Professora Marlei, via Facebook, nega acordo eleitoral com o secretario Flávio Arns; a petista é pré-candidata a deputada federal e o tucano é pré-candidato a deputado estadual; ela diz que seu histórico de lutas, no meio sindical, é incongruente com a dobradinha.

Professora Marlei, via Facebook, nega acordo eleitoral com o secretario Flávio Arns; a petista é pré-candidata a deputada federal e o tucano é pré-candidato a deputado estadual; ela diz que seu histórico de lutas, no meio sindical, é incongruente com a dobradinha.

Na segunda-feira (8), este blog registrou que a presidenta da APP-Sindicato, Professora Marlei, pré-candidata a deputada federal pelo PT, estaria estudando dobradinha eleitoral com o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, pré-candidato a deputado estadual (clique aqui para relembrar).

Este blogueiro, em conversa com Professora Marlei, havia se comprometido em conceder o direito ao contraditório. Cumpro reproduzindo a manifestação da dirigente sindical, em seu perfil no Facebook, negando a dobradinha com o tucano.

A seguir, leia íntegra do texto de Professora Marlei: (mais…)

Compartilhe!

    Em protesto contra a “laranjice” na CPI do Pedágio, cujo teatro foi encenado ontem com a indicação de membros que são contra a investigação, o blogueiro César Minotto, do município de Laranjeiras do Sul, criou o “fura fácil” nas praças de pedágio.

    Ele viajou ontem de sua cidade até Curitiba — percurso de 360 km e cinco praças de cobrança — sem pagar o pedágio. Segundo ele, a economia foi de R$ 50.

    Na semana passada, conforme registro deste blog, Minotto já havia furado o pedágio “a la Romanelli”, ou seja, utilizando-se dos ensinamentos do “professor” e deputado licenciado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), atual secretário de Estado do Trabalho (clique aqui para relembrar).

    Como se vê, ao inventar o “fura fácil”, a cria superou o criador.

    Compartilhe!

      do Brasil 247

      CUT propôs que a defesa do plebiscito para a reforma política, defendida pelo PT e pelo governo, também ficasse de fora do palanque unificado na Avenida Paulista para convencer Força Sindical a poupar Dilma, no "Dia Nacional de Lutas". No entanto, presidente da entidade, deputado Paulo Pereira da Silva, diz que pacto não impedirá palavras duras contra o governo nos atos desta quinta-feira, "por falta de atendimento à s questões trabalhistas que até hoje não atendeu e não quis saber".

      CUT propôs que a defesa do plebiscito para a reforma política, defendida pelo PT e pelo governo, também ficasse de fora do palanque unificado na Avenida Paulista para convencer Força Sindical a poupar Dilma, no “Dia Nacional de Lutas”. No entanto, presidente da entidade, deputado Paulo Pereira da Silva, diz que pacto não impedirá palavras duras contra o governo nos atos desta quinta-feira, “por falta de atendimento à s questões trabalhistas que até hoje não atendeu e não quis saber”.

      Por intermédio da CUT, a Força Sindical aceitou poupar a presidente Dilma Rousseff no “Dia Nacional de Lutas” !” com greves e manifestações por todo o País marcados para esta quinta-feira, 11.

      Em troca, a Central propôs que a defesa do plebiscito para a reforma política, defendida pelo PT e pelo governo, também ficasse fora do palanque unificado na Avenida Paulista.

      A UNE, que é dirigida pelo governista PCdoB, também levantará bandeiras governistas e poupará a presidente. (mais…)

      Compartilhe!
        Charge de Paixão - Gazeta do Povo (PR).

        Charge de Paixão – Gazeta do Povo (PR).

        Compartilhe!

          bprJornais do Paraná

          Gazeta do Povo: Centrais convocam greve e prometem dia de caos

          Bem Paraná: Uma greve quase geral

          Jornal Metro: Governo retoma projeto do corredor metropolitano

          Notícias Paraná: População sai à s ruas e governo do PR aumenta a conta de luz

          Jornal de Londrina: Oito investidores têm interesse no Centro de Eventos

          Folha de Londrina: ‘GREVE GERAL’- Paraná deve aderir à  manifestação nacional

          O Diário (Maringá): De cada três empresas, uma fecha antes de dois anos

          Diário dos Campos: PG adere a protesto nacional e estradas podem ser fechadas

          Jornal da Manhã: Produtores são intimados a desocupar propriedades

          Tribuna do Interior: Efetivo policial é reforçado na Festa do “Carneiro no Buraco”

