26 de outubro de 2016
por Esmael Morais
35 Comentários

Fascistas ameaçam membros do Conselho Tutelar em Londrina, após apologia de Veja

azevedo_escola_richaO jornalista Fábio Silveira, do blog Baixo Clero, registra nesta quarta (26) uma sinistra ameaça de fascistas, que, por meio de e-mail anônimo, prometem atacar membros do Conselho Tutelar em Londrina, Norte do Paraná. Leia mais

11 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
1 Comentário

Fábio Silveira disseca corrupção de tucanos: “Beto Richa tem razão”

por Fábio Silveira, do blog Baixo Clero, de Londrina

O governador Beto Richa (PSDB) costuma atribuir as más notícias para o seu governo, ao uso da sua gestão como “contrapeso” no “Fla-Flu” que PSDB e PT disputam nacionalmente. O raciocínio é que quando alguém procura alguma coisa errada nas gestões do PSDB para rebater ou contrabalançar o que há de errado na gestão nacional do PT, sobra para o tucano paranaense. Ainda segundo esse raciocínio, quando alguém tenta mostrar que não bate só no PT, procura algo da gestão Beto Richa para demonstrar equilíbrio editorial. A conclusão é que denúncias de irregularidades ocorridas na gestão Richa, como as apuradas nas operações Publicano e Quadro Negro, ganhariam notoriedade nacional porque o paranaense funcionaria como contrapeso no “Fla-Flu”.

Beto Richa acerta em parte no diagnóstico. Em parte, porque o erro está em usar isso como desculpa para não dar as explicações que ele e a sua gestão devem à sociedade. Por exemplo, o companheiro de Richa de cockpit, Márcio Lima, que na gestão do tucano foi alçado à condição de inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual, é uma das figuras centrais no escândalo apurado pela Operação Publicano, do Gaeco de Londrina. Além disso, uma das denúncias é de que dinheiro de propina recebida de empresários que pagaram por fora para pagar menos impostos foi para o caixa da campanha de Richa à reeleição. A Procuradoria Geral da República (PGR) demonstrou interesse em investigar essa denúncia.

Na Operação Quadro Negro, mais denúncias de que dinheiro recebido indevidamente por uma construtora – ela recebeu sem ter feito parte das obras – também teria alimentado o caixa da campanha da reeleição de Richa e de pelo menos três deputados estaduais que o apoiam.

Recentemente Richa foi “rifado” pela revista Veja, notoriamente favorável ao PSDB. Foi tratado como “tucano problema” (como se fosse o único. Assim, como, obviamente, é impossível apontar só um “petista problema”, já que são vários). A revista que não poupa elogios aos tucanos e que em janeiro publicou uma pesquisa que apontava São Paulo e Paraná como os primeiros colocados em rankings de educação e segurança (não, não foi matéria do site sensacionalista), desancou Richa e os problemas investigados nas duas frentes abertas pelo Gaeco.

Richa tem certa razão ao reclamar do destaque negativo que ganha, tornando-se um contrapeso. Mas erra no diagnóstico. Ele é lançado às feras para que sejam poupados outros tucanos de escalões mais altos, como Aécio Neves, citado recentemente como destinatário de “um terço” de uma propina paga pelos delatores do petrolão, e os tucanos de São Paulo sempre sensíveis a investigações independentes sobre os problemas nas obras do metrô.

Leia mais

9 de outubro de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Ladrão de $ público preso no Paraná: “O Beto tá com a gente”

O ex-inspetor geral de Fiscalização na Receita Estadual, Márcio de Albuquerque Lima, preso em maio pela Operação Publicano, teria afirmado ao chegar à Penitenciária Estadual de Londrina (PEL), que o governador Beto Richa (PSDB) estava com eles [fiscais presos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)].

“O Beto tá com a gente”, teria dito espontaneamente o então copiloto do governador nas corridas de 500 Milhas ao fiscal Luiz Antônio de Souza.

A informação é da repórter Catarina Scortecci, na edição desta sexta-feira (9) do jornal Gazeta do Povo.

A revelação sugere envolvimento direto de Richa com a máfia no órgão fazendário.

Segundo Souza, que virou delator na Publicano, o parceiro de corrida do governador bateu no peito e disse na prisão: “o Beto tá com a gente, hein, não esquece não”.

A Operação Publicano investiga corrupção e propinas na Receita Estadual. Segundo o Ministério Público do Paraná, parte do dinheiro obtido com corrupção seria destinado à campanha de reeleição de Beto Richa.

