10 de abril de 2018
por Eugênio Aragão
2 Comentários

Lembrando 2015: Cresce a pressão dos professores contra o governo Richa

No dia 10 de abril de 2015, a APP-Sindicato protocolava um pedido de retomada das negociações com o governo do Estado. À noite, professores protestaram contra Beto Richa (PSDB) na inauguração do Teatro de Cascavel, mas foram recebidos pela tropa de choque da Polícia Militar. ... 

Leia mais

18 de abril de 2016
por admin
7 Comentários

Richa deve R$ 173 mi aos educadores

caloteSegundo a APP-Sindicato, o governo do estado deve mais de R$ 173 mi aos professores e servidores das escolas públicas do Paraná. São atrasos nos pagamentos de promoções e progressões previstas em lei que se arrastam por mais de um ano e prejudicam as carreiras e a organização pedagógica. Leia mais

2 de setembro de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Para vigiar professores, Richa cria “Big Brother” por meio de relatório de frequência nas escolas do PR

richa_bb_escolasO governador Beto Richa (PSDB) determinou esta semana alterações no Relatório Mensal de Frequência de Profissionais de Educação (RMF) com o objetivo de “tirar o sangue” e ter maior controle sobre a vida dos professores e servidores dentro das 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná. Nem o programa Big Brother Brasil (BBB), na TV Globo, espia com tanta eficiência a “casa mais vigiada” do país.

A ideia do tucano é saber todos os passos dos educadores, tais como o horário que cada qual chega e eventuais “atrasos” nos estabelecimentos, além das já existentes “falta justificada” e “falta injustificada” para registro e desconto no contracheque dos trabalhadores. Também devem ser anotados os atestados de até três dias, que não precisam de perícia médica, e os mesmos devem ser enviados junto com os relatórios.

Atualmente, em cada escola, há um rígido controle interno das direções na frequência e, em caso de falta ou atraso, a reposição de aulas e serviços ocorre sem traumas entre as partes. Tudo funciona dentro do combinado previamente. Leia mais

11 de abril de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Professores podem retomar dia 25 greve na educação do Paraná

greve_educacao_richaO governador Beto Richa (PSDB) poderá enfrentar no final deste mês a retomada da greve dos professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná, suspensa em 9 de março depois de um mês de paralisação dos educadores. ... 

Leia mais

10 de abril de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Richa obriga funcionários de escolas repor 10 dias de greve ‘a mais’ que professores e abre nova crise na educação do PR

Os Núcleos Regionais de Educação (NREs), da Secretaria de Estado da Educação (SEED), enviaram um comunicado determinando que os funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública, que participaram da greve, façam a reposição de dez dias ‘a mais’ do que os professores. Segundo o documento, esses servidores devem ir para as escolas em sábados mesmo que os estabelecimentos não estejam funcionando.

A determinação está causando revolta nos funcionários e até em professores que estão se solidarizando com os colegas de trabalho. É mais uma crise na educação que ainda não superou as anteriores, que motivaram a greve geral em fevereiro e março.

A secretária de Funcionários da APP-Sindicato, Nádia Brixner, esteve em contato com a Secretaria de Educação. Ela foi informada de que esta decisão foi tomada mesmo, pois, de acordo com a SEED, se os funcionários de escola trabalharem apenas os 200 dias letivos ficarão devendo dias trabalhados. Segundo a dirigente, a APP-Sindicato não concorda com essa determinação e irá recorrer junto à Educação para que seja revertida.

Na manhã de hoje (10), um grupo de estudantes das escolas estaduais Bento Munhoz da Rocha e Prieto Martinez realizou uma manifestação para cobrar melhorias na infraestrutura e na alimentação das unidades. Eles foram ao Palácio Iguaçu, mas não conseguiram entrar e acabaram se reunindo com a chefe do Núcleo Regional de Educação de Curitiba, Deuzita Cardoso da Silva, a quem apresentaram suas reivindicações.

Na noite de hoje, em Cascavel, os educadores escreverão mais um capítulo desta novela cujo drama é real e verdadeiro. Eles vão protestar contra o governador do PSDB durante inauguração do teatro municipal da cidade.

A greve dos professores e servidores realizada nos meses de fevereiro e março foi vitoriosa, no entanto, não conseguiu resolver todos os problemas da educação pública estadual. Seria preciso vontade política do governo para que a situação nas escolas melhorasse de verdade, mas o que se sente é que Beto Richa e sua equipe querem justamente o contr Leia mais

5 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Presidente da APP-Sindicato defende greve geral dos servidores para barrar o desmonte do Estado

Greve Geral! Barrar o desmonte da Escola Pública no Paraná

Professor Hermes Silva Leão*

Só a mobilização imediata com uma GREVE GERAL por tempo indeterminado poderá barrar a sanha destrutiva do governo Beto Richa(PSDB) sobre a educação do Paraná! Ele foi eleito Governador, não Imperador!

