10 de Maio de 2018
por esmael
Comente agora

Análise da Fiesp: Marina vem aí

O Blog do Esmael teve acesso a uma análise interna encomendada pela Federação das Indústrias de São Paulo, a Fiesp. De acordo com o documento, Marina Silva (REDE) poderá atropelar se Geraldo Alckmin (PSDB) não superar suas fragilidades. Leia mais

13 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Os patos viraram sapos

Os patos viraram sapos

Os patos do sistema S são uma piada. De mau gosto, é claro. Não é que agora eles se dizem sapos? Seria um problema psicanalítico, se não fosse uma pilantragem. Leia mais

3 de junho de 2017
por esmael
31 Comentários

Delação de Rocha Loures também teria potencial de detonar Sistema S

Já não se discute mais se o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), o manus longa de Michel Temer, irá aderir à delação premiada da Procuradoria Geral da República. O que se discute agora, após a prisão do ex-assessor do ilegítimo, é quando ela se dará.

4 de Abril de 2017
por esmael
Comentários desativados em Protesto na Av. Paulista pede a saída de Michel Temer em dia de cassação no TSE

Protesto na Av. Paulista pede a saída de Michel Temer em dia de cassação no TSE

O ilegítimo Michel Temer (PMDB) escolheu “chorar as pitangas” na Federação das Indústrias de São Paulo, esta manhã, enquanto o Tribunal Superior Eleitoral inicia o julgamento da sua cassação por abuso de poder econômico na eleição de 2014.

16 de dezembro de 2016
por esmael
77 Comentários

Deltan fraudou assinaturas no projeto das 10 medidas anticorrupção?

O presidente da Câmara Rodrigo Botafogo Maia (DEM-RJ) acredita que o procurador da República Deltan Dallagnol, da Lava Jato, fez “cabritagem” na coleta de 2 milhões de assinaturas para validar o projeto de iniciativa das 10 medidas anticorrupção.

10 de setembro de 2016
por esmael
41 Comentários

Temer vai aumentar a jornada de trabalho para 12 horas e 70 anos para aposentadorias

temer_globoQuando o presidente da Confederação Nacional da Indústria disse ao ilegítimo Michel Temer (PMDB), em julho, que a jornada ideal seria de 80 horas semanais para os trabalhadores ele não estava blefando.

6 de agosto de 2016
por esmael
40 Comentários

ADEUS, TEMER

temer_padilha_odebrechtA delação premiada de Marcelo Odebrecht, se homologada pela Lava Jato, seria motivo bastante forte para abreviar a interinidade de Michel Temer (PMDB). Segundo depoimento do empreiteiro, o dono do golpe pediu e recebeu em dinheiro vivo R$ 10 milhões de propina.

18 de julho de 2016
por esmael
19 Comentários

O escravocrata “sistema S” e os R$ 6,9 bilhões de calote do diretor da Fiesp no governo

skaf_fiep_sonegacaoO Estadão, sabe-se por que cargas d’água, deu uma sabugada no empresário Laodse de Abreu Duarte, diretor da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O moço deve a “bagatela” de R$ 6,9 bilhões ao tesouro, segundo a denúncia do jornalão.

15 de julho de 2016
por esmael
42 Comentários

Sob Michel Temer, taxa de desemprego de 15% ultrapassará era FHC ainda este ano

fhc_temer_desempregoA situação está ruim? O governo interino de Michel Temer (PMDB) avisa que a coisa ficará ainda pior até dezembro deste ano, quando o número de desempregados no país saltará de 11 milhões para 14 milhões. Ou seja, 3 milhões de pais de famílias ficarão fora do mercado de trabalho. Ou ainda 15% (na época de FHC era de 12,6%).

