3 de março de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A lava jato e o pedágio no Paraná

A lava jato e o pedágio no Paraná

O pré-candidato ao governo do Paraná Jorge Bernardi, da Rede, em artigo especial, retoma o debate sobre o superfaturamento da tarifa do pedágio nas rodovias paranaenses. “Os investigadores da Lava Jato chegaram à conclusão de que o pedágio no Paraná está 400% acima do que deveria ser”, lembra, sem antes comparar a situação nas “terras das araucárias” com a do Rio de Janeiro, “onde as mais altas autoridades daquele estado estão cumprindo uma temporada na prisão”. ... 

Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: ‘Sciarra deverá ocupar a Secretaria de Representação em Brasília’

rossoni_richa_roma_sciarraNem Copel nem Secretaria da Infraestrutura.

Garganta Profunda de Londrina relata que o destino do atual chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), será o Escritório da Representação do Paraná em Brasília. Até o final deste mês, o quarto andar do Palácio Iguaçu terá como titular o “biscatão” deputado federal Valdir Rossoni (PSDB).

Garganta Profunda de Londrina conta com exclusividade aos leitores do Blog do Esmael detalhes do encontro ocorrido na manhã desta segunda-feira (13) entre o governador Beto Richa (PSDB) e Rossoni.

De acordo com o informante, Sciarra será “exilado” em Brasília com a tarefa de prorrogar o contrato do ‘pedágio mais caro do mundo’ haja vista a resistência de boa parte da bancada federal paranaense.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), ao Blog do Esmael, contestou as informações de Garganta Profunda. “Não existe esse movimento de troca na Casa Civil”, jurou. Leia mais

13 de julho de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: Beto Richa quer prorrogar o pedágio mais caro do Brasil; eu sou contra a continuidade

Gleisi Hoffmann*

Nos últimos dez dias, surgiu com força a história de prorrogar os contratos dos pedágios no Paraná. O governador Beto Richa já tinha pedido à presidenta Dilma, que disse não!

Agora, representantes de entidades empresariais, depois de combinar com o governador, foram ao ministro dos Transportes pedir novamente a prorrogação da delegação das rodovias federais para o Estado, possibilitando ao governador Beto Richa renegociar os contratos com as concessionárias.

Alegam que, com mais tempo de contrato daria para reduzir o preço dos pedágios e fazer os investimentos necessários. O problema é, em cima de quais bases contratuais irá se negociar? Na prática, as condições inicialmente pactuadas foram abandonadas, levando a grande desequilíbrio econômico-financeiro em prejuízo do usuário.

Em 2011, logo após minha eleição para o Senado, e considerando a polêmica sobre o tema, solicitei ao Tribunal de Contas da União uma auditoria no programa de concessões de rodovias no Estado do Paraná, posto que o TCU estava fazendo o mesmo para os contratos de concessão de rodovias administrados pela União.

Na tomada de contas TC014.205/2011-4, posiciona-se o TCU:

“Há indícios de que o fluxo de caixa alterou-se em prol das concessionárias mesmo levando-se em conta, na avaliação dos investimentos, o custo de oportunidade da época em que os contratos foram assinados”.

O Tribunal também decidiu, através do Acórdão 346/2012, dar um prazo de 360 dias, ao governo do Paraná, para “o restabelecimento do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, ajustando os investimentos, de acordo com as necessidades públicas e as taxas de rentabilidade praticadas, a percentuais compatíveis com o contexto econômico vigente e o custo de oportunidade atual do negócio…”. Ou, em outras palavras, baixar o lucro das concessionárias, porque é exorbitante.

Até agora o governo do Estado não apresentou o que o Tribunal pediu. Além disso, as empreiteiras entraram com recursos protelatórios e o Estado pediu mais prazo para fazer a revisão. Em 2014, pedi novamente que o TCU cobrasse o Estado sobre o reequilíbrio dos contratos. Novamente, o Estado falou que precisava de mais tempo para terminar as negociações.

Lá vamos para o quinto ano após o pedido que fiz e nenhum sinal de que o governador vai restabelecer a revisão para o bem do povo paranaense.

Estes contratos, como já falei, foram judicializados. E estão sendo vagarosamente revisados pelo governo do Estado.

Já se noticiou a existência de dezenas de aditivos contratuais “de gaveta”, firmados entre o governo do Paraná e as empresas concessionárias. É evidente que, para manterem esses acordos em segredo, boa coisa não há neles.

Dessa forma, depois de quase 18 anos de concessão, cobrando pedágios que são de longe os mais caros do Brasil, as empresas não fizeram parte dos investimentos inicialmente contratados e agora pretendem, com o beneplácito do governo estadual, uma prorrogação por mais 15 ou 20 anos, dando a entender que, assim, poderão finalmente fazer investimentos nas nossas rodovias.

Sem uma revisão profunda nestes contratos, sem a manifestação final do TCU sobre o lucro elevado dessas concessões e sem a realização das obras que foram pactuadas, não se tem como falar em renegociação, prorrogação desses contratos.

Acredito que a imensa maioria da nossa população aceita a ideia de pedágio, desde que os preços cobrados sejam razoáveis e as estradas sejam duplicadas ou, onde n Leia mais

12 de julho de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Em crise, Beto Richa pode trocar esta semana o chefe da Casa Civil

Deputado federal Valdir Rossoni deverá assumir a chefia da Casa Civil; palacianos relatam que o atual titular da pasta, Eduardo Sciarra, perdeu a iniciativa política depois do massacre dos professores; "Ele tem priorizado os negócios a articulação do governo", relata Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu.

