2 de junho de 2015
por Esmael Morais
23 Comentários

Educadores em greve “infernizam” deputados pró-governo no Paraná; assista ao vídeo

bandab_LCMOs deputados que compõem a base de sustentação do governador Beto Richa (PSDB), na Assembleia, não aguentam mais serem “infernizados” pelos educadores em greve há 36 dias no Paraná.

Todos os dias um ou mais parlamentares são visitados por um grupo de grevistas. Na manhã desta terça-feira (2), o “premiado” foi Luiz Carlos Martins (PSD), dono da Rádio Banda B, que não compareceu ao trabalho alegando “doença”.

Assista ao vídeo, com narração do professor Paulo Vieira:

Teve palavra de ordem, faixas, buzinaço, etc. Quem não gosta da muvuca são os vizinhos das suas excelências.

Por causa do barulho dos grevistas em suas bases eleitorais, muitos deputados já começaram a “afrouxar a tanga” na Assembleia. Leia mais

25 de maio de 2015
por Esmael Morais
65 Comentários

Deputados governistas põem Beto Richa contra a parede: ‘ou cede aos professores ou impeachment’

richa_nre

Os deputados governistas — e oposicionistas — perderam a paciência com a intransigência do governador Beto Richa (PSDB). Hoje, desde a manhã, foi intensa o cruzar da Praça 29 de Abril (antiga Nossa Senhora Salete), entre a Assembleia Legislativa e o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico.

Os deputados governistas Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), líder do governo, Alexandre Curi (PMDB) e o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB), foram levar um recado duro e suprapartidário: ou Richa concede a reposição de 8,17% e encerra a greve ou o processo de impeachment caminhará na Casa.

Hoje à tarde, o advogado e blogueiro Tarso Cabral Violin protocolou na Assembleia um pedido de impeachment do governador com seis mil assinaturas.

Na parede, sem muita margem de manobra, o governador Beto Richa tende a “afrouxar a tanga” esta terça-feira, dia 26. O tucano já admite enviar à Assembleia mensagem cedendo aos professores e servidores em greve. O que se discute agora são as condições do pagamento da reposição da data-base.

Portanto, amanhã será o “Dia D” do movimento grevista — sobretudo da educação básica que completou um mês — e para o governador do PSDB. Se ele roer a corda e endurecer novamente contra os funcionários públicos, deputados governistas e oposicionistas se unirão pelo afastamento de Beto Richa. Leia mais

14 de maio de 2015
por Esmael Morais
77 Comentários

Richa humilha educadores em greve ao encerrar unilateralmente negociação; vem aí nova megamarcha na terça

richa_greve

O governador Beto Richa (PSDB) radicalizou e anunciou o fim (sic) das negociações com os professores e servidores em greve, antes mesmo de ter começado. Na verdade, o tucano lançou na manhã desta quinta-feira (14) um ‘pacote de maldades’ contra a educação paranaense.

Como tentativa de isolar os educadores em seu movimento, anunciou uma série de medidas que incluem contratação de substitutos através de processo seletivo simplificado (PSS), descontos dos dias parados, e abertura de processos contra diretores “coniventes” com a greve.

Para não passar em branco na data-base, o governador enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa com índice de reajuste de 5%, dividido em duas vezes. O estranho é que esse índice foi anunciado um dia depois da reunião dos sindicatos com a secretária de Administração e Previdência, em que o governo disse que não havia índice nenhum para reajuste. Leia mais

9 de maio de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “José Richa tinha razão: ‘Beto governador é uma temeridade'”

bernardi_profs_richaJorge Bernardi*

“O Beto governador é uma temeridade, é uma temeridade”, disse em 2002, José Richa, ao responder pergunta da jornalista, Carmem Murara, em entrevista a Tv Band Curitiba, sobre a possibilidade de seu filho, Beto, candidatar-se aquele cargo.

O que o saudoso ex-governador José Richa, que lutou contra a ditadura, foi senador do MDB do Paraná, e o primeiro governador paranaense na redemocratização, sem jamais trair os compromissos com a causa pública, quis dizer é que conhecia bem o seu filho, e que ele, Beto, não estava preparado para governar o Paraná.

