5 de julho de 2018
por esmael
Comentários desativados em ‘Volta Requião’ ganha força com racha de base governista na Assembleia

‘Volta Requião’ ganha força com racha de base governista na Assembleia

Tempos difíceis no pós-traumático governo Beto Richa (PSDB) no Paraná. A herança deixada pelo tucano — calotes, violência e maldades contra servidores públicos — rachou a base na Assembleia Legislativa.  ... 

Leia mais

26 de fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Governo Beto Richa emporcalhou o Paraná, dizem deputados da oposição sobre pedágios

Governo Beto Richa emporcalhou o Paraná, dizem deputados da oposição sobre pedágios

8 de fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Novo líder da oposição promete ser o ‘coveiro’ do governo Beto Richa na ALEP

Novo líder da oposição promete ser o ‘coveiro’ do governo Beto Richa na ALEP

O deputado Anibelli Neto (MDB) assumiu esta semana a liderança da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná. Orador eloquente, o emedebista quer para si o papel de “coveiro” do governador Beto Richa (PSDB), haja vista que o tucano deixará o cargo daqui a 53 dias para disputar o Senado. ... 

Leia mais

2 de maio de 2016
por esmael
15 Comentários

Beto Richa reabre nova guerra contra os professores do Paraná; assista

beto_richaO governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, declarou nova guerra contra os servidores públicos, em geral, e contra os professores, em particular, ao enviar nesta segunda-feira (2) mensagem à Assembleia Legislativa que impede o desconto da mensalidade sindical em folha de pagamento.

O tucano está reunido agora à noite, no Palácio Iguaçu, onde tenta arregimentar deputados para nova batalha no Centro Cívico. Ou seja, Richa está “reativando” a famigerada bancada do camburão. Abaixo, assista ao vídeo: Leia mais

28 de novembro de 2015
por admin
15 Comentários

PL “Adote uma Escola” vai para análise do Conselho Estadual de Educação

O Projeto de Lei N° 304/2015, de autoria do deputado estadual Marcio Nunes (PSC), que institui o programa “Adote uma Escola” começou a tramitar na última quarta-feira (24) na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Contrário ao projeto, o deputado Professor Lemos (PT) apresentou requerimento para que o projeto fosse enviado para análise do Conselho Estadual de Educação (CEE). O requerimento foi aprovado por unanimidade e o texto será protocolado naquele órgão nesta segunda-feira (30).

Lemos espera que o Conselho se posicione contrário ao projeto e vai propor que o mesmo seja rejeitado no mérito pela Comissão de Educação da Alep. Segundo o deputado, a educação pública é dever do Estado e deve ser financiada com os recursos dos impostos, e não com patrocínio da iniciativa privada.

“No meu entendimento, o projeto tira a autonomia das escolas, com a ingerência e a propaganda das marcas das empresas. Imagine as marcas estampadas nas paredes das escolas e nos uniformes das crianças. Educação não é mercadoria, não pode ser mercadoria.”

“Olha o nome do projeto: ‘Adote uma Escola’. Quando é que você adota alguém? Quando está abandonado. Não podemos permitir que a educação fique abandonada. Ela é o nosso futuro.” Acrescentou.

“A função de arrecadar os impostos é da Receita Estadual. Não podemos transformar as escolas em agências da Receita. O governo deve combater a corrupção da receita e destinar corretamente os recursos para educação, para que nenhuma escola fique abandonada.” Concluiu o deputado.

O projeto deverá ser analisado pelo Conselho Estadual de Educação nas próximas reuniões e retornar para tramitação na Alep somente no início de 2016.

Leia mais

15 de setembro de 2015
por admin
4 Comentários

Richa se isola em debate sobre eleição para diretor de escola; “Retira ou rejeita!”, gritam educadores; assista

audiencia

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) realizou na noite de ontem (14) uma concorrida audiência pública sobre o projeto de lei do governador Beto Richa (PSDB) que ‘cassa’ o voto de pais, alunos, professores e funcionários de 2,1 mil escolas ao propor novas regras para a eleição de diretor.

