7 de Maio de 2018
por esmael
Comente agora

A esquecida doação de 10 bilhões de reais pela Petrobras aos abutres

Assim o senador Roberto Requião (MDB-PR) começa seu artigo sobre os fundos abutres: “A defesa da soberania brasileira foi entregue à Rede Globo, e a Rede Globo, tempos atrás, se apressou a defender a infame e quase esquecida doação de 10 bilhões de reais a fundos abutres americanos detentores indiretos de ações da Petrobrás, em ação arbitrada por juiz norte-americano.” Abaixo, leia a íntegra. Leia mais

22 de Abril de 2018
por esmael
Comentários desativados em FHC é um ressentido, segundo Gleisi

FHC é um ressentido, segundo Gleisi

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, chamou de “ressentido” o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. FHC disse na semana que ‘Lula não é preso político, é político preso’. Para a porta-voz de Lula, “é muito ressentimento” envolvido na declaração do tucano. Leia mais

13 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Vaza a fórmula da Globo para 2018

Vaza a fórmula da Globo para 2018

A Globo tem uma fórmula secreta para as eleições de 2018 cuja síntese é “FHC + Huck = Fuck”. Era secreta. Vazou, caiu na rede, não é mais segredo. Leia mais

9 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Senador Roberto Requião vê “involução senil” de FHC no apoio a Luciano Huck

Senador Roberto Requião vê “involução senil” de FHC no apoio a Luciano Huck

O senador Roberto Requião (MDB-PR) afirmou nesta sexta (9) que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve “involução senil” ao declarar apoio à candidatura do apresentador Luciano Huck à Presidência da República. “Ele [FHC] não apoiava o Beto Richa?”, cutucou. Leia mais

9 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Luciano Huck e Globo enganaram o TSE?

Luciano Huck e Globo enganaram o TSE?

O apresentador Luciano Huck jurou em sua defesa junto ao TSE que não é candidato a presidente da República. Ele foi representado pelo PT por campanha eleitoral antecipada no programa Domingão do Faustão, na Globo. Leia mais

4 de Fevereiro de 2018
por esmael
110 Comentários

Gleisi Hoffmann: “Defender Lula, garantir sua candidatura e denunciar o golpe”

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, sinaliza que o partido não reconhecerá o resultado das eleições se Lula for impedido de candidatar-se à Presidência da República. “Sem ela [a candidatura], teremos a ilegitimidade do processo eleitoral e a continuidade da ruptura do pacto democrático que fizemos na Constituição de 1988: voto soberano e eleições livres!”, escreve. Leia mais

26 de novembro de 2016
por esmael
8 Comentários

Vem aí o golpe no golpe: “Ou Temer cai pelo TSE ou cai pela Câmara”

temerA própria bancada de “sustentação” na Câmara avalia que Michel Temer (PMDB) não sobreviverá à tempestade após a queda do 6º ministro em seis meses de golpe de Estado.

17 de setembro de 2016
por esmael
19 Comentários

Paulo Henrique Amorim: Apê de FHC é investigado criminalmente

fhc_ap_lavajatoO jornalista Paulo Henrique Amorim, o PHA, do Conversa Afiada, traz neste sábado (17) reportagem sobre o pixuleco de R$ 2,99 milhões no subfaturamento da compra do apartamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso — o FHC. Enquanto isso, lembra o ansioso blogueiro, a Lava Jato persegue o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por apartamento e sítio que não estão em seu nome. Como pode isso?

17 de agosto de 2016
por esmael
27 Comentários

Requião pede a cabeça de Serra por tentativa de compra de votos no Mercosul

requiao_fhc_serraO senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente do Parlasul, o parlamento do Mercosul, defendeu nesta quarta (17) a demissão imediata do ministro interino das Relações Exteriores José Serra (PSDB).

