25 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Datafolha: Apenas 11% acreditam que Bolsonaro beneficiará trabalhador

Datafolha: Apenas 11% acreditam que Bolsonaro beneficiará trabalhador

Segundo pesquisa do Instituto Datafolha apenas 11% dos brasileiros acreditam que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) trará algum benefício para a classe trabalhadora. O levantamento foi feito no final do ano de 2018. ... 

Leia mais

13 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Bolsonaro volta a atacar direitos dos trabalhadores

Bolsonaro volta a atacar direitos dos trabalhadores

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) voltou a atacar os direitos dos trabalhadores. Ele afirmou nesta quarta-feira (12) que quer aproximar a legislação trabalhista da informalidade para facilitar a vida dos empresários.

A declaração foi feita em reunião com parlamentares do DEM. Ele ainda criticou o PT e o programa Bolsa Família.

LEIA TAMBÉM:

Vem aí a ‘Bolsa Estupro’ de Bolsonaro, informa ministra Damares ... 

Leia mais

13 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Propaganda de Haddad denuncia fake news de Bolsonaro; assista ao vídeo

Propaganda de Haddad denuncia fake news de Bolsonaro; assista ao vídeo

A propaganda eleitoral de Fernando Haddad, deste sábado (13), denunciou as fake news (notícias falsas) do adversário Jair Bolsonaro (PSL) nas mídias sociais e disse que o ex-capitão seria uma versão piorada do governo Michel Temer.

LEIA TAMBÉM

Ibope divulga pesquisa sobre disputa pela Presidência da República ... 

Leia mais

10 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Haddad recebe apoio das centrais sindicais em defesa dos direitos dos trabalhadores

Haddad recebe apoio das centrais sindicais em defesa dos direitos dos trabalhadores


Sete centrais sindicais – CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central, Intersindical, CSB e CTB – declararam nesta quarta-feira (10) apoio ao candidato à presidência Fernando Hadadd (PT). O encontro aconteceu em São Paulo com a presença do candidato e da vice, Manuela D’Ávila, da presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann e dirigentes sindicais de diversas categorias. “Estamos de corpo e alma na campanha de Haddad e Manuela”, afirmou Miguel Torres, presidente da Força Sindical.

Haddad e Manuela receberam das mãos dos sindicalistas dois documentos, ambos assinados pelas sete centrais sindicais. São eles a carta que explica os motivos porque a classe trabalhadora deve eleger Haddad e o documento Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora com 22 pontos elaborados pelas centrais que apontam alternativas para tirar o Brasil da crise. Confira a seguir a íntegra da carta dos sindicalistas a Fernando Haddad e Manuela d’Ávila.

MOVIMENTO SINDICAL EM DEFESA DOS DIREITOS TRABALHISTAS E DA DEMOCRACIA

PORQUE A CLASSE TRABALHADORA DEVE ELEGER HADDAD

Em 28 de outubro teremos uma eleição decisiva para o futuro da classe trabalhadora brasileira. De um lado, Fernando Haddad, um candidato comprometido com a democracia, os direitos sociais e a soberania nacional. Do outro, um candidato que encarna o autoritarismo, a desnacionalização da economia e a extinção dos direitos sociais e trabalhistas, com consequências diretas na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras, como desemprego, a precarização do trabalho, redução dos direitos e da qualidade de vida.

Jair Bolsonaro defende os interesses de grandes corporações nacionais e estrangeiras, seu projeto privilegia o mercado financeiro sobre qualquer outro setor da sociedade. Sua intenção de supressão dos direitos dos trabalhadores é tão flagrante que o candidato afirmou que, se eleito, vai criar uma “nova” carteira de trabalho em contraposição à atual. Com esta fantasiosa carteira, o empregado não terá nenhum dos direitos previstos na CLT como férias, 13º salário e licença maternidade.

O programa de governo de Haddad está em sintonia com os interesses da Nação e do nosso povo. Propõe a revogação da reforma trabalhista e da Emenda Constitucional 95, que congelou os investimentos públicos por 20 anos. Propõe a retomada do desenvolvimento e crescimento econômico, com distribuição de renda, inclusão e justiça social e redução do desemprego. Defende o fortalecimento e a valorização da agricultura familiar e do salário mínimo, o combate da precarização do mercado de trabalho, a democratização dos meios de comunicação e uma política externa soberana.

