7 de fevereiro de 2017
por Esmael Morais
28 Comentários

“Temos todos os motivos para a greve”, diz Professora Marlei

Professora Marlei Fernandes, vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação e diretora da APP-Sindicato, em nota, afirma que a categoria tem todos os motivos para deflagrar greve por tempo indeterminado nas escolas da rede pública do Paraná. Leia mais

14 de maio de 2015
por Esmael Morais
77 Comentários

Richa humilha educadores em greve ao encerrar unilateralmente negociação; vem aí nova megamarcha na terça

richa_greve

O governador Beto Richa (PSDB) radicalizou e anunciou o fim (sic) das negociações com os professores e servidores em greve, antes mesmo de ter começado. Na verdade, o tucano lançou na manhã desta quinta-feira (14) um ‘pacote de maldades’ contra a educação paranaense.

Como tentativa de isolar os educadores em seu movimento, anunciou uma série de medidas que incluem contratação de substitutos através de processo seletivo simplificado (PSS), descontos dos dias parados, e abertura de processos contra diretores “coniventes” com a greve.

Para não passar em branco na data-base, o governador enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa com índice de reajuste de 5%, dividido em duas vezes. O estranho é que esse índice foi anunciado um dia depois da reunião dos sindicatos com a secretária de Administração e Previdência, em que o governo disse que não havia índice nenhum para reajuste. Leia mais

12 de maio de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

Governo não apresenta proposta e greve dos professores continua

greveservOs sindicatos que compõem o Fórum das Entidades Sindicais (FES), estiveram reunidos na manhã desta terça-feira (12) com a secretária da Administração e Previdência do Estado, Dinorah Nogara, para tratar da data-base dos servidores estaduais que é em maio. O reajuste anual de 8,15% é a principal reivindicação dos servidores da educação básica e das universidades estaduais em greve há duas semanas.

Acontece que o governador Beto Richa (PSDB) mais uma vez não apresentou nenhuma proposta e “mandou dizer” pela secretária Dinorah que só vai propor algum índice de reajuste daqui a uma semana, no dia 19 de maio. Em resposta, os servidores exigiram uma proposta concreta até quinta-feira (14) e disseram que não vão mais se reunir com quem não tenha condições de negociar a pauta de reivindicações. Leia mais

11 de setembro de 2014
por Esmael Morais
45 Comentários

Professor Hermes Leão é o novo presidente da APP-Sindicato

A vitória de Hermes fortalece o projeto eleitoral de Professar Marlei, ex-presidente da APP, que disputa uma vaga na Câmara. Resultado oficial somente no começo desta noite, segundo apurou o Blog do Esmael.

A vitória de Hermes fortalece o projeto eleitoral de Professar Marlei, ex-presidente da APP, que disputa uma vaga na Câmara. Resultado oficial somente no começo desta noite, segundo apurou o Blog do Esmael.

O professor Hermes Silva Leão é o virtual presidente eleito da APP-Sindicato. Ainda não há os números finais apurados da eleição, que ocorreu ontem, mas a Chapa 1 liderada por ele está matematicamente eleita e não há como Professor Paixão, da Chapa 2, alcançá-lo. ... 

Leia mais

27 de abril de 2014
por Esmael Morais
44 Comentários

Governo Richa quer “política do cafezinho”. APP-Sindicato rejeita

O novo secretário de Estado da Educação, Paulo Schmidt, no portal da SEED, propõe que a APP-Sindicato e o governo Beto Richa (PSDB) perpetuem a “política do cafezinho”.

Em tom nostálgico, Schmidt diz que em três anos, Governo do Estado e Sindicato dos Professores fizeram cerca de 50 reuniões para construir uma agenda de avanços para a categoria e para a educação pública do Paraná.

O problema é que a APP-Sindicato, aparentemente, rejeita a “política do cafezinho”. Sabe que, no marco desse governo do PSDB ou se avança agora ou nunca. Pois, por força da legislação eleitoral, somente em maio é possível corrigir distorções salariais e reaver direitos sonegados aos educadores.

Amanhã, segunda-feira, dia 28 de abril, não haverá aulas nas 2,1 mil escolas da rede pública do estado. A APP-Sindicato espera adesão perto de 100% da categoria.

Na terça-feira, dia 29 de abril, em Curitiba, professores e funcionários das escolas realizarão uma marcha da Praça Santos Andrade até o Palácio Iguaçu, onde centenas de grevistas estão acampados há cinco dias.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

A categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

Veja as principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em Leia mais

26 de abril de 2014
por Esmael Morais
119 Comentários

Na 2!ª não tem aula: conselho mantém greve de educadores; assista

Depois horas reunido, o Conselho do Comando de Greve da APP-Sindicato decidiu há pouco manter a greve dos educadores por tempo indeterminado.