16 de agosto de 2016
por esmael
15 Comentários

Serra e FHC tentaram fazer no Mercosul o que fizeram no Brasil: comprar votos

serra_compra_fhcO jornal El País, do Uruguai, traz reportagem nesta terça (16) denunciando que o ministro interino das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, tentou comprar o voto do país vizinho no Mercosul para suspender a presidência da Venezuela no bloco.

29 de julho de 2016
por esmael
2 Comentários

Prática antissindical em empresa privatizada vira tese de doutorado na UFPR

sandro_ufprO advogado trabalhista e professor da UFPR Sandro Lunard, de Curitiba, apresentará nesta sexta-feira (29), às 14 horas, sua tese de doutorado sobre ‘práticas antissindicais’ que usa como caso concreto a Ultrafértil — empresa subsidiária da Petrobras privatizada no início dos anos 90 pelo governo Fernando Henrique Cardoso.

14 de Março de 2016
por admin
18 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: Porque navegar é preciso

“Sei que há léguas a nos separar. Tanto mar, tanto mar.
Sei, também, como é preciso, Navegar, navegar”.
Chico Buarque

Ouça o áudio:

Luiz Cláudio Romanelli*

Há 50 anos, no dia 24 de março de 1966, nascia o Movimento Democrático Brasileiro, reunindo os políticos progressistas oriundos dos partidos políticos extintos pelo Ato Institucional nº 2. Mais do que um partido, era uma frente na luta contra a ditadura e a repressão militar, na defesa dos direitos fundamentais como a liberdade, igualdade e a democracia. Em 1980, por força da reforma partidária, surge o PMDB, partido majoritário da oposição.

Foi nesse PMDB, símbolo de resistência contra o regime militar, que lutava pela anistia, contra o arbítrio e as violações dos direitos humanos, que me filiei.

Aos vinte e poucos anos, idealista e combativo, fui um dos fundadores do partido no Paraná e tive a honra e o privilégio de conviver com políticos como Euclides Scalco, José Richa, Álvaro Dias, Walter Pecoits, Adhail Sprenger Passos, Goiá Campos, Maurício Fruet, Enéas Faria, Waldyr Pugliesi, Requião e tantos outros homens públicos de caráter e conduta irretocáveis.

Foi nesse PMDB que trabalhei para eleger José Richa governador e Alvaro Dias senador, em 1982, na primeira eleição direta para governadores pós-64. Como na música Tanto Mar, de Chico Buarque: “foi bonit

23 de Fevereiro de 2016
por admin
39 Comentários

Coluna do Enio Verri: Massacre midiático e ódio seletivo contra o PT

Download áudio

Enio Verri*

Propagadas por uma elite midiática e uma parcela da sociedade, em sua maioria, pertencente às classes mais abastadas, as incoerências e inconsequências do conservadorismo e ódio seletivo beiram o ridículo, quando não, a insanidade e irresponsabilidade com os brasileiros

Sem a menor preocupação com provas ou com o respeito ao direito de defesa de qualquer brasileiro, o caça às bruxas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, forjado sob mentiras e boatos presentes nos meios de comunicação, revela-se cada vez mais como uma tentativa de criminalização do Partido dos Trabalhadores do que propriamente uma investigação judiciária.

Enquanto as manchetes tentam incriminar o ex-presidente, baseando-se em boatos, mentiras e opiniões individuais, buscando a todo custo ligá-lo a denúncias de corrupção, os tucanos continuam impunes ao massacre midiático e protegidos no judiciário.

Aécio Neves, delatado como beneficiado de propinas de Furnas e responsável pela construção de um aeroporto, com dinheiro público, na fazenda de seu tio; e Fernando Henrique Cardoso, também ex-presidente, acusado de um esquema de beneficiar empresas, de mandar dinheiro ao exterior de forma ilegal e de garantir emprego de uma funcionária fantasma no mandato de José Serra, parecem não ter com que se preocupar.

