2 de setembro de 2015
por esmael
16 Comentários

Para vigiar professores, Richa cria “Big Brother” por meio de relatório de frequência nas escolas do PR

richa_bb_escolasO governador Beto Richa (PSDB) determinou esta semana alterações no Relatório Mensal de Frequência de Profissionais de Educação (RMF) com o objetivo de “tirar o sangue” e ter maior controle sobre a vida dos professores e servidores dentro das 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná. Nem o programa Big Brother Brasil (BBB), na TV Globo, espia com tanta eficiência a “casa mais vigiada” do país.

A ideia do tucano é saber todos os passos dos educadores, tais como o horário que cada qual chega e eventuais “atrasos” nos estabelecimentos, além das já existentes “falta justificada” e “falta injustificada” para registro e desconto no contracheque dos trabalhadores. Também devem ser anotados os atestados de até três dias, que não precisam de perícia médica, e os mesmos devem ser enviados junto com os relatórios.

Atualmente, em cada escola, há um rígido controle interno das direções na frequência e, em caso de falta ou atraso, a reposição de aulas e serviços ocorre sem traumas entre as partes. Tudo funciona dentro do combinado previamente. Leia mais

25 de agosto de 2015
por esmael
31 Comentários

Em mensagem, Richa reivindica direito de nomear diretor de escola no Paraná

diretoresO governador Beto Richa (PSDB) quer passar a perna na comunidade escolar paranaense. Ele encaminhou nesta terça-feira (25) mensagem à Assembleia Legislativa do Paraná na qual reivindica o direito de nomear e demitir os diretores de 2,1 mil escolas da rede pública do estado.

Ao comentar decisão do STF, Richa afirma que “a Suprema Corte repeliu a constitucionalidade da eleição direta para os cargos de diretores da rede estadual de ensino”.

Na mesma mensagem, o governador tucano aponta que, mesmo com a consulta à professores, servidores, alunos e pais, a nomeação desemboca no poder executivo.

Richa anota também que o projeto de lei que enviou à Assembleia, a quem pede urgência, “preserva a autoridade do Chefe do Poder Executivo, a quem compete, como assegurou a Suprema Corte, a designação de Diretores e Diretores Auxiliares, posto que este são cargos de confiança de livre nomeação e exoneração”.

A seguir, leia a íntegra da mensagem: Leia mais