29 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Beto Richa não deixou legado positivo no Paraná, diz líder da oposição

Beto Richa não deixou legado positivo no Paraná, diz líder da oposição

A oito dias de deixar o governo do Paraná para concorrer ao Senado, Beto Richa (PSDB) foi desafiado pelo líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Antônio Anibelli Neto (MDB), a apontar um único legado positivo nos 7 anos e meio de gestão tucana. Leia mais

23 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Temer anuncia candidatura mesmo com 94% de desaprovação

Temer anuncia candidatura mesmo com 94% de desaprovação

Candidato é um bicho iludido mesmo. Vide o caso de Michel Temer. Mesmo com 94% de desaprovação, ele anunciou finalmente que disputará a eleição de outubro. À IstoÉ ele afirmou que seria covardia não ser candidato. Para o Blog do Esmael o golpista é corajoso porque terá muito a explicar. Leia mais

18 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Michel Temer, o Vampirão Neoliberal, vai disputar a Presidência da República

Michel Temer, o Vampirão Neoliberal, vai disputar a Presidência da República

Michel Temer, o Vampirão Neoliberal, avisa que vai disputar a Presidência da República. Não se trata de concorrer à reeleição, pois eleito ele não foi. Só está no cargo porque deu o golpe na presidenta eleita Dilma Rousseff. Leia mais

11 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Para a Folha, não basta tirar Lula da eleição: é preciso apagar o legado do PT

Para a Folha, não basta tirar Lula da eleição: é preciso apagar o legado do PT

A Folha traz neste domingo (11) uma reportagem ‘bonitinha’ sobre a transposição no rio São Francisco, no Nordeste brasileiro. Descreve as maravilhas que a água proporciona a mais de um milhão de pessoas do semiárido, mas esconde que a obra inaugurada há um ano saiu do papel graças a obstinação do ex-presidente Lula e do PT que esteve no governo. Leia mais

14 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Sem Lula, Temer aposta na própria “reeleição”

Sem Lula, Temer aposta na própria “reeleição”

Michel Temer acredita que se “reelege” sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa de outubro. Por isso o emedebista não tem sido assertivo com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nem com o apresentador Luciano Huck (Globo). Leia mais

8 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Michel Temer irá disputar a Presidência para defender “legado” do golpe

Michel Temer bateu o martelo e decidiu disputar a Presidência da República. O emedebista quer participar do jogo sucessório para defender seu “legado” e, quem sabe, chegar ao segundo turno se houver a pulverização de candidaturas da centro-esquerda… Leia mais

16 de dezembro de 2016
por esmael
43 Comentários

Beto Richa deixa como legado surra nos professores e calote nos servidores do Paraná

O governador Beto Richa (PSDB) em entrevista no Rádio Banda B, em Curitiba, disse nesta sexta (16) que seu maior legado foi o “ajuste fiscal”. Ora bolas, carambolas. O tucano massacrou os professores, deu calote na data-base dos servidores, quebrou os pequenos empreendimentos, e deixou que a roubalheira tomasse conta do governo do Paraná. Eis o verdadeiro legado.

27 de novembro de 2016
por esmael
1 Comentário

Ivo Pugnaloni: O legado de Fidel Castro para o Brasil e o mundo

ivo_lula_fidelIvo Pugnaloni, em artigo especial para o Blog do Esmael, neste domingo (27), afirma que o comandante da revolução cubana Fidel Castro deixou um legado para o Brasil e, sobretudo, o mundo. “Mais Médicos, por exemplo, um programa que milhões de brasileiros, nossos patrícios, graças a Fidel tiveram disponível, salvando vidas, diminuindo sofrimento, gerando esperança e qualidade de vida”, escreve o articulista.

2 de agosto de 2014
por esmael
28 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: PSDB X Lula/Dilma: O que é melhor para o Brasil?

