6 de março de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em CCR Rodonorte mostra que dinheiro compra até felicidade na lava jato

CCR Rodonorte mostra que dinheiro compra até felicidade na lava jato

A concessionaria de pedágio CCR Rodonorte fechou acordo com a lava jato e deverá pagar multa de R$ 750 milhões. Isso mostra que dinheiro compra até felicidade no âmbito da força-tarefa. ... 

Leia mais

27 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Caixa 2: Executivos da OAS revelam repasses milionários a Rodrigo Maia, Paes e Aécio

Caixa 2: Executivos da OAS revelam repasses milionários a Rodrigo Maia, Paes e Aécio


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes e o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) estão entre os acusados de repasses de caixa dois, em delação premiada de ex-executivos da OAS. Ao todo, segundo o jornal O Globo, a empreiteira distribuiu cerca de R$ 125 milhões em propinas a pelo menos 21 políticos de oito partidos, entre 2010 e 2014. ... 

Leia mais

26 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Requião sugere que delação de Beto Richa atingiria Ratinho

Requião sugere que delação de Beto Richa atingiria Ratinho

O senador Roberto Requião (MDB-PR) sugeriu que uma hipotética delação premiada do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), atingiria o aliado governador Ratinho Junior (PSD). ... 

Leia mais

5 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Sérgio Moro estuda programa ‘Cadeia Para o Mais Pobre’

Sérgio Moro estuda programa ‘Cadeia Para o Mais Pobre’

O ex-juiz Sérgio Moro, ministro da Justiça, prepara uma espécie de programa ‘Cadeia Para o Mais Pobre’ importando dos Estados Unidos o instituto “plea bargaining” (acordo entre a acusação e o réu).

Pelo sistema importado dos países de tradição common law, o réu admite a culpa e obtém “vantagens” para acelerar o processo no âmbito do Ministério Público — que almeja encerrar logo o caso.

Hoje no Brasil (tradição civil law) há o devido processo legal que obriga o aparato estatal à ampla defesa e o contraditório, cuja inobservância dos princípios constitucionais gera a nulidade absoluta da acusação.

No “plea bargaining” norte-americano, pretendido por Moro, parte-se do pressuposto de que um conflito pode ser resolvido sem que haja o enfrentamento do mérito no processo. Na prática, elimina-se direitos fundamentais do acusado como a um julgamento justo por juiz imparcial, não autoincriminar-se e júri imparcial.

O “plea bargaining” seria uma espécie de contrato privado entre as duas partes — réu e acusação — sem a participação da vítima (delação premiada).

A paridade nesse acordo tende a ser desfavorável ao acusado que, hipossuficiente, enfrentaria sozinho o poder punitivo do Estado (jus puniendi) e poder-se-ia antever que ele seria massacrado se não houver boa assistência jurídica (os bons advogados que são reservados aos ricos).

Em apertada síntese, o que o ministro da Justiça deseja é criar o programa ‘Cadeia Para o Mais Pobre’ eliminando formalmente direitos fundamentais previstos na Constituição.

O nome é bonito (plea bargaining), mas bastante cruel com os mais pobres que não têm a mesma ‘paridade de armas’ para lutar contra a violência estatal.

Leia mais

23 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Sérgio Cabral negocia delação e pode entregar membros do Judiciário à Lava Jato

Sérgio Cabral negocia delação e pode entregar membros do Judiciário à Lava Jato

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, condenado até agora a 197 anos de prisão por liderar uma organização criminosa, quer fazer uma delação premiada. A informa neste domingo (23) o jornalista do O Globo, Lauro Jardim.

LEIA TAMBÉM:

Globo e lava jato quebraram o Rio, diz Jessé Souza ... 

Leia mais

11 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Zé Dirceu alerta Bolsonaro: ‘Aquela cadeira de presidente queima’; assista ao vídeo

Zé Dirceu alerta Bolsonaro: ‘Aquela cadeira de presidente queima’; assista ao vídeo

O Blog do Esmael entrevistou nesta terça-feira (11) o ex-ministro José Dirceu. Ele falou sobre sua autobiografia, Lula, PT, Sérgio Moro, Bolsonaro, mensalão, mídia, Curitiba ‘capital da lava jato’, do estágio da disputa pelo poder, enfim, alertou ao presidente eleito: ‘Aquela cadeira queima’. Confira a íntegra.

Dirceu afirmou que o maior acerto de Lula foi manter-se fiel ao povo, fiel às suas origens, por ter lutado para que os brasileiros fizessem parte do Brasil, que a produção de sua riqueza fosse distribuída aos trabalhadores.

