“Temos todos os motivos para a greve”, diz Professora Marlei

Professora Marlei Fernandes, vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação e diretora da APP-Sindicato, em nota, afirma que a categoria tem todos os motivos para deflagrar greve por tempo indeterminado nas escolas da rede pública do Paraná.

Richa humilha educadores em greve ao encerrar unilateralmente negociação; vem aí nova megamarcha na terça

richa_greve

O governador Beto Richa (PSDB) radicalizou e anunciou o fim (sic) das negociações com os professores e servidores em greve, antes mesmo de ter começado. Na verdade, o tucano lançou na manhã desta quinta-feira (14) um ‘pacote de maldades’ contra a educação paranaense.

Como tentativa de isolar os educadores em seu movimento, anunciou uma série de medidas que incluem contratação de substitutos através de processo seletivo simplificado (PSS), descontos dos dias parados, e abertura de processos contra diretores “coniventes” com a greve.

Para não passar em branco na data-base, o governador enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa com índice de reajuste de 5%, dividido em duas vezes. O estranho é que esse índice foi anunciado um dia depois da reunião dos sindicatos com a secretária de Administração e Previdência, em que o governo disse que não havia índice nenhum para reajuste.

Governo não apresenta proposta e greve dos professores continua

greveservOs sindicatos que compõem o Fórum das Entidades Sindicais (FES), estiveram reunidos na manhã desta terça-feira (12) com a secretária da Administração e Previdência do Estado, Dinorah Nogara, para tratar da data-base dos servidores estaduais que é em maio. O reajuste anual de 8,15% é a principal reivindicação dos servidores da educação básica e das universidades estaduais em greve há duas semanas.

Acontece que o governador Beto Richa (PSDB) mais uma vez não apresentou nenhuma proposta e “mandou dizer” pela secretária Dinorah que só vai propor algum índice de reajuste daqui a uma semana, no dia 19 de maio. Em resposta, os servidores exigiram uma proposta concreta até quinta-feira (14) e disseram que não vão mais se reunir com quem não tenha condições de negociar a pauta de reivindicações.

Governo Richa quer “política do cafezinho”. APP-Sindicato rejeita

Greve de educadores avançou na semana e amanhã, segunda-feira, dia 28, não haverá aulas, quando completará o sexto dia de paralisação nas escolas da rede pública; professores e funcionários prometem na terça, dia 29, marchar sobre o governador Beto Richa; grevistas estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba, desde o último dia 23.
Greve de educadores avançou na semana e amanhã, segunda-feira, dia 28, não haverá aulas, quando completará o sexto dia de paralisação nas escolas da rede pública; professores e funcionários prometem na terça, dia 29, marchar sobre o governador Beto Richa; grevistas estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba, desde o último dia 23.
O novo secretário de Estado da Educação, Paulo Schmidt, no portal da SEED, propõe que a APP-Sindicato e o governo Beto Richa (PSDB) perpetuem a “política do cafezinho”.

Em tom nostálgico, Schmidt diz que em três anos, Governo do Estado e Sindicato dos Professores fizeram cerca de 50 reuniões para construir uma agenda de avanços para a categoria e para a educação pública do Paraná.

O problema é que a APP-Sindicato, aparentemente, rejeita a “política do cafezinho”. Sabe que, no marco desse governo do PSDB ou se avança agora ou nunca. Pois, por força da legislação eleitoral, somente em maio é possível corrigir distorções salariais e reaver direitos sonegados aos educadores.

Amanhã, segunda-feira, dia 28 de abril, não haverá aulas nas 2,1 mil escolas da rede pública do estado. A APP-Sindicato espera adesão perto de 100% da categoria.

Na terça-feira, dia 29 de abril, em Curitiba, professores e funcionários das escolas realizarão uma marcha da Praça Santos Andrade até o Palácio Iguaçu, onde centenas de grevistas estão acampados há cinco dias.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

A categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

Veja as principais proposta do governo para encerrar a greve:

Na 2!ª não tem aula: conselho mantém greve de educadores; assista

Conselho de Greve da APP-Sindicato, na noite deste sábado (26), após horas de reunião, decidiu manter a paralisação na semana que vem; movimento lança palavra de ordem "Na segunda não vai ter aula" e convoca marcha para terça, dia 29, em Curitiba, seguida de uma assembleia dos educadores em frente ao Palácio Iguaçu; pelo andar da carruagem, de acordo com apuração do Blog do Esmael, a greve deverá ser encerrada na própria terça; assista ao vídeo com Marlei Fernandes, presidenta da entidade sindical.
Conselho de Greve da APP-Sindicato, na noite deste sábado (26), após horas de reunião, decidiu manter a paralisação na semana que vem; movimento lança palavra de ordem “Na segunda não vai ter aula” e convoca marcha para terça, dia 29, em Curitiba, seguida de uma assembleia dos educadores em frente ao Palácio Iguaçu; pelo andar da carruagem, de acordo com apuração do Blog do Esmael, a greve deverá ser encerrada na própria terça; assista ao vídeo com Marlei Fernandes, presidenta da entidade sindical.
Depois horas reunido, o Conselho do Comando de Greve da APP-Sindicato decidiu há pouco manter a greve dos educadores por tempo indeterminado.

“Na segunda não vai ter aula”, é a palavra de ordem da entidade, que avalia 90% de adesão da categoria nos quatro primeiros dias de paralisação no estado.

O movimento avaliou que as propostas apresentadas pelo governo Beto Richa (PSDB) foram “insuficientes”, pois não contemplaram o segmento do PSS que necessita de alteração nos contratos.

Por unanimidade, foi aprovada uma marcha na próxima terça-feira, dia 29 de abril, em Curitiba, com saída da Praça Santas Andrade, seguida de assembleia em frente ao Palácio Iguaçu.

O magistério paranaense deve encerrar a greve na terça, conforme apurou o Blog do Esmael.

Assista ao vídeo:

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

Educadores em greve prometem marchar sobre Beto Richa na terça; assista ao vídeo

A presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, em entrevista exclusiva ao Blog do Esmael, nesta sexta (25), anunciou que a greve dos educadores avançará na semana que vem; dirigente sindical informa que 85% das escolas estão fechadas no estado e convocou para terça-feira, dia 29, em Curitiba, uma marcha sobre Beto Richa; segundo a APP, a proposta levada ontem à  mesa de negociação pelo governo do estado não atendeu as expectativas dos grevistas, que esperavam muito mais. Por isso, informa o sindicato, a greve continua sem previsão de término; assista ao vídeo.
A presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, em entrevista exclusiva ao Blog do Esmael, nesta sexta (25), anunciou que a greve dos educadores avançará na semana que vem; dirigente sindical informa que 85% das escolas estão fechadas no estado e convocou para terça-feira, dia 29, em Curitiba, uma marcha sobre Beto Richa; segundo a APP, a proposta levada ontem à  mesa de negociação pelo governo do estado não atendeu as expectativas dos grevistas, que esperavam muito mais. Por isso, informa o sindicato, a greve continua sem previsão de término; assista ao vídeo.
O Blog do Esmael acompanhou de perto na tarde desta sexta (25) as discussões de professores e funcionários de escolas direto do acampamento no Centro Cívico, em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba. A categoria encerrou hoje o terceiro dia de greve e segundo a presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, o movimento avançará na semana que vem.

O sindicato diz que a proposta levada à  mesa de negociação pelo governo do estado não atende as expectativas dos educadores, que esperavam muito mais. Por isso, informa a APP-Sindicato, a greve continua sem previsão de término.

Entretanto, neste sábado (26), a partir das 8h30, o Comando Estadual de Greve da APP-Sindicato se reunirá no auditório da sede estadual da entidade para analisar a proposta apresentada pelo governo Richa.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Esmael, a dirigente sindical adiantou que não haverá aulas na segunda-feira, dia 28, e convocou uma megamarcha dos educadores sobre o governador Beto Richa (PSDB) para terça, dia 29, na capital, da Praça Santos Andrade (UFPR) até o Palácio Iguaçu.

A APP-Sindicato estima que 85% da categoria parou em todo o estado. Na segunda, ainda de acordo com Marlei, o comando de greve vai à s escolas para fazer piquete e convocar a marcha.

Assista à  entrevista com Professora Marlei Fernandes:

Informalmente, o Blog do Esmael apurou que a categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

“A greve continua no Paraná”, afirma APP-Sindicato; assista ao vídeo

Professora Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, depois de cinco horas na mesa de negociações com o governo Beto Richa sentenciou: a greve vai continuar no Paraná!; educadores não gostaram da proposta do Palácio Iguaçu de parcelar, a la crediário Casas Bahia, a pauta de reivindicações; assista ao vídeo.
Professora Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, depois de cinco horas na mesa de negociações com o governo Beto Richa sentenciou: a greve vai continuar no Paraná!; educadores não gostaram da proposta do Palácio Iguaçu de parcelar, a la crediário Casas Bahia, a pauta de reivindicações; assista ao vídeo.
A presidenta da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, em relato aos educadores acampados há três em frente ao Palácio do Iguaçu, após a segunda reunião com secretários do governo Beto Richa (PSDB), informou ontem à  noite que a greve continua por tempo indeterminado (assista ao vídeo abaixo).