10 de junho de 2016
por esmael
16 Comentários

“Sistema S”: um antro de golpistas falidos e de sonegadores de impostos

meirinho_pato

Bruno Meirinho (PSol), tal qual o cientista, disseca na coluna de hoje (10) a principal entidade do “Sistema S” — a famigerada FIESP — onde localizou um antro de indignados que exibem sua própria decadência e sua má-fé. Segundo o colunista, que nomina alguns diretores, a entidade bancada com dinheiro público não tem donos de indústria entre a cúpula — a começar pelo presidente Pato Skaf, “sem indústria” desde o início dos anos 2.000. Meirinho prossegue afirmando que outros ou são falidos e conhecidos sonegadores de impostos ou banqueiros que estão em organização errada. Mas eles têm unidade quando o assunto é golpe de Estado. Leia, comente, compartilhe a íntegra do texto abaixo:

2 de Maio de 2016
por esmael
10 Comentários

Temer cogita CPMF. Cadê os patos?

O vice Michel Temer, consumando o golpe, vai enfiar goela-baixo dos patos da Fiesp a CPMF — o imposto do cheque.

O diabo é que os patos do sistema S são valentes com uma mulher, como a presidente Dilma, mas se comportam como umas tchutchuquinhas com um homem.

O presidente da Fiesp, Pato Skaf, disse ser contra a recriação da CPMF. No entanto, ele defende o corte de programas sociais como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Fies, Plano Safra, etc.

Temer sabe que, se liquidar com uma penada os direitos sociais, ele abriria as portas do inferno.

A confusão e a incerteza são tantas que, pelo sim pelo não, a Fiep (Paraná) reforçou a segurança do pato gigante em Curitiba.

10 de Abril de 2016
por esmael
7 Comentários

Apoio à parceria golpista Globo-Moro se esmilingue, segundo a Veja

Nem mesmo a golpista Veja consegue esconder que seu pupilo e principal ferramenta golpista, o juiz Sérgio Moro, da Vaza Jato, se esmilingue aceleradamente em termos de popularidade.

Moro recebeu ontem (9) a notícia da Abril, nos Estados Unidos, de que o apoio às suas estripulias, dentre quais a de bisbilhotar conversas alheias, caiu de 90% para 60%.

Aos poucos, os brasileiros vão acordando do pesadelo fascista, que se materializa no golpe jurídico-midiático em curso no país.

A parceria Globo-Moro vem na “chón” simultaneamente com a notícia da liderança do ex-presidente Lula na corrida presidencial de 2018.

A pesquisa que mostra o apoio a Moro esmiliguir-se foi encomendada pelos patos da “insuspeita” Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), uma das financiadoras do golpe de Estado — com dinheiro público, é claro.

5 de Abril de 2016
por admin
1 Comentário

Coluna do Enio Verri: A quem interessa a crise que atrapalha o país?

Download áudio

Enio Verri*

A quem interessa a crise política? E a econômica? A instabilidade democrática e jurídica? Talvez, a uma minoria que encontrou uma oportunidade para lucrar em meio à crise; ou a uma oposição preocupada, muito mais, em seu projeto de poder do que realmente com o desenvolvimento econômico e social do País.

O editorial da Folha de S. Paulo que pede a renúncia da presidenta Dilma Rousseff e a campanha milionária da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) a favor do impeachment somente reiteram o interesse de alguns setores com as inconstâncias e fragilidades institucionais. Promovem um discurso de caos em vez de pregarem a união por soluções.

É de estranhar os esforços pela deposição de uma chefe de estado eleita democraticamente e sem nenhuma acusação em seu currículo, ao passo que empregam uma força desproporcional contra um governo legitimo e escondem os riscos e ameaças da presença de Eduardo Cunha, acusado pela Lava Jato e responsável pela paralisação da Casa de Leis, na presidência da Câmara dos Deputados.

As condicionalidades que se manifestam pelos discursos de setores conservadores e grupos que se utilizam-se de artifícios obscuros para financiar e patrocinar o processo de impedimento não só ferem o sistema democrático, como ainda, agravam os prejuízos à toda a população brasileira nesse momento conturbado.