ASSISTA AO VÍDEO:

“Foi um período de diálogo e de consenso. O Brasil cresceu e se desenvolveu, inclusive com distribuição de renda”, recobrou.

“Os erros nós cometemos muitos. O maior deles foi não organizar o povo. Nem o partido [PT] nem as esquerdas. As reformas nós não tínhamos no parlamento. O governo Lula é um case de sucesso social.”

“A disputa política e cultural, o nível de organização popular fez falta no embate do mensalão, nas manifestações de junho de 2013, no impeachment da Dilma e na própria prisão de Lula”, disse.

Para Dirceu, a esquerda não soube lidar com a guerra cibernética durante a campanha eleitoral.

Perguntado sobre as penas dele [Dirceu] e do ex-presidente Lula, cuja condenação partiu de apenas um juiz [Sérgio Moro], o ex-ministro da Casa Civil lamentou a omissão ou participação do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com ele, o Congresso também embarcou na onda, sem a devida precaução, criando leis como da organização criminal, antiterrorismo, delação e que modifica o Código de Processo Penal (CPP). “A ideia [errada] de que violência se combate com mais violência”, disse.

“Quem investiga não pode acusar, quem acusa não pode investigar”, criticou ao comentar a autorização do STF para que PF e MPF homologuem delações premiadas.

Dirceu disse que não sente cheiro de impeachment do presidente eleito Jair Bolsonaro. “Não. Ele foi eleito. Nós participamos e está legitimado. Ele tem apoio do establishment. Tem consórcio militar-jurídico-político-financeiro-policial que está determinado a exercer o poder no Brasil. “É um governo militar-civil”, analisou.

José Dirceu disse que “aquela cadeira queima” quando ele [Bolsonaro] sentar lá. “Vamos deixar ele governar”.

O ex-ministro fez questão de desmitificar o título de Curitiba como capital da lava jato. “Quase toda elite está envolvida com a corrupção da lava jato”, considerou ao lembrar que o PSDB encarna os malfeitos no Paraná.
Leia mais

29 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Em nota, Dilma repudia as mentiras de Palocci

Em nota, Dilma repudia as mentiras de Palocci


A assessoria de imprensa da presidente Dilma Rousseff divulgou nota nesta quinta-feira (29) que rebate as mentiras do ex-ministro Antonio Palocci, solto hoje da prisão depois de um nebuloso acordo de delação premiada. “É importante que os termos da delação implorada do senhor Palocci, enfim, venham a público para que suspeitas possam ser rebatidas”, afirma a nota.

Confira a íntegra da nota:

A Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff repudia as mentiras declaradas pelo senhor Antônio Palocci, que obteve prisão domiciliar promovendo inverdades.

Em 21 de junho, o desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF-4, já havia sentenciado que não cabia o exame detido do conteúdo das declarações prestadas pelo senhor Palocci. E sentenciou: “Tampouco o momento da homologação é adequado para aferir a idoneidade dos depoimentos dos colaboradores”.

Desde abril, a imprensa noticia as inverdades do senhor Palocci, em sua busca desesperada pela liberdade, agora convertida em prisão domiciliar. Às vésperas das eleições, divulgou-se nova onda de mentiras, sem que nenhuma prova tivesse sido apresentada.

É importante que os termos da delação implorada do senhor Palocci, enfim, venham a público para que suspeitas possam ser rebatidas com a força da verdade.

Dilma Rousseff estará sempre do lado da justiça para que a verdade prevaleça. A ânsia do senhor Palocci de sair da prisão não legitima suas mentiras e artimanhas.

Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff Leia mais

29 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Palocci deixa a prisão em Curitiba

Palocci deixa a prisão em Curitiba


O ex-ministro Antonio Palocci deixou na tarde desta quinta-feira (29) a prisão, na sede da Polícia Federal em Curitiba. Premiado depois apresentar falsas acusações contra o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff, o ex-ministro passará a desfrutar de regime prisional semiaberto domiciliar, sob monitoramento e uso de tornozeleira eletrônica.

Segundo especialistas da área jurídica, a delação premiada tem funcionado como um mecanismo de barganha, intimidação e criminalização seletiva no marcos da operação Lava Jato.

