Luciano Huck no meio de uma ‘guerra interna’ no PPS do Paraná

O prefeito do município de Ponta Grossa (PR), Marcelo Rangel, negou que esteja de saída do PPS por causa da possível entrada no partido do dublê de apresentador, empresário e candidato da Globo Luciano Huck.

PPS do Paraná confirma Cristovam à Presidência; César Filho ao governo; e Rubens Bueno ao Senado

A um ano das eleições de 2018, o PPS definiu os nomes que apresentará aos eleitores: o senador Cristovam Buarque (DF), à Presidência da República; o prefeito de Guarapuava Cesar Filho ao governo do Paraná; e o deputado Rubens Bueno ao Senado da República pelo Paraná.

Deputado do PPS denuncia barganha para salvar Temer na Câmara

O deputado Rubens Bueno (PPS-PR), um dos mandachuvas dos “limpinhos” do PPS, em artigo especial, denuncia a barganha ocorre a céu aberto, com a exigência de cargos no governo, liberação de emendas e outras facilidades para deputados em troca do voto favorável a Temer e aos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

Lula não pode, mas juízes podem faturar com palestras com pagamento sigiloso

palestras_juizes_lulaA decisão é do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão presidido pelo ministro Ricardo Lewandowski. Os juízes não precisam informar quanto recebem por ministrar palestras.

Em governo do golpe, “limpinho” Rubens Bueno é cotado para a Itaipu

rubens_buenoO deputado federal Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, conhecido no Paraná como “limpinho”, é cotado para assumir a diretoria-geral da Itaipu Binacional em um virtual governo golpista liderado pelo vice Michel Temer (PMDB-SP).

“Pegaram o ‘limpinho’ Rubens Bueno do PPS” viraliza na internet

rubens_limpinho_ttA denúncia do Ministério Público do Paraná (MP) contra o deputado federal Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, e mais três lideranças do partido por improbidade administrativa viralizou nas redes sociais esta terça-feira (1º).

“Pegaram o “limpinho” Rubens Bueno do PPS. Dilma estava certa, os golpistas não têm moral”, diz um dos tuites que ganharam as redes sociais se transformando em “memes” (repetição) na internet.

Bueno é conhecido no Paraná como “limpinho” em virtude do antigo marketing do PPS, que se autointitulava como “partido do voto limpo”, logo, ele começou a ser chamado de “homem do voto limpo”.

O MP acusa Bueno e mais três ex-deputados de utilizar funcionários da Assembleia Legislativa do Paraná e da liderança da agremiação no parlamento estadual em tarefas do PPS. Na ação, os promotores Danielle Gonçalves Thomé e Paulo Ovídio dos Santos Lima, da Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público, pedem o ressarcimento de R$ 11,3 milhões.

Ação do MPF pode cassar 40 licenças de rádio e TV para congressistas

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), comandato pelo procurador Rodrigo Janot, autor da ação, o deputado paranaense Rubens Bueno, líder do PPS, o limpinho, estaria entre os 40 congressistas sócios de empresas de radiodifusão.
Segundo o Ministério Público Federal (MPF), comandado pelo procurador Rodrigo Janot, autor da ação, o deputado paranaense Rubens Bueno, líder do PPS, o limpinho, estaria entre os 40 congressistas sócios de empresas de radiodifusão.

O Ministério Público Federal (MPF) questionou o descumprimento, pelos congressistas, do Art. 54 da Constituição Federal, que veda a eles a propriedade de “empresa concessionária de serviço público”, tais como radiodifusão (rádio e TV).

Segundo levantamento da Folha de S. Paulo, edição deste domingo (22), seriam 40 parlamentares — 32 deputados e 8 senadores — sócios de empresas de radiodifusão, ou seja, estariam cometendo ilícito.

A medida judicial do MPF não deixa de ser uma regulação da mídia, da propriedade, cuja iniciativa deveria ser do próprio legislador. Então, pela omissão, mais uma vez vai prevalecendo o Poder Judiciário. (Abaixo, confira os principais nomes).

