11 de dezembro de 2015
por esmael
11 Comentários

Governador gaúcho é reprovado por 61%, mas Richa ainda é “hors concours” com 73% de rejeição

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), enfrentou exatamente os mesmos problemas que enfrentou o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), ao longo deste ano difícil de 2015. Foram greves de servidores públicos, calotes em fornecedores, tarifaços, reajuste de impostos, aumento de salário para deputados, vices e deles próprios, repasses bloqueados pela União, salário atrasado para funcionalismo, etc., etc., etc…

Pois bem, o instituto Paraná Pesquisas levantou entre os dias 4 e 7 de dezembro que Sartori tem 61% de rejeição entre os gaúchos. Foram entrevistados 1.506 eleitores de 78 municípios do Rio Grande do Sul. A margem de erro é de 2,5%.

Portanto, de acordo ainda com a Paraná Pesquisas, Beto Richa é “hors concours” em termos de rejeição. O tucano permanece com o troféu de pior avaliado do país, com 73% de reprovação (clique aqui).

Se Sartori fez exatamente as mesmas maldades, o que consolida Beto Richa no pódio da impopularidade? Ora, o massacre de 29 de abril. O maldito massacre de professores, no Centro Cívico, dificilmente possibilitará a recuperação da imagem do tucano para cargos majoritários.

10 de dezembro de 2015
por esmael
24 Comentários

No Rio Grande do Sul, Alckmin lidera disputa presidencial de 2018

alckmin_marina_lulaO governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), é o favorito para a corrida presidencial no estado do Rio Grande do Sul. A informação é o instituto Paraná Pesquisas, que divulgou nesta quinta-feira (10) uma sondagem sobre 2018.

Alckmin lidera com 29,2% das intenções de voto, seguido pela ex-senadora Marina Silva (Rede) que tem 19,7%. Em terceiro aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 13,6%.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) obteve 7,9% das citações, Jair Bolsonaro (PP) teve 5,9%, Ronaldo Caiado (DEM) e Michel Temer (PMDB) empataram em 1,9%.

17 de junho de 2015
por esmael
26 Comentários

Até deputado do PSDB critica Beto Richa pelo ‘tarifaço’ na conta de luz

O deputado estadual Mauro Moraes (PSDB), não é da oposição, mas também se indignou com o novo aumento de 14,62% na conta de luz da Copel (Companhia Paranaense de Energia). Só neste ano, o governo Beto Richa (PSDB) tungou em 51% o bolso dos consumidores reajustando este insumo tão importante ao desenvolvimento e ao conforto dos paranaenses.

Pelo Twitter, o deputado tucano protestou contra o ‘tarifaço’ do governador correligionário:

O deputado Mauro Moraes tem razão em seu solitário grito no ninho tucano, pois, o governador Beto Richa teria a opção de REJEITAR o tarifaço como sempre fazia o então governador Roberto Requião (PMDB).

No entanto, o governador preferiu colocar o Paraná na contramão haja vista que o estado do Rio Grande do Sul reduziu a tarifa da energia em 4,22%. Os gaúchos pediram para baixar o preço do insumo porque suas usinas já estão amortizadas (pagas). Isto [a redução] ajuda na competitividade dos produtos do Rio Grande.

As usinas do paranaenses também já estão pagas, mas, para satisfazer a fome de lucro dos sócios privados, a Copel sempre pede aumentos e mais aumentos nas tarifas.

As informações de aumento e redução na conta de luz são oficiais e públicas, divulgadas ontem (16) pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O deputado Mauro Moraes tem razão: é um absurdo!

21 de julho de 2014
por esmael
26 Comentários

Ibope dá Dilma com 41%, Aécio 23% e Campos tem 6% no Rio Grande do Sul

do Brasil 247
Pesquisa Ibope divulgada na manhã desta segunda-feira (21) mostrou o cenário para as eleições presidenciais no Rio Grande do Sul. No estado, Dilma Rousseff (PT) apresenta uma boa vantagem sobre seus adversários, com 41% das intenções de voto, contra 23% de Aécio Neves (PSDB) e 6% de Eduardo Campos (PSB). Neste cenário, Dilma seria reeleita no primeiro turno.

Entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções. Enquanto isso, 9% dos eleitores disseram que vão votar nulo ou em branco e 13% declararam não saber em quem votar. Na pesquisa, a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Sobre a aprovação do governo, 53% dos entrevistados veem como positivo, sendo que 36% consideram a administração de Dilma ótima ou boa. De acordo com a pesquisa, a nota média da presidente ficou em 5,6. O Ibope entrevistou 812 eleitores entre 13 e 16 de julho.

11 de outubro de 2013
por esmael
11 Comentários

Dilma: “Se eu ficar pensando na eleição, não governo”

do Brasil 247A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira 11 não estar pensando na próxima eleição. A afirmação foi dada durante entrevista a jornalistas de três emissoras de rádio do Rio Grande do Sul, onde a presidente cumpre agenda nesta tarde, na cidade de Novo Hamburgo. Questionada sobre o que pensa da aliança entre a ex-senadora Marina Silva e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), Dilma afirmou que sua agenda cheia não permite que ela fique pensando na próxima eleição e que tem “obrigação de cuidar 24 horas do governo”.

“Tenho obrigação de cuidar do governo, fui eleita para isso. A minha principal estratégia nesses quatro anos é cuidar do governo. Tenho obrigação política, ética e com o meu povo. Se eu ficar pensando na próxima eleição… acordo, almoço, janto pensando na próxima eleição, eu não governo”, declarou Dilma. A presidente citou dois exemplos de como sua agenda é cheia, o que não permitiria que ela ficasse analisando o cenário eleitoral de 2014: a preocupação com a vigilância na internet e a prisão na Rússia da ativista brasileira do Greenpeace.

Diante da pergunta sobre se pensava que teria outra candidata mulher à  presidência da República, Dilma afirmou que “respeita” todos os candidatos e lembrou que, quando foi eleita, prometeu “honrar todas as mulheres desses País”. “Eu respeito todas as pessoas que forem concorrer à  presidência porque eu acho que todas elas, como cidadãos ou cidadãs brasileiras, têm absoluta legitimidade para pleitear isso”, disse. “Mas eu ganhei um mandato, que tem quatro anos, e nesse momento a minha prioridade é exercer isso 24 horas por dia”.

Sobre a reunião que teve ontem com o ex-presidente Lula, Dilma contou ter sido uma conversa “muito simpática”, mas desconversou se, no encontro, foi debatida a eleição do próximo ano. “A conversa com o Lula foi muito simpática, sempre que ele for a Brasília eu o receberei”, disse. Segundo ela, o ex-presidente ressaltou, na reunião, que o Brasil tem números “fantásticos, fundamentais” sobre o combate ao trabalho infantil, e reclamou que os dados foram pouco divulgados no momento em que o País recebeu a 3!ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil, da OIT (Organização Internacional do Trabalho).