10 de novembro de 2015
por admin
8 Comentários

Coluna do Enio Verri: Amigos de Richa também voam às custas do Paraná?

Enio Verri*

No domingo, a Folha de S. Paulo publicou reportagem que escancarou a farra de viagens aéreas do atual senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, quando era governador de Minas Gerais.

Entre 2003 e 2010, o tucano cedeu aviões do governo do Estado para deslocamento de amigos, entre celebridades, políticos, empresários e outras pessoas fora da administração pública. Segundo o jornalão, foram quase 200 viagens sem a presença de algum membro do governo a bordo, todas patrocinadas pelos cofres públicos mineiros.

Voaram de graça nos aviões de Minas Gerais, em nome da amizade com Aécio, o apresentador da Rede Globo, Luciano Huck; os cantores Sandy e Junior; o ex-homem forte da Rede Globo, José Bonifácio Sobrinho, o Boni; o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira e Roberto Civita, o falecido dono da Editora Abril, proprietária da revista Veja.

No Paraná, o governador Beto Richa é frequentemente flagrado confundindo o público e o privado quando o assunto é o uso de aeronaves do governo.

Em 2013, por exemplo, Richa usou o avião oficial para ir ao Rio de Janeiro assistir à final da Copa das Confederações. Mais grave, foi acusado neste ano de ceder o helicóptero da governadoria para a repressão aos professores no Centro Cívico. Segundo relatos, o aparelho de uso pessoal do governador despejou bombas de efeito moral e ouras munições nos professores e trabalhadores da educação que protestavam contra as mudanças na previdência.

Richa ainda foi condenado a reembolsar o governo estadual em R$ 2 milhões pela contratação emergencial de aeronaves em 2011. Segundo a Justiça, a irregularidade aconteceu na ausência de licitação na contratação dos aviões junto a empresa Helisul, que também prestou serviços para a campanha a governador do tucano.

O governador paranaense nunca escondeu a admiração pelas práticas políticas do candidato à presidência derrotado em 2014. A pergunta obrigatória dos paranaenses neste momento é: os “amigos” do governador Beto Richa também voam de graça, às custas do erário, nas aeronaves do governo do Paraná?

*Enio Verri é deputado federal, presidente do PT do Paraná e professor licenciado do departamento de Economia da Universidade Estadual do Paraná. Escreve nas terças sobre poder e socialismo.

Leia mais

18 de julho de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Revolução, delação premiada e o efeito borboleta mudando o Brasil

efeitoJorge Bernardi*

“O Brasil está vivendo uma revolução. Uma retomada da evolução. O mundo todo está vivendo uma insatisfação generalizada e internacional. Estamos vivendo num período de decadência moral que nunca a humanidade enfrentou. Está em curso a Revolução Brasileira, como houve a revolução francesa”. As palavras são do médico, psiquiatra, positivista, professor Paulo de Tarso Monte Serrat, então com 90 anos, em entrevista ao Programa Gestão Pública em Debate, em julho de 2013, ao falar sobre as manifestações populares que naquele período ocorriam em todo o Brasil.

As manifestações duraram o período da Copa das Confederações. Depois degradaram em violência e, finalmente, se extinguiram. As autoridades prometeram, e a presidenta Dilma, falou inclusive numa constituinte exclusiva para tratar da reforma política, um Plano Nacional de Mobilidade Urbana para diminuir o custo da tarifa do transporte.

Prometeram melhorar a saúde com médicos vindo do exterior; e combater a corrupção. Vieram as eleições em 2014, e os mesmos de sempre foram eleitos.

Poucas promessas foram cumpridas. Foi aprovada a lei da corrupção empresarial (lei nº 12.846/13). Esta lei permite o acordo de leniência, com as empresas que praticaram atos de corrupção e que colaborem efetivamente com a investigação, identificando outros envolvidos, admita a participação nas irregularidades, enfim coopere com as investigações. Esta é uma espécie de delação premiada para pessoas jurídicas como aquela que envolve pessoas naturais (Lei 8.072/90, art. 13). Leia mais

23 de maio de 2015
por Esmael Morais
34 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Vem aí ‘mais lama’ no governo Beto Richa

Garganta Profunda de Londrina é o codinome do informante do Blog do Esmael dentro do Palácio Iguaçu. Ele frequenta o mesmo andar do governador Beto Richa (PSDB), tem acesso ao mesmo elevador e aos detalhes da crise que tiram o sono e ameaçam o cargo do tucano.

Segundo prospecção de Garganta Profunda, com exclusividade para o Blog do Esmael, a condenação do governador do PSDB no caso das aeronaves tende a expor as vísceras de esquema de corrupção muito mais complexo. “Vem aí mais lama no governo Richa”, frisa o X-9 palaciano.

O informante também relaciona outras companhias de táxi aéreo, além da Helisul, como a PMR Táxi Aéreo, cujos donos também são proprietários da Ribas Construtora e da CC Pavimentadora.

Garganta Profunda de Londrina aproveita para lançar um desafio neste sábado (23): “Ganha um doce quem acertar, antes que os promotores do Ministério Público, a real propriedade do atual jato que serve o governador Beto Richa”.

A seguir, leia a íntegra do relatório de Garganta Profunda de Londrina:

De quem é esse jegue?

O anúncio de medidas judiciais por parte de Fernanda e Beto Richa, sobre as denúncias de recebimento de 2 milhões na promoção de auditores da Receita provocou forte reação no Ministério Público.

O GAECO já está processando informações recebidas que farão a notícia da condenação de Beto Richa, Helisul e Adilson Castilho, na Quarta Vara da Fazenda Pública, ser apenas a ponta de um enorme iceberg.

Que Beto Richa sempre teve sólidas ligações com Eloi Biesus, dono da Helisul, todo mundo já sabia. Até para assistir jogo da Copa das Confederações no Rio, Richa já voou nas asas da Helisul, empresa que possui gordos contratos com o governo.

Agora, além dessas notórias ligações de Beto Richa com a Helisul, outros personagens deverão desfilar nas páginas do noticiário.

Os fatos chegarão à campanha de 2010 de Beto Richa, à empresa PMR Taxi Aéreo e seus donos, Jandir Ribas e Cristiano Ribas.

São fartas as denúncias no noticiário do Maranhão, dos Murad e Sarney, sobre a PMR e seus donos.

As atividades destes dois empresários gaúchos, figurinhas carimbadas no circuito Palácio Iguaçu-Foz do Iguaçu, não para por aí.

Pai e filho, além de taxi aéreo, são empreiteiros, donos da Riba Leia mais