Por 48 votos a 12, CCJ manda cassação de Cunha para o plenário; ex-presidente cogita delação

temer_cunha_delacaoCom o abandono do interino Michel Temer (PMDB), o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sofreu mais uma goleada na CCJ da Câmara. Pelo placar de 48 votos a 12, o colegiado rejeitou relatório que pedia anulação do pedido de cassação do parlamentar formulado pela Comissão de Ética.

Ex-senador Gim Argello é preso em Brasília na 28ª fase da Lava Jato

da Agência Brasil

Ex-senador Gim Argello foi preso preventivamente hoje (12), em Brasília, na 28º fase da Operação Lava Jato, sob suspeita de ter recebido propina em troca de sua atuação política em comissões parlamentares de inquérito que investigavam a Petrobras, informou o Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR); prisão foi autorizada após terem sido recolhidas provas de que ele recebeu R$ 5 milhões em propina da empreiteira UTC Engenharia, conforme depoimento do dirigente da empresa, Ricardo Pessoa, em delação premiada, à força-tarefa da Vaza Jato; na condição de vice-presidente da CPI mista da Petrobras, ex-senador Gim Argello, teria orientado o empreiteiro destinar dinheiro na forma de doações eleitorais aos diretórios nacionais de quatro partidos indicados por ele: DEM (R$ 1,7 milhão), PR (R$ 1 milhão), PMN (R$1,15 milhão) e PRTB (R$1,15 milhão); siglas integravam uma coligação com o PTB, em 2014, partido pelo qual o ex-senador tentava a reeleição. (Valter Campanto/Agência Brasil).
Ex-senador Gim Argello foi preso preventivamente hoje (12), em Brasília, na 28º fase da Operação Lava Jato, sob suspeita de ter recebido propina em troca de sua atuação política em comissões parlamentares de inquérito que investigavam a Petrobras, informou o Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR); prisão foi autorizada após terem sido recolhidas provas de que ele recebeu R$ 5 milhões em propina da empreiteira UTC Engenharia, conforme depoimento do dirigente da empresa, Ricardo Pessoa, em delação premiada, à força-tarefa da Vaza Jato; na condição de vice-presidente da CPI mista da Petrobras, ex-senador Gim Argello, teria orientado o empreiteiro destinar dinheiro na forma de doações eleitorais aos diretórios nacionais de quatro partidos indicados por ele: DEM (R$ 1,7 milhão), PR (R$ 1 milhão), PMN (R$1,15 milhão) e PRTB (R$1,15 milhão); siglas integravam uma coligação com o PTB, em 2014, partido pelo qual o ex-senador tentava a reeleição. (Valter Campanto/Agência Brasil).

José Dirceu fica calado durante depoimento à CPI da Petrobras

da Agência Brasil

petrobras_dirceuConvocado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, preso na 17ª fase da Operação Lava Jato, foi o primeiro a ser ouvido hoje (31), na série de depoimentos que a comissão marcou para esta semana em Curitiba, onde se concentram as investigações.

Orientado por seus advogados, Dirceu não respondeu às perguntas feitas pelos membros da comissão. O ex-ministro está preso desde o último dia 3, na carceragem da Polícia Federal (PF), na capital paranaense, acusado pelo Ministério Público Federal de comandar esquema de superfaturamento de contratos da Petrobras. O representante no Brasil da empresa italiana Saipem, João Antonio Bernardi Filho, segundo a prestar depoimento, também permaneceu em silêncio.

Velha mídia atocha no PT. Aécio “never” (nada), mesmo com propina

Youssef confirma em CPI que Aécio recebeu dinheiro de Furnas; assista

do Brasil 247

aecio_acareacao_youssef

O doleiro Alberto Youssef confirmou, nesta terça-feira (25), durante depoimento na CPI da Petrobras, que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebeu dinheiro de corrupção envolvendo Furnas, subsidiária da Eletrobras. “Eu confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção) por conta do que eu escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador dele”, disse o doleiro.

