1 de abril de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi Hoffmann: Por que o Brasil não cresce

Gleisi Hoffmann: Por que o Brasil não cresce

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), prevê aumento da tragédia econômica diante da incompetência do governo Jair Bolsonaro (PSL). “Sem renda popular não há, nem haverá crescimento”, ensina a petista. ... 

Leia mais

3 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Cresce em 300% o número de escolarizados que desistem de procurar emprego

Cresce em 300% o número de escolarizados que desistem de procurar emprego

Dilma Rousseff no pleno emprego.

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cresceu em 300% o número de desalentados no país desde 2014, entre pessoas escolarizadas. Ou seja, aquele indivíduo que desistiu de procurar emprego em virtude da recessão econômica. ... 

Leia mais

28 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Temer deixa 27 milhões de subutilizados como herança maldita

Temer deixa 27 milhões de subutilizados como herança maldita

Michel Temer deixará o país na semana que vem com uma diabólica taxa de desemprego e, o que é pior, com 27 milhões de subutilizados. Por exemplo, o engenheiro que não conseguiu emprego na área virou motorista de aplicativo (UBER, 99, dentre outros).

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, a taxa de desemprego recuou para 11,6% no trimestre, mas ainda continua diabolicamente alta.

Se recuou a taxa de desemprego — de 12,1% do trimestre anterior para 11,6% — é porque aumentou o número de desalentados, isto é, pessoas que desistiram de procurar emprego. Agora são 4,7 milhões de desalentados ante 4,3 milhões em novembro de 2017.

No balanço geral, a situação piorou para os trabalhadores porque houve aumento da informalidade. Também não é nada boa a situação para a previdência, haja vista a perda de arrecadação.

Resumo da ópera: Temer produziu um inédito perde-perde; perde o trabalhador, mas perde também o Estado que não arrancada.

Se há dois perdedores, por óbvio, existe um ganhador a curto prazo. Fatura um doce quer responder o explorador de mão de obra barata, que muitos gostam de chamar de “empreendedor”. Leia mais

5 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Centrais sindicais repudiam declaração patronal de Bolsonaro e fim do Ministério do Trabalho

Centrais sindicais repudiam declaração patronal de Bolsonaro e fim do Ministério do Trabalho


As Centrais Sindicais – CUT, Força Sindical, CTB, Nova Central e CSB – divulgaram nota nesta quarta-feira (5) sobre o fim do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE ) e rebateram a afirmação patronal do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), de que “é horrível ser patrão no Brasil” por causa das leis trabalhistas.

Leia a íntegra da nota:

– A declaração do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que disse que “é horrível ser patrão no Brasil”, reflete sua falta de consideração e demonstra total desconhecimento da situação causada pela reforma trabalhista, que resultou em perda de direitos e não gerou empregos no País. É lamentável que, em uma nação com 13 milhões de desempregados, o presidente eleito faça tal declaração para agradar apenas aos empresários, que financiaram e apoiaram sua eleição.

– Sobre o fim do Ministério do Trabalho, as Centrais Sindicais lembram que o MT foi criado em 1930, e que cumpre um papel importante na sociedade. Vale ressaltar que sua função é discutir questões como as políticas necessárias para a criação de empregos e a geração de renda, auxílios ao trabalhador, fazer evoluir as relações de trabalho, fiscalizar, promover políticas salariais, de formação e desenvolvimento para os trabalhadores e garantir segurança e saúde no trabalho. Desta forma, a importância e a relevância política do MT são inquestionáveis.

– É preocupante o fim do MT. Para a classe trabalhadora isto representará um retrocesso político que vai resultar em enormes prejuízos aos trabalhadores da ativa, aos aposentados e aos pensionistas. A fiscalização contra trabalhos análogos à escravidão e à prevenção contra acidentes serão desarticuladas, gerando enormes prejuízos à sociedade. E os números já são alarmantes: em 2015 tivemos o registro de 376 mil casos de afastamento em função de acidentes de trabalho.

– A extinção do Ministério do Trabalho viola vários artigos da Constituição e Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que já foram ratificadas pelo Brasil.

– A transferência do registro sindical para o Ministério da Justiça tem o claro propósito de criminalizar a ação sindical.

– O Brasil precisa de um Ministério do Trabalho técnico, forte, parceiro e protagonista na luta contra a recessão e pela retomada do crescimento econômico do País, com respeito aos direitos sociais, previdenciários e trabalhistas da classe trabalhadora, geração de empregos, distribuição de renda e inclusão social.