Escondido na grande mídia e de pouca importância para aqueles com ódio seletivo e para setores do judiciário, casos como dos tucanos não ganham a mesma conotação, nem os mesmos esforços para investigar denúncias de corrupção envolvendo a oposição – os boatos e supostos “amigos” nunca envolvem lideranças do PSDB.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, a jornalista Mirian Dutra, ex-amante de FHC, acusou o ex-presidente de bancar as suas despesas e de seus filhos no exterior por meio de um contrato fictício com empresa Brasif S.A. Importa

11 de setembro de 2015
por esmael
28 Comentários

É mais fácil sair o impeachment de Richa que o de Dilma

beto_dilma_panelacoO país inteiro assiste estarrecido há meses uma insana marcha golpista que tenta remover a presidenta Dilma Rousseff e o PT do poder central. Eles foram democraticamente eleitos por 54 milhões de eleitores em 2014, mas, ao que parece, isso não importa muito para a velha mídia e o PSDB. Leia mais

27 de julho de 2015
por esmael
37 Comentários

PSDB vai para a TV convocar o golpe contra Dilma

via Brasil 247.

O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), disse nesta segunda-feira que “na próxima semana, o PSDB começa a veicular inserções de 30 segundos convocando ‘os indignados’ com a crise a participar da manifestação nacional marcada pelos movimentos de rua, para o dia 16 de agosto”. O ato organizado por movimentos golpistas pedirá o impeachment da presidente Dilma Rousseff nas ruas, como já fez em outras ocasiões. Aécio, que chegou a ser chamado de traidor por esses ativistas nas outras manifestações, em que não esteve presente, desta vez entrou de cabeça na causa.

O tucano também malhou a iniciativa da presidente Dilma Rousseff de querer realizar uma reunião com os governadores para propor um pacto da governabilidade e discutir o projeto de reforma do ICMS. Para o tucano, se Dilma não conseguir levar o seu mandato até o fim, a culpa é dela própria, e não da oposição. Segundo Aécio, a ideia é uma tentativa de “dividir a crise” e constranger os governadores ao obrigá-los a participar do encontro, previsto para a próxima quinta-feira em Brasília.

“O constrangimento chega ao inimaginável de ameaças veladas e de trazer a Brasília os governadores para dar apoio a presidente Dilma para tirar uma fotografia e simular apoio por uma coisa com a qual não tem nada a ver. Essa reunião é uma busca de socorro de alguém que quer que lhe joguem uma boia salva-vidas. O que a presidente tem é de fazer um mea-culpa para ver se recupera um pouco da credibilidade que ainda lhe resta”, disparou.

O parlamentar negou que o PSDB esteja dividido em relação às ações a serem tomadas para tentar tirar a presidente do poder, como o impeachment, a cassação do diploma da chapa de Dilma e do vice, Michel Temer (PMDB), ou ainda deixá-la completar o mandato até o fim, em 2018, discurso disseminado por tucanos mais moderados, como os governadores Geraldo Alckmin (São Paulo), Marconi Perillo (Goiás) e Simão Jatene (Pará).

Segundo Aécio, no entanto, o que se fala hoje nos botecos e nas esquinas é apenas um assunto: não se sabe se Dilma ficará no cargo até o fim deste ano. Sobre o projeto de assumir a presidência, assegurou que “se um dia tiver a oportunidade de ser presidente da República, será unicamente pelo caminho do voto, não por outra saída qualquer”.

O presidente do PSDB também criticou a suposta tentativa do governo e do PT, por meio do ex-presidente Lula, segundo noticiou a Folha, de se aproximar da oposição, e disseminou o discurso feito pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no fim de semana. “Fernando Henrique deu o tom certo: quem pariu Mateus que o embale. Não nos culpem. A instabilidade que atravessam é obra desse governo. Isso não é mais um governo. É um arremedo de governo e o desfecho da presidente Dilma é responsabilidade exclusiva dela, não das oposições”, afirmou. Ele também descartou qualquer possibilidade de diálogo: “Não se conversa com quem não se confia. E nós não confiamos no PT”.