Passados mais de 13 anos daquela declaração profética de José Richa, o povo paranaense assiste perplexo confirmarem-se as previsões de que “Beto governador é uma temeridade”. Leia mais

30 de março de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

Marcelo Cattani pede demissão da comunicação de Beto Richa

cattani_abi_richaO jornalista Marcelo Cattani acabou de pedir demissão do cargo de secretário da Comunicação Social do governo Beto Richa (PSDB). ... 

Leia mais

5 de março de 2015
por Esmael Morais
25 Comentários

Coluna do Requião Filho: “Defender o Paraná contra ataques do ‘Garoto Propaganda’ Beto Richa”

requiaofilho_richa.jpgRequião Filho* ... 

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

Blog do Esmael transmitirá ao vivo, nesta quarta, assembleia da educação

hermes_assembleia_app.jpgEm parceria com a TV 15 e APP-Sindicato, o Blog do Esmael vai transmitir ao vivo, direto da Vila Capanema, em Curitiba, a partir das 8h30, a assembleia de professores e funcionários de escolas em greve há 23 dias.

O Comando Geral da Greve estima mobilizar até 20 mil pessoas no estádio Durival de Britto, o campo do Paraná Clube.

O Palácio Iguaçu desdenha do poder de fogo da APP-Sindicato. A tropa de choque do governador Beto Richa (PSDB) espalhou hoje que “nem 5 mil comparecerão à  assembleia de amanhã”.

Novamente, os palacianos tendem dar com os burros n’água ao escolher o confronto a atender à  justa pauta dos educadores.

Amanhã cedo terá novo round na luta pela educação pública de qualidade. Os grevistas, depois da assembleia, deverão marchar rumo ao Palácio Iguaçu e Assembleia Legislativa.

Richa e a Bancada do Camburão poderão conferir, in loco, se a APP-Sindicato mobilizou 20 mil ou não. Acompanhe tudo ao vivo daqui, no Blog do Esmael/TV 15/APP.

Greve na educação completou hoje 23 dias Leia mais

2 de março de 2015
por Esmael Morais
35 Comentários

Na quarta, 20 mil educadores marcham em Curitiba pela continuidade da greve no PR

O governador Beto Richa (PSDB) deverá ser o alvo principal de 20 mil professores e funcionários de escolas, nesta quarta-feira, dia 4 de março, durante assembleia da categoria convocada pela APP-Sindicato.

O Comando de Greve teme que o Estádio Durival Britto e Silva, a Vila Capanema, como é conhecido o campo do Paraná Clube, seja pequeno devido ao engajamento dos educadores no movimento que hoje completou 21 dias.

Possivelmente, a exemplo do que ocorreu em Guarapuava, no dia 7 de fevereiro, quando foi deflagrada a greve, após a assembleia desta quarta, os educadores deverão realizar uma nova marcha rumo ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, onde há um acampamento da APP.

O governo do estado tem apostado na judicialização e criminalização da greve, mas, segundo o presidente da APP, Hermes Leão, Richa jogou gasolina para tentar apagar o incêndio e só aumentou o grau de indignação da categoria, ao tentar tornar ilegal nossa luta legítima!.

A APP-Sindicato tem usado as redes sociais para fazer a contrapropaganda, haja vista que o Palácio Iguaçu destinou R$ 15 milhões para esse combate contra os professores e os funcionários públicos em greve. Isso não é legal! Beto Richa aumentou o IPVA em 40%. A greve é legal!, diz uma dessas inserções no Facebook.

O Blog do Esmael recebeu informação hoje pela manhã, do município de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, de que educadores foram aplaudidos enquanto panfletavam em um terminal de ônibus sobre os motivos da paralisação nas escolas. O apoio da sociedade é total e 100% das escolas estão em greve!, contabiliza Leão, o novo Rei do Centro Cívico!.

Os motivos da greve

à‰ bom frisar que a greve nas 2,1 mil escolas fora deflagrada porque o govenador Beto Richa demitiu 30 mil trabalhadores na educação; fechou várias turmas e superlotou salas de aula com até 60 alunos.

