16 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em APP vai ao STF contra Beto Richa e o corte no salário dos professores

APP vai ao STF contra Beto Richa e o corte no salário dos professores


A APP Sindicato foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) tentar reverter o corte no salário dos professores do Paraná. Foi protocolada uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o calote de 13,29% que o governador Beto Richa (PSDB) aplicou nos professores admitidos por processo seletivo simplificado (PSS). Enquanto o Paraná diminui os salários, Flávio Dino (PCdoB) do Maranhão dá exemplo e sobe o vencimento dos educadores para R$ 5.750,00. ... 

Leia mais

23 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Faltam professores no Paraná, a terra do pedágio mais caro do mundo

Faltam professores no Paraná, a terra do pedágio mais caro do mundo

O Paraná tem o pedágio mais caro do mundo? Tem sim, senhor. O Paraná tem professor? Não tem não, senhor. O “Tucanistão do Sul” reúne corrupção, máfia do pedágio com incompetência administrativa. Por exemplo, as aulas foram canceladas na manhã desta sexta (23) no Colégio Estadual Pedro Macedo, de Curitiba, por falta de mestres nas salas de aula. ... 

Leia mais

21 de dezembro de 2017
por Esmael Morais
11 Comentários

Declaração de Beto Richa sobre professores foi “horrível”, afirma líder Romanelli

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), criticou nesta quinta-feira (21) o governador Beto Richa (PSDB) que, ao defender a redução nos salários dos professores PSS, recomendou aos educadores não satisfeitos com o salário a não se inscreveram no processo de escolha. Leia mais

20 de novembro de 2017
por Esmael Morais
20 Comentários

Capitão-do-mato de Richa Beto bate-boca com professores temporários no Paraná

O secretário da Casa Civil do Paraná, deputado Valdir Rossoni (PSDB), conhecido como “capitão-do-mato” do governador Beto Richa (PSDB), bateu boca com professores neste domingo (19) durante “live” no Facebook. Leia mais

22 de fevereiro de 2016
por admin
9 Comentários

Beto Richa segue fechando turmas e professores PSS ficam a ver navios

Os professores que trabalham contratados pelo Processo Seletivo Simplificado, os chamados PSS, estão sofrendo mais do que o costume neste início de 2016. Acontece que na maioria dos Núcleos Regionais de Educação (NREs) praticamente não há aulas para esses profissionais.

Por que faltam aulas aos PSS? Ora, porque o governador Beto Richa (PSDB) segue fechando turmas escolares estado afora. Menos turmas significa menos aulas, e, portanto, menos professores.

Só que a demanda e o número de estudantes não diminui, muito pelo contrário. Com a tão falada “crise”, muitas famílias estão desistindo de manter os filhos nas escolas particulares para migrar às escolas da rede pública.

O resultado dessa equação é desastroso. São turmas superlotadas em que um aprendizado satisfatório é praticamente impossível. Professores ficam extenuados, sujeitos ao estresse, a doenças da fala, à depressão. Tudo para o governo do estado economizar o dinheiro que não falta para a publicidade e para a corrupção.

Beto Richa planejava fechar 150 escolas no ano passado. Devido à reação das comunidades escolar, o tucano recuou e ainda fez demagogia contra a extinção de instituições de ensino. Agora, para não chamar a atenção, o governo segue defenestrando as turmas iniciais, de 6° anos do ensino fundamental, e de 1° ano no ensino médio.

Esse procedimento tem efeito cascata. Se uma escola tinha três turmas de 6° ano em 2015, pode ter somente uma em 2016. São duas turmas fechadas agora, quatro ano que vem, e seis no próximo. E por aí vai, até o fechamento “natural” da escola.

Voltemos aos PSS.

Como esses professores não são concursados, eles não têm garantia do emprego. Recebem menos, têm atrasos nos salários, não têm direito a progressões na carreira, etc. São tratados como professores de segunda classe. São “quase-escravos”, pois muitos sequer conseguem trabalhar para assim serem chamados.

Embora sejam menosprezados, os professores PSS sempre estiveram na linha de frente das greves — a exemplo das de 2015. Mesmo que a luta não os beneficie diretamente, e as bandeiras não sejam exatamente as suas, lá estiveram eles no front da batalha de 29 de abril.