          O Paraná: Produtores fecham acesso e impedem início das obras de usina

          Jornal Hoje: Aluguel de radares já custou R$ 5,5 mi

          Gazeta do Iguaçu: Reforma administrativa começa com nomeação de Luiz Queiroga

          Diário do Noroeste: Paranavaí deverá receber R$ 1,5 milhão de recurso extra

          Tribuna de Cianorte: Segurança conta com 1.094 novas viaturas para reforçar trabalho

          Umuarama Ilustrado: Hospital do Câncer já prepara a contratação de funcionários

          Tribuna do Norte: Dilma libera R$ 3 bi para municípios

          Jornais de outros estados

          Globo: Um dia após o outro: Senado recua e proíbe parente como suplente

          Folha: Eleitor vai cobrar caro do Congresso, diz Mercadante

          Estadão: Senado recua e aprova regra que limita suplentes

          Correio: Juro sobe, indústria cai e centrais vão à s ruas

          Valor: Plano da Azul traz ao país a polêmica do “supervoto”

          Estado de Minas: Iluminados

          Zero Hora: 11 de julho !“ Dia de paralisações

          Compartilhe!

            O bruxo Chik Jeitoso faz previsão sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Pedágio na Assembleia Legislativa do Paraná,  que inicia os trabalhos na próxima segunda-feira (15); segundo o macumbeiro mais famoso do Hemisfério, que nunca errou uma previsão política, tudo vai terminar em pizza sabor "laranja"; ele aposta na previsão a capa vermelha que utiliza nos feitiços.

            O bruxo Chik Jeitoso faz previsão sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Pedágio na Assembleia Legislativa do Paraná, que inicia os trabalhos na próxima segunda-feira (15); segundo o macumbeiro mais famoso do Hemisfério, que nunca errou uma previsão política, tudo vai terminar em pizza sabor “laranja”; ele aposta na previsão a capa vermelha que utiliza nos feitiços.

            O bruxo Chik Jeitoso, o mais famoso vidente deste Hemisfério, depois de checar a lista dos deputados que compõem a CPI dos Pedágios, fez mais uma previsão bombástica: a pizza vai ganhar por 7 a 2 da investigação séria.

            O macumbeiro, que nunca errou uma previsão política, fez a afirmação depois de analisar nome por nome os integrantes da comissão confirmada hoje pela Assembleia Legislativa do Paraná.

            Os deputados escolhidos para cozinhar a pizza são: Nereu Moura e Artagão de Matos Leão Junior, do PMDB; Alceu Maron Filho e Bernardo Carli, do PSDB; Péricles de Mello (PT); Nelson Luersen (PDT); Wilson Quintero (PSB/PSC/PRB); Adelino Ribeiro (PP/PV/PTB/PSL); e Douglas Fabrício (PPS).

            A presidência da “pizzaria” ficou com Luersen e a relatoria com o chapa-branca Fabrício.

            Chik Jeitoso disse apostar sua tradicional capa vermelha, utilizada nos feitiços, que vem aí uma pizza “sabor laranja”.

            Movimentos sociais e o setor produtivo paranaense almejam redução no preço da tarifa, além de defender instalação de “pedagiômetro” nas praças de pedágio para descobrir quanto faturam as empresas concessionárias.

            Compartilhe!

              Via Portal Terra

              Atualmente, para propor um projeto ao Congresso diretamente !“ sem a iniciativa de parlamentares !“ a sociedade precisa mobilizar no mínimo 1% dos eleitores, distribuídos em pelo menos cinco estados, com um percentual mínimo de eleitores em cada um. Como o eleitorado brasileiro ultrapassa os 135 milhões de eleitores, essa exigência significa mais de 1,3 milhão de assinaturas feitas à  caneta.

              Atualmente, para propor um projeto ao Congresso diretamente !“ sem a iniciativa de parlamentares !“ a sociedade precisa mobilizar no mínimo 1% dos eleitores, distribuídos em pelo menos cinco estados, com um percentual mínimo de eleitores em cada um. Como o eleitorado brasileiro ultrapassa os 135 milhões de eleitores, essa exigência significa mais de 1,3 milhão de assinaturas feitas à  caneta.

              A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira a Proposta de Emenda à  Constituição (PEC), que facilita a apresentação de projetos de lei de iniciativa popular, reduzindo pela metade o número de assinaturas necessárias para que eles sejam aceitos pelo Congresso. Com a aprovação, o texto segue agora para análise do Plenário da Casa.

              A proposta diminui o número de assinaturas necessárias para a apresentação de projetos de lei, e estabelece que propostas de Emenda à  Constituição também podem ser apresentadas por cidadãos – hipótese que não é contemplada atualmente pela Constituição.

