10 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Joice Hasselmann na presidência da Câmara; assista ao vídeo

Joice Hasselmann na presidência da Câmara; assista ao vídeo

A deputada federal eleita pelo PSC de São Paulo, Joice Hasselmann, ganha força para disputar a presidência da Câmara em fevereiro com a chancela de Jair Bolsonaro (PSL), isto é, se o ex-capitão do Exército for eleito neste 2º turno. ... 

Leia mais

3 de dezembro de 2017
por Esmael Morais
18 Comentários

Globo acusa Bolsonaro de nepotismo, após promessa de ‘cortar a grana’ da emissora

Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entrou na linha de tiro da mídia, que já escolheu seu candidato, por óbvio não ele, por isso O Globo traz neste domingo (3) uma história sobre nepotismo quando era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Leia mais

3 de junho de 2016
por Esmael Morais
16 Comentários

Uma política de herdeiros no Paraná e no Brasil

meirinho_arruda_requiao_filhoO advogado Bruno Meirinho (PSol-PR), em sua coluna de hoje (3), critica a política como herança no Paraná. Ele afirma que há perpetuação das mesmas famílias no poder local. O colunista destaca que o mesmo fenômeno se repete no Congresso Nacional, ou seja, os atuais parlamentares “são filhos, netos ou sobrinhos de outros políticos”. “Por isso houve tantos votos dedicados às famílias na sessão de votação do impeachment”, ironiza. Ainda no cenário do estado, Meirinho enaltece a origem popular do PMDB, mas faz ressalva sobre os primos Requião Filho e João Arruda, que, segundo o colunista, “certamente foram eleitos sob o prestígio de Roberto Requião, já que eles, pessoalmente, não demonstram grandes talentos”. Leia, comente e compartilhe a íntegra do texto abaixo: Leia mais

17 de maio de 2016
por Esmael Morais
4 Comentários

“Beto Richa terminará com 100% de desaprovação em 2018”, diz Enio Verri

beto_richaO deputado federal Enio Verri (PT-PR), em sua coluna desta terça (17), afirma que o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), tem uma gestão marcada pela truculência contra professores, nepotismo, farra com cargos comissionados, pedaladas fiscais e baixíssima popularidade. Ele prevê que o tucano, em 2018, terminará com 100% de desaprovação — haja vista que hoje ele tem 85% de rejeição. O colunista denuncia que Richa comete uma série de crimes que a presidente Dilma Rousseff não cometeu, mas, segundo Verri, infelizmente, o governador do PSDB terminará incólume o seu mandato. Abaixo, leia a íntegra, ouça e compartilhe. Leia mais

7 de maio de 2016
por admin
3 Comentários

A mulher no nepotismo político

mulheres

“A família estando bem, o estado vai bem, pelo menos é o que pensam os que nos governam”, diz o vereador Jorge Bernardi (REDE) em sua coluna semanal. Ele analisa o papel da mulher na prática de empregar parentes em cargos públicos, citando exemplos bem recentes, como a esposa do governador; a esposa e a irmã do prefeito da Capital. Leia e ouça a seguir. Leia mais

2 de outubro de 2015
por Esmael Morais
3 Comentários

Boca Maldita será palco neste sábado de lançamento de livro sobre nepotismo no Paraná

O vereador curitibano Jorge Bernardi (Rede), colunista do Blog do Esmael, e o professor Ricardo Costa de Oliveira, da UFPR, lançam neste sábado (3), em Curitiba, na Boca Maldita (Café Avenida), às 10h3, o livro “Estado, classe dominante e parentesco no Paraná”.

O local para lançamento não seria mais oportuno, pois o local historicamente tem sido palco para as grandes discussões nacionais e estaduais.

A obra objeto de pesquisas do Núcleo de Estudos Paranaenses (NEP), criado em 1994, como um espaço flexível de pesquisas, debates e discussões sobre a sociedade, a cultura e a política no Paraná.

Ao longo dos últimos vinte anos o NEP dedicou pesquisas sobre a sociedade e o poder no Paraná. Foi desenvolvida  a linha de investigações instituições, poder e famílias.

O livro apresenta  os capítulos: O poder familiar na Câmara Municipal de Curitiba (1947 a 2014), de Jorge Luiz Bernardi. Os donos da bola no futebol paranaense: gênese da estruturação e “jogadas” com o poder político do Estado, de Luiz Demétrio Janz Laibida. O desmonte do regime autoritário e o contexto histórico do PMDB na esfera paranaense: a heterodoxia de Roberto Requião em relação às concepções pemedebistas locais, de Daiane Carnelos Resende.

A nova geração do nepotismo na política paranaense, de Tiago Valenciano e Ricardo Costa de Oliveira. O papel da formação do patronato político brasileiro na construção do estado brasileiro e do Paraná, de Vanderlei Hermes Machado, Marcelo Gonçalves Marcelino e Milene Zerek Capraro. A influência do ouro na economia do Paraná ao longo do século XVIII, de Ricardo Costa de Oliveira.  O Paraná político na década de 1880, de Alessandro Cavassin Alves.  Leia mais

22 de agosto de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Teia de nepotismo – o aparelho do Estado dominado há séculos por famílias no Paraná

nepotismoJorge Bernardi*

Download

O estado do Paraná, infelizmente para o povo que aqui vive, é um dos mais conservadores e reacionários do país. Os paranaenses são governados há séculos pelas mesmas famílias, que, com suas relações de parentesco, dominam o aparelho estatal, nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, passando por outro importante instrumento de poder e renda, os cartórios.

O exemplo está no governo do Estado que, após a redemocratização de 1982, nas nove eleições seguintes teve apenas cinco governadores, os quais pertenciam a apenas quatro famílias: José Richa, que governou de 1983 a 1986, e o seu filho Beto Richa, que deverá ficar até 2018; Álvaro Dias, de 1987 a 1990; Roberto Requião, no período de 12 anos, e Jaime Lerner, outros oito anos. Os vice-governadores que assumiram não contam.

E o que é pior todos, com exceção de Jaime Lerner, deixaram sucessores. E a impressão que se tem é que o herdeiro político nem sempre demonstra a mesma competência e liderança política e administrativa do seu ancestral.

É o caso do governador Beto Richa, que em todas as campanhas eleitorais lembrou ao eleitorado, à exaustão, o nome do pai. Ele conseguiu em um mandato arruinar as finanças do Estado e o bom nome de José Richa. Para não quebrar definitivamente o Paraná, Beto Richa promoveu o maior de todos os arrochos fiscais da história, aumentando tributos de mais de 90 mil produtos, além do IPVA em 40% e se apropriando do fundo de aposentadoria dos servidores.

Já há mais de 20 anos o Leia mais

16 de outubro de 2014
por Esmael Morais
68 Comentários

Minas, nepotismo, corrupção, aeroporto e bafômetro dominam debate entre Dilma e Aécio

O ponto alto do confronto foi quando a petista inquiriu o tucano sobre a Lei Seca e uso de drogas. Visivelmente irritado, Aécio fez ao vivo uma autocrítica sobre dirigir sem habilitação, mas não reconheceu que bebera antes de dirigir.

O ponto alto do confronto foi quando a petista inquiriu o tucano sobre a Lei Seca e uso de drogas. Visivelmente irritado, Aécio fez ao vivo uma autocrítica sobre dirigir sem habilitação, mas não reconheceu que bebera antes de dirigir.

Novamente, Dilma Rousseff (PT) conseguiu dominar o debate desta noite no SBT. A petista conseguiu desestabilizar o adversário Aécio Neves (PSDB) com perguntas espinhosas. ... 

Leia mais

22 de agosto de 2014
por Esmael Morais
12 Comentários

Palácio pressiona RPCTV: “Terá pergunta para a candidata do PT sobre Gaievski e Vargas?”

Tropa de choque do governador Beto Richa, que disputa a reeleição, pressiona a RPCTV para que pergunte sobre Vargas e Eduardo Gaievski na entrevista de hoje à  noite com a senadora Gleisi Hoffmann; Será que a RPCTV vai afrouxar o sutiã!, provoca o Palácio Iguaçu, lembrando que a emissora arrancou o couro! de Requião e do tucano nesta semana.

Tropa de choque do governador Beto Richa, que disputa a reeleição, pressiona a RPCTV para que pergunte sobre Vargas e Eduardo Gaievski na entrevista de hoje à  noite com a senadora Gleisi Hoffmann; Será que a RPCTV vai afrouxar o sutiã!, provoca o Palácio Iguaçu, lembrando que a emissora arrancou o couro! de Requião e do tucano nesta semana.

Estrategistas do Palácio Iguaçu cobram da RPCTV a mesma combatividade, hoje à  noite, com a senadora Gleisi Hoffmann (PT). Os luas-pretas tucanos querem o mesmo rigor à  petista que a emissora teve na entrevista com o governador Beto Richa (PSDB) e o senador Roberto Requião (PMDB). ... 

Leia mais

18 de abril de 2014
por Esmael Morais
15 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: Faltam quadros, sobram sanguessugas na máquina pública!

Ricardo Mac Donald*

Temos sofrido com a demora, a duplicação de custos, a perda de oportunidades de inovação, o desvio de finalidade e, por fim, o receio de funcionários públicos em decidir e agir, não por culpa sua, mas porque uma superestrutura de observantes! retarda o processo e causa insegurança jurídica por múltiplas orientações divergentes.

Soma-se a isso o fato, nem sempre lembrado, de que o golpe de 1964 ceifou toda uma geração de líderes, administradores e gente que pensava o Brasil.

Com a redemocratização, muitos tiveram a oportunidade de ainda atuar: Mário Covas, Franco Montoro, Ulisses, Miguel Arraes, Brizola, Trancredo Neves, Lula e vários outros representaram os conhecimentos de uma geração disposta a trabalhar, cada qual a seu modo, pelo bem do País.

Mas, depois deles, quem? Forma-se um doloroso hiato, aliás, antevisto por Ulisses Guimarães quando dizia: se vocês acham este Congresso ruim, esperem para ver o próximo!. O Lula, no auge da sua forma, falava dos trezentos picaretas da Câmara Federal!. Menos mal que sobravam 213 bons deputados.

Quem lucra e convive bem com este estado de coisas? Ele, o nosso paradigma nas casas legislativas, caminhando para o 7!º mandato, pouco tempo alisando os bancos escolares, mas ágil na troca de favores, nomeação de amigos e parentes, especialista em títulos de utilidade pública e em prestar homenagens, conferindo nome de pessoas a estradas e obras públicas.

Cioso do seu mando político!, da sua cota! nos governos, funciona como intermediário entre os Poderes Públicos e os cidadãos. Verdadeiro despachante de luxo!, não desgosta da burocracia exacerbada, antes vive dela.

Assim, não é à  toa que a família Sarney manda há 50 anos no Maranhão, ACM disse e desdisse na Bahia enquanto viveu, Jader Barbalho é irremovível no Pará, Fernando Collor nas Alagoas.

Celso Furtado, Ministro do Planejamento de Jango Goulart, matou a charada quando disse: o subdesenvolvimento se autoalimenta!.

Obs.: Prometi aos meus poucos leitores que acabaria hoje a série, mas não sobrou espaço para debater algumas soluções. Nos vemos na próxima.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve à s sextas no Blog do Esmael.

Leia mais

9 de abril de 2012
por Esmael Morais
8 Comentários

Conselho de à‰tica adverte vereador tucano pela prática de nepotismo

Odilon Volkmann (PSDB).

O Conselho de à‰tica acompanhou nesta segunda-feira (9) um relatório da vereadora Noemia Rocha (PMDB), sobre nepotismo praticado pelo colega Odilon Volkman (PSDB), que empregou a própria namorada no gabinete da Câmara Municipal de Curitiba. ... 

Leia mais