26 de Março de 2015
por esmael
20 Comentários

Álvaro Dias jura não ter enterrado CPI da Petrobras em troca de dinheiro

do Brasil 247
moro_tucanosCresceu a pressão sobre o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) desde que o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, decretou, nesta quarta-feira 25, uma nova prisão preventiva contra o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. Segundo Moro, surgiram novas provas sobre a propina paga em 2009 ao então presidente do PSDB, Sérgio Guerra, para que a CPI da Petrobras fosse encerrada no Congresso. Segundo o delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal, o tucano teria recebido R$ 10 milhões para realizar a tarefa.

Alvaro Dias foi autor do pedido para criar a CPI e anunciou a saída da oposição da comissão, quatro meses antes do prazo final, em uma entrevista coletiva com Sergio Guerra. Os tucanos argumentaram que o governo não permitia a investigação, barrando pedidos de requerimentos e quebra de sigilos por parte dos opositores. “Não houve investigação. A comissão foi um palco para discursos técnicos. Essa CPI foi a que o governo mais se interessou e mais impediu a apuração”, disse o senador paranaense à época. Sem a presença dos tucanos, a CPI foi enterrada.

17 de dezembro de 2014
por esmael
14 Comentários

Veja essa: Tucanos culpam o morto no PSDB e os vivos do PT

do Brasil 247
psdb_cpi_petrobrasNo relatório paralelo da CPMI da Petrobras apresentado nesta quarta-feira 17, o PSDB citou o nome de um tucano. Trata-se de Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, acusado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, em depoimento, de ter pedido a ele R$ 10 milhões em 2010. O dinheiro, segundo Costa, teria sido pago pela Queiroz Galvão, uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

Guerra, porém, faleceu em março desse ano. Antes de citar o nome de 36 pessoas, entre eles o do ex-dirigente tucano, o documento elaborado pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) solicita que “cópia do presente voto em separado seja encaminhada ao Ministério Público, a fim de que sejam instaurados os competentes inquéritos policiais contra as pessoas referidas a abaixo, uma vez que seus nomes foram citados de forma a ensejar o aprofundamento da investigação dos mesmos”.

A lista traz os nomes dos senadores Humberto Costa (PE) e Gleisi Hoffmann (PR), os dois do PT. Os tucanos pedem também o indiciamento de 58 pessoas, entre eles os do ex-petista André Vargas, do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, do deputado Luiz Argôlo (SD-BA), do doleiro Alberto Youssef, dos ex-diretores da estatal Paulo Roberto Costa e Renato Duque, e do ex-gerente Pedro Barusco.

21 de outubro de 2014
por esmael
56 Comentários

Braço direito de Youssef envolve ‘mais tucanos’ na propina da Petrobras

alvaro_hauly.jpgUm dos parlamentares do PSDB de Londrina, região Norte do Paraná, teria recebido propina do esquema do doleiro londrinense Alberto Youssef, preso desde março na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Leia mais

20 de outubro de 2014
por esmael
26 Comentários

Caso Petrobras: “Francischini é um valentão seletivo”, diz Gleisi

gleisi_francischini

O Blog do Esmael procurou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para saber o que ela achou da iniciativa do deputado Fernando Francischini (SDD-PR), que anunciou que irá convocá-la para explicar, na Câmara dos Deputados, a denúncia de que teria recebido R$ 1 milhão para sua campanha ao Senado, em 2010, dos delatores do esquema na Petrobras, o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

17 de outubro de 2014
por esmael
40 Comentários

Aécio desconversa sobre propina ao PSDB: Soube disso ontem!

via Brasil 247

Ao desembarcar em Salvador há pouco, onde faz campanha, o candidato do PSDB à  presidência da República, Aécio Neves, conversou de forma breve com a imprensa e evitou falar sobre declaração da presidente Dilma Rousseff no debate do SBT ontem (16) de que o ex-presidente do PSDB, o falecido deputado federal Sérgio Guerra, teria recebido propina de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

“Não conhecia esse depoimento, soube dele ontem durante o debate”, disse Aécio. O tucano afirmou ainda que a menção de Dilma ao fato “serve para demonstrar que ela está dando crédito à s investigações da CPMI” da Petrobras.

Aécio disse ainda que ficou “triste” após o debate do SBT porque sua Dilma teria “insistido em focar no passado e em ofensas pessoais a ele mesmo, como já havia feito com Eduardo Campos e Marina Silva”.

O presidenciável tucano disse que sua vinda a Salvador servirá para reiterar o projeto ‘Nordeste Forte’, que pretende “finalizar todas as obras em andamento na região, melhorar a qualidade da educação e diminuir o número de homicídios em oito anos”, o que reafirma sua intenção de extinguir a reeleição apenas em 2022.

O candidato do PSDB fará caminhada no Centro de Salvador e está acompanhado de oposicionistas como o prefeito de Salvador, ACM Neto; o candidato derrotado a senador Geddel Vieira Lima (PMDB), o líder do PSDB na Câmara, deputado Antônio Imbassahy e da candidata também derrotada ao Senado Eliana Calmon, a juíza-política do PSB.

17 de outubro de 2014
por esmael
38 Comentários

Ex-presidente do PSDB recebeu propina da Petrobras; e agora?

Denúncia de propina para ex-presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, morto este ano, é arrastada para o debate presidencial por Dilma; tucano acusado era senador pelo estado de Pernambuco e Aécio o sucedeu no comando do partido; pelo visto, a presidenta petista tem como tática puxar o adversário mineiro para a lama, a exemplo do que fez Mário Covas com Paulo Maluf na disputa pelo governo de São Paulo em 1988.

Denúncia de propina para ex-presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, morto este ano, é arrastada para o debate presidencial por Dilma; tucano acusado era senador pelo estado de Pernambuco e Aécio o sucedeu no comando do partido; pelo visto, a presidenta petista tem como tática puxar o adversário mineiro para a lama, a exemplo do que fez Mário Covas com Paulo Maluf na disputa pelo governo de São Paulo em 1988.

O ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou em delação premiada, que pagou propina ao ex-presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), morto este ano por um câncer no pulmão, para que ajudasse esvaziar a criação de uma CPI no Senado para investigar a estatal de petróleo em 2009. Leia mais