A declaração de Youssef foi resposta a pergunta do deputado federal Jorge Solla (PT-BA). Solla questionou se houve “dinheiro de Furnas para Aécio” e Youssef diz que confirmava versão passada anteriormente. Paulo Roberto Costa disse que não tem conhecimento do assunto.

Em seguida, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) defendeu que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) seja investigado por ter sido citado por Alberto Youssef. Pelo Twitter, o petista afirmou que os tucanos da CPI ficaram “perplexos”. “Alberto Youssef acaba de confirmar que Aécio recebeu $$ de  Furnas – Aqui na CPI da Petrobras silêncio total de tucanos perplexos”, postou.

Assista ao vídeo:

No bico do corvo, Eduardo Cunha promete retaliação contra o Planalto

do Brasil 247
cunha_corvoA Operação Politeia, da Lava Jato, que realizou buscas e apreensão contra três senadores, deixou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em alerta.

Ele confidenciou que espera ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e promete retaliar o Planalto – em referência ao depoimento do executivo Júlio Camargo, que fez acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

O peemedebista teria avisado o vice-presidente Michel Temer (PMDB) que irá instalar CPIs prejudiciais ao governo na volta do recesso parlamentar: a do BNDES e a dos fundos de pensão.

Escuta ilegal contra Youssef pode gerar nulidade na Lava Jato de Sérgio Moro

por Paulo Moreira Leite, via Brasil 247

Yossef_CPI_Moro

Denuncia de agente da Polícia Federal de Curitiba atinge pedra fundamental das investigações da Lava Jato: depoimentos iniciais de doleiro e Paulo Roberto Costa podem ter sido obtidos com auxílio de escuta ilegal

A CPI que apura a Operação Lava Jato ouviu um depoimento estarrecedor na tarde desta quinta-feira. Falando para os parlamentares reunidos numa sessão fechada, o agente da Polícia Federal Dalmey Fernando Werlang contou que:

Álvaro Dias jura não ter enterrado CPI da Petrobras em troca de dinheiro

do Brasil 247
moro_tucanosCresceu a pressão sobre o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) desde que o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, decretou, nesta quarta-feira 25, uma nova prisão preventiva contra o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. Segundo Moro, surgiram novas provas sobre a propina paga em 2009 ao então presidente do PSDB, Sérgio Guerra, para que a CPI da Petrobras fosse encerrada no Congresso. Segundo o delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal, o tucano teria recebido R$ 10 milhões para realizar a tarefa.

Alvaro Dias foi autor do pedido para criar a CPI e anunciou a saída da oposição da comissão, quatro meses antes do prazo final, em uma entrevista coletiva com Sergio Guerra. Os tucanos argumentaram que o governo não permitia a investigação, barrando pedidos de requerimentos e quebra de sigilos por parte dos opositores. “Não houve investigação. A comissão foi um palco para discursos técnicos. Essa CPI foi a que o governo mais se interessou e mais impediu a apuração”, disse o senador paranaense à época. Sem a presença dos tucanos, a CPI foi enterrada.

Caso Petrobras: “Francischini é um valentão seletivo”, diz Gleisi

gleisi_francischini

O Blog do Esmael procurou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para saber o que ela achou da iniciativa do deputado Fernando Francischini (SDD-PR), que anunciou que irá convocá-la para explicar, na Câmara dos Deputados, a denúncia de que teria recebido R$ 1 milhão para sua campanha ao Senado, em 2010, dos delatores do esquema na Petrobras, o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

