14 de maio de 2018
por esmael
Comentários desativados em Vem aí mais um escândalo contra Richa

Vem aí mais um escândalo contra Richa

Os problemas do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), não se esgotam na investigação da propina de R$ 2,5 milhões da Odebrecht no âmbito da lava jato. Pelo contrário. Vem aí mais uma bronca envolvendo o programa “Patrulha do Campo” cujo esquema foi delatado pelo ex-diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER), Nelson Leal Júnior. Leia mais

2 de março de 2018
por esmael
1 Comentário

Péricles de Mello: Beto Richa “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio

O deputado estadual Péricles de Holleben Mello (PT) escreve que o governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio. “O governo Beto Richa sabia de tudo isso, mas ao invés de lutar pelo direito do povo, preferiu, como dissemos, o caminho “gentil” da conciliação.” Leia mais

2 de março de 2018
por esmael
1 Comentário

Péricles de Mello: Beto Richa “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio

O deputado estadual Péricles de Holleben Mello (PT) escreve que o governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio. “O governo Beto Richa sabia de tudo isso, mas ao invés de lutar pelo direito do povo, preferiu, como dissemos, o caminho “gentil” da conciliação.” Leia mais

2 de março de 2018
por esmael
1 Comentário

Péricles de Mello: Beto Richa “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio

O deputado estadual Péricles de Holleben Mello (PT) escreve que o governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, “sabia de tudo” sobre a atuação da máfia do pedágio. “O governo Beto Richa sabia de tudo isso, mas ao invés de lutar pelo direito do povo, preferiu, como dissemos, o caminho “gentil” da conciliação.” Leia mais

6 de fevereiro de 2018
por esmael
11 Comentários

O privilégio do auxílio-moradia é verdadeiro, mas o debate é falso

Concedi entrevista na manhã desta terça-feira (6) para Wellington Calasans e Romulus Maya, do programa Duplo Expresso, n’O Cafezinho. A eles, que estão baseados na Suécia e na Suíça, respectivamente, eu disse que o privilégio do auxílio-moradia é verdadeiro, mas o debate é fake (falso) porque se trata de chantagem da velha mídia para mostrar ao judiciário que manda na relação. Leia mais

12 de dezembro de 2016
por esmael
11 Comentários

Alvaro Dias: “Sr. Baunilha é uma figura rastejante do governador Beto Richa”; assista

richa_bonilha_alvaro_nascimentoO senador Alvaro Dias (PV-PR) usou tribuna nesta segunda (12) para criticar o “Sr. Baunilha”, que pediu prisão do jornalista Celso Nascimento.

23 de fevereiro de 2016
por admin
7 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Esforço X Capacidade

Download áudio

Marcelo Araújo*

Dia desses, um amigo que tem proximidade tanto com o prefeito quanto com sua secretária de trânsito ponderava comigo para ter mais compaixão, pois reconhecia que ambos eram esforçados. Concordei com ele no adjetivo, porém lembrei que o esforço é inócuo quando não há capacidade. Capacidade é ineficaz sem investidura, então não adianta eleger pessoas esforçadas, mas incapazes. Um dos argumentos do anão era que o prefeito estava pronto, mas não esclareceu que era pronto para começar a aprender e que seríamos as cobaias.

Na última sexta-feira o Tribunal de Contas do Paraná noticiou que está notificando a Prefeitura de Curitiba para que no prazo de 30 dias regularize uma série de impropriedades (ilegalidades) em relação aos radares. O fato de ser Advogado do Bruxo Chik Jeitoso nos ataques judiciais desesperados e covardes que sofre do Prefeito e de seu Chefe de Governo não me conferiu o dom da premonição, mas por lógica e conhecimento eu já havia antecipado isso em novembro de 2015, além de outras oportunidades mais remotas.

A continuidade da ocupação dos equipamentos que deveria ser temporária e está se

17 de dezembro de 2015
por esmael
28 Comentários

Fachin votou com Cunha, pelo impeachment de Dilma

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (16), manteve a votação secreta de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Câmara, que criou a comissão especial do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

O magistrado argumentou que “não há ofensa à Constituição no fato de regimento da Câmara propiciar votação secreta”, mas ressaltou que a decisão da comissão especial deverá ter votação aberta no plenário.

Em 25 de novembro, o mesmo Fachin mandou que o Senado realizasse votação aberta acerca da continuidade ou não da prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), então líder do governo, acusado de atrapalhar investigações da Lava Jato.

Fachin foi indicado pelo STF graças ao empenho dos senadores paranaenses Alvaro Dias (PSDB) e Roberto Requião (PMDB). Coube a Dilma apresentar o nome do novo ministro ao Senado.

