1 de Fevereiro de 2018
por esmael
11 Comentários

Veja, uma escola de fake news

O jornalista Augusto Nunes, na Veja, é um aluno aplicado. Leva a sério as lições sobre como disseminar fake news — as malditas notícias falsas. A última dele foi mentir que “Lula inventou a reunião na Etiópia para escapar da cadeia”. Recuou, apagou a postagem de ontem (31) depois contestado pela direita, centro esquerda. Leia mais

30 de junho de 2017
por esmael
73 Comentários

O Supremo provou nesses últimos dias que cadeia é para petista, preto, pobre e puta

Primeiramente, uma consideração: cadeia não é lugar para gente, nem recupera ninguém. Dito isto, vamos à soltura do ex-deputado Rocha Loures (PMDB-PR) autorizada pelo ministro Edson Fachin.

19 de julho de 2015
por esmael
17 Comentários

Requião compara Cunha a Beto Richa: “Cara dum, focinho doutro”

Cunha_Richa_RequiaoO senador Roberto Requião (PMDB), pelo Twitter, espezinhou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem comparou ao governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Leia mais

3 de julho de 2015
por esmael
18 Comentários

Espectro do impeachment volta a rondar o Palácio Iguaçu

richa_impeachment_profsNa última segunda-feira, dia 29 de junho, dois meses após o covarde massacre dos professores no Centro Cívico, em Curitiba, promotores do Ministério Público do Paraná (MP) concederam entrevista coletiva para anunciar que ofereceram à Justiça denúncia contra o governador Beto Richa (PSDB) por improbidade administrativa, ou seja, crime de responsabilidade que pode cassar-lhe o mandato e os direitos políticos por 8 anos.

Dito isto, cada vez mais o espectro do impeachment ronda as imediações do Palácio Iguaçu, mesmo local que serviu para a ação violenta da polícia que deixou saldo de 213 feridos.

O blogueiro e advogado Tarso Violin Cabral, no último dia 25 de maio, protocolou o primeiro requerimento na Assembleia solicitando o impedimento do governador tucano. Para ele e um grupo de juristas, que subscreveram o documento, a ação de improbidade administrativa anunciada pelo Ministério Público contra Beto Richa, o ex-secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini, e o alto comando da PM à frente das decisões do Massacre de 29 de abril, reforça a tese do impeachment.

Nesta sexta-feira (3) veio mais um elemento que poderá ser apensado a denuncia de improbidade do inquilino do Palácio Iguaçu: a Justiça determinou que Richa cessasse de mentir e fazer campanha contra professores no site oficial Agência Estadual de Notícia; o tucano vinha abusando da máquina pública para denegrir a imagem dos educadores que ainda lutam por melhores condições de trabalho e reposição inflacionária.

1 de julho de 2015
por esmael
16 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: ‘Beto Richa teme ir para a cadeia com a volta de Roberto Requião’

Professores amarraram ao mastro em frente Palácio Iguaçu, na última segunda-feira (29), boneco gigante do governador Beto Richa, com uniforme de presidiário, para lembrar dois meses do massacre no Centro Cívico; informante do Blog do Esmael, Garganta Profunda de Londrina, revela que o tucano teme ir para a prisão caso o senador Roberto Requião volte ao governo do Paraná; abaixo, leia o relato do X-9.

Professores amarraram ao mastro em frente Palácio Iguaçu, na última segunda-feira (29), boneco gigante do governador Beto Richa, com uniforme de presidiário, para lembrar dois meses do massacre no Centro Cívico; informante do Blog do Esmael, Garganta Profunda de Londrina, revela que o tucano teme ir para a prisão caso o senador Roberto Requião volte ao governo do Paraná; abaixo, leia o relato do X-9.

Garganta Profunda de Londrina, principal informante do Blog do Esmael no 3º andar do Palácio Iguaçu, afirma que a pesquisa divulgada nesta quarta-feira (1º), para o governo do estado, em 2018, caiu como uma bomba nuclear na antessala do governador Beto Richa (PSDB). Leia mais

13 de setembro de 2014
por esmael
13 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: Rua, lei e cadeia para os entreguistas