Desde novembro de 2014, o tucano também deixou de repassar recursos do fundo rotativo, que é utilizado para a manutenção dos estabelecimentos de ensino. Além disso, não pagara a rescisão dos 30 mil demitidos, nem as férias dos educadores do quadro próprio.

Para fechar o “pacote de maldades”, o governador do PSDB quer confiscar R$ 8 bilhões do fundo previdenciário destino à  aposentadoria dos 200 mil servidores públicos paranaenses.

Leia mais

28 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Alex Canziani, deputado pró-Richa, é “apupado” na região de Londrina; assista ao vídeo

Deputado Alex Canziani, parceiro político de Romanelli nas regiões Norte e Norte Pioneiro, ambos, foram ontem apupados nas bases eleitorais por educadores em greve; eles foram chamados de traidores!, dentre outros adjetivos; assista ao vídeo.

Deputado Alex Canziani, parceiro político de Romanelli nas regiões Norte e Norte Pioneiro, ambos, foram ontem apupados nas bases eleitorais por educadores em greve; eles foram chamados de traidores!, dentre outros adjetivos; assista ao vídeo.

O deputado federal Alex Canziani (PTB) foi amplamente “apupado”, ontem à  noite, na Câmara Municipal de Ibiporã, por professores e funcionários de escolas e universidades estaduais em greve. O município fica a 17 km de Londrina, na região Norte. ... 

Leia mais

27 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
59 Comentários

“Advogado dos Pobres”: Governador, os professores lutam por direitos, não por privilégios!!

mesael.jpgPor Mesael Caetano dos Santos*

Em defesa da sua desastrosa política para a educação no Paraná, o governador Beto Richa diz que corta privilégios dos servidores públicos. à‰ inaceitável essa falácia do Governador! Eles lutam por direitos, não por privilégios!

Veja que ironia, no Japão o imperador recebe o professor sem etiqueta, face à  importância que se dá à  profissão de professor para aquele povo. Aqui, em vez de se sentar com a classe, o governador menospreza, manda seu secretário chefe da Casa Civil. Preferiu se encontrar com os picaretas da bola no Palácio Iguaçu.

Importante lembrar que a OAB/PR denuncia que no ano passado, por exemplo, R$ 153 milhões foram retirados indevidamente de contas judiciais, dinheiro dos trabalhadores.

Agora é a vez do dinheiro da Previdência. O governador quer de todas as maneiras colocar a mão nos R$ 8 bilhões do fundo previdenciário do Estado e diz que corta privilégios! dos mestres. Leia mais

27 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
39 Comentários

Beto Richa diz a aliados que está cortando privilégios! dos professores

O governador Beto Richa (PSDB) assumiu pessoalmente o comando da guerra ideológica contra os educadores e funcionários públicos em greve no Paraná. Ontem (26), por exemplo, o tucano abriu as portas do Palácio Iguaçu para receber o conhecido G7 — grupo de entidades empresariais formadas pelas federações da Indústria (Fiep), da Agricultura (Faep), do Comércio (Fecomercio), dos Transportes (Fetranspar) e das Associações Comerciais (Faciap), além da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) e da Associação Comercial do Paraná (ACP).

Nessas reuniões petit comité que contam com as presenças do chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), secretário do Planejamento, Silvio Barros II (PHS), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), Richa et caterva descem o sarrafo no funcionalismo público e nos professores em greve. Assédio moral!, enojou-se um participante desses encontros.

Para formar uma opinião contrária aos professores e funcionários de escolas em greve, bem como aos servidores da Justiça, Agricultura, universidades, Detran, etc., o governador do PSDB argumenta que está sendo vítima do corporativismo, pois estaria apenas cortando privilégios! de categorias que não costumam trabalhar.

Como resultado dessa guerra ideológica, vários setores da sociedade com preguiça mental já rotulam os professores como “vagabundos que entraram em greve para manter privilégios”.

No começo deste mês, a primeira-dama e secretária da Família, Fernanda Richa, na mesma toada do marido, sugeriu pelas redes sociais que professores ganham muito! e produzem pouco! (clique aqui para relembrar).