Depois de nomeado para o cargo, o ministro foi sorteado para julgar o caso do conselheiro Maurício Requião, irmão do senador Requião, que foi afastado em 2008 do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE). Fachin se declarou impedido.

O diabo é que se o ministro se declara impedido de julgar questões que envolvem “amigos”, também deveria fazê-lo nas matérias que envolvem “inimigos”. Por questão de coerência, o ministro Fachin não poderia votar nem favorável nem contra – muito pelo contrário — em todas as demandas que cheguem às suas mãos no STF.

A impressão que fica é que o ministro Edson Fachin se esforça para provar à burguesia que não é vermelho. Quer esconder o passado. Parece até que foi cooptado pela velha mídia e pela desgraça da vaidade, aquela puta velha que se traduz em homenagens e títulos em castelos onde se tramam os golpes.

16 de novembro de 2015
por esmael
16 Comentários

Presidente do TCE perde outra vez ação contra Blog do Esmael

bonilhaO conselheiro Ivan Bonilha, presidente do Tribunal Faz de Contas do Paraná (TCE), perdeu mais vez uma ação contra o Blog do Esmael.

Em janeiro deste ano, o juiz César Ghizoni, do 15º Juizado Especial Criminal de Curitiba, extinguiu a punibilidade a este titular do Blog do Esmael porque Bonilha havia “perdido o prazo” para recolher as custas processuais.

Não satisfeito com a decisão, o presidente do TCE recorreu da decisão mas não logrou êxito (abaixo, leia a íntegra da decisão).

O Ministério Público do Paraná opinou pela extinção da punibilidade por se tratar “de ação penal privada, na qual não houve o recolhimento das custas iniciais no período decadencial”.

A sentença da juíza Fernanda de Quadros Jorgensen Geronasso, no início deste mês, negou “provimento” a Bonilha, que perdeu mais uma para o Blog do Esmael.

O conselheiro Ivan Bonilha não perdeu para o Blog do Esmael, pelo contrário, perdeu prazo, perdeu para ele mesmo. Eis o nível do Tribunal Faz de Contas do Paraná! Dá para levar aquilo a sério?

A seguir a decisão judicial favorável ao Blog do Esmael:

19 de outubro de 2015
por esmael
12 Comentários

Desembargadores do TJPR que julgaram Requião no TCE participaram de festa de arromba de Bonilha

requiao_tjpr

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), por 9 votos contra oito, nesta segunda-feira (19), manteve o ex-conselheiro Maurício Requião fora do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Leia mais

7 de outubro de 2015
por esmael
5 Comentários

Cheiro de picanha em julgamento do Tribunal de Justiça do Paraná

requiao_tjpr

Um forte cheiro de churrasco de picanha acometeu a sessão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), na última segunda-feira (5), durante julgamento do retorno de Maurício Requião ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Leia mais

25 de setembro de 2015
por esmael
67 Comentários

Requião sugere criação de CPI para investigar judiciário brasileiro

requiao_moro_ttO senador Roberto Requião (PMDB-PR) sugeriu ontem (24) que o poder judiciário seja investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso Nacional. Segundo ele, a medida seria necessária em virtude da percepção de que apenas o juiz federal Sérgio Moro é “correto” e “decente” no Brasil.

A polêmica surgiu em decorrência das críticas ao fatiamento da Lava Jato pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que retirou das mãos de Moro inquérito não relacionado à investigação na Petrobras.

Requião é um crítico contumaz das mordomias no judiciário brasileiro. No Paraná, por exemplo, desde julho, ele tenta obter por meio a Lei de Acesso à Informação a relação de gastos da Procuradoria de Justiça do Paraná, com valores individualizados, do subsídio de todos os promotores e procuradores de Justiça do Estado do Paraná nos últimos 12 (doze) meses.

Também veio à tona recentemente que juízes estariam de “papo cheio”, isto é, ganhando R$ 73 mil ao mês, valor bem acima do teto do Supremo Tribunal Federal (STF) — que é de R$ 34 mil.

24 de setembro de 2015
por esmael
8 Comentários

Exclusivo: Lewandowski reconduz conselheiro Fábio Camargo ao TCE

camargo_gazeta_plautoO ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), na noite desta quinta-feira (24), deferiu liminar reconduzindo o conselheiro Fábio Camargo ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A decisão do magistrado é uma derrota para o grupo RPC/Gazeta do Povo, que tem uma bronca familiar e política com os Camargo.

Em julho de 2013, o ex-deputado derrotou por 27 a 22 votos o ainda deputado Plauto Miró (DEM) na disputa pela vaga no TCE.