A solução para esses profissionais é aguardar a realização de mais concursos, e torcer para que haja vagas nas suas áreas de conhecimento. Ainda restam muitos candidatos aprovados do último concurso q Leia mais

5 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Presidente da APP-Sindicato defende greve geral dos servidores para barrar o desmonte do Estado

Greve Geral! Barrar o desmonte da Escola Pública no Paraná

Professor Hermes Silva Leão*

Só a mobilização imediata com uma GREVE GERAL por tempo indeterminado poderá barrar a sanha destrutiva do governo Beto Richa(PSDB) sobre a educação do Paraná! Ele foi eleito Governador, não Imperador!

Os(as) Trabalhadores(as) em Educação Pública do Paraná, através da APP-Sindicato, vem há décadas lutando intensamente pela ampliação de seus direitos, por melhores condições de trabalho e consequentemente por uma escola pública de mais qualidade. Juntamente com colegas educadores(as) de todo o Brasil reunidos na CNTE !“ Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, travamos uma luta por um sistema público de educação e por valorização dos profissionais da Educação que remonta aos tempos do Brasil imperial.

Assim pensando, lutando e resistindo, avançamos coletivamente nos últimos anos em conquistas importantíssimas como: Planos de carreira de Professores(as) e Funcionários(as), equiparação salarial do magistério !“ não faz tempo os professores recebiam salários muito mais baixos que os demais servidores aos quais também é exigido nível superior para ingresso no mundo do trabalho público paranaense !“ 1/3 de hora atividade para professores(as) !“ tempo destinado ao trabalho docente fora da sala de aula – eleição para diretores(as) de escolas, além de manter uma luta permanente pelos direitos de uma aposentadoria digna depois de uma vida laboral dedicada aos fazeres do ensino-aprendizagem das gerações.

A reeleição em primeiro turno do governador do estado promoveu uma verdadeira guinada no comportamento de um político que afirmou com todas as letras que não mediria esforços para a valorização da escola pública e de seus Educadores. Em debate com os demais candidatos na APP-Sindicato no dia 19 de agosto, durante a campanha eleitoral, assumiu compromissos com uma pauta extensa que estava até agora em processos de debates, em grupos de trabalho, construção esta que vai por terra com as ultimas medidas adotadas.

Foram inúmero ataques até agora:

– Cancelamento do processo de eleição dos diretores e diretoras das escolas !“ o governador juntamente com um grupo de deputados estadual, desfez a própria resolução que havia desencadeado todo o processo. As escolas já tinham realizado assembleias, eleito comissões eleitorais e chapas já haviam se inscrito para o pleito marcado para o final de novembro/2014.

– Tarifaço final de ano !“ Além de penalizar toda a população paranaense com aumentos do IPVA, e a tarifa de ICMS de mais de 95 mil produtos, atacou a previdência pública, taxando em 11% o salário dos aposentados do estado bem como criou o fundo complementar para os futuros servidores públicos, estes fundos tem sido criticados mundialmente especialmente pela insegurança que geram quanto ao futuro pois quebra princípios caros na cultura previdenciária brasileira como o da solidariedade entre ativos e inativos.

– Impedimento de matrículas para 6!º anos do Ensino Fundamental e 1!º ano do Ensino Médio em muitas escolas de pequeno porte, especialmente as escolas do campo, em curto período em escolas estarão fechadas para sempre, novamente sem ouvir a comunidade escolar nem os diretores.

– Decretos da posse !“ Não bastasse os mais de 20 projetos de lei do pacotaço, em plena data da posse o governador anuncia um conjunto de decretos que promovem uma não assumida reforma de estado.

Outras dívidas com a Educação:

– 29 mil professore Leia mais

2 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
91 Comentários

Beto Richa empurra educadores à  greve, dizem professores

escolas_richaO ano letivo de 2015 poderá não começar na próxima segunda-feira, dia 9 de fevereiro, como previsto no calendário escolar da rede pública estadual. Tudo por culpa do governo Beto Richa (PSDB), que empurra os educadores à  greve com suas medidas de desmonte da educação no Paraná.

O governo tucano acabou este ano com a Semana Pedagógica, que era destinada a reflexão dos profissionais e organização do início do ano letivo, trocando-a, hoje, pela redistribuição de aulas. Isso porque a Secretaria da Educação (SEED), sob direção do Grupo Positivo, diminuiu o porte das escolas.

Em português claro, o governo do estado fechou escolas e isto provocará superlotação nas salas de aula !“ o que dificultará a aprendizagem dos alunos e o trabalho do professor com sobrecarga.

Neste sábado, dia 7, no município de Guarapuava, região Centro, professores, pedagogos e funcionários de escolas realizarão uma assembleia geral da APP-Sindicato para discutir a greve contra a perda das conquistas da educação pública paranaense. Teme-se que a área regrida aos anos 90, em níveis piores até do que a Era Lerner.

