14 horas, em Curitiba, para avaliar o oitavo dia da greve dos trabalhadores na educação básica e planejar ações massivas, dentre as quais uma marcha contra o governador Beto Richa (PSDB).

Há um ano iniciava greve histórica de 43 dias na educação do Paraná

Professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado podem não ter conseguido vitórias econômicas expressivas com a greve de 2015, mas, na opinião do Blog do Esmael, eles obtiveram êxito na batalha das batalhas, a da comunicação, ou seja, politicamente conseguiram um feito que nenhum movimento antes conseguiu.
Professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado podem não ter conseguido vitórias econômicas expressivas com a greve de 2015, mas, na opinião do Blog do Esmael, eles obtiveram êxito na batalha das batalhas, a da comunicação, ou seja, politicamente conseguiram um feito que nenhum movimento antes conseguiu.

O Paraná não é mais o mesmo desde 9 de fevereiro de 2015, ou seja, há exato um ano, desde que fora deflagrada a greve dos educadores. Eles buscavam – e ainda buscam – dignidade, respeito, manutenção da ParanáPrevidência e dos quinquênios, auxílio-transporte, cumprimento de acordos de reajustes, enfim, propunham a justa bandeira “nenhum direito a menos”.

Pois bem, o Paraná não é mais o mesmo desde então porque o governador Beto Richa (PSDB) também já não é o mesmo. Antes, o tucano ostentava popularidade na casa dos 70%. Hoje, segundo o instituto Paraná Pesquisas, ele tem a pior avaliação do país com quase 80% de reprovação.

Além disso, o governador do PSDB corre o risco de ir para a cadeia ainda durante seu mandato, de acordo com reportagem da revista Veja – que é alinhada ao tucanato nacional – em virtude de corrupção na Receita Estadual e na educação (Operações Publicano e Quadro Negro, respectivamente).

Educadores podem deflagrar nova greve contra Richa no próximo dia 29

Assembleia lembrará a violência contra professores em 29 de abril de 2915 e 27 de agosto de
Assembleia lembrará a violência contra professores em 29 de abril de 2015 e 30 de agosto de 1988; educadores também deverão votar pelo retorno da categoria à greve contra Beto Richa.

Com atos em memória aos quatro meses do massacre dos professores de 29 de abril e aos 27 anos do massacre dos professores de 30 de agosto, a próxima assembleia da APP Sindicato, marcada para o dia 29 de agosto, deve reunir cinco mil pessoas, entre professores e servidores da educação, além de pais e estudantes, entidades sindicais e estudantis do estado. Entre as pautas trazidas pelos professores e que devem ser discutidas no dia, está o indicativo de greve pelo descumprimento de acordos firmados entre a categoria e o governo, no final do segundo semestre para assegurar o encerramento da greve da educação.

A manifestação terá início às 8h, na Praça Santos Andrade, e seguirá para a Praça 19 de Dezembro. A expectativa é que cinco mil educadores compareçam ao evento.

“Não será uma simples assembleia, mas um ato de luto e luta por duas datas marcantes não só na nossa história como professores, como também na história do estado do Paraná”, disse o presidente da APP Sindicato, Hermes Leão.

Leão reforçou que junto com as ações em memória a truculência e a violência contra os professores e servidores da rede estadual de ensino, a assembleia definirá uma jornada de trabalhos de luta e protesto em manifestação aos atos e medidas adotadas pelo governo do estado contra a educação pública no Paraná.

“É um governo que já vinha em descrédito com a categoria e que, mesmo com tudo o que aconteceu, segue prejudicando professores, alunos, a educação do estado em nome de um “ajuste de contas” como gostam de chamar. O problema é que ninguém vê nem sabe para onde vai o dinheiro, o discurso é sempre de que não tem, e o povo, o estado paga essa conta”, avaliou o presidente da APP.

Hermes também falou ao Blog do Esmael sobre o descumprimento de acordos estabelecidos para o fim da greve da educação, em junho deste ano, e disse que a APP já toma medidas legais para coibir a “quebra de palavra” do governador.