“Na segunda não vai ter aula”, é a palavra de ordem da entidade, que avalia 90% de adesão da categoria nos quatro primeiros dias de paralisação no estado.

O movimento avaliou que as propostas apresentadas pelo governo Beto Richa (PSDB) foram “insuficientes”, pois não contemplaram o segmento do PSS que necessita de alteração nos contratos.

Por unanimidade, foi aprovada uma marcha na próxima terça-feira, dia 29 de abril, em Curitiba, com saída da Praça Santas Andrade, seguida de assembleia em frente ao Palácio Iguaçu.

O magistério paranaense deve encerrar a greve na terça, conforme apurou o Blog do Esmael.

Assista ao vídeo:

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

O magistério deflagrou a greve porque o governo Beto Richa (PSDB) não cumpriu a palavra dada em negociações (a exemplo da não implementação dos 33% de hora-atividade no início do ano letivo de 2014) e adotou medidas que punem a categoria (como os descontos no auxílio-transporte).

Os educadores ainda cobram R$ 100 milhões relativos a avanços e progressões não pagos e o cumprimento da Lei Nacional do Piso, que prevê reajuste de 8,32% nos salários deste ano.

A seguir leia, os 13 pontos de pauta reivindicados pela APP-Sindicato:

1. 33% de hora-atividade – Nossa reivindicação histórica para a hora-atividade é de 50%. Queremos sua ampliação imediata para 33% e assim progressivamente. A hora-atividade tem que ser aplicada conforme a Lei 11.738/2008 (PSPN) a todos(as) os(as) professores(as) da rede, obedecendo a regulamentação da carreira de hora-aula de 50 minutos.

2. Piso Nacional – Este ano, foi anunciado, pelo Ministério da Educação (MEC), o índice de 8,32% de reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). A APP defende, porém, que o índice a ser aplicado seja o de 10,6%, defendido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

3. Reajuste dos(as) funcionários(as) – Queremos que o reajuste n Leia mais

25 de abril de 2014
por Esmael Morais
75 Comentários

Educadores em greve prometem marchar sobre Beto Richa na terça; assista ao vídeo

O Blog do Esmael acompanhou de perto na tarde desta sexta (25) as discussões de professores e funcionários de escolas direto do acampamento no Centro Cívico, em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba. A categoria encerrou hoje o terceiro dia de greve e segundo a presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, o movimento avançará na semana que vem.

O sindicato diz que a proposta levada à  mesa de negociação pelo governo do estado não atende as expectativas dos educadores, que esperavam muito mais. Por isso, informa a APP-Sindicato, a greve continua sem previsão de término.

Entretanto, neste sábado (26), a partir das 8h30, o Comando Estadual de Greve da APP-Sindicato se reunirá no auditório da sede estadual da entidade para analisar a proposta apresentada pelo governo Richa.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Esmael, a dirigente sindical adiantou que não haverá aulas na segunda-feira, dia 28, e convocou uma megamarcha dos educadores sobre o governador Beto Richa (PSDB) para terça, dia 29, na capital, da Praça Santos Andrade (UFPR) até o Palácio Iguaçu.

A APP-Sindicato estima que 85% da categoria parou em todo o estado. Na segunda, ainda de acordo com Marlei, o comando de greve vai à s escolas para fazer piquete e convocar a marcha.

Assista à  entrevista com Professora Marlei Fernandes:

Informalmente, o Blog do Esmael apurou que a categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

O magistério deflagrou a greve porque o governo Beto Richa (PSDB) não cumpriu a palavra dada em negociações (a exemplo da não implementação dos 33% de hora-atividade no início do ano letivo de 2014) e adotou medidas que punem a categoria (como os descontos no auxílio-transporte).

Os educadores ainda cobram R$ 100 milhões relativos a avanços e progressões não pagos e o cumprimento da Lei Nacional do Piso, que prevê reajuste de 8,32% nos salários deste ano.

A seguir leia, os 13 pontos de pauta reivindicados pela APP-Sindicato:

1. 33% de hora-atividade – Nossa reivindicação histórica para a hora-atividade é de 50%. Queremos sua ampliação imediata para 33% e assim progressivamente. A hora-atividade tem que ser aplicada conforme a Lei 11.738/2008 (PSPN) a todos(as) os(as) professores(as) da rede, obedecendo a regulamentação da carreira de hora-aula de 50 minutos.