Perícia comprova: Revista Veja fraudou fita sobre CPI da Petrobrás

via Brasil 247

Uma perícia contratada pelo senador Delcídio Amaral (PT/MS) demonstra que a revista Veja editou a fita que motivou a capa da última semana, sobre uma suposta farsa na CPI da Petrobras; "Do arquivo analisado separamos segmentos que demonstram a edição do mesmo, sendo claramente perceptível pelo menos duas interrupções na sequência das falas", diz a análise do IPC, o principal instituto de perícias do Mato Grosso do Sul; "O uso de palavras separadas de sua sequência original pode trazer interpretação destoante do efetivo contexto em que teriam sido empregadas"; ontem, em entrevista ao 247, o ministro Ricardo Berzoini defendeu que Veja apresente a íntegra de sua fita gravada com uma caneta espiã; a revista da Marginal Pinheiros aceitará o desafio?
Uma perícia contratada pelo senador Delcídio Amaral (PT/MS) demonstra que a revista Veja editou a fita que motivou a capa da última semana, sobre uma suposta farsa na CPI da Petrobras; “Do arquivo analisado separamos segmentos que demonstram a edição do mesmo, sendo claramente perceptível pelo menos duas interrupções na sequência das falas”, diz a análise do IPC, o principal instituto de perícias do Mato Grosso do Sul; “O uso de palavras separadas de sua sequência original pode trazer interpretação destoante do efetivo contexto em que teriam sido empregadas”; ontem, em entrevista ao 247, o ministro Ricardo Berzoini defendeu que Veja apresente a íntegra de sua fita gravada com uma caneta espiã; a revista da Marginal Pinheiros aceitará o desafio?

O laudo elaborado pelo Instituto de Perícias Científicas de Mato Grosso do Sul revela que a gravação da conversa entre dois funcionários da Petrobras !“ José Eduardo Barrocas e Bruno Ferreira !“ e uma outra pessoa não identificada, divulgada esta semana pela revista Veja, foi editada, o que compromete qualquer avaliação sobre a participação de senadores em uma suposta tentativa de fraudar os trabalhos da CPI da Petrobras, conforme denunciado com alarde pela revista.

O documento, assinado pelo perito Fernando Klein, conclui, com base na análise feita na gravação disponibilizada pela Veja em seu site na Internet, com duração de 2 minutos e 40 segundos, que não há uma sequência lógica que permita vincular o senador Delcídio do Amaral (PT/MS) a eventual orientação repassada aos depoentes da CPI da Petrobras, uma vez que no momento imediatamente anterior à  citação do nome “Delcídio” na conversa há uma interrupção de 1 minuto e 14 segundos na gravação, o que comprova a montagem.

PT anuncia abertura de CPI para investigar propina no metrô de SP

da Agência Senado e Brasil 247

Reunião para o início dos trabalhos está marcada para as 15h desta quarta-feira e será presidida pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), como membro mais antigo da comissão; a CPI Mista do Metrô foi proposta pela base de apoio ao governo no Congresso para apurar denúncias de formação de cartel e corrupção em contratos de linhas de trens e metrôs em governos tucanos em SP; objetivo é minar a reeleição do governador Geraldo Alckmin; O nosso desafio será o de dar quórum para a reunião. Se isso ocorrer, será uma vitória política. O presidente Renan Calheiros não vinha se empenhando. Não é revanche!, garante o líder do PT no Senado, Humberto Costa.
Reunião para o início dos trabalhos está marcada para as 15h desta quarta-feira e será presidida pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), como membro mais antigo da comissão; a CPI Mista do Metrô foi proposta pela base de apoio ao governo no Congresso para apurar denúncias de formação de cartel e corrupção em contratos de linhas de trens e metrôs em governos tucanos em SP; objetivo é minar a reeleição do governador Geraldo Alckmin; O nosso desafio será o de dar quórum para a reunião. Se isso ocorrer, será uma vitória política. O presidente Renan Calheiros não vinha se empenhando. Não é revanche!, garante o líder do PT no Senado, Humberto Costa.
O Senado instala nesta quarta-feira a chamada CPI Mista do Metrô de São Paulo. A reunião para o início dos trabalhos está marcada para as 15h e será presidida pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), como membro mais antigo da comissão.

Neste primeiro encontro devem ser eleitos o presidente e o vice, bem como escolhido o relator da comissão.

A CPI Mista do Metrô foi proposta pela base de apoio ao governo no Congresso. O objetivo é apurar denúncias de formação de cartel, corrupção de autoridades e outros ilícitos nos contratos, licitações, execução de obras e manutenção de linhas de trens e metrôs em gestões tucanas em São Paulo. Mas, sobretudo, o PT visa minar a reeleição do governador Geraldo Alckmin.