              Para que seja apresentado atualmente, um projeto de iniciativa popular necessita de assinaturas de pelo menos 1% do eleitorado nacional, o que significa algo em torno de 1,3 milhão de eleitores. Com a PEC, será preciso apenas 0,5% dos votos válidos na última eleição para deputado federal, ou seja, cerca de 500 mil assinaturas, nos cálculos do autor do projeto, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF). (mais…)

              Compartilhe!

                da Agência Brasil

                Celso Amorim, ministro da Defesa.

                Celso Amorim, ministro da Defesa.

                O ministro da Defesa, Celso Amorim, admitiu hoje (10) que há “vulnerabilidade” no setor público brasileiro no que se refere à  segurança cibernética. Amorim defendeu o esforço conjunto de várias áreas do governo e da sociedade civil para dar mais segurança à  troca de informações no país. Segundo ele, até a comunicação entre autoridades públicas, como ministros e parlamentares, está ameaçada.

                A situação em que nos encontramos hoje realmente é de vulnerabilidade. A mera detecção de quem se comunica com quem já é uma informação de valor analítico para qualquer adversário que se tenha fora do país!, ressaltou Amorim. O ministro lembrou que, à s vezes, a simples troca de e-mails! entre dois senadores e dois ministros pode ser acessada por terceiros. (mais…)

                Compartilhe!

                  Via Folha de São Paulo

                  Prefeitos esperavam anuncio de acréscimo de 1% no FPM;  Dilma ofereceu 1,3%, mas na hora falou de R$ 3 bilhões.

                  Prefeitos esperavam anuncio de acréscimo de 1% do FPM; Dilma ofereceu 1,3%, mas na hora falou de R$ 3 bilhões.Foto: Fernando Bizerra Jr./Efe

                  Aliados da presidente Dilma Rousseff entraram em campo nesta quarta-feira (10) para minimizar as vaias recebidas hoje pela petista durante 16!ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília.

                  Os governistas afirmam que houve “falha de comunicação” e, com isso, não permitiu aos prefeitos entenderem que Dilma anunciava um pacote de bondades aos municípios, que inclui a liberação de R$ 3 bilhões à s prefeituras.

                  “Parabenizo a presidente por ter ido à  marcha e de ter levado solução. Acho que foi uma questão de comunicação. A presidente ofereceu R$ 3 bilhões, uma compensação pelas perdas dos prefeitos”, disse o senador Jorge Viana (PT-AC). (mais…)

                  Compartilhe!

                    Via Agência Brasil/Brasil247

                    Primeira parcela estará disponível a partir de agosto, e a segunda, a partir de abril de 2014; também haverá facilidades para o Programa Minha Casa, Minha Vida em municípios com menos de 50 mil habitantes, a serem executadas pelo Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil; falta de menção ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujo aumento entre 1% e 2% era uma das principais reivindicações da marcha dos prefeitos, rendeu vaias à  presidente.

                    Primeira parcela estará disponível a partir de agosto, e a segunda, a partir de abril de 2014; também haverá facilidades para o Programa Minha Casa, Minha Vida em municípios com menos de 50 mil habitantes, a serem executadas pelo Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil; falta de menção ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujo aumento entre 1% e 2% era uma das principais reivindicações da marcha dos prefeitos, rendeu vaias à  presidente.

                    A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (10), na Marcha dos Prefeitos, repasse emergencial de R$ 3 bilhões aos municípios, cuja primeira parcela estará disponível a partir de agosto, e a segunda, a partir de abril de 2014. Também haverá facilidades para o Programa Minha Casa, Minha Vida em municípios com menos de 50 mil habitantes, a serem executadas pelo Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil. (mais…)

                    Compartilhe!

                      Presidenta Dilma Rousseff estará em Ponta Grossa, na próxima terça, quando reacenderá o projeto de Gleisi Hoffmann rumo ao Palácio Iguaçu; candidatura da ministra sofreu especulações por conta de manifestações de rua; por outro lado, para evitar que o tucano Beto Richa fature em cima, os petistas gritam primeiro: "as 1,4 mil casas foram nós que fizemos".

                      Presidenta Dilma Rousseff estará em Ponta Grossa, na próxima terça, quando reacenderá o projeto de Gleisi Hoffmann rumo ao Palácio Iguaçu; candidatura da ministra sofreu especulações por conta de manifestações de rua; por outro lado, para evitar que o tucano Beto Richa fature em cima, os petistas gritam primeiro: “as 1,4 mil casas foram nós que fizemos”.

