6 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
11 Comentários

O privilégio do auxílio-moradia é verdadeiro, mas o debate é falso

Concedi entrevista na manhã desta terça-feira (6) para Wellington Calasans e Romulus Maya, do programa Duplo Expresso, n’O Cafezinho. A eles, que estão baseados na Suécia e na Suíça, respectivamente, eu disse que o privilégio do auxílio-moradia é verdadeiro, mas o debate é fake (falso) porque se trata de chantagem da velha mídia para mostrar ao judiciário que manda na relação. ... 

Leia mais

12 de maio de 2016
por Esmael Morais
8 Comentários

Beto Richa não conclui nem as obras da copa do mundo

copas

Em mais um show de incompetência administrativa do governador Beto Richa (PSDB), o Tribunal de Contas do Estado (TCE) constatou que o governo não conseguiu concluir até agora as quatro obras de mobilidade, sob responsabilidade estadual, para a copa do mundo de 2014. As informações são da coluna do deputado estadual Requião Filho (PMDB). Leia e ouça a seguir.  Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
6 Comentários

Coluna do Requião Filho: Transparência X Beto Richa

Download áudio

Requião Filho*

Tem coisas que não se misturam, não se completam ou não se combinam, como água e óleo, Deus e o diabo e o grande exemplo paranaense “Beto Richa e a Transparência”.

Há quem acredite que transparência é só portal da transparência, mas é algo bem mais amplo e envolve, principalmente, as contas do Estado.

Vejam só o famigerado Caixa Único-CU, que mistura em uma mesma conta praticamente todas as verbas do Estado, fazendo uma verdadeira lambança com o dinheiro público. Até mesmo o próprio Governador, recentemente, se disse surpreso por ter o Tribunal de Contas conseguido desvendar a destinação para a empresa Valor, investigada pelo GAECO, do dinheiro excedente devolvido pela ALEP.

Estaria Beto Richa realmente surpreso com a capacidade do TCE-PR desvendar os obscuros caminhos do Caixa Único, ou por não ter dado certo o seu plano de construir um labirinto contábil??!!

Da eventual surpresa do Governador só se tem uma certeza: a de que o Caixa Único foi inventado para por fim à transparência, criando um regime sombrio sobre as contas do Estado.

No discurso de ontem, como novo Líder da Oposição, demonstrei que o Estado do Paraná se vale de todos os meios para dificultar, quiçá esconder seus atos, e não mede esforços para conseguir o seu intento, exemplos claros foram alguns dos diversos vetos encaminhados pelo Governo, que pisoteiam tanto na autonomia quanto no poder de fiscalização da ALEP.

Seja o que for, venha da forma que vier, com os empecilhos, armadilhas e obstáculos inimagináveis, não interessa! Vamos continuar, sem medo, questionando, fiscalizando e denunciando as contas e os atos do Governo Estadual!

*Requião Filho é advogado, deputado estadual pelo PMDB e líder da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, especialista em políticas públicas.

Leia mais

16 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
13 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Marechal Floriano é o culpado

Download áudio

Marcelo Araújo*

Notícias recentes dão conta de que, num período de dois meses, apenas dois radares instalados na Marechal Floriano fizeram 13 mil autuações, o que daria uma média mensal de 6,5 mil.

Em artigo publicado aqui no Blog do Esmael datado de 29/12/15 eu já alertava da manipulação dos números de autuações ocorridas na área calma, e o que merece ser relembrado é o ofício do prefeito tanto ao vereador Professor Galdino (PSDB) quanto ao Presidente da Câmara, vereador Ailton Araújo (PSC), informando das autuações mensais de TODOS equipamentos entre janeiro e julho de 2015, cuja variação foi entre 21 e 28 mil. Dessa vez o vereador Tico Kuzma (PROS) demonstra sua indignação e pede explicações.

Então significa que agora apenas dois equipamentos geraram o equivalente a ¼ da média de autuações mensais do ano passado. Sem contar o que já foi analisado em relação à área calma? Na reportagem acima a prefeitura ainda chama a Marechal de ‘Via Calma’ de 40Km/h quando o termo ‘Via Calma’ iniciou o uso na Sete de Setembro com velocidade de 30Km/h, e ‘Área Calma’ é um polígono centrar de velocidade de 40Km/h. A intenção realmente é dar um nó na cabeça do cidadão e ainda qualificá-lo de desobediente às leis. Cavar a falta na área (calma?) para ganhar no pênalti?

Voltando ao velho assunto do pátio. Em outubro de 2015 eu já denunciava o descaso em relação ao pátio que foi alugado emergencialmente, e cuja segurança estava sendo feita informalmente pela Guarda e por Agentes, cuja função não é esta.

Pois bem, além de ter sido extinto o serviço de remoção de veículos que obstruem saídas, entre outras, os veículos recolhidos não possuem segurança, e estão sendo constantemente depredados, peças furtadas, e toda sorte de práticas decorrentes da invasão do pátio da Marechal Floriano. Significa que quem for reaver seu carro, e ele tiver sofrido qualquer dano, depreciação ou furto de peças, isso se o carro inteiro não sumiu, tem direito a ser indenizado material e moralmente pela prefeitura.

Naquela oportunidade eu já pedia postura dos Vereadores, Ministério Público e Tribunal de Contas contra esses desmandos. Parece que alguns edis até então fiéis ao alcaide já começam a pesar a conveniência da conivência, avaliando a saída à francesa. Tomando por base o histórico de culpar o passado do nosso ‘Prefeito Sabatina’ podemos sugerir que culpe o Marechal Floriano, já que tanto o pátio quanto os radares se encontram nessa via.

De multa Leia mais

10 de setembro de 2015
por Esmael Morais
11 Comentários

“Tribunal Faz de Contas” demora 8 meses para alertar que Richa estava fora da Lei de Responsabilidade Fiscal

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de "Tribunal Faz de Contas".

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de “Tribunal Faz de Contas”.

O Blog do Esmael vem noticiando há tempos que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) usa dois pesos e duas medidas na hora de fiscalizar os exercícios financeiros dos governantes. Nos pequenos municípios o TCE “filtra mosquitos” nas contas das prefeituras e câmaras municipais; no governo do estado o órgão “deixa passar camelos” e faz vistas grossas para as irregularidades. ... 

Leia mais

14 de agosto de 2015
por Esmael Morais
20 Comentários

TCE promove mais uma farra. Agora são as ‘superférias’ para os conselheiros

superferias ... 

Leia mais

11 de julho de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “A herança maldita de Beto Richa para Curitiba vai até 2035”

herancaJorge Bernardi*

Quando Prefeito de Curitiba Beto Richa fez a licitação do transporte coletivo de Curitiba. Uma reivindicação antiga da população que, em tese, deveria diminuir o preço da tarifa, já que permitiria a disputa entre interessados pela prestação do serviço.

Infelizmente a licitação se transformou num jogo de cartas marcadas em que, as mesmas empresas que operavam o sistema a décadas, dividiram os lotes entre si. A passagem de ônibus da capital paranaense, que sempre foi uma das mais baratas das capitais, após a concorrência, ficou entre as três mais do Brasil, e continua no preço atual de R$ 3,30.

A licitação garantiu contrato por 25 anos, para as empresas que formaram um cartel, no valor de R$ 1 bilhão por ano, ou seja R$ 25 bilhões no período. Dinheiro este que está sendo sugado do bolso dos trabalhadores e da economia de Curitiba, pois a metade deste custo é arcado por toda a sociedade através do vale transporte.

Ao assumir a Prefeitura de Curitiba, em 2013, Gustavo Fruet afirmou que iria abrir a CPI da URBS, empresa de economia mista de controle municipal que gerencia o transporte coletivo. Todos acreditaram na promessa do prefeito e passaram a trabalhar neste sentido.

Foram constituídas várias comissões entre elas a CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal e a Auditoria do Tribunal de Contas. Os resultados do trabalho convergiram as mesmas conclusões: a licitação foi fraudada e a tarifa esta superfaturada. Leia mais