A audiência foi convocada pela Comissão de Educação da Alep e conduzida pelo presidente da comissão, deputado Hussein Bakri (PSC), que logo no início da sessão lamentou a ausência da secretária de Estado da Educação (SEED), Ana Seres Trento Comin, representada pela superintendente do órgão, Fabiana Campos.

A audiência pública foi transmitida ao vivo pelo Blog do Esmael com imagens da TV 15. Fizemos um compacto com os momentos mais marcantes do debate. Confira o vídeo a seguir:

O deputado federal João Arruda (PMDB) fez uma série de sugestões ao texto do projeto para que a lei tenha um caráter mais democrático, conferindo mais responsabilidades para as comunidades escolares.

Já o deputado Nereu Moura (PMDB) elogiou o esforço do correligionário João Arruda, mas adiantou que a posição da bancada da oposição na Alep será a de apoiar e encaminhar a posição decidida pela APP-Sindicato.

Nem os deputados governistas presentes na audiência tentaram defender o projeto do governo. Maria Victória (PP), que também integra a comissão de educação, foi bastante vaiada mas tentou sair pela tangente dizendo que sua vontade era fazer o melhor para as crianças do Paraná e que estava ali para aprender; no entanto, saiu logo após discursar.

O deputado Felipe Francischini (SD) fez uma fala positiva(!) tocando em pontos importantes do projeto, como a necessidade de se garantir a ampla defesa aos diretores antes de qualquer determinação de afastamento. Marcio Pacheco (PPL) e Chico Brasileiro (PSD) se manifestaram contra o projeto governista e em apoio à posição dos professores.

O deputado Nelson Luérsen (PDT) abordou a teimosia do governador Beto Richa, que não desiste de perseguir servidores públicos e professores do Paraná. Ele defendeu a retirada do projeto da pauta. Leia mais

19 de agosto de 2015
por esmael
19 Comentários

Richa planeja golpe contra eleições nas escolas; educadores preveem nova “guerra” contra tucano no PR

lemos_eleicao_escolaQuem avisa amigo é, diz o ditado. E foi isso que fez na tarde desta quarta-feira, 19, o deputado Professor Lemos (PT). Da tribuna da Assembleia Legislativa, o parlamentar alertou que o governador Beto Richa (PSDB) vai declarar nova “guerra contra os educadores”, se der o golpe contra a democracia nas escolas. ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por esmael
6 Comentários

Deputado Professor Lemos vai “afrouxar a tanga” na disputa pela Prefeitura de Cascavel?

Professor_LemosA atenta blogueira Laís Laíny, parceira do Blog do Esmael na região Oeste, informa que o deputado estadual Professor Lemos, do PT, poderá declinar da disputa pela Prefeitura de Cascavel na eleição de 2016. Ela coletou os humores na frente política do município. Na corrida de 2012, o petista perdeu para o prefeito Edgar Bueno (PDT), que foi reeleito no segundo turno. Leia a seguir:

Frente política em dúvida sobre a candidatura de Professor Lemos

O maior líder do PT de Cascavel no momento, deputado estadual Professor Lemos, não têm aspirado confiança suficiente de que seu nome estará na disputa pela Prefeitura de Cascavel, ano que vem.

Embora já tenha demonstrado desejo de ser candidato, o posicionamento ainda não passa firmeza aos grupos políticos dispostos à uma aliança. Leia mais

22 de junho de 2015
por esmael
16 Comentários

Atrás da polêmica da “ideologia de gênero”, Beto Richa pode reduzir orçamento da educação

O Plano Estadual de Educação que tem prazo até quinta-feira (25) para ser aprovado na Assembleia Legislativa do Paraná, sancionado e publicado pelo governador Beto Richa (PSDB), ainda apresenta questões polêmicas que vão da chamada “ideologia de gênero” ao percentual de verba no orçamento estadual.

Na última quarta-feira (17), o projeto recebeu 66 emendas de diversos deputados, por isso, volta hoje para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que fará uma sessão extraordinária para analisar estas emendas.