STF atende oposição e define CPI restrita à  Petrobras

da Agência Brasil

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar pedida por parlamentares da oposição, definindo que a CPI sobre a Petrobras deverá ser restrita aos temas da estatal, como a compra da refinaria de Pasadena; ficam de foram, portanto, pontos como o escândalo Siemens-Alstom, que envolve a compra de trens pelo metrô de São Paulo; governo ainda pode recorrer ao plenário para reverter o jogo.
A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar pedida por parlamentares da oposição, definindo que a CPI sobre a Petrobras deverá ser restrita aos temas da estatal, como a compra da refinaria de Pasadena; ficam de foram, portanto, pontos como o escândalo Siemens-Alstom, que envolve a compra de trens pelo metrô de São Paulo; governo ainda pode recorrer ao plenário para reverter o jogo.
A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (23) que o Senado instale comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar exclusivamente a Petrobras.

Rosa Weber atendeu a pedido da oposição e rejeitou ação dos governistas, que propuseram investigações também nos contratos dos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal, supostas irregularidades no Porto de Suape (PE) e suspeitas de fraudes em convênios com recursos da União, além das denúncias sobre a Petrobras.

Contra Dilma, Globo escancara campanha pela CPI da Petrobras

do Brasil 247

Revista à‰poca, de João Roberto Marinho, consegue dedicar quase vinte páginas ao que, em tempos normais, não passaria de uma nota de rodapé; autor da proeza é o repórter Diego Escosteguy, de fértil imaginação, que produziu uma capa com muito lero-lero sobre Pasadena, cujo único objetivo é tentar conseguir convencer a ministra Rosa Weber, do STF, a abrir a CPI exclusiva sobre a Petrobras; notícia se resume a uma discussão se teria sido melhor para a estatal fazer um acordo com os belgas da Astra ou continuar litigando; é mole?
Revista à‰poca, de João Roberto Marinho, consegue dedicar quase vinte páginas ao que, em tempos normais, não passaria de uma nota de rodapé; autor da proeza é o repórter Diego Escosteguy, de fértil imaginação, que produziu uma capa com muito lero-lero sobre Pasadena, cujo único objetivo é tentar conseguir convencer a ministra Rosa Weber, do STF, a abrir a CPI exclusiva sobre a Petrobras; notícia se resume a uma discussão se teria sido melhor para a estatal fazer um acordo com os belgas da Astra ou continuar litigando; é mole?
Ao jornalista Diego Escosteguy, chefe da sucursal de à‰poca em Brasília, não se pode negar uma qualidade: sua imaginação é fértil. Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, o Joaquim Barbosa, o acusou de inventar não apenas uma entrevista, mas também seu perfil psicológico (relembre aqui). Outra reportagem famosa !“ quando ainda estava em Veja !“ foi a das supostas malas de dinheiro na Casa Civil, à s vésperas da eleição presidencial de 2010.

Dias abre o jogo: ordem é alimentar noticiário ruim na velha mídia

do Brasil 247

Senador paranaense Alvaro Dias (PSDB-PR), um dos principais líderes da oposição, abriu o jogo numa rápida entrevista ao blog do jornalista Ricardo Noblat; "precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa", afirmou; "a instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução"; pelo que se lê nos jornais e revistas, tática de guerra tem funcionado.
Senador paranaense Alvaro Dias (PSDB-PR), um dos principais líderes da oposição, abriu o jogo numa rápida entrevista ao blog do jornalista Ricardo Noblat; “precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa”, afirmou; “a instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução”; pelo que se lê nos jornais e revistas, tática de guerra tem funcionado.
Qual é a principal missão da oposição nos dias atuais? O senador Alvaro Dias (PSDB-PR), um de seus principais líderes, responde. “Precisamos desconstruir a imagem do governo, alimentando o noticiário negativo com ação afirmativa”, disse ele, numa rápida entrevista ao Blog do Noblat. “A instalação da CPI da Petrobras vai ajudar nessa desconstrução.”