Às 10h55 o sistema eletrônico processual da 12.ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, responsável pela execução provisória da pena de Palocci, registrou o recebimento da ata da sessão de julgamento de ontem (28) do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) habilitando a soltura. Leia mais

28 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Palocci é premiado por dedurar Lula e Dilma e vai para casa

Palocci é premiado por dedurar Lula e Dilma e vai para casa

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) já formou maioria pela redução da pena do ex-ministro Antonio Palocci, que deve ir para prisão domiciliar. O benefício será concedido em recompensa pela delação de Palocci contra Lula e Dilma, entre outros.

LEIA MAIS:

Gleisi denuncia pacto de libertação de Palocci no Senado; assista ... 

Leia mais

28 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Palocci pode ser solto hoje

Palocci pode ser solto hoje


O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) retoma hoje (28) o julgamento que pode dar ao ex-ministro Antonio Palocci o direito da prisão domiciliar, depois de assinar um acordo de delação premiada na Operação Lava Jato.

De acordo com advogados do PT, o ex-ministro operou um acordo com a Polícia Federal em troca de falsas acusações contra o ex-presidente Lula e a presidenta legítima Dilma Rousseff.

Palocci, preso desde setembro de 2016, não resistiu às pressões e aceitou delatar em um processo nebuloso e sem transparência, conduzido pela Polícia Federal.

A expectativa é que o ex-ministro da Fazenda durma em casa ainda nesta quarta-feira (28). Leia mais

9 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Joesley Batista e vice-governador de Minas são presos pela lava jato

Joesley Batista e vice-governador de Minas são presos pela lava jato

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A lava jato prendeu na manhã desta sexta (9) o açougueiro Joesley Batista, dono da JBS, e o vice-governador de Minas Gerais Antonio Andrade (MDB).

A Polícia Federal cumpre 13 mandados de prisão e 63 de busca e apreensão. Dentre os presos, também, está Ricardo Saud, executivo da JBS.

Os mandados têm relação com a delação de Lúcio Funaro, operador do MDB, acerca de corrupção no Ministério da Agricultura. Leia mais

3 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Sergio Moro: Cargo político poderia colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz; assista ao vídeo

Sergio Moro: Cargo político poderia colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz; assista ao vídeo

Em novembro de 2017, o então juiz da Lava Jato, Sergio Moro, participou do “Fórum Veja” e foi entrevistado pela jornalista Thaís Oyama. Na ocasião, jurou de pés juntos que não ocuparia nenhum cargo político por que isso poria em “dúvida a integridade” do seu trabalho.

“Não seria apropriado da minha parte postular qualquer espécie de cargo político porque isso poderia, vamos dizer assim, colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz até o presente momento”, disse Moro na entrevista.

Mas ao aceitar o convite para ser “superministro” no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL), Sérgio Moro deixou cair a sua máscara, pois revelou que sempre teve objetivos políticos e por esse motivo agiu de maneira sórdida para encarcerar e tirar o ex-presidente Lula da disputa pela presidência da República.

Além disso, Moro vazou trechos da delação premiada de Palloci sem valor durante a campanha eleitoral com o claro objetivo de prejudicar o candidato petista Fernando Haddad e favorecer Jair Bolsonaro, o seu preferido.

A atuação política do juiz ficou ainda mais evidente quando veio à tona que ele começou as tratativas para participar do futuro governo com a campanha do segundo turno em pleno andamento.

Assista:
(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = 'https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js#xfbml=1&version=v3.2'; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

"Não seria apropriado da minha parte postular qualquer espécie de cargo político porque isso poderia, vamos dizer assim, colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz até o presente momento." ... 

Leia mais

9 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Operação Quadro Negro: deputados aliados de Beto Richa serão investigados criminalmente pelo MP

Operação Quadro Negro: deputados aliados de Beto Richa serão investigados criminalmente pelo MP

Os deputados Ademar Traiano (PSDB) e Plauto Miró (DEM), presidente e secretário-geral da Assembleia Legislativa do Paraná, serão investigados criminalmente pelo Ministério Público no âmbito da Operação Quadro Negro. Aliados do ex-governador Beto Richa (PSDB), os dois parlamentares são acusados de serem beneficiários do desvio de recursos de escolas pagas, mas não construídas no estado.

LEIA TAMBÉM

Richa levava R$ 100 mil por mês desviados da educação, diz delator da Quadro Negro ... 

Leia mais

4 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Moro sofre derrota com saída de Tacla Duran da lista de procurados da Interpol

Moro sofre derrota com saída de Tacla Duran da lista de procurados da Interpol

A Interpol tirou o ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Duran da lista de procurados da agência porque o juiz Sérgio Moro, da lava jato, desrespeitou a Declaração Universal de Direitos Humanos.

Em novembro do ano passado,

em depoimento na CPI da JBS ... 