O deputado Péricles de Melo (PT) que integra a CCJ afirmou que pode pedir vistas na Comissão para que o projeto seja melhor discutido pelo menos até amanhã. Segundo ele, uma das divergências está no percentual de verba do orçamento a ser aplicado na educação. O projeto prevê 30%, mas hoje já estamos em 34%, o que daria margem para redução.

Outro problema apontado por Péricles é a equiparação dos professores com as demais carreiras de nível superior. Segundo o parlamentar, a luta é que a equiparação seja obrigatória, garantindo a isonomia aos professores.

Além dessas questões, deputados da “bancada evangélica” se manifestaram contrários ao que chamam de “ideologia de gênero” que seria a previsão de acolhimento à diversidade sexual, respeito às diferenças dos indivíduos LGBT, entre outras questões ligadas à sexualidade.

Segundo o deputado Professor Lemos (PT), grande parte das emendas apresentadas são consensuais e tratam de situações já existentes na prática, como a diversidade das escolas rurais, indígenas e quilombolas, entre outras situações. Sobre as questões de gênero e diversidade sexual, o deputado afirmou que a comissão de educação procurou avançar no texto buscando o consenso onde fosse possível.

Para Lemos, há falta de compreensão sobre o a importância e o significado do Plano Estadual e dos Planos Municipais de Educação. Há pessoas que são desinformadas e combatem questões de maneira cega, sem ao mesmo ler o plano. Há casos de municípios em que vereadores queriam suprimir o termo “gênero” até quando se tratava de gênero textual ou literário. “Um debate sobre educação não pode ser tão rasteiro”, completou.

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), afirmou ao Blog do Esmael, sobre a polêmica das questões de gênero, que é preciso superar os fundamentalismos e conviver com a realidade que a sociedade apresenta, sem discriminar nenhum estudante. Segundo ele, o Plano Estadual de Educação deve ser um reflexo disso, para nortear os esforços de educação do Estado Leia mais

7 de junho de 2015
por esmael
53 Comentários

Não tem aumento aos professores por que o dinheiro foi para a corrupção?

richa_rpcO jornal Gazeta do Povo, do Grupo RPC, mais uma vez deu mostra que tem verdadeira ojeriza aos professores e servidores públicos em greve. Editorial do impresso, que exprime a opinião da empresa, neste domingo (7), vê de maneira vesga o que acontece no Paraná e age como se fosse porta-voz do governo Beto Richa (PSDB). Nem o Palácio Iguaçu teria tanta competência para tal defesa contra os interesses do magistério.

No título, o jornalão ordena aos professores que encerrem a greve e sentencia no “olho” do editorial: “A APP Sindicato já conseguiu mais do que as finanças do estado permitem e não há mais clima para prolongar a paralisação” (clique aqui para ler a íntegra).

E continua o libelo: “Os paranaenses terão uma longa conta a pagar e a governabilidade do estado já foi seriamente comprometida”, implora o editorial, sem se importar com a roubalheira que tomou conta do Palácio Iguaçu envolvendo parentes e amigos mais próximos do governador.

Os educadores podem até acabar com a greve na terça-feira, dia 9, na assembleia da categoria em Curitiba. Mas o fato de o governador desrespeitar a lei nada tem a ver com falta de dinheiro. Pelo contrário. O Paraná foi um dos estados que mais arrecadou devido aos tarifaços (IPVA, ICMS, etc.), além do confisco da poupança previdenciária dos servidores. O gasto com pessoal está abaixo do limite prudencial. Portanto, o novo calote de Beto Richa ocorre mais pela maldade e opção preferencial pelos malfeitos.

A Gazeta do Povo até que fez alguma cobertura factual da greve pressionada pela mídia alternativa, entre elas a TV 15 do senador Roberto Requião, que transmitiu o histórico movimento ao vivo para o Brasil e o mundo — da Patagônia à Europa — gratuitamente.

Mas tomar as dores de Beto Richa, que porra é essa RPC/Gazeta do Povo?