O Blog do Esmael, direto do Palácio das Araucárias, ao lado do acampamento, acompanhou as cinco horas da nova rodada de negociações que terminou sem acordo.

O comando de greve deverá convocar uma assembleia dos grevista para amanhã, sábado, dia 26, para decidir se encerra ou movimento ou não.

Informalmente, o Blog do Esmael apurou que a categoria não gostou da proposta do governo Richa, que prevê pagamento em dinheiro para hora-atividade e parcelamento de outras reivindicações a “la Casas Bahia” — a perder de vista.

As principais proposta do governo para encerrar a greve:

1) Hora-atividade – Pagamento em dinheiro da diferença de 0,67 de hora de trabalho a partir de agosto de 2014 e implementação na jornada no início do ano letivo de 2015.

2) Auxílio-transporte – Suspensão do corte imposto aos educadores em licença médica.

3) Pagamento das promoções e progressões para professores e funcionários !“ Parcelamento do pagamento em dez vezes, a partir da folha de maio.

4) Funcionários !“ Aumento do valor do auxílio-transporte dos funcionários do QFEB. Será acrescido de um valor, de aproximadamente R$ 88,00, para alcançar o valor do auxílio-transporte do um cargo de professor de 20 horas.

5) Funcionários !“ Encaminhamento, junto com a Lei da Data-base, da garantia de que nenhum(a) funcionário(a) público(a) tenha o salário-base inferior ao valor do Salário Mínimo Regional. Além disso, o governo assegurou o pagamento da data-base, em maio, em parcela única.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve

“Estamos próximos de resolver a greve dos professores”, diz Traiano

Daqui a pouco, a partir das 15 horas, Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, vai liderar nova rodada de negociações na Secretaria de Estado da Administração; "Estamos próximos de resolver a greve dos professores", afirmou o deputado Ademar Traiano, líder e porta-voz do governador Beto Richa nas negociações com os educadores; Blog do Esmael apurou governo do estado sinaliza com o pagamento de 6,7% do índice IPCA na data-base de maio, mas rejeita reajuste 8,32% previsto na Lei do Piso.
Daqui a pouco, a partir das 15 horas, Marlei Fernandes, presidenta da APP-Sindicato, vai liderar nova rodada de negociações na Secretaria de Estado da Administração; “Estamos próximos de resolver a greve dos professores”, afirmou o deputado Ademar Traiano, líder e porta-voz do governador Beto Richa nas negociações com os educadores; Blog do Esmael apurou governo do estado sinaliza com o pagamento de 6,7% do índice IPCA na data-base de maio, mas rejeita reajuste 8,32% previsto na Lei do Piso.
O governador Beto Richa (PSDB) delegou ao seu líder, deputado Ademar Traiano (PSDB), a tarefa de negociar com os educadores em greve desde ontem (23).

Daqui a pouco, à s 15 horas, os grevistas voltam à  mesa de negociação com o governo do estado. O encontro será realizado na Secretaria de Administração.

Ao Blog do Esmael, do qual é colunista, Traiano disse acreditar que se dará hoje mais um passo importante para acabar com a greve. Segundo o líder tucano, são quatro pontos principais que demandam mais: 33% de hora-atividade, auxílio-transporte para os profissionais em licença médica, reajuste de 8,32% de acordo com a Lei do Piso e pagamento de R$ 100 milhões aos professores e funcionários em promoções e progressões.

“Estamos próximos de resolver a greve dos professores”, afirmou o porta-voz do governador Beto Richa.

O Blog do Esmael apurou que o governo do estado sinaliza com o pagamento de 6,7% do índice IPCA na data-base de maio. Esse reajuste !” já previsto em lei !” seria dado a todos os servidores públicos. O governo descarta, no entanto, conceder o reajuste 8,32% previsto na Lei do Piso.

Os profissionais da educação estão acampados em frente ao Palácio Iguaçu por tempo indeterminado.

Pela Fanpage do Blog do Esmael, no Facebook (clique aqui), o leitor poderá acompanhar online os detalhes do alvoroço paredista. Basta curtir e assinar o feed da página para receber as atualizações das notícias gratuitamente em seu navegador.

Acerca da greve