Leia mais

11 de setembro de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

TJPR suspende ação de fraude em licitação contra primo de Beto Richa

richa_abi_gaeco.jpgO lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), foi beneficiado nesta sexta-feira (12) por uma decisão do juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina, que suspendeu a ação penal da Operação Voldemort. ... 

Leia mais

10 de junho de 2015
por Esmael Morais
26 Comentários

Primo do governador Beto Richa era quem mandava na Receita Estadual

O auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, delator na Operação Publicano, que investiga esquema de propina na Receita Estadual do Paraná, afirmou que quem mandava no órgão era o primo do governador Beto Richa (PSDB), o lobista Luiz Abi Antoun, foragido da Justiça desde a manhã desta quarta-feira (10).

Segundo jornalista Fábio Silveira, do blog Baixo Clero, no Jornal de Londrina, o parente do governador tucano seria o “verdadeiro gestor” da Receita Estadual.

De acordo com investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Luiz Abi Antoun “exerce inegável influência na administração pública, a despeito de não ocupar formalmente nenhum cargo público ou político”.

Cerca de 50 pessoas foram presas em dez cidades do Paraná. Foi preciso um ônibus para transportar os presos até a Penitenciária Estadual de Londrina II (PEL II).

Em entrevista à CartaCapital, o governador disse que não sabia da atuação de seu primo Luiz Abi na Receita Estadual. “Não. Jamais soube disso”, jurou o tucano, que também negou relação com o ex-inspetor-geral da Receita, Márcio Albuquerque Lima, que era seu copiloto nas corridas de 500 Milhas.

Leia mais

10 de junho de 2015
por Esmael Morais
37 Comentários

Governo Richa volta às páginas policiais após greve de professores

profs_richa_gaecoO governo Beto Richa (PSDB) voltou às páginas policiais na manhã desta quarta-feira, dia 10, menos de 24 horas após o fim da greve dos professores e funcionários de escolas do Paraná.

Segundo o jornalista Fábio Silveira, do blog Baixo Clero, de Londrina, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) voltou a prender esta manhã o copiloto do governador tucano, o auditor fiscal Márcio Albuquerque Lima, ex-inspetor-geral de fiscalização da Receita Estadual.

A Justiça também decretou nova prisão do lobista Luiz Abi Antoun, primo de Beto Richa, que ainda está foragido. Leia mais

16 de maio de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

Propinoduto na Receita Estadual para campanha de Richa ressuscita tese da ‘CPI da Corrupção’ na Assembleia

cpi_corrupcaoA Assembleia Legislativa do Paraná retoma os trabalhados, na segunda-feira (18), acuada pela denúncia de que a Receita Estadual foi roubada para financiar a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB). O parlamento volta acuado porque terá de decidir ao menos duas pautas quentes: 1- a instalação da CPI da Corrupção; e 2- votar a mensagem governamental que parcela o aumento de 5% ao funcionalismo.

Leia mais sobre o assalto à Receita Estadual:

Até a Globo mostra propina na reeleição do tucano Beto Richa; assista

Garganta Profunda: “A casa caiu”

R$ 2 milhões roubados da Receita Estadual pagaram a reeleição de Richa

Na verdade estarão acuados os 31 deputados considerados da base governista, que votaram a favor do confisco da poupança previdenciária dos servidores públicos no fatídico dia 29 de abril. Vinte parlamentares, que foram contra o “roubo” da Paranáprevidência sentir-se-ão mais leves, livres e soltos. Eles tendem migrar para a oposição.

Para instalar uma comissão de investigação são necessárias 18 assinaturas de deputados. Leia mais

15 de maio de 2015
por Esmael Morais
45 Comentários

R$ 2 milhões roubados da Receita Estadual pagaram a reeleição de Richa

richa_sefa_abiO governador Beto Richa (PSDB) recebeu R$ 2 milhões para campanha de reeleição cuja origem era roubada da Receita Estadual. A informação foi obtida pelo Ministério Público por meio de delação premiada do auditor Luiz Antônio de Souza, preso em março pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). ... 

Leia mais

7 de março de 2015
por Esmael Morais
41 Comentários

Betogate: Corrupção na Receita bate à  porta do governador Beto Richa

richa_caramori_jl_corrupcao.jpgA prisão do suposto “taradão” de Londrina, Marcelo Caramori, o Tchello, ex-fotógrafo do governo do Paraná, é só a ponta do iceberg de um megaesquema de corrupção que está sendo investigado pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná (MP). ... 

Leia mais