Haddad está comprometido com a valorização das estatais, das empresas e bancos públicos, redução dos juros, isenção do imposto de renda para trabalhadores e trabalhadoras que ganham até cinco salários mínimos e de impostos para os mais pobres, manutenção da Previdência Social como política pública e a valorização das aposentadorias. O fim das privatizações e a valorização de todo setor energético, com a consequente redução das tarifas de combustíveis, luz e gás, também são compromissos já firmados.

Há uma massa de trabalhadores, desempregados e desalentados, sendo iludida pelo canto de sereia, desorientada pela profusão de notícias falsas e disseminação do ódio. Por isso, conclamamos uma reflexão pela democracia e por um futuro melhor para todos e todas.
Fernando Haddad personifica a democracia e a possibilidade de lutarmos por mudanças que o povo reclama e anseia: educação e saúde públicas de qualidade para toda a população, moradia, segurança, democracia, soberania e bem-estar social. Haddad colocará o povo brasileiro em primeiro lugar.

Por todas essas razões, as centrais sindicais brasileiras estão unidas neste segundo turno com Fernando Haddad. E, com a certeza de que Haddad é o melhor candidato, conclama a classe trabalhadora e o povo brasileiro a participar da campanha e votar para eleger Haddad o próximo presidente do Brasil.

Somente juntos conseguiremos defender a democracia, a soberania nacional e a valorização do
trabalho e da classe trabalhadora.

São Paulo, 10 de outubro de 2018.

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores – CUT
Miguel Torres, presidente da Força Sindical
Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores – UGT
Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB
José Avelino Pereira (Chinelo), presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB
José Calixto Ramos, presidente Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST
Edson Índio, secretário-geral da Intersindical Leia mais

2 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Vice de Bolsonaro volta a atacar o 13° salário

Vice de Bolsonaro volta a atacar o 13° salário

O general Mourão, candidato a vice na chapa de Bolsonaro (PSL), voltou a atacar o 13° salário, numa clara sinalização aos empresários que querem o fim dos direitos trabalhistas. ... 

Leia mais

29 de junho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Eleições 2018: Recuperação de direitos dos trabalhadores une candidatos da esquerda

Eleições 2018: Recuperação de direitos dos trabalhadores une candidatos da esquerda

Coordenadores de programas das campanha das quatro pré-candidaturas de esquerda em reunião nesta sexta (29), na Casa do Povo, em São Paulo, debateram a necessidade da recuperação dos direitos trabalhistas e sindicais retirados pelo governo golpista. O evento reuniu os coordenadores de programa do PT, Fernando Haddad, do PCdoB, Luís Fernando, do PSOL, Natalia Szermeta e de Nelson Marconi, do PDT.

 

Anular a chamada reforma trabalhista encampada pelo governo Michel Temer que retirou direitos seculares do trabalhador. Reformar o sistema bancário e de crédito, a fim de democratizar o acesso aos recursos financeiros e modelar o sistema bancário à função de fomento da economia e do setor produtivo. Implantar uma reforma tributária que vise alterar as bases de contribuição para que se desonere o consumo e as classes mais desfavorecidas em detrimento das camadas privilegiadas da população.

Essas são as principais diretrizes em comum das quatro principais pré-candidaturas da esquerda no Brasil para as eleições presidenciais deste ano, segundo foi exposto por representantes das quatro chapas no debate realizado na noite desta sexta-feira.

Ao final do evento, Fernando Haddad tomou a palavra para dizer que não há condições de abrir mão da candidatura Lula. “Quem se debruçou sobre o tal processo do triplex sabe com toda certeza que ele não para em pé. Este processo é a única razão que poderia existir para tentarem impedir sua candidatura. E a maioria da população quer votar em Lula. Por isso, o PT não pode, não quer e não vai abrir mão da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva”, declarou.