Leia mais

30 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Lava jato deu mais prejuízo do que ajudou o Brasil, segundo números do IBGE

Lava jato deu mais prejuízo do que ajudou o Brasil, segundo números do IBGE

O IBGE mostra que durante o reinado da lava jato o Produto Interno Bruto (PIB) encolheu 7% no Brasil, somente nos anos de 2015 e 2016.

O PIB previsto para este ano é de R$ 6,9 trilhões (US$ 1,84 trilhão no câmbio de hoje).

Vamos aos números que a lava jato promete restituir nesses 4 anos de atividades.

LEIA TAMBÉM

A lava jato virou um caminhão velho ... 

Leia mais

30 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A lava jato virou um caminhão velho

A lava jato virou um caminhão velho

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, à Folha, expôs as chagas e as contradições da lava jato.

O integrante da força-tarefa sediada em Curitiba criticou o excesso de rapidez nas delações premiadas e citou o caso de Delcídio Amaral. Na prática, ele afirma que a mídia (

IstoÉ ... 

Leia mais

12 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Zanin: Absolvição de Lula desnuda ilegalidade do caso tríplex; assista ao vídeo

Zanin: Absolvição de Lula desnuda ilegalidade do caso tríplex; assista ao vídeo

O advogado Cristiano Zanin Martins, da defesa de Lula, publicou vídeo sobre a absolvição do ex-presidente, nesta quinta (12), no qual afirma que ficou evidenciado o caráter ilegítimo na condenação do petista no caso do tríplex.

LEIA TAMBÉM

Lula é absolvido pela 1ª vez de ‘fake news’ da lava jato ... 

Leia mais

12 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Lula é absolvido pela 1ª vez de ‘fake news’ da lava jato

Lula é absolvido pela 1ª vez de ‘fake news’ da lava jato

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, comemorou nesta quinta (12) a absolvição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ‘fake news’ da lava jato.

“Lula é inocentado de falsas acusações na Lava Jato”, escreveu Gleisi, ao lembrar que foi a primeira vez que o petista foi absolvido em uma acusação da lava jato.

O juiz da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, Ricardo Leite, absolveu Lula no processo em que o ex-presidente era acusado de crime de obstrução de Justiça.

O caso envolvia uma gravação de áudio feita por Bernardo Cerveró em que o ex-líder de Lula, do ex-senador Delcídio Amaral, prometia R$ 50 mil mensais para a família do ex-executivo da Petrobras Nestor Cerveró.

“O áudio captado não constitui prova válida para ensejar qualquer decreto condenatório . Há suspeitas também da ocultação de fatos por Bernardo e Cerveró”, sentenciou o juiz Ricardo Leite.

Para o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente, o juiz agiu de maneira imparcial ao descartar a acusação com base somente em delação premiada.

Leia a íntegra do comunicado da defesa de Lula: ... 

Leia mais

24 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Deltan Dallagnol omite prejuízo bilionário que lava jato dá ao país; assista ao vídeo

Deltan Dallagnol omite prejuízo bilionário que lava jato dá ao país; assista ao vídeo

Recentemente veio à tona a escandalosa blindagem da lava jato para poderosos que resulta em prejuízo de R$ 40 bilhões ao erário, segundo a Advocacia Geral da União (AGU) que tenta cobrar de empreiteiras e demais delatores de estimação do Deltan Dallagnol e do juiz Sérgio Moro.

Pois bem, Deltan Dallagnol publicou vídeo dizendo que há “compromissos” de a lava jato recuperar R$ 12 bilhões. Facão! Os mais otimistas calculam R$ 1,6 bilhão, ou seja, apenas 10% do que propaga por aí.

Mesmo que recuperasse R$ 12 bilhões,

o saldo negativo da lava jato ainda seria R$ 28 bilhões ... 

Leia mais

22 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Palocci delata bancos e mídia no TRF4

Palocci delata bancos e mídia no TRF4

A delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, homologada nesta sexta (22) pelo TRF4, atinge bancos privados e empresas de comunicação beneficiados nos governos Lula (Fazenda) e Dilma (Casa Civil).

Preso pela lava jato desde setembro de 2016, em Curitiba, Palocci tentou antes homologar a delação com os procuradores da força-tarefa e obter — sem sucesso — habeas corpus no STJ e STF.

No limite da tortura, o ex-ministro delatou bancos privados, mídia, empresários, e autoridades políticas sem foro privilegiado (leia-se petistas).

Palocci foi condenado pelo juiz Sérgio Moro (1ª instancia) a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Leia mais