Paralelamente à s palestras no Palácio Iguaçu, Richa determinou a contratação de agência de propaganda !“ ao custo de R$ 15 milhões !“ para o combate na comunicação. Não é à  toa que a velha mídia, nesta quarta, se esforçou para esvaziar a marcha dos 50 mil da educação e dos servidores públicos. Num passe de mágica a imprensa — nativa e nacional — conseguiu esconder nada mais nada menos que 40 mil manifestantes. Os telejornais, os jornalões e as emissoras de rádios alinhadas ao tucanato contabilizaram apenas 10 mil.

O Palácio Iguaçu e, consequentemente essa turma do G7, não considera privilégio os auxílios-moradias, o maior salário do país para o governador, a farra nos jetons para o secretariado, dentre outras orgias com o dinheiro público. à‰ uma turma desalmada que se convence por um cafezinho e uns tapinhas nas costas, infelizmente.

Para o governador e alguns setores do empresariado, o confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária dos servidores públicos é bobagem perto dos privilégios! que desfrutam no Paraná.

Beto Richa prepara terreno para derrotar os funcionários públicos, sobretudo os educadores, na opinião pública. Isto significa que o tucano vai aplicar novo calote nos funcionários públicos que nem terão como reagir. Não é à  toa que o tucano importou os secretários Mauro Ricardo (Fazenda) e Fernando Xavier (Educação). Eles já fizeram esse trabalho sujo em outras praças. à‰ o script.

Para o leitor contumaz do Blog do Esmael as notícias acima não são novidades. Na terça (24) ficou anotado aqui que “Servidores anunciam para amanhã marcha com 50 mil contra Richa; Palácio Iguaçu lança ofensiva para criminalizar grevistas”. Portanto, ontem, foi mais uma prova concreta de que tudo era verdade.

Leia mais

19 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
85 Comentários

Ao vivo: 100 mil contra Beto Richa

15 de abril de 2014
por Esmael Morais
16 Comentários

Nas vésperas da greve, novo secretário sugere volta da política do cafezinho! com a APP-Sindicato

Novo secretário sugere volta da política do cafezinho! com a APP-Sindicato
O repórter Jônatas Dias Lima, da Gazeta do Povo, nesta terça (15), conta que o novo secretário da Educação do Paraná, Paulo Schmidt, em um último esforço para evitar a greve de educadores, a partir do dia 23 de abril, vai chamar a diretoria da APP-Sindicato para mais um “cafezinho” — política que prevaleceu na gestão do ex-titular da pasta, vice-governador Flávio Arns (PSDB).

Os educadores paranaenses aprovaram greve por tempo indeterminado em assembleia realizada no dia 29 de março, em Curitiba.

Na entrevista, Schmidt jura que o governo Beto Richa já cumpre a hora-atividade nas escolas do Paraná. Os professores diz que o tucano desrespeita a Lei Nacional do Piso, que prevê 33% do tempo para o preparo das aulas.

O secretário afirma que o governo do estado já paga 40% de hora-atividade e que a atual gestão concedeu 50% de reajuste à  categoria. Entretanto, há controvérsias, pois o magistério paranaense entende que não se trata de aumento nos salários, mas sim reposições e direitos garantidos pela Lei.

Os mestres também contestam a contabilidade acerca da hora-atividade, cujo cálculo é feito pela educação se dá por hora-relógio!. A reivindicação nas escolas é pelo cálculo hora-aula! para se chegar aos 33%.

Nesta quarta (16), à s 11 horas, em frente ao Terminal do Cachoeira, no município de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, educadores prometem fazer um protesto pela hora-atividade.

Paralelamente à  tentativa de retomar a “política do cafezinho” com a direção da APP-Sindicato, o governo Richa, desconfiado, tenta minar o movimento grevista. Na última sexta (11), em Cascavel, durante visita do tucano, funcionários comissionados do governo, que fingiam ser professores, seguravam faixas elogiando Richa. A farsa foi revelada nas redes sociais ( Leia mais