15 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em A provas falsas contra Lula

A provas falsas contra Lula

Os jornalões brasileiros se arrepiam quando falam das provas falsas contra o ex-presidente Lula no âmbito da lava jato. Mas o que começou a pipocar somente agora aqui, no Brasil, há meses, já vinha sendo denunciado por dois jornalistas brasucas radicados na Suécia (Wellington Calasans) e na Suíça (Romulus Maya), ambos do site Duplo Expresso. Leia mais

13 de outubro de 2015
por esmael
7 Comentários

PSOL pede a cassação de Cunha no Conselho de Ética da Câmara

O PSOL protocolou representação na tarde desta terça-feira (13), no Conselho de Ética da Câmara, contra o presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O partido acusa Cunha de quebra de decoro parlamentar devido denúncia na Lava Jato, de propina de US$ 5 milhões, e contas secretas na Suíça.

O presidente da Câmara pretendia dar início hoje ao rito de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT), mas liminares do Supremo Tribunal Federal (STF) travaram o golpe paraguaio em curso.

10 de outubro de 2015
por esmael
16 Comentários

Após contas na Suíça, articuladores do ‘golpe paraguaio’ abandonam Cunha

do Brasil 247

cunha_oposicaoA aliança tática da oposição com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), titular de contas secretas na Suíça que receberam mais de R$ 23 milhões em depósitos nos últimos anos, não resistiu ao peso das denúncias.

Em nota divulgada nesta sábado, os partidos que articulam o golpe paraguaio contra a presidente Dilma Rousseff, como o PSDB, de Aécio Neves, o DEM, de Agripino Maia (réu no STF), o Solidariedade, de Paulinho da Força (também réu no STF), e o PPS, de Roberto Freire, decidiram abandonar Cunha.

O presidente da Câmara, no entanto, garante que nada irá fazer com que ele renuncie ao cargo – nem mesmo o abandono dos antigos aliados (leia mais aqui).

Leia, abaixo, a íntegra da nota:

3 de outubro de 2015
por esmael
17 Comentários

Veja essa: revistas descobrem que Eduardo Cunha não existe

do Brasil 247

brito_revistasO desinteresse das revistas semanais pelos US$ 5 milhões escondidos pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Suíça, deixou indignado o escritor Fernando Morais. Eis o que ele postou no Facebook:

o presidente da câmara dos deputados é acusado pelo governo da suíça de manter várias contas secretas no país, para lavagem de dinheiro – fato que ele havia negado diante de uma cpi. e o que é o assunto de capa das três maiores revistas nacionais? o ex-presidente lula. é a merecida paga que o pt recebe por ter, durante doze anos, chocado o ovo dessa serpente com verbas publicitárias do estado.

Fernando Brito, editor do Tijolaço, também escreveu a respeito:

Sensacional: revistas descobrem que Eduardo Cunha não existe!

18 de Março de 2015
por esmael
Comentários desativados em Suíça bloqueia R$ 1,3 bilhão de contas de investigados na Lava Jato

Suíça bloqueia R$ 1,3 bilhão de contas de investigados na Lava Jato

da Agência Brasil

bloc.jpgO Ministério Público da Suíça anunciou hoje (18) o bloqueio de R$ 1,3 bilhão de empresas e pessoas envolvidas na Operação Lava Jato. O valor é equivalente a US$ 400 milhões. O bloqueio faz parte de um acordo de cooperação com o Ministério Público Federal, responsável pela investigação.

De acordo com as autoridades suíças, foram localizadas 300 contas, nas quais houve movimentação de milhões de dólares por ex-diretores da Petrobras e executivos das empreiteiras investigadas. Até o momento, R$ 390 milhões (US$ 120 milhões) foram repatriados.

3 de junho de 2014
por esmael
1 Comentário

Suíça barra ajuda ao Brasil após MPF vazar dados da Alstom

do Brasil 247
Vazamentos de dados sigilosos do caso Alstom fizeram a Suíça suspender a cooperação judicial que mantinha com o Brasil. Medida foi tomada após a divulgação de nomes e dados bancários dos investigados, como os do conselheiro Robson Marinho, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), ex-chefe da Casa Civil de Mario Covas (1998), suspeito de receber propina da multinacional francesa para favorecê-la em contrato.

Segundo reportagem do Estado de S. Paulo, o país europeu avisa que só retomará a colaboração quando receber justificativa válida sobre o vazamento do acórdão enviado ao Ministério Público no Brasil sobre o caso Alstom.

Nele, a Suíça informa que Marinho detinha o direito econômico! da Higgins Finance, constituída nas Ilhas Virgens Britânicas, que recebeu depósitos de US$ 2,7 milhões entre 1998 e 2005 da Alstom. O Ministério Público informa ter provas de que o dinheiro de Marinho tem origem em propinas.