Ou seja: Dias, praticamente, abriu o jogo. A ordem é alimentar notícias negativas !“ o que tem dado certo, a julgar pelo que se lê em jornais e revistas !“ e usar a CPI da Petrobras, cuja instalação será decidida pela ministra Rosa Weber, na próxima terça-feira, para “desconstruir” a imagem do governo.

Leia, abaixo, a íntegra do depoimento de Dias a Gabriel Garcia, publicado no Blog do Noblat:

Em uníssono, jornalões reforçam pressão por CPI da Petrobras

do Brasil 247

Coincidência ou não, Globo, Folha e Estado circulam nesta terça com a mesma manchete: o reconhecimento, por Graça Foster, presidente da Petrobras, de que a compra da refinaria de Pasadena "não foi um bom negócio"; jornais, naturalmente, simplificam a declaração e retiram ressalvas importantes como "aos olhos de hoje" ou complementos como o de que, naquele momento em que foi fechada, a transação parecia atrativa; o que importa é reforçar a pressão sobre a ministra Rosa Weber, do STF, para que ela garanta, liminarmente, a CPI exclusiva da Petrobras em ano eleitoral.
Coincidência ou não, Globo, Folha e Estado circulam nesta terça com a mesma manchete: o reconhecimento, por Graça Foster, presidente da Petrobras, de que a compra da refinaria de Pasadena “não foi um bom negócio”; jornais, naturalmente, simplificam a declaração e retiram ressalvas importantes como “aos olhos de hoje” ou complementos como o de que, naquele momento em que foi fechada, a transação parecia atrativa; o que importa é reforçar a pressão sobre a ministra Rosa Weber, do STF, para que ela garanta, liminarmente, a CPI exclusiva da Petrobras em ano eleitoral.
Manchete da Folha de S. Paulo: “Refinaria não foi bom negócio, diz Graça Foster”.

Manchete do Estado de S. Paulo: “Refinaria nos EUA ‘não foi negócio’, afirma Graça Foster”.

Manchete do Globo: “Petrobras, enfim, admite que não fez bom negócio”.

Coluna do Ademar Traiano: “Gleisi, a Dama do Trambique, conta lorota sobre empréstimo ao Paraná!

Ademar Traiano, em sua coluna desta quarta, como de costume, abre fogo contra a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann, a quem "qualifica" como a "Dama do Trambique" ao relacioná-la à s recentes denúncias de propinas dentro da Petrobras; o esforço que Gleisi fez e faz para melar a CPI da Petrobras não decorre apenas da fidelidade fanática ao PT, suas causas equivocadas e seus trambiques!, escreve o líder do governo Beto Richa na Assembleia e guru ideológico dos tucanos no Paraná; segundo o colunista, a petista tem muita cara de pau! porque participou de um governo que afundou o Brasil num mar de descrédito, fracasso e corrupção! e ela agiu contra o estado 510 dias acerca da liberação dos empréstimos; leia o texto.
Ademar Traiano, em sua coluna desta quarta, como de costume, abre fogo contra a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann, a quem “qualifica” como a “Dama do Trambique” ao relacioná-la à s recentes denúncias de propinas dentro da Petrobras; o esforço que Gleisi fez e faz para melar a CPI da Petrobras não decorre apenas da fidelidade fanática ao PT, suas causas equivocadas e seus trambiques!, escreve o líder do governo Beto Richa na Assembleia e guru ideológico dos tucanos no Paraná; segundo o colunista, a petista tem muita cara de pau! porque participou de um governo que afundou o Brasil num mar de descrédito, fracasso e corrupção! e ela agiu contra o estado 510 dias acerca da liberação dos empréstimos; leia o texto.
Ademar Traiano*

Gleisi Hoffmann poderia ter um pouco de senso de ridículo e parar de fingir que tentou ajudar o Paraná na questão dos empréstimos. Ganharia mais se dedicasse seu tempo a responder as gravíssimas denúncias feitas pela revista Veja.

Segundo Veja: Bernardo é beneficiário do propinoduto que opera na Petrobras!. Contra a própria Gleisi consta – ainda segundo Veja – uma denúncia envolvendo a milionária publicidade do governo federal.

