25 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Maia sugere ‘fake news’ a Bolsonaro na campanha pela reforma da previdência

Maia sugere ‘fake news’ a Bolsonaro na campanha pela reforma da previdência

A campanha pela reforma da previdência, qual seja, o fim da aposentadoria, pode ficar do jeito que o diabo gosta. Ou melhor: do jeito que Jair Bolsonaro (PSL) adora. ... 

Leia mais

20 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em O falso debate acerca da entrevista de Gleisi à TV Al Jazeera

O falso debate acerca da entrevista de Gleisi à TV Al Jazeera

O Estadão tenta sustentar a fake news (notícia falsa) que criou esta semana sobre a entrevista da senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, à TV Al Jazeera, do Qatar. Desde quanto uma entrevista viola a Lei de Segurança Nacional, cara-pálida? ... 

Leia mais

23 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em China tenta romper hegemonia mundial na comunicação

China tenta romper hegemonia mundial na comunicação


Durante muitas décadas a China foi para o mundo um gigante adormecido. A grande república popular do oriente era fechada para o resto do planeta. Justamente por isso, ficava à mercê da propagando anticomunista patrocinada pela direita, principalmente dos Estados Unidos. Mas agora os chineses parecem dispostos a mudar sua imagem internacional. Para isso, eles vão investir pesado na comunicação. ... 

Leia mais

3 de março de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Paraná Pesquisas: ‘73% condenam política educacional de Richa’

Na esteira do desabamento da popularidade de Beto Richa (PSDB), o eleitorado paranaense também reprova a política educacional do tucano. De acordo com sondagem da Paraná Pesquisas, 73% consideram ruim ou péssimo o desempenho do governador na educação. à‰ a pior área avaliada, seguida da saúde (59%), segurança (54%) e social (46%).

A pesquisa serve como combustível para a mobilização da assembleia geral da categoria nesta quarta, dia 4, em Curitiba. Cerca de 20 mil pessoas deverão comparecer no Estádio Durval de Britto, campo do Paraná Clube, na Vila Capanema (clique aqui).

Levantamento da Paraná Pesquisas, publicado hoje no jornal Gazeta do Povo, revela que a popularidade de Beto Richa despencou para 19,9%. O índice de reprovação do tucano atingiu a incrível marca de 76,1%, o que desnorteou até a cúpula nacional do PSDB.

O senador Roberto Requião (PMDB) atribuiu à  “corrupção no governo” a queda na popularidade de Beto Richa. Segundo o peemedebista, que luta por informações sobre a adesão da Copel aos leilões de energia, “falta transparência” na gestão do tucano.

Greve na educação completa 23 dias

O governo Beto Richa vai perdendo a batalha da comunicação para a APP-Sindicato. O tucano tenta disseminar informações falsas sobre “supersalários” de educadores, taxando-os de “privilegiados” e “vagabundos”. A estratégia revelou-se um tiro no pé.

Nesta terça, quando a paralisação na educação completou 23 dias, o Palácio Iguaçu se agarrou como pauta na Escola Nossa Senhora da Salete, no bairro Bacacheri, como exemplo de “fura greve”. No entanto, segundo o Comando da Greve, 100% das escolas continuam paradas.

O isolamento do governo Richa é tanto que os professores e funcionários de escola em greve são aplaudidos em público, sempre que explicam os motivos da mobilização. Foi o que ocorreu ontem pela manhã no município de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba.

Os motivos da greve

à‰ bom frisar que a greve nas 2,1 mil escolas fora deflagrada porque o governador Beto Richa demitiu 30 mil trabalhadores na educação; fechou várias turmas e superlotou salas de aula com até 60 alunos.

Desde novembro de 2014, o tucano também deixou de repassar recursos do fundo rotativo, que é utilizado para a manutenção dos estabelecimentos de ensino. Além disso, não pagara a rescisão dos 30 mil demitidos, nem as férias dos educadores do quadro próprio.

Para fechar o “pacote de maldades”, o governador do PSDB quer confiscar R$ 8 bilhões do fundo previdenciário destino à  aposentadoria dos 200 mil servidores públicos paranaenses.

Leia mais

27 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
39 Comentários

Beto Richa diz a aliados que está cortando privilégios! dos professores

O governador Beto Richa (PSDB) assumiu pessoalmente o comando da guerra ideológica contra os educadores e funcionários públicos em greve no Paraná. Ontem (26), por exemplo, o tucano abriu as portas do Palácio Iguaçu para receber o conhecido G7 — grupo de entidades empresariais formadas pelas federações da Indústria (Fiep), da Agricultura (Faep), do Comércio (Fecomercio), dos Transportes (Fetranspar) e das Associações Comerciais (Faciap), além da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) e da Associação Comercial do Paraná (ACP).

Nessas reuniões petit comité que contam com as presenças do chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), secretário do Planejamento, Silvio Barros II (PHS), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), Richa et caterva descem o sarrafo no funcionalismo público e nos professores em greve. Assédio moral!, enojou-se um participante desses encontros.

Para formar uma opinião contrária aos professores e funcionários de escolas em greve, bem como aos servidores da Justiça, Agricultura, universidades, Detran, etc., o governador do PSDB argumenta que está sendo vítima do corporativismo, pois estaria apenas cortando privilégios! de categorias que não costumam trabalhar.

Como resultado dessa guerra ideológica, vários setores da sociedade com preguiça mental já rotulam os professores como “vagabundos que entraram em greve para manter privilégios”.

No começo deste mês, a primeira-dama e secretária da Família, Fernanda Richa, na mesma toada do marido, sugeriu pelas redes sociais que professores ganham muito! e produzem pouco! (clique aqui para relembrar).

Paralelamente à s palestras no Palácio Iguaçu, Richa determinou a contratação de agência de propaganda !“ ao custo de R$ 15 milhões !“ para o combate na comunicação. Não é à  toa que a velha mídia, nesta quarta, se esforçou para esvaziar a marcha dos 50 mil da educação e dos servidores públicos. Num passe de mágica a imprensa — nativa e nacional — conseguiu esconder nada mais nada menos que 40 mil manifestantes. Os telejornais, os jornalões e as emissoras de rádios alinhadas ao tucanato contabilizaram apenas 10 mil.

O Palácio Iguaçu e, consequentemente essa turma do G7, não considera privilégio os auxílios-moradias, o maior salário do país para o governador, a farra nos jetons para o secretariado, dentre outras orgias com o dinheiro público. à‰ uma turma desalmada que se convence por um cafezinho e uns tapinhas nas costas, infelizmente.

Para o governador e alguns setores do empresariado, o confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária dos servidores públicos é bobagem perto dos privilégios! que desfrutam no Paraná.

Beto Richa prepara terreno para derrotar os funcionários públicos, sobretudo os educadores, na opinião pública. Isto significa que o tucano vai aplicar novo calote nos funcionários públicos que nem terão como reagir. Não é à  toa que o tucano importou os secretários Mauro Ricardo (Fazenda) e Fernando Xavier (Educação). Eles já fizeram esse trabalho sujo em outras praças. à‰ o script.

Para o leitor contumaz do Blog do Esmael as notícias acima não são novidades. Na terça (24) ficou anotado aqui que “Servidores anunciam para amanhã marcha com 50 mil contra Richa; Palácio Iguaçu lança ofensiva para criminalizar grevistas”. Portanto, ontem, foi mais uma prova concreta de que tudo era verdade.

Leia mais