23 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Delegação do Brasil “dá o cano” na imprensa no Fórum em Davos

Delegação do Brasil “dá o cano” na imprensa no Fórum em Davos

O presidente Bolsonaro, o chanceler Araújo e os ministros Moro e Guedes não aparecerem para o pronunciamento que fariam à imprensa nesta quarta-feira (23), em Davos, Suíça.  ... 

Leia mais

11 de setembro de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

É mais fácil sair o impeachment de Richa que o de Dilma

beto_dilma_panelacoO país inteiro assiste estarrecido há meses uma insana marcha golpista que tenta remover a presidenta Dilma Rousseff e o PT do poder central. Eles foram democraticamente eleitos por 54 milhões de eleitores em 2014, mas, ao que parece, isso não importa muito para a velha mídia e o PSDB.

Até o Batman — deputado Francischini (SD) — sabe o senador tucano Aécio Neves (MG) ainda não se conformou com a derrota nas urnas. Passou quase um ano, mas a ferida ainda não cicatrizou para o parlamentar, que tende perder a vez no partido para o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, na disputa de 2018.

Pois bem, ontem (10) os brasileiros viram mais um passo rumo na tentativa do golpe. Diante de pixulecos (bonequinhos de Lula), deputados de oposição lançaram um movimento pró-impeachment da presidenta da República. São as mesmas caras feias que sempre conspiraram contra a democracia.

O diabo é que o desejo dos oposicionistas não encontra sustentação na realidade, por isso o grupo pode ser classificado como natimorto.

Dilma errou no segundo mandato principalmente na escolha do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e a manutenção do representante dos banqueiros no governo passa ser peça-chave da chantagem desse golpismo.

Há mais motivos para o impeachment do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), do que impedir Dilma. Senão, vejamos.

A gestão do primo do lobista Luiz Abi Antoun chafurdou-se em esquemas de propina na Receita Estadual, fraudou licitação no governo do estado, massacrou professores no Centro Cívico, cometeu crimes cibernéticos contra adversários e jornalistas por meio da “Tenda Digital”, enfim, tudo anotado pelo Ministério Pública e objeto de ação na Justiça.

Como se vê, há elementos concretos para o afastamento do governador paranaense. Entretanto, ele é tucano e goza de certa blindagem na velha mídia,

depois de uns pixulecos acertados com a Globo ... 

Leia mais

10 de julho de 2015
por Esmael Morais
31 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Beto Richa ‘acertou’ a Globo ‘por cima’

rpcPrincipal informante do

Blog do Esmael ... 

Leia mais

9 de novembro de 2014
por Esmael Morais
29 Comentários

Bolsa-Imprensa x Bolsa-Família: Verdades & mitos pós-eleição e regulação da mídia no Brasil

bolsa_imprensa_bolsa_familia.jpgDurante a campanha presidencial deste ano deparamos com mitos e verdades, que, à  medida que o evento fica para trás e despimo-nos daquelas paixões eleitorais, fica mais fácil analisarmos friamente o que se passou e projetarmos o nosso futuro.

O primeiro mito a ser desfeito diz respeito à  concessão do programa Bolsa-Família criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à  alimentação e o acesso à  educação e à  saúde. Segundo a Caixa Econômica Federal, mais de 13 milhões de famílias são atendidas em todo o país. Cerca de 50 milhões de brasileiros são acudidos por essa política pública.

O Bolsa-Família significou a transferência de R$ 25 bi à s famílias em situação de risco, mas a economia brasileira obteve como retorno R$ 45 bi adicionados ao Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Agora vamos ao “Bolsa-Imprensa”. Durante a campanha eleitoral no Paraná, para termos uma ideia, falou-se que o governo Beto Richa (PSDB) torrou R$ 600 milhões com propaganda. Desses recursos nada voltou à  economia, pelo contrário, pois profissionais da imprensa local foram e ainda estão sendo demitidos pelas empresas de comunicação.

No governo Dilma Rousseff (PT) também não fugiu à  regra quando o assunto é gastança em propaganda. Meia dúzia de barões da mídia abiscoitaram R$ 2,3 bilhões da União somente no ano de 2013. Mesmo com essa dinheirama, que não produziu um prego, as empresas da velha mídia igualmente demitem cada vez mais profissionais, mas seus donos não abrem mão de nababescas férias e compras em Miami (EUA).

O que chama a atenção é que a mídia faz um combate sem trégua aos beneficiários do Bolsa-Família, atribuindo-lhes a identidade de nordestinos e omitindo que a maior parte dos que usufruem do programa moram na região Sudeste do país. Ou seja, os donos dos veículos de comunicação prestam um desserviço à  Nação quando estimulam o preconceito e a xenofobia.

Paralelamente, a imprensa esconde que ela mama secularmente nas tetas públicas das três esferas governamentais: municipal, estadual e federal. Ela bate covardemente nos mais pobres para não dividir os recursos públicos com quem realmente precisa de Estado.

A mídia brasileira vive das subvenções do poder público, logo seu DNA é governista e chapa-branca. Sem que o leitor/telespectador/ouvinte saiba, as empresas de comunicação são na prática “estatais” cujos lucros são de propriedade privada. O erário paga para meia dúzia enriquecer e cagar regra! sobre liberalismo econômico para a sociedade.

Lembrando recente debate no blog

Diário do Centro do Mundo ... 

Leia mais