2. Piso Nacional – Este ano, foi anunciado, pelo Ministério da Educação (MEC), o índice de 8,32% de reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). A APP defende, porém, que o índice a ser aplicado seja o de 10,6%, defendido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

3. Reajuste dos(as) funcionários(as) – Queremos que o reajuste nos salários dos funcionários(as) de escola este ano seja conforme o índice do Piso Regional d Leia mais

25 de abril de 2014
por Esmael Morais
25 Comentários

“A greve continua no Paraná”, afirma APP-Sindicato; assista ao vídeo

A presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, em relato aos educadores acampados há três em frente ao Palácio do Iguaçu, após a segunda reunião com secretários do governo Beto Richa (PSDB), informou ontem à  noite que a greve continua por tempo indeterminado (assista ao vídeo abaixo).

O Blog do Esmael, direto do Palácio das Araucárias, ao lado do acampamento, acompanhou as cinco horas da nova rodada de negociações que terminou sem acordo.

O comando de greve deverá convocar uma assembleia dos grevista para amanhã, sábado, dia 26, para decidir se encerra ou movimento ou não.

Informalmente, o Blog do Esmael apurou que a categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

O magistério deflagrou a greve porque o governo Beto Richa (PSDB) não cumpriu a palavra dada em negociações (a exemplo da não implementação dos 33% de hora-atividade no início do ano letivo de 2014) e adotou medidas que punem a categoria (como os descontos no auxílio-transporte).

Os educadores ainda cobram R$ 100 milhões relativos a avanços e progressões não pagos e o cumprimento da Lei Nacional do Piso, que prevê reajuste de 8,32% nos salários deste ano.

A seguir leia, os 13 pontos de pauta reivindicados pela APP-Sindicato:

1. 33% de hora-atividade – Nossa reivindicação histórica para a hora-atividade é de 50%. Queremos sua ampliação imediata para 33% e assim progressivamente. A hora-atividade tem que ser aplicada conforme a Lei 11.738/2008 (PSPN) a todos(as) os(as) professores(as) da rede, obedecendo a regulamentação da carreira de hora-aula de 50 minutos.

2. P Leia mais

24 de abril de 2014
por Esmael Morais
18 Comentários

“Estamos próximos de resolver a greve dos professores”, diz Traiano

O governador Beto Richa (PSDB) delegou ao seu líder, deputado Ademar Traiano (PSDB), a tarefa de negociar com os educadores em greve desde ontem (23).

Daqui a pouco, à s 15 horas, os grevistas voltam à  mesa de negociação com o governo do estado. O encontro será realizado na Secretaria de Administração.

Ao Blog do Esmael, do qual é colunista, Traiano disse acreditar que se dará hoje mais um passo importante para acabar com a greve. Segundo o líder tucano, são quatro pontos principais que demandam mais: 33% de hora-atividade, auxílio-transporte para os profissionais em licença médica, reajuste de 8,32% de acordo com a Lei do Piso e pagamento de R$ 100 milhões aos professores e funcionários em promoções e progressões.

“Estamos próximos de resolver a greve dos professores”, afirmou o porta-voz do governador Beto Richa.

O Blog do Esmael apurou que o governo do estado sinaliza com o pagamento de 6,7% do índice IPCA na data-base de maio. Esse reajuste !” já previsto em lei !” seria dado a todos os servidores públicos. O governo descarta, no entanto, conceder o reajuste 8,32% previsto na Lei do Piso.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

O magistério deflagrou a greve porque o governo Beto Richa (PSDB) não cumpriu a palavra dada em negociações (a exemplo da não implementação dos 33% de hora-atividade no início do ano letivo de 2014) e adotou medidas que punem a categoria (como os descontos no auxílio-transporte).

Os educadores ainda cobram R$ 100 milhões relativos a avanços e progressões não pagos e o cumprimento da Lei Nacional do Piso, que prevê reajuste de 8,32% nos salários deste ano.

A seguir leia, os 13 pontos de pauta reivindicados pela APP-Sindicato:

1. 33% de hora-atividade – Nossa reivindicação histórica para a hora-atividade é de 50%. Queremos sua ampliação imediata para 33% e assim progressivamente. A hora-atividade tem que ser aplicada conforme a Lei 11.738/2008 (PSPN) a todos(as) os(as) professores(as) da rede, obedecendo a regulamentação da carreira de hora-aula de 50 minutos.

