3 de setembro de 2015
por Esmael Morais
9 Comentários

UPE empossa diretoria que terá tarefa de promover o “Fora Beto Richa”

richa_pachecaoA União Paranaense dos Estudantes (UPE) realizará solenidade de posse da sua nova diretoria para o biênio de 2015-2017 no dia 5 de setembro, sábado, às 10h, no Casarão da entidade, em Curitiba. ... 

Leia mais

30 de agosto de 2014
por Esmael Morais
12 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: 30 de Agosto – A cavalaria contra a educação

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relembra do trágico confronto da cavalaria com professores que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu; era 30 de agosto de 1988, portanto, há exatos 26 anos educadores foram atacados com cavalos, bombas e balas de borracha; Abaixo a repressão! Senhor comandante, não toque em nenhum professor, somos pacíficos! Vocês têm filhos na escola!!, diziam, segundo o colunista, que acompanhava sua mãe, dona Neusa, na Batalha do Centro Cívico; Nesta data tão marcante para a educação no Paraná, devemos, além de protestar para que a insanidade repressiva de 1988 não caia no esquecimento... A educação de qualidade é o eixo do desenvolvimento do país!, destaca Gomyde, que ontem participou da marcha em Curitiba; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relembra do trágico confronto da cavalaria com professores que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu; era 30 de agosto de 1988, portanto, há exatos 26 anos educadores foram atacados com cavalos, bombas e balas de borracha; Abaixo a repressão! Senhor comandante, não toque em nenhum professor, somos pacíficos! Vocês têm filhos na escola!!, diziam, segundo o colunista, que acompanhava sua mãe, dona Neusa, na Batalha do Centro Cívico; Nesta data tão marcante para a educação no Paraná, devemos, além de protestar para que a insanidade repressiva de 1988 não caia no esquecimento… A educação de qualidade é o eixo do desenvolvimento do país!, destaca Gomyde, que ontem participou da marcha em Curitiba; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde* ... 

Leia mais

29 de maio de 2014
por Esmael Morais
3 Comentários

Câmara aprova texto-base do Plano Nacional de Educação

Com a galeria tomada por estudantes, professores e trabalhadores da educação, a Câmara dos Deputados aprovou ontem! (28), por unanimidade, o texto-base do projeto que institui o Plano Nacional de Educação (PNE). O Plano estabelece 20 metas a serem cumpridas nos próximos dez anos. Entre as diretrizes, estão a erradicação do analfabetismo; o aumento de vagas em creches, no ensino médio, no profissionalizante e nas universidades públicas; a universalização do atendimento escolar para crianças de 4 a 5 anos e a oferta de ensino em tempo integral para, pelo menos, 25% dos alunos da educação básica. O plano destina também 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação !“ atualmente são investidos menos de 6% do PIB.

De acordo com o relator, à‚ngelo Vanhoni (PT-PR), a educação integral é a meta mais revolucionária do PNE.!  Em países desenvolvidos, os pais levam os alunos à  escola à s 7h da manhã e pegam à s 17h. Isso porque a grade curricular, os sistemas municipais de ensino, contam com os conteúdos básicos !“ matemática, português, história, etc !“ e aulas de reforço no período da tarde, com tempo de sobra ainda para aulas de música, dança!, comparou.

A presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Virgínia Barros, afirmou que a aprovação do PNE! significa democratização do acesso à  universidade, erradicação do analfabetismo, qualidade da educação básica e valorização do professor. O Brasil finalmente tem um projeto transformador para sua educação, que deverá estar conectada com os desafios maiores de nossa nação!! destacou Virgínia.

A comissão especial da Câmara que debatia a proposta aprovou a meta de atingir a aplicação de 10% do PIB em educação pública ao final dos dez anos, conforme versão aprovada pela Casa em 2012. O texto do Senado previa que os recursos também poderiam ser utilizados em isenção fiscal e em subsídios a programas de financiamento estudantil.