Miguel Torres
presidente da Força Sindical

Antonio Neto
presidente da CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

Vagner Freitas
presidente da CUT – Central Única dos Trabalhadores

Adilson Araújo
presidente da CTB – Central dos Trabalhadores Brasileiros

José Calixto
presidente da NCST – Nova Central Sindical dos Trabalhadores Leia mais

11 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Políticas de emprego e renda sob ataque de Bolsonaro

Políticas de emprego e renda sob ataque de Bolsonaro

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirma que nem os regimes mais autoritários de outrora ousaram extinguir o Ministério do Trabalho. Ele escreve ainda que Bolsonaro pode violar tratados internacionais, como aquele visando o fim do trabalho escravo.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro vai aumentar trabalho escravo no Brasil, denunciam órgãos ... 

Leia mais

4 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Bolsonaro motiva 100 milhões a quererem ir embora do Brasil

Bolsonaro motiva 100 milhões a quererem ir embora do Brasil

O medo do futuro governo Jair Bolsonaro (PSL), em relação à integridade física, e a incerteza quanto à empregabilidade, está motivando o banimento de milhares de brasileiros.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro põe velha mídia na defensiva, antes de dobrá-la pelo bolso ... 

Leia mais

13 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Lula mostra como seria um anúncio de vaga de emprego no Brasil de Bolsonaro; confira

Lula mostra como seria um anúncio de vaga de emprego no Brasil de Bolsonaro; confira

O ex-presidente Lula, por meio de seus porta-vozes, mostra como seria um anúncio de vaga de emprego no Brasil de Bolsonaro: “não pago 13º salário, não pago férias, mulheres eu pago menos”.

LEIA TAMBÉM

O recado de Lula para Haddad: mais povo, menos mercado ... 

Leia mais

3 de setembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi: Como achar que vivemos a normalidade no Brasil de agora?

Gleisi: Como achar que vivemos a normalidade no Brasil de agora?

Para Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, a esperança do povo brasileiro está depositada no processo eleitoral, na candidatura de Lula, que está sendo barrada pelo consórcio jurídico-midiático.

Como achar que vivemos a normalidade no Brasil de agora? ... 

Leia mais

18 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A lava jato está em baixa, segundo a Paraná Pesquisas

A lava jato está em baixa, segundo a Paraná Pesquisas

O combate à corrupção não é o atributo principal que o eleitor deseja nos candidatos às eleições deste ano, segundo a Paraná Pesquisas.

A prioridade do eleitorado brasileiro é com a segurança e a violência (27,2%), seguida com a crise econômica (20,7%) e o emprego (19,8%).

O fetiche do combate à corrupção está empatado com a preocupação da falta de saúde (17,5%).

Resumo da ópera: é a economia, estúpido, que determinará quem será o próximo presidente da República.

A Paraná Pesquisas entrevistou 2.002 eleitores, de 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, entre os dias 9 e 13 de agosto. O levantamento está registrado no TSE sob o número BR-02891/2018. Leia mais

9 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Centrais e frentes farão sexta ‘Dia do Basta’ por emprego e pela liberdade de Lula

Centrais e frentes farão sexta ‘Dia do Basta’ por emprego e pela liberdade de Lula

Contra o desemprego e pelo respeito aos direitos conquistados em décadas de mobilização, centrais sindicais e as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo promovem na próxima sexta-feira (10) o “Dia do Basta!”.

Em Goiânia (GO) a concentração será em frente ao Palácio da Indústria, na esquina das Avenidas Anhanguera e Tocantins, às 16 horas. De lá deve sair uma passeata até a Praça Universitária, onde acontecerá, por volta das 18 horas, uma ação cultural promovida pela União Estadual dos Estudantes (UEE).

Em junho, as centrais aprovaram uma “agenda prioritária da classe trabalhadora”, com propostas para o próximo governo. O documento já foi entregue a candidatos e líderes partidários.

Entre as pautas, os trabalhadores protestam contra a política de preços da Petrobras e o aumento do gás de cozinha, os cortes pelo governo Michel Temer (MDB) nas políticas sociais e a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu direito de concorrer à Presidência da República nas eleições de outubro.

