12 de setembro de 2015
por admin
21 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: O crime compensa? Que o digam os empresários da Lava Jato

Bernardi_PF

Em sua coluna deste sábado, o vereador Jorge Bernardi (PDT) analisa as possíveis punições e acordos de delação feitos pelos empreiteiros envolvidos em corrupção na Operação Lava Jato da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Justiça Federal. Segundo Bernardi, o esquema de corrupção na Petrobras e outras áreas do governo causou grandes danos à economia nacional, mas para boa parte dos envolvidos as penas deverão ser brandas. Leia, ouça, comente e compartilhe o texto abaixo: Leia mais

29 de agosto de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “Ligações perigosas” – Governo Aécio, construtoras da Lava Jato e o Paraná

Jorge Bernardi*

Download

Tudo começou em Minas e é para Minas que tudo vai voltar. Foi assim com o mensalão, inventado pelo governador tucano Eduardo Azeredo (PSDB), operado pelo publicitário Marco Valério. O “Mensalão Mineiro” ainda não deu em nada. Os acusados estão livres, leves e soltos. Já pelo Mensalão do PT, Valério cumpre 37 anos, 5 meses e 6 dias de prisão.

Em 2007, segundo governo de Aécio Neves (PSDB), teve início a construção Centro Administrativo de Minas, projeto de Oscar Niemayer. A época, Aécio andava próximo de Lula e chegou a ser acusado de ter feito corpo mole na campanha presidencial de Geraldo Alckmin (PSDB) de 2006.

O empreendimento foi apontado pelo governador tucano como “a maior obra de engenharia civil em execução na América Latina”. O custo previsto de R$ 900 milhões de reais no final dobrou chegando a R$ 1,7 bilhão (R$ 2,4 bilhões atualizados em 2015 pelo IGP-M).

Denominado de “Cidade Administrativa de Minas”, a obra foi dividida em três lotes, e executada por três consórcios.

LOTE 1 (Consórcio)

LOTE 2 (Consórcio)

LOTE 3 (Consórcio)

Camargo Correa

Odebrecht

Andrade Gutierrez

Santa Barbara

OAS

Via Engenharia

Mendes Júnior

Queiroz Galvão

Barbosa Mello

Das nove empreiteiras que compunham os consórcios seis (em negrito) estão sendo processadas no Lava Jato. O Ministério Público de Minas chegou a investigar a formação de cartel e fraude a licitação, sem resultado algum.

Se estas construtoras corromperam na Petrobras, será que também não houve corrupção em Minas? O sucessor de Aécio, atual senador Antônio Anastasia, está sendo acusado de ter recebido, de um operador de Youssef, R$ 1 milhão.

Estranho nesta história envolvendo empresas do Lava Jato é que a então secretária de Administração da Prefeitura de Curitiba, Dinorah Nogara (gestão Ducci), atual secretária Estadual de Administração de Beto Richa (PSDB), coordenou projeto para construir o Centro Administrativo de Curitiba, aos moldes do de Minas, projeto de Niemayer.

Dinorah foi citada na Operação Voldemort, que investiga fraudes em licitações de oficinas mecânicas tendo como pivô Luiz Abi, primo do governador do Paraná. Ela conseguiu, no Tribunal de Justiça do Paraná, anular o processo alegando foro privilegiado.

A esperança dos brasileiros é que a Policia Federal e os Procuradores da República, comandados por Delton Dallagnol, consigam encontrar o fio de Ariadne para desvendar o mistério e as ligações perigosas do Governo Aécio com as Construtoras da Lava Jato e a tentativa da construção do Centro Administrativo de Curitiba.

Se f Leia mais

22 de agosto de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Teia de nepotismo – o aparelho do Estado dominado há séculos por famílias no Paraná

nepotismoJorge Bernardi*

Download

O estado do Paraná, infelizmente para o povo que aqui vive, é um dos mais conservadores e reacionários do país. Os paranaenses são governados há séculos pelas mesmas famílias, que, com suas relações de parentesco, dominam o aparelho estatal, nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, passando por outro importante instrumento de poder e renda, os cartórios.

O exemplo está no governo do Estado que, após a redemocratização de 1982, nas nove eleições seguintes teve apenas cinco governadores, os quais pertenciam a apenas quatro famílias: José Richa, que governou de 1983 a 1986, e o seu filho Beto Richa, que deverá ficar até 2018; Álvaro Dias, de 1987 a 1990; Roberto Requião, no período de 12 anos, e Jaime Lerner, outros oito anos. Os vice-governadores que assumiram não contam.

E o que é pior todos, com exceção de Jaime Lerner, deixaram sucessores. E a impressão que se tem é que o herdeiro político nem sempre demonstra a mesma competência e liderança política e administrativa do seu ancestral.