Seria mais justo se o jornal Gazeta do Povo e os veículos do grupo anotassem que “não tem aumento para os professores porque o dinheiro já está reservado para a corrupção”. Todo dia tem um novo escândalo e hoje, domingo, o Blog do Esmael registrou mais um justamente na Secretaria de Educação. Leia mais

5 de junho de 2015
por esmael
36 Comentários

Beto Richa reconstitui ‘equipe da maldade’ da campanha contra professores e servidores no PR

Na semana passada, o Blog do Esmael anotou que o governador Beto Richa (PSDB) iniciara uma “blitzkrieg” contra professores e servidores públicos no Paraná. Trata-se de um termo criado pelos nazistas para designar “guerra-relâmpago”.

Dito isto, ao longo dos últimos dias cristalizou-se que o tucano reconstituiu parte da ‘equipe da maldade’ que o reelegeu no ano passado. O ex-secretário da Comunicação, Marcelo Cattani, por exemplo, mesmo demitido do cargo, agora presta serviço como consultor estratégico — longe da folha de pagamento oficial.

Não é à toa que surgiram propagandas à beça em jornais, rádios e TVs e, “coincidente”, a linha desses órgãos de imprensa mudou a medida que suas burras foram enchendo com recursos públicos. As agências de publicidade estão com o sorriso frouxo no rosto, bem como os barões da velha mídia.

As ligações telefônicas para a casa dos todos paranaenses, eu disse todos, contra os educadores, custeadas pelo erário, foram delegadas à empresa curitibana Call Complete — segundo rastreamento desses telefonemas.

Alguns outros colaboradores, que estavam distantes desde janeiro, se reaproximaram agora do Palácio Iguaçu como “freelancers” contra os grevistas. Como se estivessem numa guerra, fornecem “munição” contra os funcionários públicos desarmados.

No pacote de soluções, o governador Beto Richa contratou a peso de ouro o jornalista Mário Rosa, autor do best seller “A Era do Escândalo” para recuperar sua imagem destruída depois do massacre de 29 de abril.

O leitor também soube ontem que o tucano reforçou seu time com criminalistas. Além do respeitado René Ariel Dotti, integra a defesa de Beto Richa, no crime, o renomado jurista Ives Granda Martins. Ou seja, o governador trocou os assessores políticos pelos advogados criminalistas. Tem a ver com a bronca da Receita Estadual e o massacre.

Nessa frente jurídica há um ruído importante. Corretamente, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) pagará a reposição inflacionária de 8,17% a seus servidores em parcela única. Ok, cumpre a lei. No entanto, os mesmos desembargadores concedem liminar contra a greve que reivindica justamente os mesmos 8,17%.

Como pode a sociedade em geral — e o judiciário em particular — pugnar por um ensino de primeiro mundo se se comporta, de maneira medíocre, como sociedade de terceiro mundo?

O diabo é que o governador Beto Richa mobiliza toda uma máquina de guerra contra os servidores públicos que, com certeza, custa bem mais caro do que deve a eles. Ficaria mais barato ao erário se ele cumprisse a lei da data-base, pagando os 8,17% ainda este ano, que recorrer a mercenários de plantão.

Então, o que fez o governador optar pela guerra ao invés da paz? Ora, a vaidade, a birra, o ego, a arrogância, a truculência, a maldade… Coisa de piá pançudo, de gente ruim.

Se houve o massacre no dia 29 de abril, no Centro Cívico, está em curso um novo massacre na opinião pública. Só não vê quem não quer.

Por fim, o Blog do Esmael vai transmitir ao vivo na terça-feira (9), a partir das 9 horas, em parceria com a TV 15, a assembleia geral da APP-Sindicato. O leitor também poderá acompanhar tudo em tempo real pelo Facebook. Basta curtir a fanpage para receber as atualizações das notícias.

Leia mais

1 de junho de 2015
por esmael
22 Comentários

Professor Lemos levanta a voz para Traiano: “Mentiroso!”; assista ao vídeo

traiano_profs_lemosO presidente da Assembleia Legislativa e do PSDB do Paraná, Ademar Traiano, bateu boca com o deputado Professor Lemos (PT) na sessão desta segunda-feira (1º). A tensão entre os dois teria ocorrido porque o tucano foi preterido na interlocução com os grevistas.