Na Suíça, os nomes dos investigados são mantidos em sigilo até que sejam condenados. Sendo assim, o Brasil teria violado o princípio de boa-fé!.

O advogado de Marinho, Celso Vilardi, não se diz surpreso: Dado o espetáculo midiático que aconteceu em torno desse caso, eu não me surpreendo com a decisão suíça!.

29 de Janeiro de 2014
por esmael
17 Comentários

Comissão de à‰tica torce nariz para denúncias do PSDB sobre viagem de Dilma

do Brasil 247

O presidente da Comissão de à‰tica, Américo Lacombe, informou que o colegiado não tem competência para investigar a Presidência da República e, por isso, a representação foi arquivada liminarmente; "Não temos competência para julgar nem o presidente nem vice-presidente, só ministro de Estado pra baixo. Quem fez o regulamento não foi o presidente Lula, foi o presidente Fernando Henrique Cardoso. Se o deputado quiser, que vá se queixar com o líder do partido dele", disse; PSDB entrou com ação por parada de Dilma em Portugal, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba.

O presidente da Comissão de à‰tica, Américo Lacombe, informou que o colegiado não tem competência para investigar a Presidência da República e, por isso, a representação foi arquivada liminarmente; “Não temos competência para julgar nem o presidente nem vice-presidente, só ministro de Estado pra baixo. Quem fez o regulamento não foi o presidente Lula, foi o presidente Fernando Henrique Cardoso. Se o deputado quiser, que vá se queixar com o líder do partido dele”, disse; PSDB entrou com ação por parada de Dilma em Portugal, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba.

A Comissão de à‰tica da Presidência decidiu arquivar, por unanimidade, um pedido de investigação contra a presidente Dilma Rousseff (PT) por causa de uma escala feita em Portugal no sábado, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba. O pedido de representação foi feito pelo PSDB ontem, mas no mesmo dia a presidente justificou a parada (que foi feito para reabastecimento do avião e por questões climáticas). Leia mais

28 de novembro de 2013
por esmael
12 Comentários

Homem-bomba do PSDB-SP operou R$ 28 mi na Suíça

do Brasil 247 Apontado pela Polícia Federal como responsável por receber e intermediar pagamentos de propina a importantes nomes do PSDB durante os governos tucanos de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, no caso da francesa Alstom, Jorge Fagali Neto agora é alvo de uma nova acusação: ter movimentado nada menos que R$ 28 milhões em bancos estrangeiros na Suíça num período de dez anos (de 1997 a 2007).

O ex-secretário de Transportes no governo Luiz Antonio Fleury Filho (PMDB) é irmão de José Jorge Fagali, ex-presidente do Metrô na gestão Serra. Considerado o homem bomba! do escândalo de corrupção em contratos firmados pelo grupo Alstom para fornecer energia ao metrô de São Paulo, Jorge Fagali tinha autorização para movimentar no paraíso fiscal a conta do responsável por uma das consultorias suspeitas de movimentar propina para a Alstom: a Taltos, de José Geraldo Villas Boas.

No inquérito do Ministério Público, ele também aparece como representante de três fundações no exterior: Andrius e Lenobrig, em Lichtenstein, e Niton Foundation, no Panamá. à‰ também representante da offshore Woler Consultants, no Panamá. José Fagali Neto foi denunciado à  Polícia Federal pela secretária Edna Flores, que entregou aos Ministério Público estadual e federal emails pessoais do consultor, segundo denúncia do jornal O Globo.

Nas mensagens, fica evidente o livre trânsito da família Fagali à  cúpula do tucanato. Segundo a secretária, o engenheiro Pedro Benvenuto, atual secretário-executivo do conselho gestor de Parcerias Público-Privadas frequentava o escritório do consultor em 2006 e 2007, quando era coordenador de gestão da Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo, à  qual estão subordinadas o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Em 2006, Alckmin era o governador. Em 2007, José Serra. Suspeito de intermediar propinas da Alstom, José Fagali Neto teve bloqueada uma conta de US$ 6,5 milhões na Suíça.

Deputado Paulo Teixeira (PT) defende investigação contra cartel

Em discurso na Câmara nesta quarta-feira 27, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) foi duro ao pedir investigação detalhada sobre o caso de propina em gestões do PSDB no estado de São Paulo. Segundo ele, o PSDB, em vez de esclarecer se há ou não corrupção nas licitações do Metrô, apenas atacou os responsáveis pela investigação durante coletiva de imprensa na última terça-feira 26. A cúpula do partido também acusa o deputado licenciado Simão Pedro (PT-SP) de traduzir a denúncia de forma a prejudicar os membros da legenda.

O parlamentar demonstrou seu apoio ainda ao ministro da Justiça, acusado pelos tucanos de agir politicamente ao entregar a denúncia sobre o caso