18 de setembro de 2015
por esmael
6 Comentários

Deputado do DEM dá ultimato a Richa: “Xô com os impostos abusivos”

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Plauto Miró Guimarães Filho (DEM), continua cerrando fileira com a oposição contra o “pacote de maldades 3” do governador Beto Richa (PSDB).

Nos próximos dias, os parlamentares serão colocados novamente dentro de um camburão para votar mais aumentos de impostos e projetos que atacam a democracia e o conceito de escola pública, por exemplo.

Plauto sublevou-se porque, segundo ele, a sociedade não aguenta mais estes aumentos [de impostos] propostos pelos governos federal e estadual. Especificamente, ele ergueu a voz na Assembleia contra as maldades de Richa (clique aqui).

Ao bradar contra os aumentos dos impostos, Plauto Miró também se levanta contra uma rasteira que estaria sendo urdida nos corredores do Palácio Iguaçu. De acordo com uma fonte na Assembleia, o chefe de gabinete do governador, Deonilson Roldo, articula para ser o próximo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O parlamentar acredita que a vez na fila é dele, por isso a revolta “contra os impostos”.

O deputado do DEM não aborda essas questões de bastidores, mas, convenhamos, para quem votou cegamente todos os pacotes de maldades anteriores, sem nenhum remorso e não disse um “a” em solidariedade aos professores massacrados no Centro Cívico, Plauto ficou muito “valente” de uma hora para outra. Não é verdade?

A seguir, leia a íntegra do artigo “Chega de impostos abusivos!” do deputado Plauto Miró Guimarães:

Chega de impostos abusivos!

Plauto Miró Guimarães*

Estou deputado na Assembleia do Paraná há sete mandatos. Sempre recebendo a confiança dos paranaenses, especialmente de Ponta Grossa e dos Campos Gerais.

Nunca mudei de região e me mantenho firme aos meus princípios e ideais.

Já fui eleito para ser situação e oposição. Busco a todo o tempo entender o recado dos eleitores e me esforço para cumprir a missão que tenho recebido. Jamais mudei de partido ou de lado porque acredito porque sei quem represento.

Justamente por isso consegui, até com certa facilidade, exercitar o diálogo constante. Na oposição ou na situação jamais fui radical. Tenho a obrigação de votar com minha consciência, dentro daquilo que considero certo e verdadeiro.

Tem sido assim ao longo dos anos.

Agora vivemos uma crise sem proporções. Crise de responsabilidade do governo federal, que gasta mais do que recebe. Que armou um estado inchado, pesado e ineficiente que está perdido em relação à gestão do país e não mais responde aos anseios da sociedade.

Quando a crise bateu em nossas portas fizeram de conta que não era conosco. Foi um tal de declarar que era uma “marolinha”. Tiveram até a pachorra, e os jornais registraram, de dar cátedra a governantes de outros países que diziam que o Brasil era maior que a própria crise. Porém, eles fizeram a lição de casa, cortaram na carne e saíram da turbulência, encorpados e mais fortes do que entraram. Já por aqui, a pequena onda era só uma blague ou um blefe. Nada fizeram e a marola virou tsunami.

A crise então se apresentou forte, afetando ricos e pobres, de todas as regiões do Brasil.

Diante do caos, os governos estaduais precisaram fazer reformas tributárias, e aqui falo especificament

15 de setembro de 2015
por esmael
35 Comentários

Em tempo recorde, TJPR suspende ação contra primo de Beto Richa

mauricio_desembargador_abi_richa

Chamou a atenção das comunidades jurídica e política a celeridade com que desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) julgaram a suspensão da ação penal que tramita contra o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), réu na Operação Voldemort, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná. Leia mais

10 de setembro de 2015
por admin
11 Comentários

“Tribunal Faz de Contas” demora 8 meses para alertar que Richa estava fora da Lei de Responsabilidade Fiscal

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de "Tribunal Faz de Contas".

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de “Tribunal Faz de Contas”.

O Blog do Esmael vem noticiando há tempos que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) usa dois pesos e duas medidas na hora de fiscalizar os exercícios financeiros dos governantes. Nos pequenos municípios o TCE “filtra mosquitos” nas contas das prefeituras e câmaras municipais; no governo do estado o órgão “deixa passar camelos” e faz vistas grossas para as irregularidades. Leia mais

14 de agosto de 2015
por esmael
20 Comentários

TCE promove mais uma farra. Agora são as ‘superférias’ para os conselheiros

superferias

“Apesar da crise”, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) pagou gordas indenizações a três conselheiros por férias não gozadas. Eles receberam juntos R$ 820.734,77. O numerário é equivalente a 1.040 salários mínimos de 2015. Leia mais