29 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Mais Médicos com menos de 3% dos selecionados nos locais de trabalho

Mais Médicos com menos de 3% dos selecionados nos locais de trabalho


Menos de 3% dos mais de oitos mil profissionais selecionados para o Programa Mais Médicos começaram efetivamente a trabalhar, são 230 médicos já “homologados” que se apresentaram nas cidades ou fizeram contatos com as prefeituras para acertar as condições de trabalho, segundo balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira (29). ... 

Leia mais

21 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Vem aí o ‘novo’ Requião

Vem aí o ‘novo’ Requião

Em abril próximo o senador Roberto Requião (MDB-PR) pretende renovar seu mandato frente ao partido no Paraná. ... 

Leia mais

18 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Bolsonaro: Prefeitos estão ficando com os médicos cubanos

Bolsonaro: Prefeitos estão ficando com os médicos cubanos

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) está perdendo da ‘guerra ideológica’ para a realidade dos municípios brasileiros. ... 

Leia mais

27 de junho de 2016
por Esmael Morais
11 Comentários

Requião cuida da horta no Paraná

requiao_prefeiturasO senador Roberto Requião (PMDB-PR) dedicou a agenda neste fim de semana para cuidar da própria horta no estado, isto é, lançar candidaturas do partido e de aliados às prefeituras. Leia mais

30 de maio de 2016
por Esmael Morais
5 Comentários

Romanelli: Empoderamento dos municípios

romanelli_parana_sem_criseO deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa, na coluna desta segunda (30), disseca a crise financeira que abate o país cuja repercussão se dará nas eleições de outubro, nas prefeituras, que, de acordo com ele, sofrem com a falta de repasses do governo federal. Entretanto, o colunista faz um parêntese para explicar que, ainda segundo ele, no Paraná tudo é diferente. “… os municípios do Paraná vivem uma situação diferenciada, para melhor, do que o restante do país. O apoio em investimentos e o aumento no repasse de tributos estaduais, como o ICMS e o IPVA, dão fôlego às prefeituras paranaenses”, assegura Romanelli. Leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto: Leia mais

29 de setembro de 2015
por Esmael Morais
9 Comentários

Para nunca esquecer os 31 deputados da “bancada do camburão”

camburao_previdenciaHoje faz cinco meses o massacre do Centro Cívico, ordenado pelo governador Beto Richa (PSDB), quando se votava o ‘pacote de maldades 2’ que confiscou R$ 8 bi da poupança previdenciária dos professores e servidores públicos do Paraná.

Coincidentemente, a mesma Assembleia Legislativa vota nesta terça-feira (29) o “pacote de maldades 3” que aumenta impostos e reforça o Caixa Único (CU) do tucano.

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, a partir das 14h30, transmite ao vivo a sessão desta tarde para o Brasil e o mundo.

O governador Beto Richa espera hoje contar com os 31 deputados da “bancada do camburão”, isto é, parlamentares que sistematicamente votam com o Palácio Iguaçu.

Na hora do voto, o PSC de Ratinho Júnior, a maior bancada com 12 deputados, é o fiel da balança na definição das sacanagens.

Para nunca esquecer, o Blog do Esmael relembra o nome dos deputados que votaram a FAVOR do ‘confisco da poupança previdenciária’ e dos que votaram CONTRA o confisco na sessão extraordinária de 29/04 – o Dia do Massacre.

A seguir, veja quais sãos os 31 deputados que compõem a “bancada do camburão” na Assembleia: Leia mais

21 de setembro de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

Ao vivo: Assembleia debate aumento de impostos, privatização de escolas, venda da Copel e Sanepar

O k-suco promete ferver esta tarde na Assembleia Legislativa do Paraná. Por isso o Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, transmite a sessão ao vivo para o Brasil e o mundo.

Hoje, os deputados discutirão novo aumento de impostos; corte de repasses a prefeituras; fim da eleição para diretor e privatização das escolas públicas; privatização da Copel e Sanepar (audiência pública às 17h).

Acompanhe ao vivo os debates acerca do “pacote de maldades 3” do governador Beto Richa.

Leia mais

21 de setembro de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Para nunca esquecer os 31 deputados da “bancada do camburão”

camburao_richaA Assembleia Legislativa do Paraná retoma nesta segunda-feira (21) os debates sobre o “pacote de maldades” do governador Beto Richa (PSDB). O tucano espera contar com 31 deputados da “bancada do camburão”, isto é, parlamentares que sistematicamente votam com o Palácio Iguaçu.

Na hora do voto, o PSC de Ratinho Júnior, a maior bancada com 12 deputados, é o fiel da balança na definição das sacanagens.

Hoje, os deputados discutirão novo aumento de impostos; corte de repasses a prefeituras; fim da eleição para diretor e privatização das escolas públicas; privatização da Copel e Sanepar (audiência pública às 17h).

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, a partir das 14h30, transmite a sessão desta tarde ao vivo para o Brasil e o mundo.