*Com Agência PT de Notícias, em São Paulo

Leia mais

9 de maio de 2018
por editor
Comentários desativados em Paulo Paim propõe Estatuto do Trabalho para reverter a ‘reforma’ de Temer

Paulo Paim propõe Estatuto do Trabalho para reverter a ‘reforma’ de Temer

O senador Paulo Paim (PT-RS) apresentará uma proposta de Estatuto do Trabalho para tentar recompor os diretos dos trabalhadores destruídos pela ‘reforma’ do ilegítimo Michel Temer (MDB). A proposta será divulgada em uma subcomissão temporária que vem discutindo o tema no Senado desde agosto do ano passado.

O Estatuto será composto por mais de 900 artigos e terá o objetivo de conciliar interesses dos trabalhadores e dos empregadores. Paim afirmou que pretende ampliar os direitos trabalhistas e que a proposta está aberta a sugestões.

“Nós vamos ouvir a todos. Porque assim é que é a democracia, saber ouvir o contraditório. E respeitar inclusive os que pensam diferente. E o relatório final que vai na linha da justiça e negando aquele absurdo que infelizmente virou lei”. Afirmou o senador.

A ‘reforma’ trabalhista do ilegítimo retirou direitos históricos dos trabalhadores precarizando as relações de trabalho e prejudicando os trabalhadores mais vulneráveis. A medida sofre oposição dos magistrados do trabalho, do Ministério Público do Trabalho, sem falar nos sindicatos e centrais sindicais.

Paim é relator e vice-presidente da subcomissão para discutir as relações de trabalho dentro da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. A proposta de Estatuto do Trabalho será apresentada nesta quinta-feira (10) em reunião da subcomissão. Leia mais

1 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Ao vivo: Marcha #1McomLula direto de Curitiba

Ao vivo: Marcha #1McomLula direto de Curitiba

Movimentos sociais e de trabalhadores realizam marcham de 10 km, desde o acampamento #LulaLivre, no entorno da Polícia Federal, em Curitiba, até a Praça Santos Andrade (UFPR) para ato unificado das centrais sindicais no 1º de Maio.

Acompanhe ao vivo, via Mídia Ninja:

Na Praça Santos Andrade, local de concentração das grandes manifestações na capital paranaense, haverá shows de Beth Carvalho, Ana Cañas, Maria Gadú e Renegado.

O 1º de Maio Unificado das centrais sindicais terá os motes Lula Livre, a defesa da democracia e dos direitos trabalhistas.

As manifestações do Dia do Trabalhador uniram a CUT, Força Sindical, CTB, NCST, UGT, CSB, Intersindical, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Leia mais

27 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A festa “cult” no 1º de Maio de Curitiba

A festa “cult” no 1º de Maio de Curitiba

A festa do 1º de Maio, Dia do Trabalhador, será um evento “cult” em Curitiba nesta próxima terça-feira. As centrais sindicais levarão à Praça Santos Andrade (UFPR), a partir das 14 horas, shows de Beth Carvalho, Ana Cañas, Maria Gadú e Renegado.

O 1º de Maio Unificado das centrais sindicas terá os motes Lula Livre, a defesa da democracia e dos direitos trabalhistas.

“Cult” é algo cultuado nos meios artísticos e culturais. Logo, não confunda com a CUT.

Além dos cutistas, também estarão juntos a Força Sindical, CTB, NCST, UGT, CSB, Intersindical, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Ouça a convocação que está nas ruas de Curitiba:

Leia mais

22 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Carteira de Trabalho completa 86 anos em clima de funeral

Carteira de Trabalho completa 86 anos em clima de funeral


A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) completou 86 anos nesta quarta-feira (21). Criada por Getúlio Vargas em 1932, o documento perdeu boa parte de seu valor com a reforma trabalhista do ilegítimo Michel Temer e dos golpistas do Congresso.

O documento que foi por décadas o símbolo dos direitos dos operários serve para registrar toda a trajetória profissional dos brasileiros que trabalham no regime das Consolidações das Leis do Trabalho. Porém, com a recente “flexibilização” da CLT, ela já não garante praticamente nenhum direito. A precarização das relações de trabalho promovida pelo golpe de 2016 torna a CTPS obsoleta para um enorme contingente de trabalhadores.