“No caso do Programa de Desenvolvimento da Educação, o PDE, nós já entramos com uma liminar na justiça para assegurar não apenas o direitos dos inscritos e que aguardam para ingressar no mestrado, mas também a garantia de que a lei do PDE seja cumprida”, disse o líder sindical.

Indicativo de greve

Requião compara Cunha a Beto Richa: “Cara dum, focinho doutro”

Assembleia isenta Beto Richa de responsabilidade pelo massacre de professores em 29 de abril

Garganta Profunda de Londrina: ‘Sciarra deverá ocupar a Secretaria de Representação em Brasília’

rossoni_richa_roma_sciarraNem Copel nem Secretaria da Infraestrutura.

Garganta Profunda de Londrina relata que o destino do atual chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), será o Escritório da Representação do Paraná em Brasília. Até o final deste mês, o quarto andar do Palácio Iguaçu terá como titular o “biscatão” deputado federal Valdir Rossoni (PSDB).

Garganta Profunda de Londrina conta com exclusividade aos leitores do Blog do Esmael detalhes do encontro ocorrido na manhã desta segunda-feira (13) entre o governador Beto Richa (PSDB) e Rossoni.

De acordo com o informante, Sciarra será “exilado” em Brasília com a tarefa de prorrogar o contrato do ‘pedágio mais caro do mundo’ haja vista a resistência de boa parte da bancada federal paranaense.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), ao Blog do Esmael, contestou as informações de Garganta Profunda. “Não existe esse movimento de troca na Casa Civil”, jurou.

Em crise, Beto Richa pode trocar esta semana o chefe da Casa Civil

Empresário acusa federações do G-7 de fazerem lobby para perpetuar ‘pedágio mais caro do mundo’ no PR

richa_pedagioO empresário toledano Antônio Lange, ex-presidente da Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), em artigo especial para o Blog do Esmael, criticou neste sábado (4) o apoio das entidades representativas do setor produtivo, o G-7, à perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do estado.

Lange acusa os dirigentes das principais federações de estarem mais interessados em construir rede de relacionamento com os poderosos do que defender o setor produtivo do Paraná. “A história dos pedágios no Paraná é um exemplo disso”, completa.

Nesta semana, o Blog do Esmael mostrou que o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), com a anuência do governador Beto Richa (PSDB), foram a Brasília com o intuito de prorrogar os contratos das concessionárias do pedágio até 2050. Por ora, a missão bateu na trave (clique aqui).

No entanto, a perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ tem a reprovação das poderosas Fiep (Federação das Indústrias do Paraná) e Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná). Ou seja, houve um racha no G-7 neste debate.

A seguir, leia a íntegra do artigo especial de Antônio Lange:

Espectro do impeachment volta a rondar o Palácio Iguaçu

richa_impeachment_profsNa última segunda-feira, dia 29 de junho, dois meses após o covarde massacre dos professores no Centro Cívico, em Curitiba, promotores do Ministério Público do Paraná (MP) concederam entrevista coletiva para anunciar que ofereceram à Justiça denúncia contra o governador Beto Richa (PSDB) por improbidade administrativa, ou seja, crime de responsabilidade que pode cassar-lhe o mandato e os direitos políticos por 8 anos.

Dito isto, cada vez mais o espectro do impeachment ronda as imediações do Palácio Iguaçu, mesmo local que serviu para a ação violenta da polícia que deixou saldo de 213 feridos.

O blogueiro e advogado Tarso Violin Cabral, no último dia 25 de maio, protocolou o primeiro requerimento na Assembleia solicitando o impedimento do governador tucano. Para ele e um grupo de juristas, que subscreveram o documento, a ação de improbidade administrativa anunciada pelo Ministério Público contra Beto Richa, o ex-secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini, e o alto comando da PM à frente das decisões do Massacre de 29 de abril, reforça a tese do impeachment.

Nesta sexta-feira (3) veio mais um elemento que poderá ser apensado a denuncia de improbidade do inquilino do Palácio Iguaçu: a Justiça determinou que Richa cessasse de mentir e fazer campanha contra professores no site oficial Agência Estadual de Notícia; o tucano vinha abusando da máquina pública para denegrir a imagem dos educadores que ainda lutam por melhores condições de trabalho e reposição inflacionária.