Momento forjado sobre seletividades que pregam o ódio contra uma agremiação ou campo ideológico e se esquecem que por trás de toda a acusação se encontra uma crise institucional e de confiança que não só atinge a todos os setores, como ainda, coloca em xeque antigos heróis, como Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Trib

1 de Abril de 2016
por esmael
2 Comentários

Contra os patos do sistema S, PT lança site para garimpar votos contra o golpe

O Partido dos Trabalhadores lançou nesta sexta-feira (1) o site “#Não Vai Ter Golpe” destinado ao garimpo de votos de parlamentares contrários ao golpe na jovem democracia brasileira.

O objetivo é reverter deputados indecisos em relação à votação que visa destituir a presidente Dilma Rousseff em votação de impeachment e — por que não? — convencer os que hoje são favoráveis ao golpe.

“Eles têm a mídia e o empresariado ao lado deles, mas nós temos a mais poderosa e aguerrida militância que este País já viu!”, exalta o novo portal antigolpe.

Por outro lado, o sistema S, do qual faz parte a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), continua fazendo farra com dinheiro público para constranger parlamentares que estão indecisos em relação ao golpe em curso.

Nesta sexta-feira, dia 1º de abril, anúncio dos “patos” em página inteira no blog Gazeta do Povo — grupo da Globo no Paraná — expõe os deputados paranaenses Aliel Machado (REDE) e Fernando Francischini (SD).

A militância do sistema S é pelo golpe, contra a democracia no país.

Na Câmara, parlamentares pensam reforçar a proposta do deputado João Arruda (PMDB-PR) de instalar uma CPI para investigar denúncias de corrupção no sistema S. No mês passada, o peemedebista apontou sonegação fiscal e especulação financeira com dinheiro público como fatos passíveis de uma comissão.

Em tempo: segundo a agência de notícias BBC Brasil, até o pato gigante foi “roubado” pela Fiep, pois um artista plástico holandês Florentijn Hofman reivindica acusa os empresários de “plágio” de sua obra original que já fora exposta no ano de 2008 em São Paulo, Amsterdã e Hong Kong.

30 de Março de 2016
por esmael
5 Comentários

“Ministério da Justiça deveria investigar a farra golpista do sistema S com dinheiro público”

J. Carlos de Assis*

Marx supunha que o capitalismo explodiria por conta de suas próprias contradições internas. Parte do capitalismo brasileiro não quer esperar por isso. Corre o risco de explodir por conta de sua imbecilidade. As matérias pagas pedindo o impeachment da Presidenta Dilma em edições de quatro jornais de ontem denotam a suprema estupidez do empresariado, sobretudo paulista, capitaneado por essa figura caricata de Paulo Skaf, por perderam completamente a perspectiva dos interesses reais em favor de ideologia política.

É bem verdade que, para seus propósitos imbecis, Skaf é um sujeito de sorte. Encontrou entre dirigentes das classes trabalhadoras um trânsfuga do movimento sindical, Paulinho da Força, que se coloca na vanguarda do atraso em matéria de política econômica e tornou-se seu sócio. Skaf teve sorte também por trocar a fatigante vida industrial pela comodidade do corporativismo sindical, apossando-se de uma das maiores caixas da República, o dinheiro público arrecadado em nome do Sesi e do Senai.

A exposição pública de dinheiro esbanjado na propaganda do impeachment, com a cobertura de assinaturas provavelmente financiadas pela própria Fiesp, é um acinte à decência e um desafio à ética. Algum procurador da República, desses que preservam a honra de não agir segundo preferências partidárias, deveria investigar a fonte dos recursos usados nessa propaganda, ou seja, se há ali dinheiro do Sesi e do Senai – dinheiro público que deve estar sob fiscalização do TCU e demais órgãos de controle da administração federal, mas que não está.

Não só pelo descaramento do uso político-partidário de verbas oriundas de recursos parafiscais essa atuação de Skaf deveria ser investigada. Ele e o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, Eduardo Eugênio, introduziram no sistema S a inacreditável cobrança por cursos de profissionalização. Um sistema inventado por Getúlio e empresários idealistas, no tempo em que os havia, foi degenerado numa arapuca para ganhar dinheiro de pobres e de desempregados, numa verdadeira aberração das finalidades do Senai.

