14 de outubro de 2015
por admin
5 Comentários

No Dia do Professor, sem esquecer o massacre, APP faz campanha pelo resgate autoestima da categoria

O ano de 2015 dificilmente será esquecido pelos educadores da rede pública estado do Paraná, pois tem sido um período de intensos ataques por parte do governador Beto Richa (PSDB) e de parte da Assembleia Legislativa.

Os profissionais do magistério já sofreram calotes, confisco da previdência, fizeram duas greves e tomaram bombas e tiros da polícia no massacre de 29 de abril. Isso sem falar na sonegação do direito à data-base e no fim da democracia nas escolas com a nova lei de eleição de diretores.

Por isso, para marcar a passagem do Dia do Professor, neste 15 de outubro, a APP-Sindicato está apostando na valorização do ofício do magistério. Com o mote “Amo ser professor”, a APP está publicando uma série de matérias com histórias de profissionais que se realizam no trabalho, e são valorizados, apesar de todas as dificuldades.

Segundo o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, esta semana é dedicada aos professores é mais um momento de luta e de resistência. “Nossa categoria é guerreira e não foge à luta nunca”.

“Apesar de todas as dificuldades como falta de reconhecimento pelo governo do estado, falta de condições dignas de trabalho e de atendimento à saúde, por exemplo, nós amamos o que fazemos. Temos um respeito imenso pelos nossos estudantes e pela sociedade paranaense. Essa é nossa luta diária. Com amor, dedicação e resistência vamos fazendo da educação pública uma ferramenta de transformação da nossa sociedade”, afirmou o professor Hermes.

A campanha da APP-Sindicato em homenagem aos professores também pede que sejam publicados vídeos de até um minuto com as hashtags #amoserprofessor ou #amoserprofessora para que os educadores possam expressar sua ligação com a profissão.

Vídeos de estudantes com homenagens aos seus mestres devem ser publicados com a hashtag #aomestrecomcarinho.

Apesar do governador tucano, os professores amam sua profissão e têm o reconhecimento dos alunos e das comunidades escolares pelo seu trabalho.

Leia mais

15 de setembro de 2015
por admin
4 Comentários

Richa se isola em debate sobre eleição para diretor de escola; “Retira ou rejeita!”, gritam educadores; assista

audiencia

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) realizou na noite de ontem (14) uma concorrida audiência pública sobre o projeto de lei do governador Beto Richa (PSDB) que ‘cassa’ o voto de pais, alunos, professores e funcionários de 2,1 mil escolas ao propor novas regras para a eleição de diretor.

A audiência foi convocada pela Comissão de Educação da Alep e conduzida pelo presidente da comissão, deputado Hussein Bakri (PSC), que logo no início da sessão lamentou a ausência da secretária de Estado da Educação (SEED), Ana Seres Trento Comin, representada pela superintendente do órgão, Fabiana Campos.

A audiência pública foi transmitida ao vivo pelo Blog do Esmael com imagens da TV 15. Fizemos um compacto com os momentos mais marcantes do debate. Confira o vídeo a seguir:

O deputado federal João Arruda (PMDB) fez uma série de sugestões ao texto do projeto para que a lei tenha um caráter mais democrático, conferindo mais responsabilidades para as comunidades escolares.

Já o deputado Nereu Moura (PMDB) elogiou o esforço do correligionário João Arruda, mas adiantou que a posição da bancada da oposição na Alep será a de apoiar e encaminhar a posição decidida pela APP-Sindicato.

Nem os deputados governistas presentes na audiência tentaram defender o projeto do governo. Maria Victória (PP), que também integra a comissão de educação, foi bastante vaiada mas tentou sair pela tangente dizendo que sua vontade era fazer o melhor para as crianças do Paraná e que estava ali para aprender; no entanto, saiu logo após discursar.

O deputado Felipe Francischini (SD) fez uma fala positiva(!) tocando em pontos importantes do projeto, como a necessidade de se garantir a ampla defesa aos diretores antes de qualquer determinação de afastamento. Marcio Pacheco (PPL) e Chico Brasileiro (PSD) se manifestaram contra o projeto governista e em apoio à posição dos professores.

O deputado Nelson Luérsen (PDT) abordou a teimosia do governador Beto Richa, que não desiste de perseguir servidores públicos e professores do Paraná. Ele defendeu a retirada do projeto da pauta. Leia mais