O presidente da Assembleia tem espalhado por aí – inclusive no plenário da Casa – que a proposta de 3,45% partiu do petista.

“É mentira. O presidente Traiano mentiu descaradamente”, declarou ao Blog do Esmael Professor Lemos.

Assista ao vídeo

“Ele mentiu e eu tenho testemunha de cinco deputados, pois sempre defendi 8,17% de aumento na data-base”, disse Lemos ao repórter César Setti, da TV 15.

Para o deputado do PT, a “mentira” de Traiano seria uma estratégia do Palácio Iguaçu para dividir o movimento dos professores. Leia mais

31 de maio de 2015
por esmael
42 Comentários

Governo Richa faz “blitzkrieg” contra professores no Paraná

Desde a semana passada, o Palácio Iguaçu colocou em prática uma verdadeira “blitzkrieg”—termo criado pelos nazistas para designar “guerra-relâmpago” – contra professores e servidores públicos em greve no Paraná.

O Blog do Esmael anotou que o governo Beto Richa iniciara guerra suja contra educadores nas redes sociais cuja intervenção no Facebook e grupos de WhatsApp objetivam cindir a categoria, semear a desconfiança, e disseminar informações falsas. Esse trabalho ciberterrorismo é coordenado pela “Tenda Digital”, uma organização clandestina que funciona nos bunkers do Palácio Iguaçu.

Paralelamente, o governo do estado divulgou no Portal Transparência “supersalários” de professores. Os profissionais do magistério contestaram os valores e fizeram “memes” na internet sobre o tema.

Ato contínuo, o governo Richa foi ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) solicitar o bloqueio de R$ 1,24 milhão da conta da APP-Sindicato pelos dias parados na greve. A contraofensiva veio com a mesma intensidade: o deputado Requião Filho (PMDB), vice-líder da oposição, também anunciou ação pelo bloqueio de R$ 1,36 bilhão do tesouro estadual para o pagamento da data-base de 8,17%.

Você acha que a “blitzkrieg” acaba por aqui? Claro que não. Os diretores das 2,1 mil escolas vivem momentos de incrível assédio moral. Eles estão sendo enquadrados para que punam educadores em greve. Os que se recusarem ao papel de carrascos sofrem ameaça de processo administrativo e afastamento de cargo, embora todos eles tenham sido eleitos democraticamente pelo voto direto.

Além disso, o Palácio Iguaçu começou a distribuir novamente farta verba de propaganda para rádios e jornais no interior do estado, bem com emissoras de TV. O enredo é o mesmo: criminalizar a greve da educação.

A greve está fácil de resolver, segundo o deputado Professor Lemos (PT). Segundo ele, caiu no 1º quadrimestre o alerta de limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Ou seja, o governo está gastando menos com pessoal e isso possibilita a reposição dos 8,17%. “Basta vontade política”, opina o parlamentar.

O diabo é que Beto Richa parece preferir o cenário de terra arrasada tal qual a tática do Exército Vermelho na 2ª Guerra Mundial contra o exército alemão. Pretende minar a resistência dos educadores prolongando a greve em uma espécie de “perde-perde”.

Mas diferente dos russos que venceram os nazistas, o tucano não tem apoio popular. A rejeição do governador paranaense bateu na casa dos 100%.

Resumo da ópera: “A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa” (Karl Marx, em O 18 Brumário de Luis Bonaparte).

Leia mais

30 de maio de 2015
por esmael
30 Comentários

Alvíssaras: Caiu o limite prudencial de gastos com pessoal no governo Richa

Lemos_LRFO deputado estadual Professor Lemos (PT), especial para o Blog do Esmael, trouxe neste sábado (30) uma informação alvissareira: balanço do 1º quadrimestre de 2015 revelam que os gastos do governo Beto Richa (PSDB) com pessoal caíram abaixo do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

De acordo com o parlamentar, o balanço aponta redução do limite para 45,97% quando a margem prudencial hoje é de 46,55%, o que corresponde a 90% de 49% da Receita Corrente Líquida (RCL). Para ele, isso é prova inequívoca de que caiu a barreira fiscal que impedia zerar as perdas inflacionárias nos salários dos servidores (abaixo, leia a íntegra do relatório).