“Cunha não tem mais condições de presidir a Câmara”, diz Rubens Bueno

cunha_buenoO dia está tenso, nesta quinta-feira (19), em Brasília, para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cujo mandato corre risco de ser cassado.

Uma manobra de Cunha para adiar leitura de relatório no Conselho de Ética irritou os deputados.

“O PPS vai se ausentar do plenário, porque Eduardo Cunha não tem mais condições de presidir”, disse Rubens Bueno (PPS-PR), líder do partido na Câmara.

O quiproquó não terminou aí. Outro parlamentar paranaense, Sandro Alex, também do PPS, vice-presidente do Conselho de Ética, relatou que o deputado Fausto Pinato (PRB-SP), relator do processo de cassação contra o presidente da Casa, recebeu ameaças.

Tucanos a Cunha: ‘não se preocupe, você é nosso e nós somos teu’

Rubens Bueno e Aécio Neves, líderes do PPS e do PSDB, respectivamente, bem que poderiam emprestar do Vaccarezza aquela célebre frase "não se preocupe, você é nosso e nós somos teu" para se dirigem respeitosamente a Eduardo Cunha.
Rubens Bueno e Aécio Neves, líderes do PPS e do PSDB, respectivamente, bem que poderiam emprestar do Vaccarezza aquela célebre frase “não se preocupe, você é nosso e nós somos teu” para se dirigem respeitosamente a Eduardo Cunha.

Definitivamente, a máscara caiu para alguns parlamentares do PSDB e do PPS. Até o limpinho paranaense Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, defende a permanência do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de cobrar propina e de manter contas secretas na Suíça.

Tanto o nosso limpinho quanto o dos mineiros, isto é, o senador tucano Aécio Neves não enxergam motivos para que a Conselho de Ética da Câmara casse o mandato de Cunha.

Reviravolta: Gustavo Fruet pode ficar fora do 2º turno, diz Paraná Pesquisas

ducci_francischini_fruet_requiao.jpgSe as eleições de 2016 fossem hoje, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) correria sério risco de não avançar para o segundo turno em Curitiba. à‰ o que revela sondagem da Paraná Pesquisas publicada na edição desta quarta-feira (11) do jornal Gazeta do Povo.

Segundo o instituto de Murilo Hidalgo, o secretário Ratinho Júnior (PSC), do Desenvolvimento Urbano, lidera com 26,4% das intenções de voto. Em segundo lugar está Fruet (12,7%), empatado tecnicamente com o deputado estadual Requião Filho (PMDB), que tem 11%.

Também estão embolados na segunda posição, na corrida pela Prefeitura da capital paranaense, os deputados Fernando Francischini (SD) e Luciano Ducci (PSB).

Objetivamente, por serem do mesmo grupo político, ou Ducci ou Ratinho tem dificuldades de concorrer separadamente à  sucessão de Fruet. Não há espaço para os dois no mesmo espectro de eleitores.

Pelos números da Paraná Pesquisas, efetivamente, Requião Filho e Fruet disputam a Prefeitura de Curitiba.

No cenário em que Ratinho Júnior é substituído por Ducci, Fruet lidera com 15% e Requião Filho aparece empatado com 14,7%.

Na espontânea, sem Ratinho, Requião Filho lidera a corrida eleitoral com 16,2%. Fruet fica em segundo lugar com 15,7%. Francischini tem 14,6% e Ducci aparece com 13,3%.

O levantamento encomendado pelo jornal Gazeta do Povo foi realizado em Curitiba pelo Paraná Pesquisas, entre 3 e 7 de março. Foram entrevistadas 819 pessoas maiores de 16 anos. A margem de erro é de 3,5% e o grau estimado de confiança, 95%.

Abaixo, veja o infográfico da pesquisa:

Rubens Bueno: Estagnação é marca do Governo de Richa!