Do jeito que o governo Richa está fazendo, as escolas públicas não têm condições de iniciar as aulas. Faltam merendeiras, funcionários administrativos e os recursos do Fundo Rotativo que estão três meses atrasados. Não tem material de higiene e limpeza, por exemplo.

Os educadores também reclamam do calote no terço de férias e nas rescisões trabalhistas dos professores PSS, suspensão das salas de apoio, recurso, CELEM; progressões e promoções, etc.

Nesta terça-feira, dia 3, os profissionais da educação vão protestar em frente aos Núcleos Regionais da SEED para aquecer o movimento pró-greve. Londrina, Maringá, C

Vamos realizar uma mobilização nesta terça, aqui na cidade de Palmeira, na praça da Matriz, à s 16 horas, contra os desmandos de Richa!, exemplificou Daisy Hartkopf Gehm, professora PSS.

Em apoio à  luta da educação, o Blog do Esmael vai reativar a partir de hoje o caderno Diário de Greve! no topo superior da página.

Abaixo, veja os locais de mobilização da APP nesta terça: Leia mais

1 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
45 Comentários

Assembleia pode abrir CPI sobre sumiço do dinheiro! no governo Richa

Para mostrar serviço, nova legislatura da Assembleia pode abrir CPI para investigar sumiço do dinheiro! arrecadado pelo governo Beto Richa. Neste domingo (1!º), na posse dos deputados estaduais, servidores públicos que levaram calote do tesouro estadual vaiaram o governador tucano gritando das galerias Richa caloteiro, cadê o meu dinheiro!. Professores foram demitidos, mas ainda não receberam a rescisão trabalhista. Demais servidores não receberam o terço de férias, policiais e bombeiros do interior do estado ficaram sem receber diárias no trabalho do Projeto Verão. à‰ neste contexto que parlamentares querem CPI para saber o paradeiro do dinheiro arrecadado nos últimos 4 anos.

Para mostrar serviço, nova legislatura da Assembleia pode abrir CPI para investigar sumiço do dinheiro! arrecadado pelo governo Beto Richa. Neste domingo (1!º), na posse dos deputados estaduais, servidores públicos que levaram calote do tesouro estadual vaiaram o governador tucano gritando das galerias Richa caloteiro, cadê o meu dinheiro!. Professores foram demitidos, mas ainda não receberam a rescisão trabalhista. Demais servidores não receberam o terço de férias, policiais e bombeiros do interior do estado ficaram sem receber diárias no trabalho do Projeto Verão. à‰ neste contexto que parlamentares querem CPI para saber o paradeiro do dinheiro arrecadado nos últimos 4 anos.

Parlamentares do PMDB e PT, neste domingo (1), durante a posse e eleição da mesa da Assembleia Legislativa do Paraná, começaram articular a instalação da CPI do sumiço do dinheiro! no governo Beto Richa (PSDB). ... 

Leia mais

29 de abril de 2014
por Esmael Morais
10 Comentários

Em Curitiba, 20 mil marcham pela educação nesta manhã

Embora o Comando de Greve da APP-Sindicato tenha ontem sinalizado pelo encerramento da greve, que hoje entra no sétimo dia, professores contratados pelo regime PSS e Educação Especial não receberam nenhuma proposta do governo Beto Richa; daqui a pouco, a partir das 9 horas, marcha deverá reunir 20 mil educadores no trajeto Praça Santos Andrade-Palácio Iguaçu; nesta tarde, à s 15h30, no Teatro Positivo, uma assembleia da categoria vai avaliar se encerra ou continua com o movimento grevista no Paraná; acompanhe o protesto aqui pelo Blog do Esmael.

Embora o Comando de Greve da APP-Sindicato tenha ontem sinalizado pelo encerramento da greve, que hoje entra no sétimo dia, professores contratados pelo regime PSS e Educação Especial não receberam nenhuma proposta do governo Beto Richa; daqui a pouco, a partir das 9 horas, marcha deverá reunir 20 mil educadores no trajeto Praça Santos Andrade-Palácio Iguaçu; nesta tarde, à s 15h30, no Teatro Positivo, uma assembleia da categoria vai avaliar se encerra ou continua com o movimento grevista no Paraná; acompanhe o protesto aqui pelo Blog do Esmael.

A APP-Sindicato estima que 20 mil educadores marcharão na manhã desta terça (29), a partir das 9 horas, da tradicional Praça Santos Andrade, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), até o Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, no bairro Centro Cívico.  ... 

Leia mais