Os(as) Trabalhadores(as) em Educação Pública do Paraná, através da APP-Sindicato, vem há décadas lutando intensamente pela ampliação de seus direitos, por melhores condições de trabalho e consequentemente por uma escola pública de mais qualidade. Juntamente com colegas educadores(as) de todo o Brasil reunidos na CNTE !“ Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, travamos uma luta por um sistema público de educação e por valorização dos profissionais da Educação que remonta aos tempos do Brasil imperial.

Assim pensando, lutando e resistindo, avançamos coletivamente nos últimos anos em conquistas importantíssimas como: Planos de carreira de Professores(as) e Funcionários(as), equiparação salarial do magistério !“ não faz tempo os professores recebiam salários muito mais baixos que os demais servidores aos quais também é exigido nível superior para ingresso no mundo do trabalho público paranaense !“ 1/3 de hora atividade para professores(as) !“ tempo destinado ao trabalho docente fora da sala de aula – eleição para diretores(as) de escolas, além de manter uma luta permanente pelos direitos de uma aposentadoria digna depois de uma vida laboral dedicada aos fazeres do ensino-aprendizagem das gerações.

A reeleição em primeiro turno do governador do estado promoveu uma verdadeira guinada no comportamento de um político que afirmou com todas as letras que não mediria esforços para a valorização da escola pública e de seus Educadores. Em debate com os demais candidatos na APP-Sindicato no dia 19 de agosto, durante a campanha eleitoral, assumiu compromissos com uma pauta extensa que estava até agora em processos de debates, em grupos de trabalho, construção esta que vai por terra com as ultimas medidas adotadas.

Foram inúmero ataques até agora:

– Cancelamento do processo de eleição dos diretores e diretoras das escolas !“ o governador juntamente com um grupo de deputados estadual, desfez a própria resolução que havia desencadeado todo o processo. As escolas já tinham realizado assembleias, eleito comissões eleitorais e chapas já haviam se inscrito para o pleito marcado para o final de novembro/2014.

– Tarifaço final de ano !“ Além de penalizar toda a população paranaense com aumentos do IPVA, e a tarifa de ICMS de mais de 95 mil produtos, atacou a previdência pública, taxando em 11% o salário dos aposentados do estado bem como criou o fundo complementar para os futuros servidores públicos, estes fundos tem sido criticados mundialmente especialmente pela insegurança que geram quanto ao futuro pois quebra princípios caros na cultura previdenciária brasileira como o da solidariedade entre ativos e inativos.

– Impedimento de matrículas para 6!º anos do Ensino Fundamental e 1!º ano do Ensino Médio em muitas escolas de pequeno porte, especialmente as escolas do campo, em curto período em escolas estarão fechadas para sempre, novamente sem ouvir a comunidade escolar nem os diretores.

– Decretos da posse !“ Não bastasse os mais de 20 projetos de lei do pacotaço, em plena data da posse o governador anuncia um conjunto de decretos que promovem uma não assumida reforma de estado.

Outras dívidas com a Educação:

– 29 mil professores(as) PSS !“ contratados temporários !“ com atrasos de pagamento, sem acertos da rescisão, demitidos sumariamente.

– 10 mil funcionários(as) de escola afastados com a promessa de cort Leia mais

4 de outubro de 2013
por Esmael Morais
57 Comentários

Professores levam novo calote de Richa. Agora sai a greve?

Richa e Flávio Arns dão

Richa e Flávio Arns dão “calote no calote do calote”; tucanos fazem educadores de patetas ao enrolar a categoria em R$ 50 milhões pela terceira vez em um mês; motivos não faltam, mas será que agora sai a greve ou prevalecerá a política do cafezinho?

Professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública estadual levaram calote outra vez do governador Beto Richa (PSDB) e de seu vice, Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação. ... 

Leia mais

26 de setembro de 2013
por Esmael Morais
59 Comentários

Coluna do Maurício Requião: “Ao invés do Estado de respeito, o Estado do calote e da promessa”

Maurício Requião, em sua coluna desta semana, compara a atuação de Richa com o governo de seu pai na área da segurança; especialista em políticas públicas, o advogado diz que ao invés de um Estado de respeito, o tucano criou um Estado do calote e da promessa não cumprida!; o advogado afirma ainda que o governador do PSDB se pauta pelo mundo da fantasia proporcionado pelos fartos recursos gastos em propaganda; leia a coluna.

Maurício Requião, em sua coluna desta semana, compara a atuação de Richa com o governo de seu pai na área da segurança; especialista em políticas públicas, o advogado diz que ao invés de um Estado de respeito, o tucano criou um Estado do calote e da promessa não cumprida!; o advogado afirma ainda que o governador do PSDB se pauta pelo mundo da fantasia proporcionado pelos fartos recursos gastos em propaganda; leia a coluna.

por Maurício Requião Filho* ... 

Leia mais