O deputado federal Rubens Bueno (PPS) cujo partido está base de sustentação do governador Beto Richa (PSDB) publicou um artigo no site do seu partido e na sua página pessoal defendendo a possibilidade de lançamento de candidatura própria ao governo do Estado. Buscando se diferenciar dos candidatos já apresentados, Bueno critica Gleisi (PT) e Requião (PMDB) o que já era esperado, visto que são adversários de longa data A surpresa é a constatação da estagnação do governo do aliado Beto Richa. Leio o texto de Bueno abaixo.
O deputado federal Rubens Bueno (PPS) cujo partido está na base de sustentação do governador Beto Richa (PSDB) publicou um artigo no site do seu partido e na sua página pessoal defendendo a possibilidade de lançamento de candidatura própria ao governo do Estado. Buscando se diferenciar dos candidatos já apresentados, Bueno critica Gleisi (PT) e Requião (PMDB) o que já era esperado, visto que são adversários de longa data. A surpresa é a constatação da estagnação do governo do aliado Beto Richa.

Artigo reproduzido do Portal do PPS

Diante das candidaturas ao governo do Paraná de Beto Richa (PSDB), Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB), o PPS acredita que há espaço nessa disputa para um quarto nome que possa representar a mudança que a população do estado tanto espera. Por isso, vem articulando o lançamento de uma chapa alternativa junto com o PSD, PV, PROS e PHS. Nos últimos anos, o estado vem sofrendo com desmandos praticados pela administração de Requião e por uma forte estagnação, marca do atual governo de Richa. Já a opção de Gleisi, na visão do PPS, não pode ser vista como alternativa por representar o modelo ultrassapado do PT no governo federal, que levou a população brasileira a ir à s ruas exigindo mudanças.

De acordo com o presidente do partido no Paraná e líder da bancada do PPS na Câmara Federal, deputado Rubens Bueno, há espaço claro para um quarto candidato no estado. Foi o que mostrou pesquisa interna encomendada pelo PSB. Tanto Richa quanto Gleisi e Requião têm forte rejeição. Um candidato diferenciado pode despontar nessa corrida eleitoral!, avalia, lamentando que Eduardo Campos, candidato da aliança PSB/PPS/REDE/PPL/PHS/PRP!  à  Presidência da República, não tenha feito essa leitura e se precipitado ao anunciar apoio a Richa.

Apoio de Eduardo Campos a Beto Richa repercute mal no PPS

via Folha de Londrina

Em sua passagem pelo Paraná na segunda-feira, o pré-candidato a presidente Eduardo Campos (PSB) encontrou-se com o governador Beto Richa (PSDB) e anunciou apoio a sua reeleição. A decisão surpreendeu aliados, em especial do PPS, pois Campos fica sem palanque no Estado, uma vez que Richa apoiará Aécio Neves (PSDB). O PPS ainda discute a possibilidade de lançar candidatura própria, com o deputado federal Rubens Bueno, que seria um palanque para Campos no Estado.
Em sua passagem pelo Paraná na segunda-feira, o pré-candidato a presidente Eduardo Campos (PSB) encontrou-se com o governador Beto Richa (PSDB) e anunciou apoio a sua reeleição. A decisão surpreendeu aliados, em especial do PPS, pois Campos fica sem palanque, uma vez que Richa apoiará Aécio Neves (PSDB). O PPS ainda discute a possibilidade de lançar candidatura própria, com o deputado federal Rubens Bueno, que seria um palanque para Campos no Paraná.

A decisão do pré-candidato à  presidência da República Eduardo Campos (PSB-PE), que em visita a Londrina na última segunda-feira anunciou o apoio à  reeleição do governador Beto Richa (PSDB), surpreendeu os parlamentares do PPS no Paraná. Nacionalmente, as duas legendas já oficializaram a coligação, integrada também pelo PPL e pela Rede Sustentabilidade, movimento que não conseguiu número suficiente de assinaturas para ser registrado como partido a tempo de disputar as eleições de outubro.