É o caso do governador Beto Richa, que em todas as campanhas eleitorais lembrou ao eleitorado, à exaustão, o nome do pai. Ele conseguiu em um mandato arruinar as finanças do Estado e o bom nome de José Richa. Para não quebrar definitivamente o Paraná, Beto Richa promoveu o maior de todos os arrochos fiscais da história, aumentando tributos de mais de 90 mil produtos, além do IPVA em 40% e se apropriando do fundo de aposentadoria dos servidores.

Já há mais de 20 anos o Leia mais

15 de agosto de 2015
por Esmael Morais
46 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Uber, o caminho da moderna escravidão de taxistas

uberJorge Bernardi*

Download

“Primeiro, os nazistas prenderam os comunistas, como eu não era comunista, me calei. Depois, eles pegaram os judeus e os sindicalistas, como não era judeu nem sindicalista, não me manifestei. Prenderam os católicos e, como eu era protestante, fiquei calado. Quando vieram me buscar… Não havia ninguém para protestar” (Martin Niemoller).

O que está por traz do aplicativo Uber, criado há cinco anos nos Estados Unidos e que vale mais do que a Petrobrás? Os donos do Uber são a Microsoft e a gigante da mídia indiana, Índia Bennett Coleman & Cia. O Uber foi avaliado por 51 bilhões de dólares, (R$ 178 bilhões de reais). A Petrobras, maior empresa brasileira, vale R$ 140 bilhões de reais.

O Uber é um negócio multimilionário que pretende transformar taxistas do mundo todo em escravos do século 21. Num primeiro momento o Uber, pratica a pirataria, autorizando veículos de particulares a prestarem serviços de transporte de passageiros, em desrespeito a todas as legislações nacionais e municipais, objetivando forçar os taxis a aderirem ao seu sistema.

Como meio de transporte público individual, o Uber se tornou uma multinacional at Leia mais

8 de agosto de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Quem tem medo de Sérgio Moro?

bernardimoroJorge Bernardi*

Download

Quando eu era menino, no interior de Santa Catarina, a noite jogávamos bola na rua, o único lugar iluminado onde podíamos brincar. As crianças de Herval d’ Oeste e Joaçaba, tinham medo e respeito pelo sargento Miranda, que fazia a ronda numa DKV cinza.

Não tínhamos medo dos carros e do perigo que eles representavam. Mas, com o sargento Miranda, era diferente, ele tinha autoridade, podia levar os adolescentes ao Juizado de Menores.

O Brasil possui 14 mil juízes de direito atuando nos órgãos judiciários. Há juízes e juízes! Se todos tivessem a coragem cívica do juiz Moro para colocar no cárcere malfeitores do colarinho branco, a história deste país certamente seria diferente.

O exemplo positivo de magistrado, Sérgio Moro, é ofuscado, na mesma Justiça Federal, pelo mau exemplo do juiz Flavio Roberto de Souza, que atuava no caso do Eike Batista. O juiz foi flagrado desfilando, no Rio de Janeiro, com o Porsche do empresário acusado de estelionato, apreendido a mando do magistrado.

Felizmente maus magistrados são raros. A grande maioria dos juízes cumprem com o seu dever e exercem com zelo o ato de julgar, apesar das dificuldades de alguns para condenar alguém de sua classe social.

Nós brasileiros costumamos dizer que cadeia é para pobre, e para os que não tem Leia mais

25 de julho de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: A prisão de Odebrecht e o silêncio da mídia nacional com a corrupção no governo Richa

bernardiJorge Bernardi*

Com as prisões dos presidentes das duas maiores construtoras brasileiras, Odebrecht e Andrade Gutierrez, que até então estavam blindadas na Operação Lava-Jato, a casa da mega corrupção brasileira que estava abalada, desmoronou de vez. Mas ainda tem muita sujeira debaixo do tapete que deve ser varrida, começando com as fraudes praticadas por bancos, montadoras de automóveis, siderúrgicas, cimenteiras e outras grandes empresas apontadas no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, CARF, órgão do Ministério da Fazenda.

A corrupção na Petrobrás é apenas a ponta de um iceberg que atinge toda a sociedade brasileira, começando pelas instituições públicas. Até agora a Policia Federal e os Procuradores da República chegaram a cerca de R$ 19 bilhões de desvios na petroleira nacional.

A fraude monumental no CARF também conhecida como Operação Zelotes, inexplicavelmente, pouco ou quase nenhum espaço tem na grande mídia. Será porque além de envolver bancos, montadoras de automóveis, portanto grandes anunciantes, também são suspeitas de se beneficiarem grandes empresas na área de comunicação social? Será porque nela, por enquanto, não foram encontrados agentes políticos. O valor dos desvios na Operação Zelotes também é monumental chegou também a R$ 19 bilhões.