2. Piso Nacional – Este ano, foi anunciado, pelo Ministério da Educação (MEC), o índice de 8,32% de reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). A APP defende, porém, que o índice a ser aplicado seja o de 10,6%, defendido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

3. Reajuste dos(as) funcionários(as) – Queremos que o reajuste nos sa Leia mais

29 de março de 2014
por Esmael Morais
102 Comentários

Professores entram em greve dia 23 de abril; assista ao vídeo

Assembleia com mil educadores neste sábado (29), em Curitiba, atropelou a direção da APP-Sindicato ao aprovar greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir do dia 23 de abril; proposta da presidente da entidade, Marlei Fernandes, foi rejeitada pela base; assista ao vídeo.

Assembleia com mil educadores neste sábado (29), em Curitiba, atropelou a direção da APP-Sindicato ao aprovar greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir do dia 23 de abril; proposta da presidente da entidade, Marlei Fernandes, foi rejeitada pela base; assista ao vídeo.

Cerca de mil educadores que participaram de uma assembleia da APP-Sindicato, em Curitiba, neste sábado, dia 29 de março, aprovaram greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná a partir de 23 de abril. ... 

Leia mais

19 de março de 2014
por Esmael Morais
38 Comentários

Fracassa “política do cafezinho”. APP-Sindicato agora cogita greve por tempo indeterminado, diz deputado

Deputado Professor Lemos, em discurso na Assembleia Legislativa, nesta quarta (19), anunciou o fim da "política do cafezinho" ao relatar fracasso nas negociações com o governo Richa; Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, também hoje à  tarde, reconheceu que não houve avanço significativo em nenhuma pauta; educadores poderão entrar em greve por tempo indeterminado a partir da assembleia da categoria no próximo dia 29 de março;  ontem à  tarde, o blog mostrou com exclusividade que quatro chapas expõem divergências com a

Deputado Professor Lemos, em discurso na Assembleia Legislativa, nesta quarta (19), anunciou o fim da “política do cafezinho” ao relatar fracasso nas negociações com o governo Richa; Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, também hoje à  tarde, reconheceu que não houve avanço significativo em nenhuma pauta; educadores poderão entrar em greve por tempo indeterminado a partir da assembleia da categoria no próximo dia 29 de março; ontem à  tarde, o blog mostrou com exclusividade que quatro chapas expõem divergências com a “política do cafezinho” da diretoria da APP-Sindicato!.

O deputado estadual Professor Lemos (PT), na Assembleia Legislativa do Paraná, fez hoje à  tarde um duro pronunciamento após a marcha dos professores até o Palácio Iguaçu. O parlamentar lamentou que as negociações com o governo Beto Richa (PSDB) não tenham avançado em nada.  ... 

Leia mais

25 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
55 Comentários

Professores denunciam: falta merenda para as crianças nas escolas do Paraná

As panelas das merendeiras das escolas estão vazias no Paraná; aliás, faltam as próprias merendeiras nos estabelecimentos de ensino público; essas denúncias são dos professores, através de Marlei Fernandes, presidente da APP-Sindicato, que nesta terça (25) foi à  TV contar essa triste história; caos na educação se completa com o fechamento de salas de aula e suspensão do programa de formação docente por meio do PDE; falta de sensibilidade social e coração de pedra do governo do PSDB chamam a atenção. No ano passado, Richa deixou faltar leite para as crianças ao dar calote nos pequenos produtores. No entanto, o tucano antecipou parte dos R$ 600 milhões que torra em propaganda.

As panelas das merendeiras das escolas estão vazias no Paraná; aliás, faltam as próprias merendeiras nos estabelecimentos de ensino público; essas denúncias são dos professores, através de Marlei Fernandes, presidente da APP-Sindicato, que nesta terça (25) foi à  TV contar essa triste história; caos na educação se completa com o fechamento de salas de aula e suspensão do programa de formação docente por meio do PDE; falta de sensibilidade social e coração de pedra do governo do PSDB chamam a atenção. No ano passado, Richa deixou faltar leite para as crianças ao dar calote nos pequenos produtores. No entanto, o tucano antecipou parte dos R$ 600 milhões que torra em propaganda.

A presidenta do Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato), Marlei Fernandes, nesta terça (25), foi televisão denunciar algo muito grave: falta merenda para as crianças das escolas da rede pública do estado. ... 

Leia mais

22 de novembro de 2013
por Esmael Morais
12 Comentários

Depois de 25 anos, APP-Sindicato e àlvaro Dias se reencontram nesta sexta

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Uma comitiva oficial da APP-Sindicato vai se reunir daqui a pouco, à s 17h, em Curitiba, com o senador àlvaro Dias (PSDB). O tucano é relator do Plano Nacional da Educação (PNE) que prevê, dentre outras coisas importantes, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação brasileira. ... 

