30 de Janeiro de 2018
por esmael
8 Comentários

Sem Lula na disputa, PSDB pode importar marqueteiro do presidente da França

Os tucanos apostam todas as fichas numa disputa presidencial sem a presença de Luiz Inácio Lula da Silva. Por acreditarem que será uma eleição dos “meios” e não dos “extremos”, o PSDB paulista consulta Guillaume Liegey, marqueteiro de Emmanuel Macron, eleito em maio de 2017 graças a apatia dos franceses com a política. Leia mais

24 de julho de 2017
por esmael
15 Comentários

Macron despenca na França; cai o último “exemplo” para a centro-direita brasileira

O presidente francês Emannuel Macron, uma espécie de geleia que chegou ao poder sem dizer se era “esquerda” ou “direita”, entrou em declínio depois de apenas três meses de mandato.

14 de julho de 2016
por esmael
13 Comentários

QUEDA DA BASTILHA: Ataque com caminhão deixa 60 mortos na França

ataque_nice_franceUm caminhão atropelou uma multidão na noite desta quinta, em Nice, França, deixando 60 mortos e dezenas de feridos. O atentado ocorreu durante os fogos de artifício em comemoração da tomada da Bastilha, marco da Revolução Francesa, em 1789.

18 de outubro de 2015
por esmael
15 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Um espião na cola de Beto Richa em Paris

A semana que passou era pra ter sido de calmaria no Palacio, mas foi um desastre.

Todo mundo esperava descansar com o feriadinho prolongado e com a viagem do governador, mas o que mais aconteceu por lá foi correria e ranger de dentes.

Pra terminar a semana, um próximo do governador daqueles que faz xixi com a porta aberta, muito influente no circuito Ecoville-Centro Cívico chegou com uma bomba daquelas dizendo que tinha informação segura de que a escala de retorno em Paris será acompanhada por bisbilhoteiros.

Ou seja, que terá gente na cola do Beto e da Fernanda, desde o desembarque filmando e fotografando tudo durante o período em que ficarem na capital francesa, o que ocorrerá em dias uteis, quando o comércio e os bancos funcionam normalmente.

Começou então a criticar a viagem, dizendo que ela foi inoportuna com um desgaste enorme, jogando morro abaixo todo trabalho feito pelos marqueteiros contratados a peso de ouro para recuperar a imagem do governador.

Aos ouvintes atônitos, o influente/próximo relembrava que os dois únicos empresários que acompanharam a comitiva foram um aquinhoado empreiteiro e o maior fornecedor de comidas para presos no Paraná, o que só fez aumentar a especulação sobre os reais objetivos da viagem.

Ele teme que deputados da oposição agora queiram esmiuçar os negócios de José Eugênio Gizzi e de Carlos Henrique Gusso (Cassi, para os íntimos) com o governo do Paraná, atingindo outros próximos do governador.

Soltando fogo pelas ventanas, o influente/próximo não poupou nem mesmo a presença do discreto Cristiano Hotz, dizendo ter sido um erro levar o advogado do governador na viagem, mesmo ele sendo agora diretor da COPEL, pois poderia dar margem a muitas outras interpretações.

A nova visita à sede da State Grid na China também teria sido um erro, no momento em que o governador Silval Barbosa (do Mato Grosso) está preso por corrupção e que o processo de Luiz Abi mudou de rumo no STJ, agora com novo relator, que é da carreira do MP do Distrito Federal, muito diferente do ministro que antes soltou Luiz Abi e que é, digamos, conhecido de uma jovem advogada paranaense que mora em Brasília.

A presença da própria Fernanda Richa foi questionada, pois não havia nenhuma agenda para ela e a desculpa de “companhia protocolar da primeira dama” não cola, pois Fernanda detesta ser apresentada assim.

Foi nessa parte da conversa que o caldo entornou, pois um assessor de Beto

13 de outubro de 2015
por esmael
61 Comentários

Em meio a crise do Paraná, Richa transforma Paris numa festa

do Brasil 247
A frente de um Estado mergulhado em uma crise financeira, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), prolongou uma viagem oficial e passou o fim de semana em Paris, hospedado num hotel cinco estrelas, às custas do erário.

Segundo reportagem de Estelita Hass, no roteiro de uma missão internacional para atrair investimentos da China, Rússia e França, com duração de 13 dias, que começa por Xangai nesta terça (13), não constava o final de semana em Paris. A capital francesa aparece só no fim, para visita a uma fábrica de veículos elétricos.

O governo do Paraná afirma que a escala em Paris foi uma “parada técnica”.

O Estado tem atualmente R$ 1 bilhão em dívidas com fornecedores e congelou um quarto do orçamento para pagar essas despesas.

16 de Abril de 2014
por esmael
35 Comentários

Da França, Orlando Pessuti envia carta ao ‘Blog do Esmael’ que fulmina coligação com Richa

O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, de Paris, na França, enviou nesta quarta (16) reafirmando sua fé na candidatura própria do partido ao governo do Paraná.

O peemedebista e a esposa, Dona Regina, fazem peregrinação no o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes naquele país do velho continente.

Na carta, Pessuti evita falar na sua candidatura ao Palácio Iguaçu, mas ressalta que defende o projeto autônomo do PMDB. “Nenhum peemedebista consciente vai trabalhar contra o partido”, ordena.

Na matemática de experientes analistas políticos Pessuti e o senador Roberto Requião, juntos, somariam mais de 90% dos votos na convenção estadual do PMDB prevista para junho.

Na prática, o secretário-geral do PMDB, da França, fulmina a hipótese de coligação com o governador Beto Richa:

A seguir, leia a íntegra carta de Pessuti:

Caro Esmael:

Para recarregar a bateria, a Regina e eu estamos no Santuário de Nossa Senhora de Lourdes aqui na França. Em seguida vamos até o Vaticano, comemorando a Semana Santa. Antes do final do mês estaremos de volta ao Paraná para completar o roteiro de visitas à s bases peemedebistas.

Estamos avaliando os contatos feitos em mais de 300 municípios e já concluímos que o nosso partido continua o maior do Estado e com condições de vitória na próxima eleição majoritária. Evidências matemáticas como o fato de que apenas dois dos últimos oito governos do Paraná não foram do PMDB, reforçam a nossa crença partidária.

Também estamos convictos de que o partido caminha para uma prévia para definir a candidatura própria ao Palácio Iguaçu. Nenhum peemedebista consciente vai trabalhar contra o partido. Com certeza a diminuição da importância da sigla não está na pauta do PMDB. A folha de serviços prestados ao Estado credenciou a sigla como um patrimônio institucional.

Abraços
Orlando Pessuti