"No governo FHC (PSDB) o país ia mal", recorda Ricardo Gomyde em sua coluna deste sábado, que compara em 13 pontos as realizações da era tucana com o legado de Lula e Dilma nos últimos 12 anos; colunista lembra ainda que no início dos anos 90, na época de UNE, lutava-se contra as privatizações e pagamento do FMI, pelo salário mínimo de 100 dólares; "Parece incrível que em tão pouco tempo (governos Lula/Dilma) esta agenda tenha sido invertida de forma tão radical", observa Gomyde; coincidentemente à  crítica do especialista em políticas de inclusão social, hoje desembarca em Curitiba, via aeroporto Afonso Pena, o senador mineiro Aécio Neves, candidato tucano à  Presidência da República, que tem como proposta resgatar o modelo neoliberal do passado; O que é melhor para o Brasil?!, pergunta Gomyde; leia o texto e compartilhe.

“No governo FHC (PSDB) o país ia mal”, recorda Ricardo Gomyde em sua coluna deste sábado, que compara em 13 pontos as realizações da era tucana com o legado de Lula e Dilma nos últimos 12 anos; colunista lembra ainda que no início dos anos 90, na época de UNE, lutava-se contra as privatizações e pagamento do FMI, pelo salário mínimo de 100 dólares; “Parece incrível que em tão pouco tempo (governos Lula/Dilma) esta agenda tenha sido invertida de forma tão radical”, observa Gomyde; coincidentemente à  crítica do especialista em políticas de inclusão social, hoje desembarca em Curitiba, via aeroporto Afonso Pena, o senador mineiro Aécio Neves, candidato tucano à  Presidência da República, que tem como proposta resgatar o modelo neoliberal do passado; O que é melhor para o Brasil?!, pergunta Gomyde; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde*

Quando diretor da UNE, no inicio da década de 90, íamos as ruas para protestar contra o pagamento dos serviços da dívida que o Brasil tinha com o FMI. Era comum a vinda de dirigentes deste organismo ao Brasil para ditar regras sobre a condução de nossa economia. Os sindicatos tinham como palavra de ordem o salário mínimo de U$ 100,00. Leia mais

14 de julho de 2014
por esmael
31 Comentários

Para o PSDB, “Copa das Copas não aconteceu”. Só na propaganda?

do Brasil 247
Em um balanço da Copa do Mundo, o PSDB publicou na tarde desta segunda-feira 14 um texto do Instituto Teotonio Vilela (ITV), ligado ao partido, que diz que a ‘Copa das Copas’, lema defendido pela presidente Dilma Rousseff, “não aconteceu”, e que agora o governo do PT quer “dar um jeito de virar a página da Copa do Mundo, decretando seu sucesso absoluto”, na mesma velocidade em que Dilma entregou a taça ao capitão Philipp Lahm, da seleção da Alemanha, neste domingo 13.

Na avaliação dos tucanos, o sucesso do Mundial se deve principalmente ao que “ocorreu dentro das quatro linhas dos gramados”, futebol que “o governo petista agora quer afastar nossos bons jogadores, com sua proposta de criar barreiras para impedir a exportação de talentos para o exterior”. A visão é classificada como “isolacionista e intervencionista” pelo instituto. O ITV fala também em “manada de elefantes brancos” ao se referir aos estádios das 12 cidades-sede do Mundial.

Os tucanos avaliam que o “os balanços da Copa devem se basear no cotejo entre aquilo que o governo se comprometeu a fazer e o que efetivamente fez até o torneio”. Ao citar um balanço feito pelo jornal Folha de S. Paulo, o texto afirma que, “dos 167 compromissos assumidos em 2010, apenas 53% foram finalizados a tempo do Mundial” e que “a promoção do torneio custou mais caro que o previsto, chegando a R$ 26 bilhões, dos quais 84% saíram de cofres públicos”.

