4,5 milhões de americanos abandonaram os atuais empregos em busca de melhores salários

4,5 milhões de americanos abandonaram os atuais empregos em busca de melhores salários

▶ Mais trabalhadores pediram demissão do que nunca, já que as vagas de emprego nos EUA permanecem perto de um recorde.

▶ Um número recorde de americanos deixou seus empregos em novembro, embora os empregadores achassem um pouco mais fácil preencher as vagas em aberto.

O mercado de trabalho nos Estados Unidos vive um fenômeno: milhões de americanos estão abandonando os atuais empregos em busca de melhores salários.

Segundo o departamento do Trabalho nesta terça-feira (04/01), mais de 4,5 milhões de pessoas deixaram voluntariamente seus empregos em novembro. Esse número subiu de 4,2 milhões em outubro e foi o máximo nas duas décadas que o governo vem acompanhando. A taxa de abandono tem sido especialmente alta nos setores de hotéis e restaurantes e outros setores de baixa remuneração, onde os trabalhadores têm aproveitado a forte demanda para procurar empregos com melhores salários ou condições de trabalho.

Foram 10,6 milhões de vagas abertas no último dia de novembro. Isso diminuiu em relação aos 11,1 milhões de outubro, mas ainda mais do que em qualquer mês antes do início da pandemia – e muito mais do que os cerca de sete milhões de americanos procurando trabalho. Ou seja, a oferta de trabalho é maior do que a procura.

“A demanda dos empregadores ainda é extremamente alta e o resultado disso é o aumento da competição por trabalhadores”, disse Daniel Zhao, economista sênior do site de carreiras Glassdoor. “Isso significa mais vagas de emprego, salários mais altos e mais rotatividade no mercado de trabalho.”

Variante Ômicron põe em dúvida retorno das aulas presenciais nos Estados Unidos; saiba por quê