Para nunca esquecer, o Blog do Esmael relembra o nome dos deputados que votaram a FAVOR do ‘confisco da poupança previdenciária’ e dos que votaram CONTRA o confisco na sessão extraordinária de 29/04 – o Dia do Massacre.

A seguir, veja quais sãos os 31 deputados que compõem a “bancada do camburão” na Assembleia: Leia mais

20 de julho de 2015
por Esmael Morais
37 Comentários

Coluna do Luiz Claudio Romanelli: Pacto contra crise no país e o bom exemplo do Paraná

Luiz Claudio Romanelli*

O que tomou conta do debate político nos últimos dias está muito longe e desassociado de tudo o que o país mais precisa neste momento de forma urgente: um pacto social e federativo frente à crise econômica nacional que se torna mais aguda a cada pesquisa ou dado revelado por órgãos como o IBGE e o Ipea.

Na sexta-feira, 17, por exemplo, o Ministério do Trabalho divulgou que o país perdeu 345.417 empregos no primeiro semestre – 111.199 vagas fechadas somente no mês de junho, aponta o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Um dia antes, o Ipea revelou que um milhão de brasileiros voltaram à miséria em 2013, o que se deduz que, em 2014, com a recessão, ajuste fiscal e o corte de recursos na área social, o número de miseráveis poderá ser bem maior do que no ano anterior. Para este ano, de 2015, as projeções são ainda mais preocupantes.

Nessa escalada de dados, números e estatísticas, a economia desanda, o povo enfrenta a inflação alta nas compras no supermercado ou quando contrata algum serviço, vê-se uma luta política desenfreada pautada pelo achincalhe, denuncismo, acusações de toda ordem e até a falta de urbanidade nas relações entre os poderes. Do campo econômico, a crise saltou para a política e periga, se ninguém tomar qualquer atitude mais desprendida, se tornar uma crise institucional, o que é muito ruim para todos, especialmente para a economia, que já vai tão mal.

Com tudo isso acontecendo, volto a reafirmar que já passou da hora de todas as forças políticas do país, os agentes públicos, os atores políticos, os trabalhadores e o setor produtivo – as chamadas forças vivas da sociedade – tomarem frente da crise e apontarem as alternativas e soluções para os problemas que o Brasil enfrenta atualmente.

Essas mudanças são urgentes e passam pelo novo pacto federativo que contemple a redistribuição dos recursos arrecadados por meio dos impostos e contribuições entre os entes federados: União, estados e municípios, os mais penalizados com o corte de verbas e de repasses federais.

Dados da Frente Nacional dos Prefeitos mostram que, em 2013, 57,42% da receita disponível ficou com a União, 24,18% com os estados e 18,40% com os municípios. Os prefeitos defendem – e eu concordo com a proposta – que essa divisão ocorra da seguinte maneira: 40% para a União, 30% para estados e 30% para municípios. Não há porque penalizar ainda mais as prefeituras que, frequentemente têm as despesas aumentadas na prestação dos serviços essenciais, como saúde e educação. Além de prover as cidades de hospitais, postos de saúde e creches, são necessários recursos para manutenção e a contratação de médicos, enfermeiros e professores. A contrapartida do governo federal é pífia e as obrigações recaem todas nas costas dos prefeitos. E isso é só um exemplo.

A situação dos estados parece idêntica, guardadas as proporções, com os municípios. Os estados cortaram mais de 46% do orçamento de 2014 para 2015 e mais 11,3 bilhões em obras. Os estados, e o Paraná não é exceção, padecem com as obras paradas, projetos adiados e atrasos de pagamento de serviços. Sem capacidade de investimentos, os estados vivem no sufoco e a União se tornou um paquiderme com muito pouca desenvoltura.

Sem as obras públicas dos governos estaduais, a economia, como um todo, acaba sendo afetada. Como exemplo, o mercado de máquinas para construção estimou queda de 36 Leia mais

14 de novembro de 2014
por Esmael Morais
17 Comentários

Em carta, Requião dá início ao processo eleitoral de 2016

requiao_carta.jpgO senador Roberto Requião (PMDB) escreveu uma carta aos peemedebistas que estiveram ao seu lado na campanha ao governo do Paraná. Ele reitera as críticas à  gestão de Beto Richa (PSDB) e pede que o partido comece a se organizar para as eleições de 2016, tendo como objetivo lançar candidatos a prefeito em todos os municípios paranaenses e reconquistar o governo do estado em 2018. ... 

Leia mais

13 de novembro de 2014
por Esmael Morais
31 Comentários

Richa enfrentará plebiscito! em 2016

beto_praia_requiao.jpgOs 7,8 milhões de eleitores paranaenses adiaram! o plebiscito sobre o governo de Beto Richa (PSDB) para 2016, quando voltam à s urnas para escolher os novos prefeitos dos 399 municípios. ... 

Leia mais