22 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Elio Gaspari vê o “novo” em Joaquim Barbosa. Será que ele é?

Elio Gaspari vê o “novo” em Joaquim Barbosa. Será que ele é?

O colunista Elio Gaspari, da Folha, gastou os principais bytes deste domingo (22) para elogiar o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, presidenciável do PSB, como o “novo” nas eleições deste ano. Mas será mesmo que o “socialista” encarna a “novidade” do ponto de vista da ruptura com tudo que aí está? O Blog do Esmael afirma que Gaspari está equivocado. ... 

Leia mais

4 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
115 Comentários

A direita quer exilar [prender] Lula

Pela boca de Elio Gaspari, cão de aluguel dos jornalões, a direita quer exilar o ex-presidente Lula numa embaixada sul-americana. Pelo petista, os golpistas até escolheram quais delas: Bolívia ou Equador. Mentira. Mais uma fake news (notícia falsa) disseminada pelos jornais que integram o consórcio jurídico-midiático-financeiro. ... 

Leia mais

10 de janeiro de 2018
por Esmael Morais
9 Comentários

Bota o retrato do velho na urna

Luiz Inácio Lula da Silva terá o retrato nas urnas eletrônicas deste ano. A informação e do jornalista Elio Gaspari, da Folha, que corrobora o parecer do jurista e professor paranaense Luiz Fernando Pereira, emitido em outubro passado, segundo qual o petista poderá disputar 2018 mesmo que condenado pelo TRF-4 — a segunda instância.  ... 

Leia mais

18 de dezembro de 2016
por Esmael Morais
18 Comentários

Barbosa poste de Lula em 2018?

É mais fácil um camelo passar pela agulha de que o ex-presidente Lula apoiar o algoz do PT Joaquim Barbosa em 2018, como divagou neste domingo (18) o colunista da Folha Elio Gaspari. Leia mais

31 de agosto de 2016
por Esmael Morais
15 Comentários

Dilma será cassada e Eduardo Cunha continuará exercendo o mandato de deputado

gaspari_dilma_cunhaO jornalista Elio Gaspari diz hoje (31) que o impeachment é “um caso de pouco crime para muita responsabilidade”. O texto observa que a “taxa de mortalidade dos presidentes no Brasil é a mesma do ebola”. Gaspari ainda fulmina dizendo que Dilma Rousseff será deposta e o deputado Eduardo Cunha, espoleta do seu processo de impedimento, continua no exercício do mandato. Abaixo, leia a íntegra: Leia mais

19 de agosto de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: 4 anos de “Paraná Seguro”

Reinaldo de Almeida César*

Download

Confesso-me já desesperançoso em testemunhar nesta vida a tão esperada reforma política no Brasil, que promovesse uma profunda alteração no financiamento das campanhas eleitorais.

O financiamento das milionárias campanhas eleitorais, pelo que está a demonstrar a Lava Jato, está na raiz do processo de corrupção e desvio de recursos públicos no país.

Deputados e senadores parecem teimar em fazer ouvidos moucos, não dando mínima atenção à voz rouca das ruas. As manifestações em 2013, antes mesmo da Copa dos 7 a 1, já pediam por reformas políticas profundas. Suas excelências, no entanto, em matéria eleitoral, parecem fazer como se estivessem tecendo o mais fino traje que lhes caia bem, como se fosse um conjunto “su misura”, confeccionado por habilidosas mãos de Saville Row.

Mas, minha vocação para o sonho não me abandona jamais.

Tenho um sonho, muito, mas muito mais acanhado em relação aquele invocado por Martin Luther King ou mesmo em relação ao sonho que deveria ser sonhado por todos, como pregava Dom Helder Câmara.

Meu sonho é mais modesto. Explico-me.

É que se não temos uma reforma política de peso, que colocasse partidos e candidatos em igualdade de competição e melhorasse a representação popular, poderíamos ter, quando menos, uma mudança na postura dos candidatos a fim de que cumprissem aquilo que efetivamente se comprometeram quando se submeteram ao voto popular.

Bastaria que candidatos dissessem o que pretendiam fazer e, realmente, se eleitos, o fizessem, em vez de se apresentar em caríssimos programas de TV, dirigidos por marqueteiros pagos a peso de ouro, e com o rosto de photoshop estampado em coloridas peças visuais que mais parecem um pacote de M&M.

Nem precisa registrar em cartório. Como bem lembrou o decano do colunismo político do Paraná, Celso Nascimento, na Gazeta de domingo, bastaria o fio de bigode como aval dos compromissos de campanha.

***

Há exatos quatro anos, mais precisamente em 16 de agosto de 2011, o Governador Beto Richa lançava em evento de grande prestígio e repercussão no Canal da Música, o Programa Paraná Seguro.

Em 2014, na campanha para o bi-mandato, Richa apresentou o Paraná Seguro como sendo o seu compromisso na área da segurança pública.

A partir de hoje, passados exatos quatro anos, vamos começar a analisar o que foi feito e o que deixou de ser feito, o que Leia mais

20 de maio de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: “Arranja dois pau pra eu”

reinaldo_vava_richaReinaldo de Almeida César*

Corria o ano de 2007 e a Polícia Federal botou seu bloco na rua com mais uma operação arrasa quarteirão.

Denominada “Xeque-Mate”, de repressão ao jogo ilegal, caça-níquel e videobingo, a operação fez descer para as carceragens da PF mais de 80 pessoas e indiciou mais de 100, tendo como principal palco de operações a cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Na investigação, foram presos Dario Morelli e um ex-deputado estadual do Paraná chamado Nllton Cezar Servo. Este último, aliás, era até uma figura de bom papo, agradável, quando andou por aqui, pela nossa Alep, na década de 1990. Até aí, nada demais, foi mais uma das centenas de operações da PF, executada com sucesso e com o aplauso da sociedade.

O que chamou mesmo a atenção, à época, foi que ela quase custou o pescoço do Diretor-Geral da PF, o Delegado Paulo Lacerda, o mesmo que havia comandado as investigações que derrubaram PC Farias e Fernando Collor.

O alvoroço todo ocorreu, porque um dos presos, Dario Morelli, possuía uma casa de bingo no litoral de São Paulo e era amigo muito próximo do então Presidente Lula. Haviam feito amizade há mais de vinte anos, em vizinhança no ABC, em São Paulo. Lula seria, inclusive, padrinho de batismo do filho de Morelli.

O honrado Paulo Lacerda conhecia todo o planejamento e os detalhes da “Xeque-Mate”, mas, para preservar o sigilo das investigações, só comunicou ao Ministro da Justiça Tarso Genro que a operação estava sendo deflagrada, no início da manhã em que ocorreram os cumprimentos dos mandados de busca e as prisões.

Aí é que o bicho pegou. Leia mais