Um dos principais golpes na CLT e na CTPS foi a contratação individual de trabalhadores como pessoas jurídicas (PJs). A chamada “pejotização”. A terceirização irrestrita também piorou muito a vida dos trabalhadores. Outros retrocessos foram as jornadas de trabalho intermitentes e as contratações por hora trabalhada. Já a possibilidade de cobrança de honorários na Justiça do Trabalho vem trazer o medo e espanta os trabalhadores da luta judicial por seus escassos direitos trabalhistas.

A destruição dos direitos trabalhistas chegou a ser retratada no enredo da Escola de Samba Paraíso da Tuiuti (foto), cujo desfile fez amplas referências a escravidão e escrachou o “vampirão” Temer. Agora, a esperança dos trabalhadores é que a retirada de direitos promovida pelo golpe de 2016 seja revista pelo(a) próximo(a) presidente da República e por um novo Congresso Nacional que serão eleitos em outubro deste ano. Leia mais

9 de agosto de 2016
por Esmael Morais
155 Comentários

O senado vota hoje o fim do 13º salário, não o impeachment de Dilma

CLT_senadoAlguns “trouxas” comemoram o golpe contra Dilma Rousseff, mas, de fato, o Senado vota nesta terça (9) o fim do 13º salário, redução das férias e até o fim do adicional noturno para os trabalhadores. Leia mais

9 de agosto de 2016
por Esmael Morais
2 Comentários

Enio Verri: Trabalhadores fazem governo interino recuar por duas vezes

enio_verriO deputado Enio Verri (PR-PR), em sua coluna desta terça (9), ressalta que o governo interino de Michel Temer (PMDB) teve de recuar duas vezes na Câmara, que, de acordo com o parlamentar, “respira ares mais republicanos, democráticos e dialogais” com a assunção de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência. O colunista relata a luta dos trabalhadores para assegurar direitos. Abaixo, leia, comente e compartilhe a íntegra do texto: Leia mais

21 de julho de 2016
por Esmael Morais
62 Comentários

Requião vira garoto propaganda de manifestação contra o golpe no dia 31; assista

reuqiaoaoo_playerO senador Roberto Requião (PMDB-PR) gravou dois vídeos, em seu Twitter, convocando as manifestações antigolpe no dia 31 de julho. Abaixo, assista: Leia mais

7 de junho de 2016
por Esmael Morais
10 Comentários

Enio Verri: integrantes do governo Temer com ficha criminal ao invés de currículo

enio_temer_medalha_cunha

O deputado Enio Verri (PT-PR) observa que o interino Michel Temer (PMDB) tem exigido ficha criminal ao invés de currículo de alguns de seus ministros.

Segundo o colunista, os apoiadores do governo ilegítimo têm “reputação e posições duvidáveis” em comparação a presidente eleita Dilma Rousseff.

Para Enio, os golpistas querem tirar direitos dos trabalhadores, recursos da saúde e educação, ameaçar a cultura e as investigações da

Lava Jato. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto: Leia mais

3 de maio de 2016
por Esmael Morais
4 Comentários

Golpe de Estado é para tirar direitos dos trabalhadores

golpees

Um alerta sobre os reais sentidos e objetivos do processo de impeachment movido pela oposição de direita, apoiado pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e outras entidades empresariais, contra a presidenta Dilma Rousseff (PT). O deputado federal Enio Verri (PT) lista em sua coluna semanal uma série de projetos que visam retirar da Lei garantias básicas aos trabalhadores como a idade mínima para o trabalho, combate ao trabalho escravo, tempo de descanso e alimentação, além liberar as terceirizações. Leia e ouça a seguir.  Leia mais

23 de março de 2016
por Esmael Morais
8 Comentários

Lula participa hoje de plenária sindical contra golpe e em defesa de direitos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa na tarde desta quarta-feira (23), às 16 horas, em São Paulo, de uma plenária em defesa da democracia e contra a retirada de direitos dos trabalhadores. O evento vai reunir sindicalistas da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST).