Segundo Professor Lemos, se tiver boa vontade, o governo do estado pode acabar com a greve pagando a data-base de 8,17% sem impactar o limite prudencial, pois o índice do quadrimestre seria diluído ao longo de 12 meses e ainda, calcula o deputado, “a perspectiva é de aumento de arrecadação”. Leia mais

25 de maio de 2015
por esmael
2 Comentários

Audiência Pública sobre o Plano Estadual de Educação

audienciaApesar da greve dos professores e servidores da educação, foi realizada hoje (25) pela manhã uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná para tratar do Plano Estadual de Educação (PEE).

A audiência foi iniciativa deputado Professor Lemos (PT), e nela foram debatidas as diretrizes do PEE contidas no projeto de lei nº 377/2015, de autoria do Poder Executivo. Estavam presentes representantes dos Fóruns Nacional e Estadual da Educação, lideranças da APP-Sindicato, prefeitos, vereadores e secretários municipais da educação.

Segundo o Deputado Professor Lemos, o projeto do governo deve receber diversas emendas, muitas delas a partir da formulação de entidades como a própria APP-Sindicato. Em conversa com o Blog do Esmael, o deputado afirmou que o principal problema do projeto do governo é que ele não prevê nenhum aumento de investimento por parte do Estado na educação. “Desse jeito não há como cumprir com as metas estabelecidas no plano”, completou Lemos.

Leia mais

12 de maio de 2015
por esmael
49 Comentários

Acabou a “boa vontade” da RPC/Gazeta com a greve dos professores depois da propaganda de Beto Richa?

gazeta_propaganda_richa

Na sessão da Assembleia Legislativa do Paraná, desta terça-feira (12), veio à tona os primeiros números de gastos do governo Beto Richa (PSDB) com a propaganda sobre o confisco da poupança previdenciária.

De acordo com números revelados pelo líder do governo, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), o Palácio Iguaçu torrou nesses últimos dias, pós-massacre dos professores, a quantia de R$ 2,7 milhões. A maior parte deste dinheiro – R$ 1,2 milhão – foi para a RPC TV/Gazeta do Povo.

Coincidência ou não, depois da entrada do dinheiro público nas burras da RPC/Gazeta do Povo acabou a “boa vontade” do grupo com os professores grevistas. Em editorial no último domingo (10), o jornal defendeu o governo tucano ao cravar: “Os professores cruzaram os braços sem ter uma pauta real”.

O jornalão está equivocado. O governo Beto Richa não apresentou hoje nenhuma proposta concreta para pôr fim à greve de 16 dias. A categoria esperava uma definição da data-base com a reposição da inflação do ano, além do reajuste do piso para equiparação com o que determina a lei federal.

Na TV afliada à Globo, o governo do estado veicula comercial defendendo o confisco da poupança previdenciária que pertence aos servidores públicos. Na Gazeta, a APP-Sindicato é acusada de má-fé e oportunismo pelo simples fato de defender seus associados! (sic).

Paralelamente, a oposição se esforça para levantar os valores da ‘operação de guerra’ no último dia 29 de abril. Parlamentares não alinhados ao Palácio Iguaçu estimam que o custo das bombas, diárias para policiais, ração para os cães pitbulls, balas de borracha, helicópteros, viaturas, sessões em regime de urgência na “Casa do Povo” e agora da propaganda ultrapassa os R$ 30 milhões. Leia mais

9 de maio de 2015
por esmael
47 Comentários

Richa pode ter massacrado professores “por nada”; MP pede suspensão do confisco da previdência

richa_mp_confiscoO governador Beto Richa (PSDB) pode ter dado um tiro no próprio pé, segundo reportagem da Folha de S. Paulo, edição deste sábado (9). De acordo com reportagem da jornalista Estelita Hass Carazzai, o Ministério Público pediu a suspensão da lei que confisca a poupança previdenciária dos servidores públicos do Paraná.

