Praticamente reeleito no PT com 70% dos votos, Enio Verri agora prega "ampla aliança" no Paraná com partidos da base de Dilma; na prática, deputado quer atrair PMDB para “chapão” liderado pela ministra Gleisi Hoffmann; "Saiu do PED um PT mais maduro para dirigir o Paraná dentro de uma ampla política de alianças", afirmou o dirigente petista.

Praticamente reeleito no PT com 70% dos votos, Enio Verri agora prega “ampla aliança” no Paraná com partidos da base de Dilma; na prática, deputado quer atrair PMDB para “chapão” liderado pela ministra Gleisi Hoffmann; “Saiu do PED um PT mais maduro para dirigir o Paraná dentro de uma ampla política de alianças”, afirmou o dirigente petista.

O presidente estadual do PT, deputado Enio Verri, afirmou ao blog, nesta segunda (11), que o resultado do Processo de Eleição Direta (PED) do partido significa que venceu a tese de uma ampla política de alianças. “As três chapas correntes pensavam diferente”, considerou o dirigente.

Perguntado sobre o que representaria essa “ampla política de alianças” vitoriosa, Verri disse que “a reprodução da mesma aliança de legendas que sustentam o governo da presidenta Dilma”.

Há uma evidente mudança de opinião, pois os petistas vinham defendendo várias candidaturas para “pulverizar” os votos visando forçar o segundo turno nas eleições estaduais. Com isso, o PT poderá oferecer a vice para o PMDB.

“Queremos colocar no mesmo palanque de Gleisi [Hoffmann] e Dilma todos os partidos políticos, menos o PSDB, DEM e PPS”, frisou, sinalizando com a possibilidade de o PT advogar por um “chapão” na proporcional e majoritária em 2014.

Enio Verri deverá ser confirmado reeleito até as 18 horas de hoje com mais de 70%.

Que PT sai desse PED? O presidente da agremiação responde: “Um PT mais maduro para dirigir o Paraná dentro de uma ampla política de alianças”.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Aliel Machado, o "Rossoninho" comunista, devolveu R$ 1,3 milhão do orçamento da Câmara de Ponta Grossa ao prefeito Marcelo Rangel (PPS); tucano Valdir Rossoni, da Assembleia, fez da devolução de cheques seu principal marketing de "austeridade"; dinheiro imobilizado, na verdade, revela insuficiência de gestão; direções de casas parlamentares impõem pauta udenista; um se espelha no outro e vice-versa.

Aliel Machado, o “Rossoninho” comunista, devolveu R$ 1,3 milhão do orçamento da Câmara de Ponta Grossa ao prefeito Marcelo Rangel (PPS); tucano Valdir Rossoni, da Assembleia, fez da devolução de cheques seu principal marketing de “austeridade”; dinheiro imobilizado, na verdade, revela insuficiência de gestão; direções de casas parlamentares impõem pauta udenista; um se espelha no outro e vice-versa.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Valdir Rossoni (PSDB), eleito e reeleito no cargo sob a bandeira da “moralidade” e da “austeridade”, começa fazer escola pelo interior do estado. O tucano tem costume de “devolver” cheques gigantes ao executivo relativos a sobras no orçamento do legislativo. Este blogueiro tem uma opinião clara sobre essa jogada de marketing (clique aqui).

Pois bem, leio no Blog do Johnny, parceiro deste blog no Caderno Ponta Grossa, que o presidente da Câmara do importante município dos Campos Gerais, Aliel Machado, comunista do PCdoB, segue a mesma pegada do tucano Rossoni. O moço devolveu ao executivo R$ 1,3 milhões economizados do orçamento (clique aqui). Coisa de louco

Rossoni demitiu, cancelou contratos, cortou o cafezinho, devolveu orçamento, fez o diabo numa campanha udenista sem precedentes. Aliel põe limites na conta de celular, monitora veículos, devolve orçamento, enfim.

Quem não consegue executar orçamento é porque tem problemas de gestão, pois se imobiliza durante um ano milhões que já poderiam significar uma escola ou posto de saúde no bairro mais carente. Portanto, uma dica aos gestores tucanos e comunistas: no próximo orçamento, por favor, aprovem menos recursos para o legislativo e ficarão livres desse vexame.

Há algo mais constrangedor do que devolver orçamento que foi imobilizado durante um ano? Orçamento, para quem não sabe, é dinheiro emprestado. O poder público paga taxas de juros de mercado pelo recurso paralisado.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Semana passada, em conversa com este blogueiro, Pessuti sugeriu que seu “desafeto” Requião se dedicasse ao debate de grandes temas nacionais; ex-governador coloca-se como candidato ao Palácio Iguaçu, mas faz movimento de quem ficaria feliz com a vice na chapa de Gleisi Hoffmann; coincidência ou não, ontem, via Twitter, o senador levantou a hipótese de disputar indicação do PMDB à presidência da República; nesse intrincado jogo interno peemedebista, Pessuti disse que a candidatura de Sérgio Souza ao Senado é uma possibilidade em 2014.

Semana passada, em conversa com este blogueiro, Pessuti sugeriu que seu “desafeto” Requião se dedicasse ao debate de grandes temas nacionais; ex-governador coloca-se como candidato ao Palácio Iguaçu, mas faz movimento de quem ficaria feliz com a vice na chapa de Gleisi Hoffmann; coincidência ou não, ontem, via Twitter, o senador levantou a hipótese de disputar indicação do PMDB à presidência da República; nesse intrincado jogo interno peemedebista, Pessuti disse que a candidatura de Sérgio Souza ao Senado é uma possibilidade em 2014.

O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, em conversa com este blogueiro, afirmou que seu pupilo, senador Sérgio Souza, poderá disputar a cadeira novamente em 2014 contra o tucano Álvaro Dias.

“É uma questão que vamos discutir no partido mais adiante, mas é uma possibilidade, sim, do Sérgio Souza pleitear o Senado”, disse Pessuti, que tenta viabilizar sua candidatura ao Palácio Iguaçu.

Souza é suplente da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), que deverá retornar ao Senado no início do ano que vem. A petista também vai concorrer ao governo do Paraná.

Pessuti mira no cargo do governador Beto Richa (PSDB), mas movimenta-se bastante perto da ministra. Embora não admita em público, ele não descarta a vice na chapa do PT, o que agradaria a bancada estadual do PMDB que sonha com um “chapão” na proporcional. Prova disso é que sua agenda tem sido colada a eventos da moça.

Para os petistas, no entanto, o mais interessante seria que peemedebistas lançassem candidatura própria à sucessão de Richa. Essa fórmula garantiria o segundo turno nas eleições estaduais.

Na semana passada (clique aqui), Pessuti sugeriu que Roberto Requião, seu “desafeto” político, se dedicasse à discussão de temas nacionais. Coincidentemente, via Twitter, o senador informou ontem (10) sua disposição de disputar no PMDB a vaga de candidato a presidente da República.

“Vou à convenção nacional do meu PMDB disputar a indicação para concorrer pelo partido à presidência da republica. Que acham peemedebistas?”, perguntou Requião, dando a senha de sua próxima investida.

Pessuti acha que tem condições de discutir os temas locais, do Paraná, e Requião está gabaritado para debater as grandes questões nacionais como as privatizações em curso no governo Dilma Rousseff.

Pela sincronia dos movimentos, a pergunta é: Requião e Pessuti já estão jogando “juntos”?

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Aerp promove hoje à noite, em Foz, congresso da "farra publicitária"; radiodifusão (rádios e tevês) abocanhou maior fatia dos R$ 240 milhões gastos em propaganda pelo governo estadual nos últimos 12 meses; Richa pretende torrar em 2014, ano eleitoral, a fabulosa quantia de R$ 600 milhões, segundo Tadeu Veneri, líder da oposição na Assembleia, suficiente para manter o “papo cheio” dessa tigrada.

Aerp promove hoje à noite, em Foz, congresso da “farra publicitária”; radiodifusão (rádios e tevês) abocanhou maior fatia dos R$ 240 milhões gastos em propaganda pelo governo estadual nos últimos 12 meses; Richa pretende torrar em 2014, ano eleitoral, a fabulosa quantia de R$ 600 milhões, segundo Tadeu Veneri, líder da oposição na Assembleia, suficiente para manter o “papo cheio” dessa tigrada.

A Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp) realiza nesta segunda (11), em Foz do Iguaçu, o 22º Congresso Paranaense de Radiodifusão, que acontece no Bourbon Cataratas – Convention & Spa Resort.

O evento das emissoras de rádio será oficialmente aberto às 20 horas pelo governador Beto Richa (PSDB) e pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT), marido de Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil, pré-candidata ao Palácio Iguaçu pelo PT.

Segundo informações do mercado, a Aerp se locupletou de boa parte dos R$ 240 milhões torrados pelo governo do estado na farra publicitária promovido nos últimos 12 meses (clique aqui para relembrar).

Os gastos teriam sido distribuídos assim, por ordem de prioridade: 1- televisão; 2- rádios; 3- jornais; e 4- outros.

As TVs teriam ficado com a maior bolada R$ 110 milhões e as emissoras de rádio, ligadas à Aerp (Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná), abocanharam outros R$ 90 milhões. O secretário de Estado da Comunicação, Marcelo Cattani, nega os números apresentados pelo blog, mas não apresenta a planilha oficial de gastos.

Para 2014, de acordo como deputado Tadeu Veneri (PT), líder da oposição na Assembleia Legislativa, ano eleitoral, Richa planeja queimar a quantia fabulosa de R$ 600 milhões em propaganda (clique aqui para relembrar). Nem Barack Obama, presidente dos EUA, gasta tanto em publicidade.

Ou seja, a Aerp realiza hoje à noite congresso da farra com o “papo cheio” e a expectativa é que encha ainda mais no ano que vem. É o “choque de gestão” tucano.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Marcelo Araújo, especialista em trânsito, em sua coluna de hoje, afirma que o prefeito Gustavo Fruet (PDT), ao pedalar sua bicicleta elétrica pelas ruas de Curitiba, estaria infringindo a legislação; segundo o colunista, capacete a ser utilizado não é o de bicicleta, e sim o de motocicleta ou motoneta; além disso, ele explica, é preciso autorização para sua condução -- a ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotores) – obtida junto ao Detran; "De multa eu entendo", completa Araújo. Leia o texto.

Marcelo Araújo, especialista em trânsito, em sua coluna de hoje, afirma que o prefeito Gustavo Fruet (PDT), ao pedalar sua bicicleta elétrica pelas ruas de Curitiba, estaria infringindo a legislação; segundo o colunista, capacete a ser utilizado não é o de bicicleta, e sim o de motocicleta ou motoneta; além disso, ele explica, é preciso autorização para sua condução — a ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotores) – obtida junto ao Detran; “De multa eu entendo”, completa Araújo. Leia o texto.

por Marcelo Araújo*

No artigo da semana passada sobre as ‘vias calmas’ ou ‘acalmadas’ houve leitores que nos questionaram acerca das bicicletas elétricas, o que nos motivou a fazer alguns esclarecimentos. Por definição, ‘CICLOMOTOR’ é o veículo de 2 ou 3 rodas, que não ultrapasse 50Km/h nem possua mais que 50cc (centímetros cúbicos) de cilindrada. Até a entrada em vigor do Código de Trânsito em jan/1998 também deveria ter pedais auxiliares.

Assim, até 1998 associamos o conceito às ‘Garelli’, ‘Mobylette’ e a partir de então englobou também as ‘scooters’ que não possuíssem mais que 50cc, quando as ‘Jogs’ viraram febre.

Com a vinda e proliferação das bicicletas elétricas, trazidas inicialmente do Oriente, o CONTRAN editou a Resolução 315, a qual ‘equiparou’ aos ciclomotores os veículos que além de possuírem 2 ou 3 rodas e não ultrapassassem 50Km/h, tivessem até 4KW de potência.

Note-se que o CONTRAN não definiu, e sim ‘equiparou’, o que significa ‘tratar como se fosse’.

O motivo da ‘equiparação’, e não ‘redefinição’ é porque tal conceito já está tanto na Lei quanto na Convenção de Viena (portanto, Resolução não poderia fazê-lo por ser ato inferior).

Quanto às rodas e velocidade nada de dúvidas, mas ‘cilindrada’ é um requisito típico de motor a combustão, a explosão, e que representa o volume da câmara de combustão do motor, obtido pela fórmula ‘π2x h’ (onde ‘r’ é o raio do cilindro e ‘h’ seu deslocamento).

Sendo, portanto, a bicicleta elétrica tratada como ‘ciclomotor’ no Brasil, seguem as consequências: o capacete a ser utilizado não é o de bicicleta, e sim o de motocicleta ou motoneta.

O documento que autoriza sua condução é a ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotores) que é obtido junto ao órgão de trânsito estadual (Detran) mediante a submissão a todo processo para obtenção da CNH, apenas o teste prático seria realizado com ciclomotor. Quem for habilitado para motos (cat. ‘A’) também pode.

Já o registro e licenciamento são de competência do órgão de trânsito municipal. Não está definido claramente se o ciclomotor é ‘automotor’ ou ‘propulsão humana’, pois o documento para conduzir o aproxima do ‘automotor’, enquanto seu registro e licenciamento o aproxima da ‘bicicleta’.

Outra consequência é a impossibilidade de afirmar se um atropelamento causado por um ciclomotor será tratado com crime de trânsito (automotor) ou pelo Código Penal (propulsão humana).

A conclusão é que pela atual legislação quem utilizar ‘bicicleta elétrica’ com capacete de ciclista, sem possuir ACC ou CNH categoria ‘A’, sem que ela contenha os equipamentos obrigatórios inerentes ao ‘ciclomotor’ e não a bicicleta, entre outros detalhes, está infringindo a legislação.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Amarildo - A Gazeta (ES).

Charge de Amarildo – A Gazeta (ES).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

gazetinhaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Compra a prazo cai e Natal terá mais vendas à vista este ano

Bem Paraná: Acidentes com cargas perigosas crescem 28,4% no Paraná

Jornal Metro: Lei Seca leva 15 à prisão todos os fins de semana

Jornal de Londrina: Otimista, Kireeff já fala em começar 2014 sem déficit nas contas

Folha de Londrina: Aumenta o consumo de itens de melhor qualidade

Jornal Hoje: Três noites para garantir uma vaga

Gazeta do Iguaçu: Beto Richa e Paulo Bernardo abrem hoje em Foz Congresso de Radiodifusão

Jornais de outros estados

Globo: Bancos brigam por mercado de R$ 833 bi

Folha: Descalabro é gestão de Haddad, diz Kassab

Estadão: Fundos de servidores têm perdas de R$ 528 milhões

Correio: Tragédia no caminho da festa

Valor: Barreiras não impedem superávit com Argentina

Estado de Minas: 290 mil multas na gaveta

Zero Hora: Haiyan pode ter matado 10 mil

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

José Alves Afonso Filho, o Zuca, tem a simpatia do deputado Ângelo Vanhoni e dos ministros Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann; ele  vai disputar segundo turno do PED, no próximo dia 24 de novembro, com Natalino Bastos, candidato do grupo político de André Vargas na capital; novidade mesmo nas eleições do PT foi a queda da “República Socialista” de Santa Felicidade, que agora está sob o tacão light do vanhonismo.

José Alves Afonso Filho, o Zuca, tem a simpatia do deputado Ângelo Vanhoni e dos ministros Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann; ele vai disputar segundo turno do PED, no próximo dia 24 de novembro, com Natalino Bastos, candidato do grupo político de André Vargas na capital; novidade mesmo nas eleições do PT foi a queda da “República Socialista” de Santa Felicidade, que agora está sob o tacão light do vanhonismo.

O deputado André Vargas, cover de Chick Jeitoso, acertou previsão sobre o PED (Processo de Eleição Direta) no PT da capital paranaense. Haverá segundo turno no próximo dia 24 de novembro entre Zuca e Natalino.

Zuca, ligado aos ministros Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann, obteve hoje 534 votos.

Natalino, do grupo de Vargas e do vereador Pedro Paulo, conquistou 446 votos.

O deputado Tadeu Veneri, além de não levar seu candidato ao segundo turno, Augusto Franco (334 votos), assistiu à queda da “República Socialista” de Santa Felicidade.

O partido naquele quadrado agora será comandado por Henrique Faustino, homem do deputado Ângelo Vanhoni.

Zezinho, nome apresentado pela vice-prefeita Mirian Gonçalves, amealhou 222 votos no confronto das urnas. A “Radical Chique” não conseguiu votar porque seu nome não constava na lista (o leitor imagina o tamanho do quiproquó que isso deu?).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Monitoramento da Prefeitura de Ponta Grossa aponta o "Blog do Johnny", parceiro deste blog no caderno regional, como principal fonte de disseminação de informações da oposição; "Blog do Esmael", ainda de acordo com estudo da empresa Call, é o segundo mais influente no município dos Campos Gerais; em primeiro está o perfil da G1 Paraná, do grupo RPCTV/Gazeta/Globo; Jornal da Manhã é percebido como "chapa-branca".

Monitoramento da Prefeitura de Ponta Grossa aponta o “Blog do Johnny”, parceiro deste blog no caderno regional, como principal fonte de disseminação de informações da oposição; “Blog do Esmael”, ainda de acordo com estudo da empresa Call, é o segundo mais influente no município dos Campos Gerais; em primeiro está o perfil da G1 Paraná, do grupo RPCTV/Gazeta/Globo; Jornal da Manhã é percebido como “chapa-branca”.

Monitoramento de redes sociais realizada pela Prefeitura de Ponta Grossa, na região os Campos Gerais, colocam o perfil do Blog do Esmael (@esmaelmorais) como o segundo mais influente e de maior audiência na cidade.

O levantamento de dados coube à empresa Call analisou redes sociais como Twitter, Facebook, Blogs, Google Notícias e G+ entre 10 de junho e 10 de agosto.

Ao analisar assuntos políticos relativos à administração do prefeito Marcelo Rangel (PPS), o estudo aponta que os blogueiros utilizam essas redes sociais como canais de divulgação.

“Twitter e Facebook representam, juntos, mais de 90% das menções [à administração pontagrossense] dentro das redes sociais”.

O Twitter é muito utilizado como Feed de notícias para profissionais da imprensa e o Facebook pelo usuário “comum”, que o utiliza para “viralizar” suas denúncias.

O relatório da Call coloca o “Blog do Johnny“, parceiro deste blogueiro no “Caderno Ponta Grossa”, como principal fonte de informação à oposição ao prefeito Rangel.

Curiosamente, o portal “G1 Paraná” — do grupo RPCTV/Gazeta do Povo/Globo — e o “Blog do Esmael” são percebidos como “neutros” no monitoramento.

O “Jornal da Manhã” é percebido na sondagem como o principal propagador de boas notícias da prefeitura local, ou seja, “chapa-branca”.

“O jornal é o canal com maior número de notícias favoráveis ao prefeito. Nele saem os principais anúncios sobre investimentos na cidade e fatos como a diminuição de gastos públicos”, diz a Call, empresa contratada pela prefeitura para monitorar as redes sociais.

O município de Ponta Grossa fica a 100 km de Curitiba e tem população estimada de 340 mil habitantes. É o quarto mais populoso do Paraná e é o oitavo mais rico do estado, segundo o IBGE (2010).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

A frase foi dita pelo ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, ao chegar para votar nas eleições internas do Partido dos Trabalhadores; condenado a mais de dez anos de prisão, por peculato e formação de quadrilha, ele disse esperar que o Supremo Tribunal Federal ainda reveja a decisão; "Assino embaixo as palavras do Genoino na defesa dele. Como ele disse: que se faça justiça inclusive com relação ao mérito. Nós fomos condenados no mérito, não é só uma questão de redução de pena. E sendo inocentes", disse ele; na foto, de 2012, ex-ministro exibe camisa no II Congresso Nacional da Juventude do PT.

A frase foi dita pelo ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, ao chegar para votar nas eleições internas do Partido dos Trabalhadores; condenado a mais de dez anos de prisão, por peculato e formação de quadrilha, ele disse esperar que o Supremo Tribunal Federal ainda reveja a decisão; “Assino embaixo as palavras do Genoino na defesa dele. Como ele disse: que se faça justiça inclusive com relação ao mérito. Nós fomos condenados no mérito, não é só uma questão de redução de pena. E sendo inocentes”, disse ele; na foto, de 2012, ex-ministro exibe camisa no II Congresso Nacional da Juventude do PT.

Ao chegar para votar no Processo de Eleição Direta do PT neste domingo, o ex-ministro José Dirceu falou com os jornalistas e reafirmou sua inocência no processo conhecido como mensalão, onde foi condenado a dez anos e dez meses de prisão por peculato e formação de quadrilha. “O Brasil sabe que eu sou inocente e eu espero que o Supremo faça justiça”, afirmou Dirceu ao repórter Ricardo Chapola, do Estado de S. Paulo.

Dirceu disse esperar que o STF reveja sua decisão, não apenas na discussão dos embargos, que podem reduzir as penas, mas no que diz respeito ao mérito das decisões tomadas até agora. “Assino embaixo as palavras do Genoino na defesa dele. Como ele disse: que se faça justiça inclusive com relação ao mérito. Nós fomos condenados no mérito, não é só uma questão de redução de pena. E sendo inocentes”, disse o ex-ministro.

Dirceu votou na Vila Mariana e é um dos principais apoiadores do atual presidente, Rui Falcão, que deve se reeleger com ampla maioria de votos.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});