Segundo o líder do PPS na Assembleia Legislativa (AL), Tercílio Turini, os três deputados da bancada – ele, Douglas Fabrício e Felipe Lucas – não sabiam da intenção de Campos. “Achei muito estranho, para quem é candidato a presidente, abrir mão de um palanque no Estado para apoiar quem já está comprometido com o Aécio (Neves, pré-candidato do PSDB)”, criticou.

Apesar de fazer parte da base de apoio ao governo estadual desde a eleição de Beto, em 2010, o PPS vê com bons olhos a possibilidade de lançar um candidato próprio, no caso o deputado federal Rubens Bueno, justamente como forma de alavancar a chapa Eduardo Campos – Marina Silva no Paraná.

PPS pressiona pela candidatura de Bueno ao Palácio Iguaçu

Deputado Tercilio Turini, líder do PPS na Assembleia, nesta sexta (60), juntamente com a juventude do partido, lançou a pré-candidatura de Rubens Bueno ao governo do Paraná; candidatura própria do partido do "voto limpo" significa um importante golpe no projeto de reeleição do tucano Beto Richa.
Deputado Tercilio Turini, líder do PPS na Assembleia, nesta sexta (60), juntamente com a juventude do partido, lançou a pré-candidatura de Rubens Bueno ao governo do Paraná; candidatura própria do partido do “voto limpo” significa um importante golpe no projeto de reeleição do tucano Beto Richa.
O deputado federal Rubens Bueno, presidente estadual do PPS e do partido na Câmara, está sendo pressionado pelas lideranças do partido para disputar o governo do Paraná. O nome do parlamentar é o mais robusto dentro do partido do “voto limpo”.

O primeiro a levantar a bandeira da candidatura própria foi o deputado estadual de Londrina, Tercilio Turini. Segundo ele, o PPS tem condições de viabilizar um nome e apresentar propostas.

Na prática, o governador Beto Richa (PSDB) perde um importante aliado na luta pela reeleição. Bueno concorreu ao Palácio Iguaçu em 2006, ficando em 4!º lugar, quando obteve pouco mais de 8% dos votos válidos.

Como a oposição salvou o mandato do petista André Vargas

do Brasil 247

Deputado petista estava pronto para entregar o mandato, depois de renunciar à  vice-presidência da Câmara; no entanto, deputados oposicionistas, como Rubens Bueno (PPS/PR) e Julio Delgado (PSB/MG) radicalizaram o discurso, ao afirmar que o processo de Vargas no Conselho de à‰tica irá continuar mesmo com sua renúncia; resultado: Vargas, que sairia, ficou; ponto para a oposição?
Deputado petista estava pronto para entregar o mandato, depois de renunciar à  vice-presidência da Câmara; no entanto, deputados oposicionistas, como Rubens Bueno (PPS/PR) e Julio Delgado (PSB/MG) radicalizaram o discurso, ao afirmar que o processo de Vargas no Conselho de à‰tica irá continuar mesmo com sua renúncia; resultado: Vargas, que sairia, ficou; ponto para a oposição?
A renúncia do deputado federal André Vargas (PT) era dada como praticamente certa desde que ele anunciou, na semana passada, que entregaria o cargo de vice-presidente da Câmara. Evitaria assim uma possível cassação e a consequente inelegibilidade. Com a pressão midiática, após denúncias de envolvimento dele com o doleiro Alberto Youssef, a direção do PT entendia que a renúncia era a melhor decisão, dado o fato de este ser um ano eleitoral. No entanto, a oposição fez Vargas mudar sua rota.