Nas galerias da Câmara, estudantes, professores e profissionais de educação seguravam cartazes e pediam a aprovação do PNE. Os manifestantes foram autorizados a acompanhar a votação no plenário e comemoraram o resultado sob os gritos de 10% do PIB para educação!.

A votação do texto-base foi uma maneira de ganhar tempo na negociação dos temas considerados polêmicos como o que trata do financiamento da educação. O tema vai ser debatido novamente na próxima semana quando os deputados devem votar os destaques ao texto.

Outro ponto a ser debatido é a possibilidade de a União ter de complementar recursos de estados, Distrito Federal e municípios se estes não atingirem o montante necessário para cumprir padrões de qualidade na educação, concei Leia mais

17 de dezembro de 2013
por Esmael Morais
11 Comentários

Sob críticas, Senado aprova Plano Nacional de Educação

da Agência BrasilO Senado Federal aprovou, na noite de hoje (17), o Plano Nacional de Educação (Projeto de Lei 103/2012). O PNE, que tramita há três anos no Congresso Nacional, ainda terá de voltar á Câmara dos Deputados, por ter sido modificada no Senado. A Casa aprovou o substitutivo do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB)

Entre as mudanças, está a inclusão de mais uma meta, a 21, para ampliar a produção científica brasileira, assunto que não foi tratado em nenhum dos textos anteriores. A proposta dá ênfase à  pesquisa, desenvolvimento e estímulo à  inovação, com a formação de quatro doutores para cada mil habitantes.

“O plano marca avanços, novas metas, estabelece escola inclusiva para crianças com deficiência”, destacou o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM). “Ganham a sociedade civil, o Brasil e as crianças, e sai fortalecida nossa república.”

O texto começou a ser discutido em plenário na última quarta-feira (11), mas a votação foi adiada para esta terça-feira. O PNE tem 14 artigos, 21 metas e 177 estratégias que visam á erradicação do analfabetismo e universalização do atendimento escolar, com o aumento de vagas em creches e universidades públicas. O plano prevê também a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação e a qualificação dos professores e demais profissionais da área. Todas as metas devem ser cumpridas nos próximos dez anos.

Um dos principais críticos ao texto é o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), relator do projeto do PNE na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Das 101 mudanças contidas no relatório do senador e aprovadas pela comissão, 47 foram rejeitadas pelo autor do substitutivo. O texto apresentado por Vital do Rêgo foi pouco modificado pelo relator de plenário, Eduardo Braga.

Antes do início da votação, Alvaro Dias disse que o substitutivo do governo não garante o cumprimento das metas. “Consideramos fundamental passar para a sociedade a convicção de que o plano foi elaborado para ser executado. Da forma como pretende [o governo], estamos aqui aprovando um plano que tem o objetivo de gerar expectativa e, a meu ver, falsa expectativa.”

Dias ressaltou que não há garantia de que os 10% do Produto Interno Bruto (PIB) sejam investidos em educação, pois não se estabelecem as responsabilidades e os percentuais que devem advir da União, estados e municípios. O projeto defendido pelo senador paranaense e aprovado na comissão estabelecia também metas mais rígidas para a alfabetização e a educação integral, além de 40% das vagas nas instituições públicas de ensino superior e 50% das vagas no ensino profissionalizante para alunos de escolas públicas.

Para Eduardo Braga, da forma como está redigido o projeto aprovado, é possível incluir no financiamento público programas como o Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). “A educação tem que ser financiada com recursos públicos. Não podemos restringir, ao contrário, precisamos ampliar”, disse Braga.

Leia mais

22 de novembro de 2013
por Esmael Morais
12 Comentários

Depois de 25 anos, APP-Sindicato e àlvaro Dias se reencontram nesta sexta

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Uma comitiva oficial da APP-Sindicato vai se reunir daqui a pouco, à s 17h, em Curitiba, com o senador àlvaro Dias (PSDB). O tucano é relator do Plano Nacional da Educação (PNE) que prevê, dentre outras coisas importantes, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação brasileira. ... 

Leia mais