Deputado federal Valdir Rossoni deverá assumir a chefia da Casa Civil; palacianos relatam que o atual titular da pasta, Eduardo Sciarra, perdeu a iniciativa política depois do massacre dos professores; “Ele tem priorizado os negócios a articulação do governo”, relata Garganta Profunda de Londrina, informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu.

Desgastado na opinião pública após os pacotes de maldades e o massacre no Centro Cívico, em abril, o governador Beto Richa (PSDB) planeja agora reconstruir sua imagem política a partir do “zero”. O primeiro passo, já decidido, será trocar o atual chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), pelo deputado federal Valdir Rossoni (PSDB). ... 

Leia mais

4 de julho de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Empresário acusa federações do G-7 de fazerem lobby para perpetuar ‘pedágio mais caro do mundo’ no PR

richa_pedagioO empresário toledano Antônio Lange, ex-presidente da Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), em artigo especial para o Blog do Esmael, criticou neste sábado (4) o apoio das entidades representativas do setor produtivo, o G-7, à perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do estado.

Lange acusa os dirigentes das principais federações de estarem mais interessados em construir rede de relacionamento com os poderosos do que defender o setor produtivo do Paraná. “A história dos pedágios no Paraná é um exemplo disso”, completa.

Nesta semana, o Blog do Esmael mostrou que o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), com a anuência do governador Beto Richa (PSDB), foram a Brasília com o intuito de prorrogar os contratos das concessionárias do pedágio até 2050. Por ora, a missão bateu na trave (clique aqui).

No entanto, a perpetuação do ‘pedágio mais caro do mundo’ tem a reprovação das poderosas Fiep (Federação das Indústrias do Paraná) e Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná). Ou seja, houve um racha no G-7 neste debate.

A seguir, leia a íntegra do artigo especial de Antônio Lange: Leia mais

2 de julho de 2015
por Esmael Morais
46 Comentários

Fracassa missão de Richa para prorrogar ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do Paraná

“¡No pasarán!”: Senadora Gleisi Hoffmann (PT), ao Blog do Esmael, afirmou que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que os contratos com as pedageiras serem prorrogados por mais 25 anos.

“¡No pasarán!”: Senadora Gleisi Hoffmann (PT), ao Blog do Esmael, afirmou que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que os contratos com as pedageiras serem prorrogados por mais 25 anos.

Bateu na trave a missão do governo Beto Richa (PSDB) que foi negociar ontem (1º), em Brasília, a prorrogação dos contratos do ‘pedágio mais caro do mundo’ nas rodovias do Paraná.  ... 

Leia mais

1 de julho de 2015
por Esmael Morais
30 Comentários

Gleisi Hoffmann sobre a prorrogação do pedágio no PR: ‘Nem a pau Juvenal’

Richa_Pedagio_GleisiA senadora Gleisi Hoffmann (PT) jogou água no chope da comitiva do governo Beto Richa (PSDB) que desembarca nesta quarta-feira (1º), em Brasília, com o intuito de prorrogar os contratos do “pedágio mais caro do mundo” no Paraná. ... 

Leia mais

30 de junho de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

Governo Richa vai a Brasília para prorrogar o ‘pedágio mais caro do mundo’. Terá êxito o tucano?

sciarra_pedagio_richaUma nova expedição do governo do Paraná seguirá amanhã (quarta, 1º de Julho) para Brasília, a pedido do governador Beto Richa (PSDB), com o intuito de prorrogar os contratos do ‘pedágio mais caro do mundo’. O objetivo da comitiva paranaense é dilatar o prazo das concessões para mais 25 anos. ... 

Leia mais

14 de maio de 2015
por Esmael Morais
25 Comentários

Richa prioriza prorrogação do ‘pedágio mais caro do mundo’ ao invés de resolver a greve na educação

pedagio_profs_richa

O governador Beto Richa (PSDB) retomou a ofensiva, esta semana, visando alongar os contratos de concessão do pedágio nas rodovias que cortam o estado do Paraná. As concessões do governo federal, que delegou os trechos pedagiados ao estado, vencem em 2021.

O Palácio Iguaçu prioriza a continuidade do ‘pedágio mais caro do mundo’ ao invés de tentar resolver as greves na educação básica e nas universidades estaduais. Alunos paranaenses já correm o risco de perder o ano letivo devido à falta de proposta do governo para pôr fim ao movimento paredista.

O secretário da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), estaria na linha de frente das negociações pela prorrogação dos contratos do pedágio por mais 25 anos “em troca de obras” nas rodovias paranaenses.

O senador Roberto Requião (PMDB), pelo Twitter, manifestou-se contrário à perpetuação das pedageiras. “Depois de massacrar professores, roubar a previdência, a prioridade de Richa é prorrogar contratos de pedágio!”, protestou.

Até agora, a CPI dos Pedágios, que concluiu os trabalhos na Assembleia no final de 2014, não disponibilizou o relatório final das investigações. Dentre as irregularidades levantadas na época estão obras não realizadas pelas empresas concessionárias que exploram o pedágio em 27 praças de arrecadação, sem que sejam imoladas pelo governo do estado.

O governo tucano teria, inclusive, pressionado entidades patronais conhecidas como G7 (Fiep, Fecomércio, Faep, Faciap, Fetranspar, Fecoopar e ACP) para aderirem à campanha pela prorrogação dos contratos.

O Blog do Esmael prospectou que apenas a Fecoopar (cooperativas) e Fiep (indústrias) se recusaram a assinar uma minuta favorável ao alongamento do pedágio no estado até 2050. Leia mais