9 de março de 2016
por admin
16 Comentários

Coluna do Rafael Greca: Curitiba vira sapolândia punk; fada madrinha de Fruet cai no buraco da Lava Jato

Download áudio

Rafael Greca*

Visitei uma Curitiba sobre palafitas que Fruet, ao tentar enganar a torcida, chama de novo “Parque do Bugio”. Nada mais do que um segmento, não urbanizado, do Parque do Iguaçu dos mapas dos prefeitos Jaime Lerner e Saul Raiz.

Descubro que esta parte da cidade precisa mais do que um prefeito. Precisa de um Moisés que salve o povo das águas e do lamaçal da omissão e da corrupção. Fica além do Campo de Santana, pra lá do Bairro dos Cruz, ao sudoeste da Caximba, onde o rio Barigui desagua no rio Iguaçu.

O aterro criminoso com lixo e resíduos de construção civil. Há algo de podre no ar. Nos aguapés, que fedem a esgoto, o chorume mistura-se às águas. Uma sapolândia punk, podem crer, caros leitores.

Fruet é um sapo que agora não vira mais príncipe. Condenado à mentira publicitária, à propaganda enganosa, agora que sua “fada Madrinha de 2012”, a senadora Gleisi caiu no buraco enlamaçado do processo Lava Jato.

O prefeito Fruet mudou pra pior o transporte público de Curitiba. E “fez” o curitibano perder o transporte que o mundo chegou a tomar por modelo. Sem justificativa, Fruet mexeu Leia mais

4 de dezembro de 2015
por admin
2 Comentários

Coluna do Bruno Meirinho: Uma cidade refém dos empresários do transporte coletivo

Download

Bruno Meirinho*

A atual situação da gestão do transporte coletivo em Curitiba é emblemática: de um lado, temos todos os elementos demonstrando a absoluta irregularidade dos contratos com as empresas, dos benefícios indevidos aos empresários e uma tarifa abusiva; de outro, os empresários dizendo o funcionamento é “deficitário” e que a tarifa precisa aumentar mais ainda.

Talvez nenhuma outra conjuntura teria permitido dizer, com tanta clareza, como essas empresas de transporte formam uma verdadeira máfia. E o mais grave: talvez nunca sentimos de forma tão evidente como a cidade é refém dessa máfia.

Por um lado, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) faz muito pouco para enfrentar o esquema das empresas do transporte. É vergonhosa a resistência meramente cenográfica da prefeitura e da Urbs frente às empresas. Simulam “enfrentamentos”, entram com ações perdidas na justiça, mas ignoram a parte mais importante: as pessoas na rua. Diante das manifestações de 2013, Fruet preferiu a passividade, desperdiçando a energia de todos que naquele momento se indignaram contra o cartel.

Por outro lado, é preciso ter clareza de como a cidade é refém das empresas de transporte coletivo. Mesmo que tivéssemos uma prefeitura mais corajosa e disposta a enfrentar as empresas, seguramente as consequências do enfrentamento seriam os locautes frequentes e outras condutas criminosas dos empresários do transporte coletivo.

É claro que condutas criminosas dos empresários poderiam ser punidas, mas isso levaria tempo, e, ainda que durassem apenas alguns dias, o maior dano já teria sido causado à cidade: o caos no transporte coletivo.

O mais trágico é que já não estamos muito longe do caos. Com a desintegração metropolitana, as tarifas abusivas, o descumprimento dos itens contratuais pelos empresários (como a renovação da frota), a burocracia kafkiana do cartão transporte, entre outros elementos do bizarro serviço de transporte coletivo da cidade, como ainda podemos temer o caos? Tem como ficar pior?

Já foi notado por muita gente, na CPI do transporte coletivo – com a atuação corajosa dos vereadores Bruno Pessuti (PSC) e Jorge Bernardi (REDE) – e na investigação do Tribunal de Contas do Estado, que a licitação do transporte coletivo de Curitiba teve uma série de absurdos. Entre eles, o episódio em que a cidade pagou, “voluntariamente”, uma “indenização” aos empresários do transporte coletivo que ganharam a licitação.

Há dois modelos de concessão de serviços públicos a empresas privadas, Leia mais

25 de novembro de 2015
por admin
3 Comentários

‘Urbs faz terrorismo e atrasa pagamento dos trabalhadores’

urbsA Urbanização de Curitiba (Urbs), empresa que administra o transporte público municipal da Capital, atrasou, sem qualquer aviso prévio ou justificativa, o pagamento de seus funcionários.

O Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) firmado entre a Urbs e o SindiUrbano, prevê que o pagamento deve ser feito sempre no dia 25 de cada mês. Esse pagamento é feito sempre pela manhã, mas até agora os valores não foram creditados na conta dos 1,5 mil trabalhadores.