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, radicaliza o discurso ao propor "rua, lei e cadeia" para a turma que incomodou o país vendendo estatais, pondo fim ao monopólio do petróleo, acabando com a estabilidade para os servidores, atacando a Previdência Social e implodindo postos de trabalho!; colunista denuncia que economistas conservadores agem como se fossem professores de Deus!, no terrorismo eleitoral, porque seriam beneficiários diretos da especulação financeira e da privataria com a disputa política; Gomyde afirma ainda que eleitorado aprendeu com a experiência que votar em pessoas críveis, que não são de duas caras, que não falam uma coisa e fazem outra, é uma boa iniciativa!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, radicaliza o discurso ao propor “rua, lei e cadeia” para a turma que incomodou o país vendendo estatais, pondo fim ao monopólio do petróleo, acabando com a estabilidade para os servidores, atacando a Previdência Social e implodindo postos de trabalho!; colunista denuncia que economistas conservadores agem como se fossem professores de Deus!, no terrorismo eleitoral, porque seriam beneficiários diretos da especulação financeira e da privataria com a disputa política; Gomyde afirma ainda que eleitorado aprendeu com a experiência que votar em pessoas críveis, que não são de duas caras, que não falam uma coisa e fazem outra, é uma boa iniciativa!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde*

Nos últimos dias, uma legião de “economistas” saiu das sombras e vem povoando o noticiário para reforçar a tática de terrorismo eleitoral. Sob o pretexto de “explicar” as causas dos solavancos da economia brasileira, que tenta se proteger da devastação econômica mundial, falam pelos cotovelos e se comportam como professores de Deus. A impressão que se tem é a de estar numa sala de aula, ouvindo asneiras dos que pensam ser verdadeiros CDFs. Muita calma nessa hora! Para entender o que estará acontecendo com a economia precisamos entender o que ocorre de mais relevante hoje: o debate eleitoral. Leia mais

14 de agosto de 2014
por esmael
43 Comentários

Requião promete mandar para cadeia os atuais diretores da Copel

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao Palácio Iguaçu, nesta quinta-feira (14), pelo Twitter, se comprometeu a mandar para a cadeira os responsáveis pela quebradeira da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Leia mais

11 de Fevereiro de 2014
por esmael
45 Comentários

De olho na cadeira de Dilma, Barbosa age para manter Dirceu na prisão

do Brasil 247 O Judiciário brasileiro acaba de ser transformando em uma única pessoa: Joaquim Barbosa.

à‰ a sua vontade, e apenas ela, que determina os destinos dos brasileiros submetidos a um suposto Estado de Direito, a cada dia mais vilipendiado.

Em mais uma decisão unilateral, ele acaba de revogar outra decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que obrigava o juiz Bruno Ribeiro, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, a examinar o pedido de trabalho de José Dirceu, que havia sido suspenso em razão do suposto uso de um telefone celular na Papuda.

Como a sindicância da Secretaria de Segurança do Distrito Federal apurou que não houve uso de celular, Lewandowski determinou que o pedido de trabalho fosse avaliado (relembre aqui).

Dirceu está preso desde 15 de novembro em regime fechado, embora tenha sido condenado ao semiaberto.

A lei, para ele, não existe. Dirceu é objeto da vingança de Joaquim Barbosa, que estuda se candidatar à  presidência da República, tendo como plataforma sua atuação na Ação Penal 470.

O Judiciário brasileiro está entregue a um tirano, que age como se estivesse acima de tudo e de todos.

E a sociedade assiste impassível à  destruição do Estado de Direito.

A única forma de conter a ascensão de um tirano é um processo de impeachment, já defendido por juristas respeitados como Celso Bandeira de Mello.

Haverá reação?

Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre a decisão:

Barbosa derruba decisão de Lewandowski sobre trabalho de Dirceu

André Richter, da Agência Brasil – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, derrubou uma decisão do vice-presidente da Corte, Ricardo Lewandowski, tomada durante o recesso do Judiciário. Barbosa suspendeu a decisão de Lewandowski que determinou à  Justiça do Distrito Federal análise do pedido de trabalho externo feito pelo ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

O presidente do STF disse que a decisão anterior não cumpriu o devido processo legal. “A decisão que determinou o exame imediato do pedido de trabalho externo do reeducando José Dirceu de Oliveira e Silva importou um atropelamento do devido processo legal, pois deixou de ouvir, previamente, o MPF [Ministério Público Federal] e o juízo das execuções penais cuja decisão foi sumariamente revogada. Considerada a inexistência de risco de perecimento do direito, não se justifica, processualmente, a concessão do pleito. “, disse Barbosa.

O pedido de trabalho externo do ex-ministro foi suspenso pela Vara de Execuções Penais depois que o jornal Folha de S.Paulo denunciou que o ex-ministro conversou por telefone, de dentro da cadeia, com o secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correia.

Após analisar recurso da defesa de Dirceu, que apresentou relatórios produzidos pela administração do sistema prisional do Distrito Federal, Lewandowski concluiu, no dia 29 de janeiro, que não existiam evidências de que o réu tenha usado telefone celular dentro do presídio da Papuda. Com isso, a Vara de Execuções Penais deveria revogar a suspensão de 30 dias e voltar a analisar o pedido de Dirceu.