Ou seja, o governador tucano pode ter determinado o massacre dos professores no último dia 29 de abril “por nada” — caso o Tribunal Faz de Contas do Estado (TCE) acate pedido de cautelar formulado pela totalidade dos procuradores do MP.

O governador Beto Richa disse ontem (8) em entrevista à imprensa que “não tem ninguém mais ferido que eu”, depois de 9 dias do massacre no Centro Cívico. Ele vinha mantendo silêncio sepulcral acerca da covardia contra os educadores.

Na sociedade e na frente política também cresce o movimento pelo cancelamento da sessão que aprovou o confisco da previdência dos servidores públicos do estado. Portanto, o esforço de 31 deputados que votaram com o Palácio Iguaçu — e contra a voz das ruas — pode ter sido em vão. Leia mais

8 de maio de 2015
por esmael
13 Comentários

Professor Lemos: “Queda de Francischini não basta. É preciso reverter o confisco da previdência”

lemosO deputado estadual Professor Lemos (PT) está em Brasília desde quarta-feira (6) trabalhando para reverter o confisco da previdência dos servidores, aprovado pela Assembleia Legislativa do Paraná no dia 29 de abril, enquanto a Polícia Militar jogava bombas e atirava com balas de borracha nos professores e servidores no chamado “Massacre do Centro Cívico”.

Lemos comentou a demissão de Fernando Francischini da Secretaria de Segurança Pública, afirmando que não basta ele sair do governo, como já saíram o ex-secretário de educação Fernando Xavier e o ex-comandante geral da Polícia Militar César Vinícius Kogut; “É preciso que os responsáveis paguem pelos crimes cometidos no massacre”. Leia mais

26 de abril de 2015
por esmael
29 Comentários

Frente política condena cerco militar a professores em greve no Paraná

richa_sob_cercoO governador Beto Richa (PSDB) vai se isolando cada vez mais na sua intenção de reprimir, com violência policial, a manifestação de professores e funcionários públicos em greve prevista esta semana no Paraná. Os servidores do estado iniciam paralisação amanhã (27) contra o confisco da poupança previdenciária.

Desde ontem (26) à tarde, quando determinou a ocupação militar do Centro Cívico, o tucano atraiu contra si uma onda de protestos da frente política liderados por parlamentares.

“Governo autoritário e arrogante que convoca policiais para cercar a Assembleia, intimidar professores, e garantir votações”, tuitou o deputado João Arruda (PMDB), coordenador da bancada federal paranaense em Brasília. Segundo ele, Richa comete “improbidade administrativa” ao transformar servidores do governo [policiais militares] em seguranças particulares de deputados para preservar os seus interesses na Assembleia.

Mais cedo, os senadores Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB) também emitiram duras críticas ao iminente confronto a que o governador do PSDB está empurrado a cavalaria da PM contra educadores. Leia mais

22 de fevereiro de 2015
por esmael
112 Comentários

‘Pacote de maldades de Beto Richa matou o primeiro professor’, acusa deputado Lemos; assista

prof_juranda.jpgO deputado estadual Professor Lemos (PT), neste domingo (22), indignado, acusou o ‘pacote de maldades’ do governador Beto Richa (PSDB) de matar oficialmente o primeiro professor da rede pública em 2015.

Segundo o parlamentar, o professor Luís Carlos da Silva, diretor do Colégio Estadual João Maffei Rosa, do município de Juranda, na região Oeste, tombou lutando contra o pacotaço do governo tucano.

Neste domingo (22), centenas de professores, alunos e lideranças políticas da região se despediram do professor Luís em emocionado velório.

“Mais uma vítima fatal do pacotaço de maldades do governador Beto Richa. O colégio dele foi impedido de fazer matrículas do ensino médio noturno. A vice-diretora foi exonerada. Duas pedagogas foram tiradas da escola. O governo ainda fechou várias turmas. Tem alunos tendo que ir estudar nos municípios de Ubiratã e Rancho Alegre”, disse, à s lágrimas, o deputado Lemos. Leia mais