A denúncia a respeito da Petrobras é especialmente grave porque pode indicar que o esforço que Gleisi fez e faz para melar a CPI da Petrobras não decorre apenas da fidelidade fanática ao PT, suas causas equivocadas e seus trambiques.

Ao agir para sufocar a CPI – contrariando o pensamento de 78% dos brasileiros, que acreditam haver corrupção na estatal – Gleisi pode estar na linha de frente de uma causa em que tem interesse pessoal.

“Dívida da Petrobras é para crescimento”, diz presidente da empresa

do 247, com Agência Senado

Em depoimento ao Senado, presidente da Petrobras ressalta números positivos da estatal e afirma que empresa pagou, no total, US$ 1,25 bilhão por Pasadena, mas explica que preço da refinaria tem de ser comparado com outros ativos de igual porte; "No mesmo período, duas refinarias no Canadá, de portes semelhantes, custaram US$ 1,6 bilhão e US$ 2,8 bilhões", disse Graça Foster; executiva reforçou versão da presidente Dilma Rousseff de que "em nenhum momento, nem no resumo executivo nem na apresentação de Power Point da área internacional [da empresa], foram citadas as cláusulas de put option e marlim", que acabaram obrigando a companhia a comprar os outros 50% da refinaria americana; governo espera que explicações ajudem a reduzir a pressão por uma CPI; acompanhe ao vivo.
Em depoimento ao Senado, presidente da Petrobras ressalta números positivos da estatal e afirma que empresa pagou, no total, US$ 1,25 bilhão por Pasadena, mas explica que preço da refinaria tem de ser comparado com outros ativos de igual porte; “No mesmo período, duas refinarias no Canadá, de portes semelhantes, custaram US$ 1,6 bilhão e US$ 2,8 bilhões”, disse Graça Foster; executiva reforçou versão da presidente Dilma Rousseff de que “em nenhum momento, nem no resumo executivo nem na apresentação de Power Point da área internacional [da empresa], foram citadas as cláusulas de put option e marlim”, que acabaram obrigando a companhia a comprar os outros 50% da refinaria americana; governo espera que explicações ajudem a reduzir a pressão por uma CPI; acompanhe ao vivo.
Parlamentares, jornalistas e assessores lotam a sala de audiências das Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e Fiscalização e Controle (CMA) para acompanhar as explicações da presidente da Petrobras, Graça Foster, sobre denúncias de corrupção na estatal.

A sessão teve início à s 10h50. Acompanhe pela TV Senado.

A executiva iniciou sua exposição com números relativos a 2013, que atestam o crescimento do parque de refino de petróleo. Entre os temas abordados, está a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, investigada por suspeita de superfaturamento.

Lula faz promessa a Dilma: “Vamos ganhar com você”

do Brasil 247

Em conversa no Planalto, ex-presidente reconheceu que cenário não é bom, mas garantiu que Dilma é a candidata do PT e que será seu maior cabo eleitoral; entre os conselhos dados, disse que a CPI da Petrobras deve ser evitada a qualquer preço, porque em ano eleitoral, pode ser "mortal"; defendeu poder efetivo para o novo ministro da Secretaria das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para segurar a base do governo no Congresso; pediu atenção especial à  economia, principalmente à  inflação; e por último, sugeriu a presidente "sair à s ruas".
Em conversa no Planalto, ex-presidente reconheceu que cenário não é bom, mas garantiu que Dilma é a candidata do PT e que será seu maior cabo eleitoral; entre os conselhos dados, disse que a CPI da Petrobras deve ser evitada a qualquer preço, porque em ano eleitoral, pode ser “mortal”; defendeu poder efetivo para o novo ministro da Secretaria das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para segurar a base do governo no Congresso; pediu atenção especial à  economia, principalmente à  inflação; e por último, sugeriu a presidente “sair à s ruas”.
Em conversa a portas fechadas na última sexta-feira, no Planalto, o ex-presidente Lula levou a presidente Dilma Rousseff a confirmação de sua candidatura, rechaçando boatos do “Volta, Lula”: “Você é a nossa candidata, e nós vamos ganhar com você”, disse. “Eu vou ser seu maior cabo eleitoral”.