CPI da Petrobras na Câmara: oposição diz já ter as 171 assinaturas

do Brasil 247

Líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy, garante que oposição já tem mais do que o número suficiente de assinaturas para instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras cuja proposta é em conjunto como o deputado Rubens Bueno , líder do PPS; "Na terça-feira, vamos nos reunir com o PPS, DEM e SDD para mudarmos o texto [da proposta da comissão] e deixar igual ao do Senado para não ter problemas de questionamento"; segundo o tucano, o PT não conseguirá fazer com que parlamentares da base aliada retirem assinaturas; "O PT comete grave erro ao julgar que manda no Congresso. Aliás, esse é o cacoete do Planalto, de uma atitude arrogante que quer transferir para o Congresso. Não vai prosperar", disse.
Líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy, garante que oposição já tem mais do que o número suficiente de assinaturas para instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras cuja proposta é em conjunto como o deputado Rubens Bueno , líder do PPS; “Na terça-feira, vamos nos reunir com o PPS, DEM e SDD para mudarmos o texto [da proposta da comissão] e deixar igual ao do Senado para não ter problemas de questionamento”; segundo o tucano, o PT não conseguirá fazer com que parlamentares da base aliada retirem assinaturas; “O PT comete grave erro ao julgar que manda no Congresso. Aliás, esse é o cacoete do Planalto, de uma atitude arrogante que quer transferir para o Congresso. Não vai prosperar”, disse.
O deputado federal Antônio Imbassahy, líder do PSDB na Câmara, diz já possuir o número de assinaturas suficientes para instalar a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras. Ele é autor de dezenas de requerimento sobre a Petrobras desde 2012. Na terça-feira (1!º), PPS, DEM, SDD e PSDB se reúnem para revisarem o texto da Câmara e deixarem igual ao do Senado e também para a articulação da implantação da comissão.

Senadores pedem a Janot investigação contra Dilma

do Brasil 247

Senadores da oposição querem que Procurador Geral da República abra investigação formal sobre compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras; se autodenominam os independentes!; estratégia de cercar o governo por todos os lados cresceu após críticas desfechadas por presidenciável Aécio Neves; blitzkrieg no Congresso para aprovar CPI; líder da minoria na Câmara, deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) apresenta projeto de resolução para a criação de comissão na Casa; líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR) defende CPI Mista; líder tucano na Câmara, Antônio Imbassahy (BA) convocará diretor exonerado Nestor Cerveró; outros oito requerimentos serão apresentados hoje por PSDB e DEM em comissões diferentes para ouvi-lo; PT garante ter votos suficientes para barrar ofensiva contra o governo; luta de gigantes; Pedro Simon (PMDB-RS) entre 'os independentes'.
Senadores da oposição querem que Procurador Geral da República abra investigação formal sobre compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras; se autodenominam os independentes!; estratégia de cercar o governo por todos os lados cresceu após críticas desfechadas por presidenciável Aécio Neves; blitzkrieg no Congresso para aprovar CPI; líder da minoria na Câmara, deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) apresenta projeto de resolução para a criação de comissão na Casa; líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR) defende CPI Mista; líder tucano na Câmara, Antônio Imbassahy (BA) convocará diretor exonerado Nestor Cerveró; outros oito requerimentos serão apresentados hoje por PSDB e DEM em comissões diferentes para ouvi-lo; PT garante ter votos suficientes para barrar ofensiva contra o governo; luta de gigantes; Pedro Simon (PMDB-RS) entre ‘os independentes’.
Auto-denominado “independentes”, um grupo de senadores da oposição pediu nesta terça-feira 25 formalmente à  Procuradoria Geral da República a abertura de investigação contra a presidente Dilma Rousseff sobre a compra da refinaria de Pasadena, em 2006, pela Petrobras. Dilma era presidente do Conselho de Administração da companhia. A iniciativa faz parte de um movimento mais amplo da oposição !“ e pode definir a extensão do cerco ao governo em cima do negócio ocorrido oito anos atrás.

Fazem parte do grupo que pediu a abertura da investigação contra a presidente os senadores Pedro Simon (PMDB-RS), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Pedro Taques (PDT-MT), Ana Amélia Lemos (PP-RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF).

Limpinho Rubens Bueno comemora cassação de Maron: Justiça foi feita!