As entidades querem ainda a revogação da Lei 13.467, de “reforma” trabalhista, e da Emenda Constitucional 95, que congela gastos públicos por 20 anos. Leia mais

8 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Manifesto de Lula ao Povo Brasileiro; leia a íntegra

Manifesto de Lula ao Povo Brasileiro; leia a íntegra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou nesta sexta-feira (8), em Contagem (MG), por meio de carta lida, o Manifesto ao Povo Brasileiro. “Tenho certeza que podemos reconstruir o País e voltar a sonhar com uma grande nação”, disse o pré-candidato às eleições de outubro.

“Sou candidato porque acredito, sinceramente, que a Justiça Eleitoral manterá a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir meu direito e o direito dos eleitores de votar em quem melhor os representa”, diz um trecho do documento.

Assista ao vídeo:

Leia a íntegra:

Manifesto de Lula ao Povo Brasileiro ... 

Leia mais

8 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Requião: “Saída Brasileira é a saída para o Paraná”

Requião: “Saída Brasileira é a saída para o Paraná”

O senador Roberto Requião (MDB-PR), em artigo especial, propõe uma receita “simples” para retomar o desenvolvimento e o emprego no Paraná e no Brasil.

“Aumentar o investimento público com isso aumentando o emprego, o consumo e, por consequência, o próprio investimento. A receita pública também aumenta, o que justifica gastar mais do que arrecada, sem inflação, como ponto de partida do programa”, escreve.

Requião também prega varrer do poder, pelo voto, as oligarquias incompetentes que tomaram o poder.

Leia a íntegra do artigo:

Saída Brasileira é a saída para o Paraná ... 

Leia mais

7 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Por “Lula Livre”, centrais sindicais vão parar o Brasil no próximo dia 10 de agosto

Por “Lula Livre”, centrais sindicais vão parar o Brasil no próximo dia 10 de agosto

As sete principais centrais sindicais — CUT, CSB, CTB, Força Sindical, Intersindical, Nova Central e UGT — decidiram que vão parar o Brasil no próximo dia 10 de agosto por “Lula Livre” no Dia Nacional de Luta em defesa da democracia e da soberania nacional.

Embora não determine apoio oficial a nenhum político ou candidato à Presidência da República, o grito “Lula livre” tomou conta do auditório do Sindicato dos Químicos por diversos momentos, nesta quarta (6), em São Paulo.

O evento marcou o lançamento oficial da Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora, documento que lista 22 propostas para o desenvolvimento do Brasil, com foco na pauta da classe trabalhadora.

Os militantes levaram cartazes e faixas pedindo a liberdade do ex-presidente e, na mesa, o presidente da CUT, Vagner Freitas, e a secretária-adjunta nacional de Combate ao Racismo, Rosana Fernandes, exibiram a faixa Lula Livre, ato repetido por outros representantes das demais centrais sindicais.

“Nós das centrais sindicais estamos apresentando uma proposta de desenvolvimento para o Brasil, que fala da retomada da geração de empregos, do crescimento econômico, da dignidade do trabalhador, da participação do Estado, entre outras”, discursou o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

“O Brasil está paralisado e os trabalhadores têm que ser protagonistas nessas mudanças, porque a classe trabalhadora é quem sofre com todo esse desmonte imposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer”, disse Vagner. E destacou: “É uma agenda completa para mudarmos o País e que, claro, para nós da CUT, o Lula livre, Lula Presidente também está nesta agenda da classe trabalhadora.”

Para o secretário-geral nacional da CUT, Sérgio Nobre, a “Agenda” ajudará a CUT e as demais centrais sindicais a levar reivindicações e propostas da classe trabalhadora a toda sociedade e preparar a militância à grande mobilização nacional marcada para 10 de agosto.

“As 22 propostas unitárias contidas no documento traduzem as prioridades da classe trabalhadora, sob o guarda-chuva da democracia e soberania nacional e, por isso, devem ser apresentadas e debatidas em todos os espaços, especialmente, nos sindicatos, nas bases, nos locais de trabalho.”

A secretaria-adjunta nacional de Combate ao Racismo da CUT, Rosane Fernandes, afirmou que a unidade das centrais foi fundamental para construir as propostas de um Brasil melhor para a classe trabalhadora. E “como mulher e negra” destacou a importância da luta pela diversidade do povo brasileiro.

“Essa diversidade está em todos os locais de trabalho e, por isso, as centrais sindicais acertam ao inserir a luta pela igualdade para mulheres, negros, jovens, LGBTQI e migrantes. Nós queremos uma sociedade sem machismo, racismo, homofobia e direitos iguais para todos e todas. Só unidos podemos transformar a sociedade tornando-a mais justa e igualitária”, destacou Rosane.