Por fim, o partido critica medidas de “improviso” adotadas pelo governo e cobra a gestão Dilma sobre “por que não entregou o que prometeu”. “Cabe, ainda, explicar à  população os motivos de ter feito tanto esforço para bem atender o público internacional durante 32 dias de festa e não exibir a mesma dedicação cotidiana para tornar o dia a dia de 200 milhões de brasileiros melhor. O fim dos jogos é só o início desta prestação de contas”, finaliza o ITV.

9 de junho de 2014
por esmael
16 Comentários

Estrangeiros devem deixar R$ 6,7 bilhões no país durante a Copa

do Brasil 247
Os 600 mil turistas previstos para chegar no Brasil durante a Copa do Mundo deverão deixar no País R$ 6,7 bilhões, considerando que terão um gasto médio de R$ 5,5 mil reais durante a estada. O setor hoteleiro está razoavelmente satisfeito: é o que esperavam, nem mais, nem menos. à‰ o que informa reportagem do site do jornal espanhol El País no Brasil.

De acordo com o Trip Advisor, o Rio de Janeiro é o destino onde o visitante gastará mais, aproximadamente R$ 1.520. Caso fique 12 dias, apenas para ver os jogos da primeira fase, este valor alcançaria R$ 18.240, R$ 12.740 a mais do calculado pelo governo. O destino mais barato, Recife, também supera em R$ 500 as previsões.

A Argentina, rival futebolístico eterno da seleção canarinha, é o país que mais enviará torcedores e virão ao Brasil para assistir os jogos no bar. Segundo a presidente Dilma Rousseff, 200 mil argentinos chegarão ao País, mas apenas 53.809 hermanos têm ingressos, de acordo com a FIFA.

Os norte-americanos superarão em número as outras torcidas de fora (125.465), depois os colombianos (60.231) e alemães (55.666). Os brasileiros, porém, colorirão a maioria das arquibancadas de verde e amarelo, com 57% do total de ingressos de um público de 2,3 milhões de torcedores.

Para os sem-ingresso, não há problemas, uma vez que poderão ver os jogos de qualquer televisão. Já para os sem-quarto, será complicado. Os dados de ocupação dos hotéis, recolhidos pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), indicam que a média de ocupação das 12 cidades-sede durante a Copa é de 76,5%, com Fortaleza encabeçando a lista.

A capital do Ceará, com 95% de ocupação hoteleira, não é o melhor lugar para viajantes de última hora. No Rio de Janeiro, onde a rede hoteleira conta com 31 mil quartos, também será complicado encontrar hospedagem entre esse 10% de quartos que ainda estão livres. São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba já têm 60% das vagas preenchidas.

15 de Maio de 2014
por esmael
18 Comentários

Veja como foi o protesto da Copa em Curitiba; assista ao vídeo

Rosani Moreira, da Marcha Mundial de Mulheres, nesta noite, falou sobre a exploração de crianças e mulheres durante a Copa. "Não queremos nada padrão Fifa, que não é padrão pra nada"; movimentos sociais também abordaram temas como mobilidade urbana e remoções forçadas para atender à  realização do campeonato mundial.

Rosani Moreira, da Marcha Mundial de Mulheres, nesta noite, falou sobre a exploração de crianças e mulheres durante a Copa. “Não queremos nada padrão Fifa, que não é padrão pra nada”; movimentos sociais também abordaram temas como mobilidade urbana e remoções forçadas para atender à  realização do campeonato mundial.

Os movimentos sociais foram ao divã esta noite, em Curitiba. Setores da esquerda do PT, PSTU e PSol realizaram uma “aula pública” sobre o legado da Copa. A maioria dos “alunos” era composta por profissionais da imprensa. Cerca de 50 pessoas assistiram à  aula em pleno centro da capital paranaense. Leia mais

14 de Maio de 2014
por esmael
19 Comentários

“Perdemos a batalha da comunicação sobre a Copa para a velha mídia”, reconhece Gilberto Carvalho

Secretário-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ontem, fez importante autocrítica em Curitiba: "Perdemos a batalha da Copa para a velha mídia"; representantes de movimentos sociais disseram não enxergar legado! que o campeonato mundial deixará no país do futebol; Ignora-se totalmente que muitas obras foram adiantadas em pelo menos 15 anos com a Copa no país!, garantiu o ministro, que ainda fez questão de ressaltar que não somos contra os protestos, mas queremos protestos com dados reais!; assista ao vídeo.