                      O Blog do Johnny, de Ponta Grossa, município a 110 km de Curitiba, nos Campos Gerais, conta que a presidenta Dilma Rousseff estará na cidade na próxima terça-feira (16) para entregar 1.438 casas do Programa Minha Casa, Minha Vida.

                      Dilma, por óbvio, estará acompanhada da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao governo do Paraná em 2014. A presença da presidenta reacende o projeto eleitoral da moça nessas gélidas plagas, que sofreu fortes ataques especulativos nos últimos dias.

                      No evento de terça, o PT e o governo federal vão agir como cachorro mordido por cobra. Eles estão com medo até de linguiça, pois querem evitar que o governador Beto Richa (PSDB) fature politicamente em cima da obra feita.

                      Os petistas aprenderam a duras penas que é preciso avisar, falar, dizer outra vez e tantas quantas necessárias para carimbar a realização e espantar os chupins de ocasião. “à‰ vacina antitucano chupa-cabra”, diz o presidente do partido no Paraná, deputado Enio Verri.

                      A seguir, a íntegra da informação do blogueiro pontagrossense Johnny Willian Soares sobre a vinda de Dilma: (mais…)

                      Compartilhe!

                        Zeca Dirceu, que já havia defendido a importação de médicos cubanos pelo Brasil, agora, em novo artigo de opinião, quer que o imposto sobre as grandes fortunas financie a contratação de quase 170 mil profissionais que faltam na saúde pública brasileira.

                        Zeca Dirceu, que já havia defendido a importação de médicos cubanos pelo Brasil, agora, em novo artigo de opinião, quer que o imposto sobre as grandes fortunas financie a contratação de quase 170 mil profissionais que faltam na saúde pública brasileira.

                        Em artigo de opinião, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro José Dirceu, um dos ícones do petismo no país, defende a aprovação pela Câmara dos Deputados da Contribuição Social sobre Grandes Fortunas para custear a saúde pública. Segundo o parlamentar paranaense, o assunto é uma prioridade da bancada petista na Câmara.

                        Zeca Dirceu argumenta que os pobres pagam mais impostos que os ricos no Brasil, ou seja, há uma evidente distorção que ajuda a concentrar ainda mais a riqueza nas mãos de tão poucos. Na prática, o petista quer os mais abastados pagando a conta da importação de médicos cubanos

                        Leia a íntegra do artigo de Zeca Dirceu: (mais…)

                        Compartilhe!

                          O londrinense José Novaes Faraco diz que a população da região está muito desiludida com o conterrâneo, o governador tucano Beto Richa, por isso, justifica, lançaram o movimento separatista "Novo Estado".

                          O londrinense José Novaes Faraco diz que a população da região está muito desiludida com o conterrâneo, o governador tucano Beto Richa, por isso, justifica, lançaram o movimento separatista “Novo Estado”.

                          O jornalista Zé Otávio, em blog, conta que ganha força o movimento separatista denominado “Novo Estado”, que consiste na ideia de o município de Londrina não pertencer mais ao estado do Paraná.

                          Segundo José Novaes Faraco, coordenador do movimento, a tese separatista ganhou impulso devido aos desmandos na gestão do governador Beto Richa (PSDB).

                          Os londrinenses dizem não suportar tantos “tarifaços” — reajustes nas tarifas da Copel, Sanepar, Detran, pedágio mais caro do mundo, etc. — e não terem praticamente nada de retorno aos cidadãos.

                          “Queremos uma Assembleia Legislativa eficiente, enxuta, sem atos secretos e sem funcionários fantasmas, queremos leis que atendam ao interesse de todos os paranaenses”, diz um trecho do manifesto do movimento “Novo Estado”.

                          “Queremos que programas como o ‘Paraná Competitivo’ não sejam politizados, só beneficiando cidades que o Prefeito é correligionário do Governador, neste em especial, R$ 1,6 bilhões foram para Curitiba e somente R$ 18 milhões para Londrina”, diz outro trecho do documento dos separatistas.

                          A seguir, a íntegra do post de Zé Otávio: (mais…)

                          Compartilhe!

                            Trabalhadores ligados à s seis centrais sindicais vão à s ruas de várias cidades paranaenses, nesta quinta, defendendo ampla pauta de reivindicações; dentre elas, se destaca apoio à  criação da CPI dos Pedágios; entidades se uniram em torno de bandeiras economicistas, mas ainda divergem sobre temas como realização do Plebiscito para a reforma política no país.

                            Trabalhadores ligados à s seis centrais sindicais vão à s ruas de várias cidades paranaenses, nesta quinta, defendendo ampla pauta de reivindicações; dentre elas, se destaca apoio à  criação da CPI dos Pedágios; entidades se uniram em torno de bandeiras economicistas, mas ainda divergem sobre temas como realização do Plebiscito para a reforma política no país.