O presidente da CTB, Adilson Araujo, disse que a “Agenda” servirá de orientação política para a população brasileira, que está sofrendo com os duros ataques do governo golpista, e trazer cada vez mais os trabalhadores e trabalhadoras para a luta.

O secretário-Geral da Intersindical, Edson Carneiro, o Índio, que disse para a economia voltar a crescer é preciso urgente revogar a Reforma Trabalhista e gerar mais emprego.

O secretário-Geral da CSB, Alvaro Egea, disse que é muito importante retomar a política de valorização do salário mínimo para que o trabalhador e a trabalhadora possam ter uma vida digna.

O presidente da Nova Central, Luiz Gonçalves (Luizinho), afirmou que a unidade das centrais dá força para continuar a luta e diz ter certeza que terá resultados positivos para a classe trabalhadora. E ainda encerrou sua fala com um forte “Lula livre”.

O presidente interino da Força Sindical, Miguel Torres, disse que a prisão de Lula e a invasão da polícia federal na Força Sindical e UGT demostram a criminalização dos movimentos sociais e sindicais e que é fundamental resgatar a democracia e ter Lula candidato.

Sobre a Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora ... 

Leia mais

4 de junho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Centrais sindicais apresentam agenda pela democracia, emprego e desenvolvimento

Centrais sindicais apresentam agenda pela democracia, emprego e desenvolvimento

O Fórum das Centrais (CUT, CTB, CSB, Força Sindical, Nova Central, UGT e Intersindical) lança nesta quarta-feira (6), em São Paulo, um documento com 22 propostas para o avanço do país, com desenvolvimento, soberania e democracia.

“Nossa intenção é mobilizar os trabalhadores para seu protagonismo propositivo, com a responsabilidade compartilhada de construir um projeto de país e de nação”, diz trecho do documento intitulado: “Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora – democracia, soberania e desenvolvimento com justiça social: trabalho e emprego no Brasil”.Trata-se de uma proposta unificada das centrais sindicais, que enfoca a recuperação do emprego e dos direitos trabalhistas e o combate às desigualdades sociais e à precarização do trabalho.“Voltamos 20 anos em 2 e o objetivo do documento é apresentar as propostas da classe trabalhadora para a próxima etapa da luta.O Fórum das Centrais não aceitará nenhum projeto que não esteja comprometido com um projeto de país que tenha como centro a retomada do crescimento, com geração de emprego, valorização do trabalho e distribuição de renda”, afirma o presidente da CTB, Adilson Araújo.

.agenda prioritaria da classe trabalhadora 2018 banner

Serviço: ... 

Leia mais

21 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Requião Filho: Governo Richa só fez mal ao Paraná

Requião Filho: Governo Richa só fez mal ao Paraná

O deputado Requião Filho (MDB) fez um balanço comparativo das principais áreas nos governos Roberto Requião (2003-2010) e Beto Richa (2011-2018) e chegou à conclusão de que o tucano só fez mal ao Paraná.

Uma sabatina e muitas comparações ... 

Leia mais

8 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Somente as ruas param o mecanismo golpista

Somente as ruas param o mecanismo golpista

O deputado Enio Verri (PT-PR) descreve a tragédia do golpe na economia e, consequentemente, na qualidade de vida dos trabalhadores que perdem emprego. “Não há como reagir senão paralisando as ruas com a voz, as pernas, os ouvidos e o coração do preso político chamado Lula”, afirma ao dizer que o cenário é de “humilhação” e “derrota” no Brasil.

Somente as ruas param o mecanismo golpista ... 

Leia mais

20 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Brasil registra menos empregos com carteira assinada em março, segundo o Caged

Brasil registra menos empregos com carteira assinada em março, segundo o Caged

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em março, o Brasil contratou menos empregos com carteira assinada. Por outro lado, aumentou o número de trabalhadores assinando acordos de demissões com os empresários e perdendo direitos, como 20% a menos do saldo do FGTS e seguro-desemprego.

Em março, o Brasil registrou a contratação de 56.151 trabalhadores e trabalhadoras com carteira assinada, resultado inferior ao de fevereiro, quando foram criados 61.188 postos de trabalho.

E a lei Trabalhista do ilegítimo Michel Temer (MDB-SP) segue sendo bastante usada em benefício do empregador. Em março, 13.522 trabalhadores e trabalhadoras aceitaram fazer acordos para ser demitidos, em 9.775 empresas – a maioria delas em São Paulo, que registrou 4.204 acordos. Em fevereiro, foram 11.118 acordos em 8.476 empresas e São Paulo apareceu como líder nas negociações, com 3.257 acordos.