Secretário-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ontem, fez importante autocrítica em Curitiba: “Perdemos a batalha da Copa para a velha mídia”; representantes de movimentos sociais disseram não enxergar legado! que o campeonato mundial deixará no país do futebol; Ignora-se totalmente que muitas obras foram adiantadas em pelo menos 15 anos com a Copa no país!, garantiu o ministro, que ainda fez questão de ressaltar que não somos contra os protestos, mas queremos protestos com dados reais!; assista ao vídeo.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto de Carvalho, participou ontem (13) à  noite, em Curitiba, do seminário Diálogos: Governo-Sociedade Civil: Copa 2014!. Ele percorre as cidades-sedes do campeonato mundial com o objetivo de esclarecer a população sobre os gastos, investimentos e o legado que ficará aos brasileiros. Leia mais

19 de Abril de 2014
por esmael
8 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: Ignorância cega os “fracassomaníacos” que agem contra a Copa

Ricardo Gomyde*

Os pessimistas praticantes da fracassomania! atiram contra a Copa do Mundo e as Olimpíadas do Rio utilizando argumentos muitas vezes reproduzidos por outros que escolheram um lado, mas se esquecem de ao menos bater os olhos na ampla lista de benefícios que o Brasil terá com os grandes eventos que sediaremos.

Vejam: um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), recebeu pouca (ou nenhuma) atenção da imprensa e, por consequência, da sociedade, mostrou que só a Copa das Confederações (um torneio em formato bastante reduzido, se comparado à  Copa do Mundo) gerou cerca de 300 mil empregos em todo o país e adicionou R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro. Mais do que os R$ 8 bilhões investidos (e não gastos!) nas 12 arenas construídas para a Copa do Mundo.

Ora, se uma Copa das Confederações provocou a injeção de R$ 9,7 bilhões em nossa economia, imaginem o quanto uma Copa do Mundo pode trazer? Nesse mesmo estudo, a projeção é de cerca de R$ 30 bilhões! Montante que, evidentemente, gera mais empregos e arrecadação. Estes sim poderão e serão, sem nenhuma dúvida, investidos em saúde, educação, infraestrutura e outros setores, em benefício da população.

Problemas de preparação existem sim, não se deve acobertar, mas o Brasil está trabalhando e teremos tudo pronto a tempo. E isso não é, nunca foi e nunca será exclusividade do Brasil. No Mundial da Itália, em 1990, por exemplo, os últimos assentos foram instalados na véspera do primeiro jogo! à‰ justificativa? De forma alguma. Mas vale citar o exemplo para os pessimistas de plantão que acham que tudo só acontece no Brasil. E lembro que somos bons de entrega e temos o grande sucesso da Copa das Confederações para provar isso.

Por isso, avalio que muitas vezes, beira a falta de informação fecha os olhos ao outro lado da moeda. A Copa é boa para o Brasil, entusiasma torcedores de todo o mundo, gera negócios capilarizados na sociedade e constrói um legado de benefícios para uso cotidiano da população. Um turbilhão de fatores em curso mostra que a Copa é fator de progresso e bem-estar !“ em todos os campos, inclusive na possibilidade de ganharmos o hexa!

Mas, claro, o grande sonho dos associados da fracassomania! é justamente o contrário: torcer por uma grande derrota do Brasil em pleno Maracanã. E que seja contra a Argentina ou Uruguai, por favor!, diriam eles… Uma pena.

*Ricardo Gomyde, assessor do Ministério do Esporte, especialista em políticas de inclusão social, é membro da Comissão Organizadora da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Escreve nos sábados no Blog do Esmael.