13 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Educadores denunciam Beto Richa pelo caos nas escolas estaduais

Educadores denunciam Beto Richa pelo caos nas escolas estaduais


Chegam à redação do Blog do Esmael relatos assustadores da situação das escolas públicas estaduais. O governador Beto Richa (PSDB) vai aprofundando o desmonte da educação. Diminuiu o número de funcionários das escolas estrangulando o trabalho de administração, dificultando a preparação de merenda e a limpeza dos prédios. Na prática, o tucano inviabiliza qualquer possibilidade de um ensino de qualidade. ... 

Leia mais

4 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
34 Comentários

Governistas querem conceder reajuste só para professor que passar no “ENEM”

O Congresso Nacional deverá votar ainda este ano o projeto de lei 6.114/2009, que obriga os professores da educação básica, de escolas públicas e privadas, a fazer uma espécie de “ENEM” como parte integrante da política de reajuste salarial e de avanço na carreira.  ... 

Leia mais

22 de junho de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Atrás da polêmica da “ideologia de gênero”, Beto Richa pode reduzir orçamento da educação

O Plano Estadual de Educação que tem prazo até quinta-feira (25) para ser aprovado na Assembleia Legislativa do Paraná, sancionado e publicado pelo governador Beto Richa (PSDB), ainda apresenta questões polêmicas que vão da chamada “ideologia de gênero” ao percentual de verba no orçamento estadual.

Na última quarta-feira (17), o projeto recebeu 66 emendas de diversos deputados, por isso, volta hoje para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que fará uma sessão extraordinária para analisar estas emendas.

O deputado Péricles de Melo (PT) que integra a CCJ afirmou que pode pedir vistas na Comissão para que o projeto seja melhor discutido pelo menos até amanhã. Segundo ele, uma das divergências está no percentual de verba do orçamento a ser aplicado na educação. O projeto prevê 30%, mas hoje já estamos em 34%, o que daria margem para redução.

Outro problema apontado por Péricles é a equiparação dos professores com as demais carreiras de nível superior. Segundo o parlamentar, a luta é que a equiparação seja obrigatória, garantindo a isonomia aos professores.

Além dessas questões, deputados da “bancada evangélica” se manifestaram contrários ao que chamam de “ideologia de gênero” que seria a previsão de acolhimento à diversidade sexual, respeito às diferenças dos indivíduos LGBT, entre outras questões ligadas à sexualidade.

Segundo o deputado Professor Lemos (PT), grande parte das emendas apresentadas são consensuais e tratam de situações já existentes na prática, como a diversidade das escolas rurais, indígenas e quilombolas, entre outras situações. Sobre as questões de gênero e diversidade sexual, o deputado afirmou que a comissão de educação procurou avançar no texto buscando o consenso onde fosse possível.

Para Lemos, há falta de compreensão sobre o a importância e o significado do Plano Estadual e dos Planos Municipais de Educação. Há pessoas que são desinformadas e combatem questões de maneira cega, sem ao mesmo ler o plano. Há casos de municípios em que vereadores queriam suprimir o termo “gênero” até quando se tratava de gênero textual ou literário. “Um debate sobre educação não pode ser tão rasteiro”, completou.

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), afirmou ao Blog do Esmael, sobre a polêmica das questões de gênero, que é preciso superar os fundamentalismos e conv Leia mais

26 de setembro de 2014
por Esmael Morais
44 Comentários

No Paraná, alunos de escola pública brincam de ‘barquinho’ em sala de aula com goteiras

Uma imagem vale mais que mil palavras? O governador Beto Richa recebeu ontem, em Curitiba, alunos de escola particular bilíngue em seu gabinete do Palácio Iguaçu. Enquanto isso, no Colégio Estadual Agrícola de Palmeira, região dos Campos Gerais, alunos brincam de barquinhos em salas de aula com goteiras. A cena revela o quadro de abandono da escola pública no estado que, segundo denúncia do ex-secretário Maurício Requião, caminha a passos largos rumo à  privatização.

Uma imagem vale mais que mil palavras? O governador Beto Richa recebeu ontem, em Curitiba, alunos de escola particular bilíngue em seu gabinete do Palácio Iguaçu. Enquanto isso, no Colégio Estadual Agrícola de Palmeira, região dos Campos Gerais, alunos brincam de barquinhos em salas de aula com goteiras. A cena revela o quadro de abandono da escola pública no estado que, segundo denúncia do ex-secretário Maurício Requião, caminha a passos largos rumo à  privatização.

O governador Beto Richa (PSDB), candidato à  reeleição, ontem, abriu as portas de seu gabinete no Palácio Iguaçu para os pequenos da escola particular Little Kids. Trata-se de merchandising de uma escola bilíngue de Curitiba.  ... 

Leia mais

18 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
37 Comentários

Coluna do André Vargas: “Só falta Richa atirar bombas e soltar cavalos em cima dos professores”

André Vargas, em sua coluna desta semana, aborda o tema da Educação no Paraná; ele acusa Richa e seu vice, Flávio Arns, secretário da Educação, de desprezar os professores: "Os tucanos dão as costas à  educação, só falta atirar bombas e agredir os professores com a cavalaria, como fez Alvaro Dias no fatídico dia 30 de agosto de 1988", critica o vice-presidente da Câmara; colunista lamenta ainda que Richa tenha quebrado o estado, envergonhando o Paraná, e por isso não consegue nem cumprir a Lei do Piso que prevê 33% da hora-atividade; Vargas, especialista em socialismo, tem uma explicação para o fato de o governador dar de ombros para a educação pública: "[com certeza] a escola que [ele] defende seja unicamente a escola da burguesia que estaria só a serviço da burguesia"; calcado em pesquisas, deputado-colunista afirma: "a educação no Brasil está melhorando, mas ainda de forma lenta e a raiz para os principais problemas do ensino público está em professores desmotivados e mal pagos"; leia o texto.

André Vargas, em sua coluna desta semana, aborda o tema da Educação no Paraná; ele acusa Richa e seu vice, Flávio Arns, secretário da Educação, de desprezar os professores: “Os tucanos dão as costas à  educação, só falta atirar bombas e agredir os professores com a cavalaria, como fez Alvaro Dias no fatídico dia 30 de agosto de 1988”, critica o vice-presidente da Câmara; colunista lamenta ainda que Richa tenha quebrado o estado, envergonhando o Paraná, e por isso não consegue nem cumprir a Lei do Piso que prevê 33% da hora-atividade; Vargas, especialista em socialismo, tem uma explicação para o fato de o governador dar de ombros para a educação pública: “[com certeza] a escola que [ele] defende seja unicamente a escola da burguesia que estaria só a serviço da burguesia”; calcado em pesquisas, deputado-colunista afirma: “a educação no Brasil está melhorando, mas ainda de forma lenta e a raiz para os principais problemas do ensino público está em professores desmotivados e mal pagos”; leia o texto.

André Vargas* ... 

Leia mais