9 de novembro de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Faciap também diz não ao ‘pedágio mais caro do mundo’ de Beto Richa

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), por meio de seu conselho administrativo, há pouco mais de uma semana, posicionou-se contra a prorrogação dos contratos do ‘pedágio mais caro do mundo’ como pretende o governador Beto Richa (PSDB).

O posicionamento da entidade é importante porque ela é uma das integrantes do G7 — o grupo das sete maiores do setor produtivo paranaense. A informação da manifestação contra a prorrogação dos contratos do pedágio é do site da Faciap.

Para os empresários do sistema Faciap, “o problema não está no pedágio em si, mas nos altos valores cobrados nas praças do Paraná, além das diversas e importantes obras ainda não realizadas nas estradas, e sem previsão de concretização”.

Além da Faciap, já se posicionaram contra a prorrogação do pedágio mais caro do mundo a Fiep (Federação das Indústrias do Paraná), Fecomercio (Federação do Comércio do Paraná), Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Paraná) e ACP (Associação Comercial do Paraná).

Só querem a perpetuação das pedageiras nas rodovias do estado, até o ano de 2.050, as próprias concessionárias, o governador Beto Richa, conhecido como o “Rei do Pedágio”, e estranhamente a Faep (Federação da Agricultura do Paraná) e a Fetranspar (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná).

Ou seja, no mundo produtivo ligado ao G7, o placar é de 5 contra dois. Portanto, o lobby do pedágio perde esse debate de goleada para a sociedade e para daqueles que geram riqueza e trabalho.

A recente decisão da Faciap, que reforça a posição de vanguarda da Fiep, ocorre num momento em que a política de ampliação das praças de pedágio despertam interesse das editorias policiais, pois, na semana passada, o empresário Tony Garcia, amigo de infância do governador tucano, denunciou que há mutreta na Parcerias Público-Privada (PPP) para duplicar a PR-323.

De acordo com o amigo de infância de Beto Richa, a obra da PR-323, orçada em R$ 8 bilhões, prevê o depósito anual de R$ 95,7 milhões pelo governo do estado para ajudar a custear as despesas com a duplicação de 220 quilômetros da rodovia entre Paiçandu e Francisco Alves.

Segundo Tony, a forma de escolhida da Odebrecht — “única” interessada na obra — foi “criminosa”. E é sobre isso que o amigo de infância do governador se dispõe a falar aos deputados, se convocado pela Assembleia Legislativa.

Leia mais

24 de setembro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Coluna do Requião Filho: Com impostos descontrolados, Beto Richa desagrada ‘gregos e troianos’

Download

Requião Filho*

Amigos leitores, queria eu me valer deste espaço para contar-lhes as maravilhas do “Paraná que Acredita”, do “Paraná que segue em Frente”, ou seja, do Paraná das lindas propagandas eleitorais e institucionais do governo.

Como eu gostaria que esta fosse a realidade, mas basta ter o mínimo de discernimento para ver que a real situação do Estado é bem diferente… Ninguém mais acredita no governador Beto Richa (PSDB) e o Paraná está parando.

Nesta coluna já me referi a expressão “freios e contrapesos” que, grosso modo, se refere a fiscalização e controle do Estado; mas o que se percebe é que o atual governo quer exterminar esses mecanismos. Ignora pareceres, espanca servidor, sangra o bolso do contribuinte, acaba com o empresariado, deixa a Defensoria Pública na mendicância e impõe suas vontades sobre a maioria da Assembleia em troca de ambulâncias e favores políticos.

Sejamos diretos: se o Estado fosse uma carreta, o motorista teria de propósito cortado o freio e jogado o caminhão ladeira abaixo.

O Paraná vive em um manicômio tributário!!! A cada pacotaço, o governo supera qualquer expectativa!!! Já sabemos que a política é arrecadar custe o que custar, mas a criatividade é surpreendente! É interminável a “Caixa de Pandora” contra o paranaense!!!

Poderíamos imaginar um governo com políticas voltadas para o empresariado, ou um outro, com políticas que priorizem a população, embora saibamos que o ideal seria harmonizar ambos os grupos. Porem, vejam Senhores, o governo Beto Richa, consegue o que parece impossível, ele desagrada o povo e o empresário; ou seja, se vale ao contrário da máxima: “impossível agradar a gregos e a troianos”. Assim, o Governo Beto Richa consegue desagradar a todos!

Notem, além de protestos e manifestações da população, agora são os empresários que se unem contra os desmandos do Governo do Estado. A perda do poder de compra anual, de quem possui renda de até 5 (cinco) salários mínimos chegou a 956 milhões, o que desagrada toda a população. As famílias têm menos dinheiro e o comércio vende menos! Todos perdem!

O denominado G7 (Fiep, Faep, Fecomercio, Faciap, Fetranspar, Fecoopar e ACP) publicamente deixou bem claro ser totalmente contrário ao aumento Leia mais

17 de julho de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Entidades do G7 devolvem a Beto Richa batata quente da prorrogação do ‘pedágio mais caro do mundo’

campagnolo_pedagio_richaAs entidades do setor produtivo que compõem o G7 — Fiep, Faep, Fecomercio, Faciap, Fetranspar, Fecoopar e ACP — emitiram nota de esclarecimento, nesta sexta-feira (17), negando que tenham passado uma procuração para o governador Beto Richa (PSDB) discutir em nome delas a prorrogação dos contratos de pedágio nas rodovias do Paraná até 2050.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, porta-voz das agremiações empresariais, não há consenso no G7 sobre o tema.