Por que a imprensa brasileira nunca denunciou isso? A resposta está nas páginas do pedido de impeachment. Na verdade, a Fiesp não quer apenas fazer propaganda do golpe. Quer também encher de dinheiro as burras dos jornais cujo partidarismo extremo, desafiando a inteligência dos leitores, os estão levando à falência. A propaganda do impeachment deve ter reforçado o caixa cambaleante dos jornais em mais de R$ 2

30 de Março de 2016
por esmael
19 Comentários

Assista: ‘Pato da sonegação’ da Fiesp é furado em Brasília #NãoVaiTerPato

A Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) transportou esta semana um pato inflável gigante até Brasília. A ideia era utilizar o marreco como símbolo do golpe contra Dilma Rousseff.

Qual o quê! Militantes antigolpe postaram nas redes sociais durante a madrugada desta quarta-feira (30) ações que culminaram com o furo do ‘pato da sonegação’, como os ativistas denominam o brinquedinho.

Recentemente, parlamentares cogitaram instalar uma CPI na Câmara para investigar a sonegação de impostos pelo sistema S. Eles denunciam que essas entidades estariam fazendo especulação no mercado financeiro com dinheiro público.

Portanto, a não ser que haja um remento, hoje #NãoVaiTerPato em Brasília.

O Blog do Esmael não conseguiu contato com o presidente da Fiesp, Pato Skaf, para comentar o incidente em frente ao Congresso Nacional.

Assista ao vídeo:

4 de Janeiro de 2016
por esmael
3 Comentários

Em 2º nas pesquisas, candidatura de Paulo Skaf resistirá à CPI do Sistema S?

Com informações do Brasil 247

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) não tem dúvidas de que o bilionário Sistema S está sendo utilizado para fins eleitorais do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, pré-candidato do PMDB ao governo de São Paulo.

De acordo com levantamento da Paraná Pesquisas, se as eleições fossem hoje, o senador José Serra (PSDB), com 42,6% das intenções de voto, disputaria um eventual segundo turno com Skaf, que tem 30,2% (abaixo, leia a íntegra do relatório da sondagem).

Só que não (sqn).

Para chegar a esses índices, o presidente da poderosa Fiesp tem utilizado as costas dos políticos como trampolim. Ou seja, Skaf faz discurso do “apolítico” para conquistar um cargo político tal qual o “caçador de marajás” de antanho.

É aí que a porca torce o rabo.

João Arruda é sobrinho do senador Roberto Requião (PMDB), de quem herdou a verve belicosa.  Skaf o cutucou em dezembro pagando caríssimos anúncios em jornais do Paraná afirmando que o parlamentar teria votado a favor do CPMF. O diabo é que a recriação do imposto do cheque para financiar a saúde sequer entrou na pauta da Câmara.

Pois bem, o deputado João Arruda agora quer uma CPI para investigar sonegação de impostos no Sistema S que ele calcula em R$ 18 bilhões. O deputado ainda defende que o governo federal corte metade do orçamento dessas entidades, que é público, para comprar remédios para quem precisa e financiar a saúde no país.

Nesta terça-feira (4), no mesmo dia em que foi divulgada pesquisa sobre a disputa pelo governo de São Paulo, onde Skaf aparece em segundo lugar, o parlamentar do PMDB reafirmou em seu perfil no Facebook o compromisso pela instalação da CPI do Sistema S em fevereiro, no início dos trabalhos legislativos.

“Vou propor a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o destino dos recursos das entidades do Sistema S (Senai, Sesi, Senac, Sesc, Sebrae, Senar, Sest, Senat e Sescoop)”, escreveu Arruda.

Agora, a pergunta que não quer calar: a candidatura de Paulo Skaf resistiria a uma devassa no Sistema S?

Leia a íntegra da Pesquisa sobre a disputa pelo governo de São Paulo:

http://s3.amazonaws.com/static.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/01/20204226/sao_paulo_governo2018.pdf