Segundo o presidente do SindiUrbano, Valdir Mestriner, não há nenhum motivo para o atraso, pois não existe corte em nenhuma receita da Urbs. “Tudo nos leva a crer que se trata de puro terrorismo contra os trabalhadores para intimidar nossas mobilizações e reivindicações”, completou Valdir. Leia mais

11 de julho de 2015
por Esmael Morais
32 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: “A herança maldita de Beto Richa para Curitiba vai até 2035”

herancaJorge Bernardi*

Quando Prefeito de Curitiba Beto Richa fez a licitação do transporte coletivo de Curitiba. Uma reivindicação antiga da população que, em tese, deveria diminuir o preço da tarifa, já que permitiria a disputa entre interessados pela prestação do serviço.

Infelizmente a licitação se transformou num jogo de cartas marcadas em que, as mesmas empresas que operavam o sistema a décadas, dividiram os lotes entre si. A passagem de ônibus da capital paranaense, que sempre foi uma das mais baratas das capitais, após a concorrência, ficou entre as três mais do Brasil, e continua no preço atual de R$ 3,30.

A licitação garantiu contrato por 25 anos, para as empresas que formaram um cartel, no valor de R$ 1 bilhão por ano, ou seja R$ 25 bilhões no período. Dinheiro este que está sendo sugado do bolso dos trabalhadores e da economia de Curitiba, pois a metade deste custo é arcado por toda a sociedade através do vale transporte.

Ao assumir a Prefeitura de Curitiba, em 2013, Gustavo Fruet afirmou que iria abrir a CPI da URBS, empresa de economia mista de controle municipal que gerencia o transporte coletivo. Todos acreditaram na promessa do prefeito e passaram a trabalhar neste sentido.

Foram constituídas várias comissões entre elas a CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal e a Auditoria do Tribunal de Contas. Os resultados do trabalho convergiram as mesmas conclusões: a licitação foi fraudada e a tarifa esta superfaturada. Leia mais

16 de abril de 2015
por Esmael Morais
23 Comentários

Prefeituras de Araucária e Curitiba dão “chapéu” na inoperância de Ratinho Jr

Rossoni_richa_ratinho_fruetA novela do transporte público da Região Metropolitana de Curitiba tem um novo episódio e, tudo indica, traz um final menos infeliz para os usuários. Após o revolta de passageiros ocorrida no Terminal Vila Angélica, em Araucária, que teve a Polícia usando bombas e balas de borracha para conter os usuários do sistema, as prefeituras de Curitiba e Araucária vão tentar reintegrar o sistema de ônibus sem a participação do governo Beto Richa (PSDB). ... 

Leia mais

11 de novembro de 2014
por Esmael Morais
17 Comentários

UGT promete aliança com estudantes pela redução da tarifa de ônibus

fruet_ugt_tarifa.jpgA União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, indignada com aumento na tarifa do ônibus, que saltou nesta terça-feira (11) de R$ 2,70 para R$ 2,85, promete infernizar a vida do prefeito Gustavo Fruet (PDT) nos próximos meses. A entidade sindical avisa que fará uma aliança com o movimento estudantil para reduzir o preço da tarifa na capital e em outras cidades do interior do estado. ... 

Leia mais

16 de março de 2014
por Esmael Morais
15 Comentários

Curitiba não é Paris, mas é uma festa para a máfia do transporte coletivo

Curitiba continua um paraíso para as máfias que atuam no lixo, transporte, multas eletrônicas, aluguel de carros, dentre outros setores essenciais à  sociedade; prefeito Gustavo Fruet ainda permanece refém desses grupos econômicos que são conhecidos financiadores de campanhas eleitorais; nesta semana, na contramão do mundo, a tarifa do ônibus deverá ser reajustada na capital paranaense, medida que vai privilegiar o transporte individual ente o público; na França, as cidades de Paris, Caen e Rouen oferecem transporte gratuito em ônibus, trem, metrô e até bicicletas de graça para diminuir a circulação de carros e, consequentemente, a poluição nessas cidades; mas tem reação na terra das araucárias: Turma do Amendoim!, formada por velhos militantes e filiados do PT, promete incentivar protestos contra a Prefeitura; Curitiba não é Paris, mas é uma festa para os mafiosos.

Curitiba continua um paraíso para as máfias que atuam no lixo, transporte, multas eletrônicas, aluguel de carros, dentre outros setores essenciais à  sociedade; prefeito Gustavo Fruet ainda permanece refém desses grupos econômicos que são conhecidos financiadores de campanhas eleitorais; nesta semana, na contramão do mundo, a tarifa do ônibus deverá ser reajustada na capital paranaense, medida que vai privilegiar o transporte individual ente o público; na França, as cidades de Paris, Caen e Rouen oferecem transporte gratuito em ônibus, trem, metrô e até bicicletas de graça para diminuir a circulação de carros e, consequentemente, a poluição nessas cidades; mas tem reação na terra das araucárias: Turma do Amendoim!, formada por velhos militantes e filiados do PT, promete incentivar protestos contra a Prefeitura; Curitiba não é Paris, mas é uma festa para os mafiosos.

Eu sei que Curitiba não é Paris nem fica na França, mas a comparação é um método fantástico de aferição de políticas públicas.  ... 

Leia mais