“O que vai acontecer depende mais do governo e do PT do que dos partidos de oposição. O que queremos é que as instituições funcionem e façam o seu trabalho. Eu digo uma coisa: se um dia eu tiver a oportunidade de ser presidente da República, será unicamente pelo caminho do voto, não por outra saída qualquer. Mesmo porque ninguém conseguirá enfrentar a profunda crise que atravessamos, se não for legitimado pelo voto. Para nós o calendário de 2018 sempre foi o mais adequado, mas a presidente Dilma só agrava a situação a cada dia, o que deixa a incerteza de cumprir seu mandato até o final”, afirmou.

10 de julho de 2015
por esmael
31 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Beto Richa ‘acertou’ a Globo ‘por cima’

rpcPrincipal informante do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, o famigerado Garganta Profunda de Londrina, nos brinda nesta sexta-feira (10) com novidades sobre o ‘acerto’ do governador Beto Richa (PSDB), por cima, com Rede Globo. Leia mais

9 de Abril de 2015
por esmael
30 Comentários

Agora vai! Beto Richa visita FHC e pede conselhos para sair da crise e fugir de investigações no PR

betoefhcO governador Beto Richa (PSDB) visitou ontem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em seu instituto, em São Paulo, e publicou a foto acima em seu perfil no Facebook. Apesar de não confessar, Richa foi pedir conselhos sobre como tirar seu governo do buraco e escapar das investigações de corrupção que chegaram a sua família e rondam seu gabinete. Leia mais

3 de Fevereiro de 2014
por esmael
13 Comentários

Alstom reconhece propina em usina do governo FHC

do Brasil 247
Um dos pivôs dos escândalos de suborno de governos tucanos em São Paulo, a Alstom reconheceu também ter pago uma comissão, em janeiro de 1999, para vender equipamentos para a hidrelétrica de Itá, em Santa Catarina. O valor correspondia a R$ 1,6 milhão (em valores de hoje, R$ 6 milhões). A revelação consta em documentos de uma auditoria interna, publicados pela Folha de S. Paulo.

A hidrelétrica de Itá foi um dos projetos do programa de privatização no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Em 1995, a Eletrobras assinou a concessão para o consórcio AAI (Associação de Autoprodutores Independente), formado pela CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), OPP Petroquímica e OPP Polietilenos (empresas do grupo Odebrechet) e a Companhia de Cimento Itambé.

Segundo fontes ouvidas pela Folha, a Eletrobras e a Eletrosul eram as empresas que tinham relações com a Alstom porque a multinacional é uma tradicional fornecedora do setor elétrico.

Em São Paulo, segundo depoimento à  Justiça do ex-diretor comercial da multinacional, o engenheiro francês André Botto, a direção da Alstom na França autorizou o pagamento de propina de 15% sobre um contrato de US$ 45,7 milhões (R$ 52 milhões à  época) para fechar um negócio com uma estatal paulista em 1998.

O esquema resultou no contrato com a EPTE (Empresa Paulista de Transmissão de Energia) e a Eletropaulo para a venda de equipamentos para três subestações de energia.

O documento também menciona propina à  Secretaria de Energia e à s diretorias administrativa, financeira e técnica da EPTE. Na época, a pasta era comandada por Andrea Matarazzo – hoje vereador em São Paulo pelo PSDB, que arrecadou US$ 3 milhões para a própria reeleição de FHC (relembre aqui).

Propina para o presidente e todos os diretores

Reportagem desta segunda-feira do jornal Estado de S. Paulo também informa que, em depoimento à  Polícia Federal, o ex-diretor administrativo da EPTE Gerson Kozma afirmou que ouviu nos corredores da extinta estatal que a multinacional francesa Alstom pagava propina para o presidente da EPTE, o diretor técnico, o diretor financeiro, bem como para funcionários da área técnica.

Segundo a Procuradoria, a Alstom ofereceu propina de R$ 23,3 milhões a funcionários públicos do Estado entre 1998 e 2003, nas gestões Mário Covas e Geraldo Alckmin, ambos do PSDB (