Deputado Rubens Bueno, o Limpinho, soltou rojões ontem diante da cassação do deputado Alceuzinho Maron; tucano era suplente do PPS, mas teve a pulada de cerca malsucedida rumo ao PSDB; Litoral agora ficou sem representante na Assembleia Legislativa do Paraná; já o cassado deverá ser agasalhado no porto de Paranaguá; o leitor soube em primeira mão neste blog da decisão do TSE.
Deputado Rubens Bueno, o Limpinho, soltou rojões ontem diante da cassação do deputado Alceuzinho Maron; tucano era suplente do PPS, mas teve a pulada de cerca malsucedida rumo ao PSDB; Litoral agora ficou sem representante na Assembleia Legislativa do Paraná; já o cassado deverá ser agasalhado no porto de Paranaguá; o leitor soube em primeira mão neste blog da decisão do TSE.
A Justiça foi feita. O PPS volta a ter três deputados estaduais no Paraná!, afirmou o presidente do partido no estado, deputado federal Rubens Bueno, ao comemorar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato de Alceu Maron (PSDB) por infidelidade partidária na noite desta quinta-feira (13 de março). Com a decisão, o suplente de Irati Felipe Lucas recupera sua cadeira na Assembleia Legislativa.

Este blog registrou em primeira mão, ontem à  noite, a cassação do parlamentar tucano pela “pulada de cerca malsucedida”. Com isso, o Litoral perdeu o único representante que tinha na Assembleia Legislativa do Paraná. Entretanto, segundo fontes na região, o porto de Paranaguá deverá ganhar o reforço de Maron nos próximos dias.

Eleições 2014: Freire quer bloquear verba da vaquinha de Dirceu

do Brasil 247

PPS, presidido pelo deputado Roberto Freire (SP), protocolou hoje representação na Procuradoria da República do DF pedindo o bloqueio dos recursos arrecadados pelo site apoio a Zé Dirceu, feito por amigos e familiares para pagar multa de R$ 971 mil imposta pelo STF; para o líder do PPS Rubens Bueno (PR), sequestro do dinheiro para os cofres públicos seria destinado ao Tesouro'; "Todos os valores doados na arrecadação passaram a integrar o patrimônio dos condenados. E, desta forma, passível de indisponibilidade para garantir futuro ressarcimento ao erário nas ações de improbidade", argumenta o PPS; ex-comunista Freire coroa biografia com tentativa de quebrar corrente de solidariedade de esquerda; infiltrado?
PPS, presidido pelo deputado Roberto Freire (SP), protocolou hoje representação na Procuradoria da República do DF pedindo o bloqueio dos recursos arrecadados pelo site apoio a Zé Dirceu, feito por amigos e familiares para pagar multa de R$ 971 mil imposta pelo STF; para o líder do PPS Rubens Bueno (PR), sequestro do dinheiro para os cofres públicos seria destinado ao Tesouro’; “Todos os valores doados na arrecadação passaram a integrar o patrimônio dos condenados. E, desta forma, passível de indisponibilidade para garantir futuro ressarcimento ao erário nas ações de improbidade”, argumenta o PPS; ex-comunista Freire coroa biografia com tentativa de quebrar corrente de solidariedade de esquerda; infiltrado?
Partido presidido pelo deputado Roberto Freire (SP), o PPS protocolou nesta terça-feira 18 uma representação na Procuradoria da República do Distrito Federal pedindo o bloqueio do dinheiro arrecadado em campanha organizada para o ex-ministro José Dirceu. Condenado na Ação Penal 470, Dirceu precisa pagar uma multa de R$ 971 mil imposta pelo Supremo Tribunal Federal. Até agora, conseguiu arrecadar R$ 422 mil.

Para o deputado Rubens Bueno (PR), líder do PPS na Câmara e autor da representação, o dinheiro deveria ser usado para ressarcir os cofres públicos dos recursos desviados no esquema do chamado ‘mensalão’, ao qual Dirceu foi condenado. O parlamentar argumenta que, como o petista também responde no Ministério Público Federal a ação por improbidade administrativa, todo o seu patrimônio precisa ser tornado indisponível, inclusive as doações.