As centrais sindicais também darão o pontapé inicial à organização de uma marcha antigolpe, no próximo dia 31 de março, rumo a Brasília, onde prometem manifestação na Praça dos Três Poderes.

Para os dirigentes sindicais, os trabalhadores e trabalhadoras serão os mais prejudicados caso o golpe contra a democracia se concretize. Se o Congresso Nacional cassar o mandato de presidenta Dilma Rousseff, eleita democraticamente pelo voto popular, centenas de projetos de lei que retiram direitos conquistados, devem ser votados imediatamente.

As principais entidades patronais do País como a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), as associações comerciais e sindicatos patronais, estão apoiando o golpe. São essas entidades que patrocinam todos os projetos que suprimem direitos assegurados à classe trabalhadora. No entendimento dos sindicalistas, só unidos e organizados será possível impedir este imenso retrocesso.

Os trabalhadores da Ford em São Bernardo do Campo já se posicionaram contra o golpe em defesa dos direitos trabalhistas. A decisão foi votada em assembleias realizadas nesta terça (22). A fábrica emprega 4 mil pessoas. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista irá Leia mais

30 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
106 Comentários

Com histórico de exploração de trabalhadores, Wal-Mart fecha lojas “Big” e “Mercadorama” no Paraná

mercadoramaA rede de varejo Wal-Mart anunciou no início da semana o fechamento de parte de suas lojas das bandeiras “Mercadorama” e “Big” em Curitiba e municípios do interior. Pelo menos oito lojas deixam de funcionar já a partir desta quarta-feira (30). Em todo o país, cerca de 30 lojas da rede fecharão as portas.

Em 2012, o Blog do Esmael denunciou uma picaretagem entre o governo Beto Richa (PSDB), por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEED), e a rede Wal-Mart, que consistia em recrutar estudantes nas escolas da rede pública estadual “principalmente da periferia” para formar estoque de mão de obra barata visando atender aos supermercadistas. Era o “Programa Escola Social do Varejo”, que foi bombardeado pela comunidade escolar.

Voltemos ao fechamento das lojas. Segundo informações do blog Gazeta do Povo, em Curitiba serão fechadas as lojas “Mercadorama” do Centro Cívico, Seminário, Tarumã e Tiradentes. De acordo com jornais do interior, a loja “Mercadorama” de Umuarama, as lojas “Big” de Toledo, Ponta Grossa e Maringá também cerrarão as portas.

Os funcionários foram avisados pela gerência das unidades na última segunda-feira (28). Muitos manifestaram incerteza sobre o futuro. Ainda não há estimativa do número de trabalhadores que serão demitidos. O Sindicato dos Trabalhadores em Mercados de Curitiba e Região (Siemerc) ainda não foi informado sobre o fechamento. Leia mais

12 de junho de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Artigo de Paulo Rossi: “Governo Dilma assalta direitos da classe trabalhadora”

requiao_gleisi_rossiPaulo Rossi*

O (des)ajuste fiscal promovido pela presidente petista Dilma Rousseff foi um verdadeiro assalto ao bolso e aos direitos duramente conquistados pelos trabalhadores, ao longo de décadas, através de suas entidades sindicais.

As recentes medidas provisórias aprovadas pelo congresso nacional, as famigeradas MPs 664 e 665, defendidas por parlamentares da base governista, inclusive com o voto dos senadores paranaenses Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB), alegam que não prejudicariam os menos favorecidos, ou seja, a classe trabalhadora. Mas estas medidas provisórias retiram, sim, DIREITOS.

Ao aprovar a MP 664, que trata da pensão por morte, o argumento foi de que havia muitas fraudes. Ora, se existem essas fraudes, que se punam os criminosos! Mas é inadmissível que cônjuges e dependentes paguem o preço da incompetência gerencial do governo federal que, ao invés de fiscalizar e corrigir esses possíveis erros, penaliza pessoas honestas.

Já em relação a MP 665, avaliamos que essa foi uma verdadeira “facada” da presidente Dilma nos trabalhadores, pois endurece as regras para a concessão do seguro-desemprego, do seguro-defeso e do abono salarial. Leia mais