22 de Abril de 2014
por esmael
20 Comentários

André Vargas ganha tempo, mas pode ser expulso do PT

do Brasil 247 O deputado federal André Vargas (PT-PR) enfrentou uma reunião dura e tensa com a direção nacional do PT, nesta terça-feira 22, em Brasilia. Ele ouviu pedidos diretamente do presidente da legenda, Rui Falcão, para que renuncie o quanto antes ao seu mandato. “Você não terá condições de sustentar uma defesa convincente na comissão de ética”, disse Falcão, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. Vargas, porém, resolveu topar a parada e retorquiu Falcão negando que vá cumprir a ordem. O ex-vice-presidente da Câmara teria sido alertado de que, nesse caso, deverá ser expulso do PT.

Os deputados José Mentor (SP) e Luiz Sérgio (RJ) escudaram Vargas na reunião com o comando petista. à€ tarde, o deputado petista Zé Geraldo (PA) pediu vistas do relatório que acabara de ser lido com o parecer favorável à  cassação do mandato de Vargas. Ele afirmou que fizera o gesto a pedido do próprio Vargas, que lhe pedira para ganhar tempo. Desse modo, na prática, Vargas deu curso à  negativa de renunciar imediatamente, como deseja a direção partidária. Em outras palavras, peitou Rui Falcão e o partido.

Abaixo, notícia anterior de 247:

247 !“ Relator do processo contra o deputado licenciado André Vargas (PT-PR) na Comissão de à‰tica da Câmara, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) leu nesta terça-feira 22 parecer preliminar que pede a continuidade do processo contra o parlamentar por quebra de decoro. Vargas é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, que investiga esquema de lavagem de dinheiro.

A votação para aprovação do parecer, porém, foi adiada pelo Conselho por duas sessões do Plenário, marcada agora para o próximo dia 29, porque o deputado Zé Geraldo (PT-PA) pediu vista do processo. O pedido de vista foi subscrito pelo deputado José Carlos Araújo (PSD-PA).

“Quero deixar claro que isso não é uma posição do meu partido. à‰ uma decisão minha”, defendeu Zé Geraldo (PT-PA). O deputado acrescentou que o pedido de mais tempo para análise do caso foi feito pelo próprio André Vargas. “Ele está querendo esse tempo e esse tempo esta sendo dado a ele. Ele pediu”, disse. Segundo ele, Vargas está decidindo se irá ou não renunciar ao mandato.

“A situação do André não é confortável e precisa de um tempo para tomar a sua decisão. Agora ele tem essa semana para refletir sobre o que vai fazer”, afirmou. Nesta terça-feira, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que a renúncia de Vargas será aceita, com efeito imediato, caso ele decida por isso.

Se a maioria do colegiado votar favoravelmente ao parecer de Júlio Delgado, será dada continuidade na tramitação do processo por quebra de decoro, que poderá resultar na

29 de Janeiro de 2014
por esmael
17 Comentários

Comissão de à‰tica torce nariz para denúncias do PSDB sobre viagem de Dilma

do Brasil 247

O presidente da Comissão de à‰tica, Américo Lacombe, informou que o colegiado não tem competência para investigar a Presidência da República e, por isso, a representação foi arquivada liminarmente; "Não temos competência para julgar nem o presidente nem vice-presidente, só ministro de Estado pra baixo. Quem fez o regulamento não foi o presidente Lula, foi o presidente Fernando Henrique Cardoso. Se o deputado quiser, que vá se queixar com o líder do partido dele", disse; PSDB entrou com ação por parada de Dilma em Portugal, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba.

O presidente da Comissão de à‰tica, Américo Lacombe, informou que o colegiado não tem competência para investigar a Presidência da República e, por isso, a representação foi arquivada liminarmente; “Não temos competência para julgar nem o presidente nem vice-presidente, só ministro de Estado pra baixo. Quem fez o regulamento não foi o presidente Lula, foi o presidente Fernando Henrique Cardoso. Se o deputado quiser, que vá se queixar com o líder do partido dele”, disse; PSDB entrou com ação por parada de Dilma em Portugal, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba.

A Comissão de à‰tica da Presidência decidiu arquivar, por unanimidade, um pedido de investigação contra a presidente Dilma Rousseff (PT) por causa de uma escala feita em Portugal no sábado, durante viagem entre Davos, na Suíça, e Havana, em Cuba. O pedido de representação foi feito pelo PSDB ontem, mas no mesmo dia a presidente justificou a parada (que foi feito para reabastecimento do avião e por questões climáticas). Leia mais