                            Todas as principais centrais sindicais se uniram ineditamente, no Paraná, para deflagrar nesta quinta-feira (11) uma greve de trabalhadores que, dentre várias bandeiras, reivindica a revisão dos contratos das concessionárias rodoviárias com a criação da CPI do pedágio na Assembleia Legislativa (clique aqui para ler mais sobre o tema).

                            As paralisações de amanhã compõem o “Dia Nacional de Lutas”, cujo calendário foi definido conjuntamente entre Força Sindical, UGT, NCST, CTB, CUT e CGTB, terá seu ápice ás 16 horas na Praça Rui Barbosa, centro de Curitiba.

                            “Queremos empurrar o governo Dilma Rousseff para a esquerda, trazê-lo mais perto das bandeiras históricas do movimento dos trabalhadores, e exigir transparência em órgãos público e redução na tarifa do pedágio no Paraná”, resume Paulo Rossi, presidente da UGT.

                            Durante o dia todo haverá atos políticos dos trabalhadores, fechamento das BRs 277 e 376, manifestações de várias categorias em greve.

                            As centrais irão defender bandeiras históricas do movimento, como a redução da jornada de trabalho e o fim do fator previdenciário.

                            Ainda na pauta regional, o trabalhadores vão pedir novo sistema para a eleição dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado; política permanente de reajuste do Piso Mínimo Regional; e regulamentação da profissão de motorista.

                            Compartilhe!

                              O deputado Nelson Luersen (PDT), na condição de autor, deverá assumir a presidência da CPI com a anuência dos governistas; o blog tentou contato ontem com o parlamentar, via celular, deixando recado para assessor, mas não obteve retorno; Kielse, que fez graves denúncias contra seus colegas de parlamento, de que eles fariam parte de uma máfia das empresas de pedágio, ficou de fora da comissão de investigação; nesta quarta, a partir das 14 horas, tem novo round na Assembleia para definir a composição da CPI; vem aí uma grande pizza?

                              O deputado Nelson Luersen (PDT), na condição de autor, deverá assumir a presidência da CPI com a anuência dos governistas; o blog tentou contato ontem com o parlamentar, via celular, deixando recado para assessor, mas não obteve retorno; Kielse, que fez graves denúncias contra seus colegas de parlamento, de que eles fariam parte de uma máfia das empresas de pedágio, ficou de fora da comissão de investigação; nesta quarta, a partir das 14 horas, tem novo round na Assembleia para definir a composição da CPI; vem aí uma grande pizza?

                              A tropa de choque do governo Beto Richa (PSDB), na Assembleia Legislativa do Paraná, tentou sem sucesso ontem (9) tomar conta da CPI dos Pedágios, criada para investigar o lucro das empresas, o preço abusivo da tarifa e uma suposta máfia que atuaria dentro da Casa.

                              Governistas tentaram indicar entre seus membros deputados que não assinaram a criação da CPI com o claro objetivo de dominar o colegiado. Na prática, os aliados do Palácio Iguaçu pretendem uma CPI laranja e, mais adiante, servir uma grande pizza.

                              Deputados como Tercílio Turini (PPS), Antônio Anibelli Neto (PMDB), o Anibelinho, e Cleiton Kielse (PMDB), por exemplo, combativos nesse tema, foram excluído pelas suas lideranças partidárias (pelo regimento da Assembleia, são os líderes que indicam os membros da CPI).

                              Considerada a mãe de todas as CPIs, a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre as concessionárias é uma das mais aguardadas pelo mundo político e entidades produtivas, como a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

                              Várias organizações do movimento social planejam grandes manifestações regionais e estadual pela CPI dos Pedágios e redução da tarifa a R$ 1 em todas as praças de arrecadação nas rodovias paranaenses.

                              Nesta quarta-feira (10), novo round deverá ocorrer a partir das 14 horas. O embate se repetirá logo mais entre os governistas — que pretendem transformar a CPI numa pizzaria — e a bancada que almeja respostas aos recentes protestos no Paraná contra os escorchantes preços das tarifas do pedágio.

                              O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni (PSDB), havia anunciado, a contragosto, a instalação da comissão no próximo dia 17 de julho !” o último dia de sessão antes do recesso parlamentar. Mas teve que antecipar diante de críticas por fazê-lo no apagar nas luzes.

                              Compartilhe!
                                Copyright © 2009 Blog do Esmael Morais. Todos os direitos reservados.