Leia mais

25 de outubro de 2013
por Esmael Morais
22 Comentários

Educadores e servidores públicos convocam megaprotesto contra calote de R$ 50 mi aplicados por Beto Richa

Professora Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, convoca megaprotesto contra Richa na segunda (28); educadores cobram R$ 50 milhões de calote aplicados pelos tucanos Richa e Arns; outras categorias do funcionalismo público também vão parar na semana que vem; assista ao vídeo.

Professora Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, convoca megaprotesto contra Richa na segunda (28); educadores cobram R$ 50 milhões de calote aplicados pelos tucanos Richa e Arns; outras categorias do funcionalismo público também vão parar na semana que vem; assista ao vídeo.

Professora Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, em vídeo, convoca os servidores públicos do Paraná para realizar uma vigília e manifestação nos dias 28 e 29 de outubro (segunda e terça). O protesto é contra o governador Beto Richa (PSDB). ... 

Leia mais

17 de setembro de 2013
por Esmael Morais
55 Comentários

“Aqui não tem calote”, jura líder de Richa

Em discurso na tribuna da Assembleia, nesta terça, Ademar Traiano, líder do governo Richa, jurou de pés juntos que "aqui não tem calote"; o tucano rebateu carta da APP-Sindicato apontando greve do magistério. "A APP que me perdoe, acho que exageraram. Aqui não tem calote. Temos a dificuldade normal dentro do estado", disse o deputado do PSDB; no próximo dia 28, os educadores deverão realizar assembleia geral da categoria para definir calendário de greve; eles acusam o governo de aplicar golpe de R$ 50 milhões, depois de negociarem pagamento para dia 13 de setembro último.

Em discurso na tribuna da Assembleia, nesta terça, Ademar Traiano, líder do governo Richa, jurou de pés juntos que “aqui não tem calote”; o tucano rebateu carta da APP-Sindicato apontando greve do magistério. “A APP que me perdoe, acho que exageraram. Aqui não tem calote. Temos a dificuldade normal dentro do estado”, disse o deputado do PSDB; no próximo dia 28, os educadores deverão realizar assembleia geral da categoria para definir calendário de greve; eles acusam o governo de aplicar golpe de R$ 50 milhões, depois de negociarem pagamento para dia 13 de setembro último.

O líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, fez um discurso agora há pouco em que assumiu o calote do governo estadual aos trabalhadores da educação. ... 

Leia mais

16 de setembro de 2013
por Esmael Morais
71 Comentários

Professores paranaenses convocam greve contra calote de Beto Richa

APP-Sindicato convoca assembleia, no próximo dia 28, que poderá deflagrar greve por tempo indeterminado na educação do Paraná; Richa e Arns deram calote de R$ 50 milhões nos educadores; ao estilo do Velho Oeste norte-americano, professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado espalham nas redes sociais cartazes com a foto do governador com a inscrição: Procura-se!; vem aí nova temporada de protestos contra o tucanato; Palácio Iguaçu se apega à  Resolução Conjunta 02/2013, de 2 de setembro, para justificar o tombo que deu no magistério paranaense; acordo foi fechado dia 30 de agosto, data que antes era lembrada pela truculência física contra professores e funcionários das escolas da rede pública, agora se transformou no Dia do Calote.

APP-Sindicato convoca assembleia, no próximo dia 28, que poderá deflagrar greve por tempo indeterminado na educação do Paraná; Richa e Arns deram calote de R$ 50 milhões nos educadores; ao estilo do Velho Oeste norte-americano, professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado espalham nas redes sociais cartazes com a foto do governador com a inscrição: Procura-se!; vem aí nova temporada de protestos contra o tucanato; Palácio Iguaçu se apega à  Resolução Conjunta 02/2013, de 2 de setembro, para justificar o tombo que deu no magistério paranaense; acordo foi fechado dia 30 de agosto, data que antes era lembrada pela truculência física contra professores e funcionários das escolas da rede pública, agora se transformou no Dia do Calote.

Cerca de 100 mil educadores paranaenses deverão entrar em greve por tempo indeterminado, a partir de 1!º de outubro, Mês do Professor, contra calote aplicado pelo governo de Beto Richa (PSDB). Os leitores deste blog souberam desse “tombo” em primeira mão na sexta (clique aqui para relembrar). ... 

Leia mais

Esmael Morais 2009-2018. O Blog do Esmael é liberto das excludentes convenções mercantis Copyright ©. O site não cobra pelos direitos autorais, portanto, pode e deve ser reproduzido no todo ou em parte, além de ser liberado para distribuição desde que preservado seu conteúdo e o nome do autor. | A política como ela é em tempo real.

Topo