“Por conta dessa ausência de consenso, não devem ser emitidas opiniões ou informações que deem a entender que se tratam de posicionamentos de todo o grupo”, desautorizou o presidente da Fiep, que também coordena o G7.

Na quarta-feira, Richa deixou o G7 e integrantes do governo com a broxa na mão ao dizer que “ninguém estava tratando do assunto”. No entanto, o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), até foram a Brasília justamente para discutir a prorrogação do ‘pedágio mais caro do mundo’ levando, inclusive, algumas entidades do grupo a tiracolo.

A posição dúbia do governador teria irritado o deputado federal Ricardo Barros (PP), marido da vice-governadora, que estava à frente das negociações no Ministério dos Transportes.

Desde o princípio, a Fiep e a Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná) se posicionaram contrárias à continuidade do pedágio.

O documento de Campagnolo é importante porque ajuda afastar a nuvem negra sobre esse tema, pois em qualquer lugar no mundo entidade de classe que joga contra os interesses dos associados seria defenestrada.

Pedágio é contraproducente para dizer o mínimo. Faz os produtos paranaenses perderem competitividade perante os de fora. Só é bom para quem faz lobby e nada produz.

A seguir, leia a íntegra da nota reparadora do G7: Leia mais

4 de julho de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Empresário acusa federações do G-7 de fazerem lobby para perpetuar ‘pedágio mais caro do mundo’ no PR

richa_pedagioO empresário toledano Antônio Lange, ex-presidente da Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), em artigo especial para o Blog do Esmael, criticou neste sábado (4) o apoio das entidades representativas do setor produtivo, o G-7, à perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do estado.

Lange acusa os dirigentes das principais federações de estarem mais interessados em construir rede de relacionamento com os poderosos do que defender o setor produtivo do Paraná. “A história dos pedágios no Paraná é um exemplo disso”, completa.

Nesta semana, o Blog do Esmael mostrou que o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), com a anuência do governador Beto Richa (PSDB), foram a Brasília com o intuito de prorrogar os contratos das concessionárias do pedágio até 2050. Por ora, a missão bateu na trave (clique aqui).

No entanto, a perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ tem a reprovação das poderosas Fiep (Federação das Indústrias do Paraná) e Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná). Ou seja, houve um racha no G-7 neste debate.

A seguir, leia a íntegra do artigo especial de Antônio Lange: Leia mais

29 de novembro de 2013
por Esmael Morais
10 Comentários

Em baixa no Palácio Iguaçu, Arns recebe “carinho” de petistas

Esta sexta-feira foi de puladas de cerca sensacionais no ninho tucano paranaense; enquanto Richa chifrava senador mineiro Aécio com o governador pernambucano Campos, o vice Arns flertava com os petistas; secretário de Educação sabe que será defenestrado da vice, em 2014, por isso sempre manteve as janelas abertas ao seu antigo partido: o PT; hoje, no restaurante Madalosso, em Curitiba, Gleisi e André Vargas dividiram a mesma mesa, a mesma polenta e o mesmo frango com Arns na formatura de 2 mil alunos do Pronatec; tudo isso foi testemunhado pelos empresários Darci Piana (Faciap) e Edson Campagnolo (Fiep).

Esta sexta-feira foi de puladas de cerca sensacionais no ninho tucano paranaense; enquanto Richa chifrava senador mineiro Aécio com o governador pernambucano Campos, o vice Arns flertava com os petistas; secretário de Educação sabe que será defenestrado da vice, em 2014, por isso sempre manteve as janelas abertas ao seu antigo partido: o PT; hoje, no restaurante Madalosso, em Curitiba, Gleisi e André Vargas dividiram a mesma mesa, a mesma polenta e o mesmo frango com Arns na formatura de 2 mil alunos do Pronatec; tudo isso foi testemunhado pelos empresários Darci Piana (Faciap) e Edson Campagnolo (Fiep).

O vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns (PSDB), foi bastante paparicada nesta sexta (29) pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e pelo deputado federal André Vargas. Os petistas se encontraram com o tucano na formatura de aproximadamente 2 mil alunos capacitados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). ... 

Leia mais

22 de novembro de 2013
por Esmael Morais
5 Comentários

Gleisi vem aí nesta sexta

Gleisi Hoffmann, em ritmo de campanha ao Palácio Iguaçu, participa hoje à  noite, em Curitiba, do encerramento da XXIII Edição da Convenção Anual da Faciap; ministra entrega amanhã cedo, na Lapa, 54 caminhões basculantes do PAC 2 a municípios da região metropolitana; Richa não vai comparecer nos dois eventos porque cumpre agendas, hoje e amanhã, no Noroeste e Sudoeste do estado.

Gleisi Hoffmann, em ritmo de campanha ao Palácio Iguaçu, participa hoje à  noite, em Curitiba, do encerramento da XXIII Edição da Convenção Anual da Faciap; ministra entrega amanhã cedo, na Lapa, 54 caminhões basculantes do PAC 2 a municípios da região metropolitana; Richa não vai comparecer nos dois eventos porque cumpre agendas, hoje e amanhã, no Noroeste e Sudoeste do estado.

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná, nesta sexta (22), participa do encerramento da XXIII Edição da Convenção Anual da Faciap, em Curitiba, à s 19 horas. ... 

Leia mais