A prisão de Marcelo Oldebrecht é emblemática, simbólica, pois se trata do dono da maior empreiteira brasileira, multinacional, com tentáculos em vários países do mundo, fazendo obras financiadas pelo tesouro brasileiro. Erga omnes, a lei vale para todos, como foi batizada esta operação significa que o Brasil está deixando de ser uma república de uns poucos, que só pobres vão para a cadeia. Leia mais

18 de julho de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Revolução, delação premiada e o efeito borboleta mudando o Brasil

efeitoJorge Bernardi*

“O Brasil está vivendo uma revolução. Uma retomada da evolução. O mundo todo está vivendo uma insatisfação generalizada e internacional. Estamos vivendo num período de decadência moral que nunca a humanidade enfrentou. Está em curso a Revolução Brasileira, como houve a revolução francesa”. As palavras são do médico, psiquiatra, positivista, professor Paulo de Tarso Monte Serrat, então com 90 anos, em entrevista ao Programa Gestão Pública em Debate, em julho de 2013, ao falar sobre as manifestações populares que naquele período ocorriam em todo o Brasil.

As manifestações duraram o período da Copa das Confederações. Depois degradaram em violência e, finalmente, se extinguiram. As autoridades prometeram, e a presidenta Dilma, falou inclusive numa constituinte exclusiva para tratar da reforma política, um Plano Nacional de Mobilidade Urbana para diminuir o custo da tarifa do transporte.

Prometeram melhorar a saúde com médicos vindo do exterior; e combater a corrupção. Vieram as eleições em 2014, e os mesmos de sempre foram eleitos.

Poucas promessas foram cumpridas. Foi aprovada a lei da corrupção empresarial (lei nº 12.846/13). Esta lei permite o acordo de leniência, com as empresas que praticaram atos de corrupção e que colaborem efetivamente com a investigação, identificando outros envolvidos, admita a participação nas irregularidades, enfim coopere com as investigações. Esta é uma espécie de delação premiada para pessoas jurídicas como aquela que envolve pessoas naturais (Lei 8.072/90, art. 13). Leia mais

11 de julho de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “A herança maldita de Beto Richa para Curitiba vai até 2035”

herancaJorge Bernardi*

Quando Prefeito de Curitiba Beto Richa fez a licitação do transporte coletivo de Curitiba. Uma reivindicação antiga da população que, em tese, deveria diminuir o preço da tarifa, já que permitiria a disputa entre interessados pela prestação do serviço.

Infelizmente a licitação se transformou num jogo de cartas marcadas em que, as mesmas empresas que operavam o sistema a décadas, dividiram os lotes entre si. A passagem de ônibus da capital paranaense, que sempre foi uma das mais baratas das capitais, após a concorrência, ficou entre as três mais do Brasil, e continua no preço atual de R$ 3,30.

A licitação garantiu contrato por 25 anos, para as empresas que formaram um cartel, no valor de R$ 1 bilhão por ano, ou seja R$ 25 bilhões no período. Dinheiro este que está sendo sugado do bolso dos trabalhadores e da economia de Curitiba, pois a metade deste custo é arcado por toda a sociedade através do vale transporte.

Ao assumir a Prefeitura de Curitiba, em 2013, Gustavo Fruet afirmou que iria abrir a CPI da URBS, empresa de economia mista de controle municipal que gerencia o transporte coletivo. Todos acreditaram na promessa do prefeito e passaram a trabalhar neste sentido.

Foram constituídas várias comissões entre elas a CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal e a Auditoria do Tribunal de Contas. Os resultados do trabalho convergiram as mesmas conclusões: a licitação foi fraudada e a tarifa esta superfaturada. Leia mais

4 de julho de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Patriotas, Lei de Gerson, Pessoa e a liberdade da “eminencia parda” do governo Beto Richa

gersonJorge Bernardi*

Há 150 anos, na Guerra do Paraguai, as tropas do Brasil não conseguiam passar uma pequena ponte no riacho Itororó. No meio da luta emergiu um homem de cabelos brancos e gritou: “sigam-me os que forem brasileiros”. Era o Duque de Caxias, com 65 anos, que num gesto de bravura conduziu o exército brasileiro a vitória.

No passado haviam heróis na liderança da pátria. Hoje há ladrões. Com raras exceções, quem está no Poder e quem quer alcançá-lo, só pensa em locupletar-se, levar vantagem, como na Lei de Gerson. O capitão da Seleção Canarinho de 1970, deu nome a lei, ao fazer propaganda de cigarro, num tempo em que até atletas fumavam. Ele terminava com o bordão: você vai levar vantagem sempre. O Brasil mudou nestes 40 anos, fuma-se hoje muito menos. Em relação a corrupção, o aumento foi brutal.

A delação premiada do dono da UTC, Ricardo Pessoa, o capo do cartel das empreiteiras, que agiam na Petrobras, roubando bilhões de reais, revelou a podridão nas entranhas do Poder. Nada que as “pessoas” já não soubessem, mas que agora foi confessada por um Pessoa, que financiou e enriqueceu às custas da corrupção de autoridades. Leia mais

12 de abril de 2015
por Esmael Morais
6 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “Câmara tem R$ 42 milhões que podem pagar metade da dívida de Curitiba”

bernardi_cmc_fundoJorge Bernardi* ... 

Leia mais