‘Em busca de foro privilegiado, Richa terá dificuldades até para a Assembleia’, diz Requião Filho

Governador Beto Richa, em busca de foro privilegiado, poderá concorrer à Assembleia Legislativa; sondagem divulgada hoje pela Paraná Pesquisa coloca o tucano em último lugar na corrida pelo Senado.
Governador Beto Richa, em busca de foro privilegiado, poderá concorrer à Assembleia Legislativa; sondagem divulgada hoje pela Paraná Pesquisa coloca o tucano em último lugar na corrida pelo Senado.
Se depender do humor do eleitorado paranaense, o governador Beto Richa (PSDB) terá dificuldades até mesmo para reforçar a “Bancada do Camburão” na Assembleia Legislativa. A observação é do deputado Requião Filho (PMDB), após ler pesquisa da corrida eleitoral pelo Senado.

“Pelo jeito o Betinho, se quiser ter foro especial, terá que ralar muito. Desse jeito capaz de não se eleger deputado estadual”, tuitou o peemedebista, vice-líder da oposição na Assembleia.

O Blog do Esmael anotou ontem (1) que Richa teme ir para a cadeia, caso Roberto Requião (PMDB) ganhe as eleições de 2018, pois, de acordo com a Paraná Pesquisas, o senador lidera as disputas tanto para o Senado quanto para o Palácio Iguaçu.

Veja essa: Beto Richa está em ÚLTIMO lugar na pesquisa para o Senado

senado_pesquisaO governador Beto Richa (PSDB) está em último lugar na corrida por uma das duas vagas em jogo em 2018 para o Senado Federal. Se as eleições fossem hoje, o tucano teria a vergonhosa marca de 7% nas intenções de voto, segundo levantamento do Paraná Pesquisas publicado nesta quinta-feira (2) pelo jornal Gazeta do Povo.

O senador Roberto Requião (PMDB) seria reeleito para o cargo com 45%, seguido do deputado estadual licenciado e secretário de Estado Ratinho Júnior (PSC), que tem 41%. Em terceiro está Osmar Dias (PDT), com 38%, e em quarto aparece a senadora Gleisi Hoffmann (PT) com 19%.

O desempenho de Ratinho na sondagem é uma prova concreta que a cria sempre supera o criador. Vide o caso de Richa, que superou seu criador Jaime Lerner. Outros analisam que o secretário do Desenvolvimento Urbano apresenta voo de galinha nesta rodada de pesquisas.

Beto Richa foi denunciado pelo Ministério Público como responsável pelo massacre dos professores, no dia 29 de abril, quando 213 pessoas ficaram feridas devido à ação violenta da polícia, durante votação na Assembleia do confisco da poupança previdenciária do funcionalismo público.

Por outro lado, Ratinho Júnior é apontado pelos educadores como responsável pela derrota da reposição inflacionária de 8,17%, na Assembleia, haja vista o PSC possuir a maior bancada com 12 deputados. O partido havia anunciado antes o “fechamento questão” favorável aos professores, mas na votação roeu a corda para ficar do lado do governador tucano.

O instituto de Murilo Hidalgo mostrou ontem (1) que Requião também lidera a corrida pelo Palácio Iguaçu e anteontem (30) registrou que 85% dos paranaenses desaprovam o governo tucano.

Sobre o último lugar na pesquisa para o Senado, professores e servidores mandaram uma perguntinha ao governador Beto Richa: “Tomou?”.

A seguir, veja o infográfico com a pesquisa.

Fracassa missão de Richa para prorrogar ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do Paraná

Por 25 votos a 14, Assembleia rejeita convite para denunciante de desvios na Educação do Paraná

Gleisi Hoffmann sobre a prorrogação do pedágio no PR: ‘Nem a pau Juvenal’

“Bancada do Camburão” derruba sessão para não convocar denunciante de roubo na educação do PR

Governo Richa vai a Brasília para prorrogar o ‘pedágio mais caro do mundo’. Terá êxito o tucano?