Em discurso na reabertura dos trabalhos, ontem, no Senado, Roberto Requião disse que a República sofre grave ameaça no Brasil; ele aponta a banalização da política e a falta de projeto de Nação como problemas não enfrentados na atualidade pelo governo Dilma; o peemedebista criticou as PPPs, sobretudo nas rodovias, com cobrança de pedágio; o governo é incompetente para lidar com a crise econômica, pois insiste em medidas tópicas, tangendo a economia a golpes de desonerações fiscais!.

Em discurso na reabertura dos trabalhos, ontem, no Senado, