9 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em ‘Banditismo de Bolsonaro tem até certificado do COAF’, diz pesquisador da UFPR

‘Banditismo de Bolsonaro tem até certificado do COAF’, diz pesquisador da UFPR

O professor Ricardo Costa de Oliveira, pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), afirmou neste domingo (9) que o comprovado banditismo de Bolsonaro vem até certificado pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). ... 

Leia mais

22 de agosto de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Teia de nepotismo – o aparelho do Estado dominado há séculos por famílias no Paraná

nepotismoJorge Bernardi*

Download

O estado do Paraná, infelizmente para o povo que aqui vive, é um dos mais conservadores e reacionários do país. Os paranaenses são governados há séculos pelas mesmas famílias, que, com suas relações de parentesco, dominam o aparelho estatal, nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, passando por outro importante instrumento de poder e renda, os cartórios.

O exemplo está no governo do Estado que, após a redemocratização de 1982, nas nove eleições seguintes teve apenas cinco governadores, os quais pertenciam a apenas quatro famílias: José Richa, que governou de 1983 a 1986, e o seu filho Beto Richa, que deverá ficar até 2018; Álvaro Dias, de 1987 a 1990; Roberto Requião, no período de 12 anos, e Jaime Lerner, outros oito anos. Os vice-governadores que assumiram não contam.

E o que é pior todos, com exceção de Jaime Lerner, deixaram sucessores. E a impressão que se tem é que o herdeiro político nem sempre demonstra a mesma competência e liderança política e administrativa do seu ancestral.

É o caso do governador Beto Richa, que em todas as campanhas eleitorais lembrou ao eleitorado, à exaustão, o nome do pai. Ele conseguiu em um mandato arruinar as finanças do Estado e o bom nome de José Richa. Para não quebrar definitivamente o Paraná, Beto Richa promoveu o maior de todos os arrochos fiscais da história, aumentando tributos de mais de 90 mil produtos, além do IPVA em 40% e se apropriando do fundo de aposentadoria dos servidores.

Já há mais de 20 anos o Leia mais