Ao assinar o acordo de demissão com o patrão, o trabalhador recebe 20% a menos da multa do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) a que tem direito, 50% do aviso prévio e pode sacar apenas 80% do FGTS depositado em sua conta individual. Além disso, não tem direito ao seguro-desemprego.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta sexta-feira (20), pelo Ministério do Trabalho.

Emprego precário ... 

Leia mais

15 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A economia estacionou no fundo do poço

A economia estacionou no fundo do poço

O deputado Luiz Claudio Romanelli afirma que a economia estacionou no fundo do poço cujas faces mais perversas são o desemprego e a queda de renda dos trabalhadores. “Apesar das promessas e das frases de efeito, a realidade é que o (des)governo de Michel Temer nada fez para evitar o agravamento do desemprego no país”, escreve.

A economia estacionou no fundo do poço ... 

Leia mais

26 de março de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em “O crime que cometi nesse país foi gerar 22 milhões de empregos”, afirma Lula

“O crime que cometi nesse país foi gerar 22 milhões de empregos”, afirma Lula

Recepcionado por uma multidão em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, o ex-presidente Lula afirmou que o único crime que cometeu foi gerar 22 milhões de empregos com carteira assinada e o piso nacional dos professores.

“O crime que cometi nesse país foi gerar 22 milhões de empregos com carteira assinada, foi criar o piso salarial dos professores”, discursou o petista.

Lula prometeu, caso seja eleito em outubro, federalizar o ensino médio em contraposição ao anúncio de Michel Temer de acabar com as escolas e instituir a educação básica à distância.

“Se eu for presidente outra vez, vou federalizar o ensino médio desse país e melhorar a qualidade do ensino”, avisou.

O ex-presidente enumerou diversos programas criados pelos governos do PT, que, segundo ele, motivam o ódio dos opositores.

“Eles não perdoam por termos feito mais escolas técnicas em 12 anos do que eles fizeram em 100. Não perdoam por termos levado luz elétrica a quem não tinha. Cometi o crime de criar o crédito consignado para dar crédito ao trabalhador. Eles não me perdoam por isso.”

Lula pediu calma aos correligionários diante da escalada de violência contra sua caravana que esta semana entrou na reta final.

“Vamos ter calma. Quem tem ódio tem azia. Quem tem ódio vai ter úlcera logo, logo. É bom ficar calmo até o período das eleições, porque se eu for candidato, nós vamos ganhar e recuperar esse país.”

A caravana petista segue agora à tarde para a tríplice fronteira, em Foz do Iguaçu, e na quarta-feira (28) ele encerra em Curitiba o périplo iniciado há uma semana.

Assista ao discurso:

Leia mais

13 de março de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em A previdência será salva com a geração de empregos, diz Lula

A previdência será salva com a geração de empregos, diz Lula

O ex-presidente Lula deu a receita para salvar a previdência pública durante uma entrevista à Rádio Cultura, na manhã desta terça (13), de Foz do Iguaçu. Segundo ele, é a geração de emprego que vai salvar a previdência e não o fim das aposentadorias como pretende Michel Temer.

“O que vai salvar a Previdência é gerar emprego, gerar salário, gerar contribuinte. Quando a gente formalizou milhões de micro-empreendedores individuais a Previdência foi superavitária”, disse à rádio iguaçuense.

Lula explicou que hoje a União não tem nenhuma capacidade de fazer investimento, os estados também estão todos quebrados. “Os empresários não têm confiança. Os estrangeiros estão vindo aqui comprar ativos prontos [privatização]. Como você recupera esse país? Nós já fizemos e podemos fazer de novo”, afirmou.

O ex-presidente recordou na entrevista que em dezembro de 2014 o país tinha apenas 4.5% de desemprego nos padrões de Suécia, Finlândia e Alemanha. “Ora, qual foi o problema? É que desoneramos as empresas e nem todas investiram na devolução desse benefício pra sociedade”, explicou.

“Para o PIB voltar a crescer, o Estado precisa ser indutor da economia”, pregou Lula, em contraposição à tese neoliberal de que o Estado tem que se ausentar de tudo.

Lula disse ainda que tem consciência de que o Brasil viveu um dos melhores períodos de seu governo.

Assista a íntegra da entrevista:

Leia mais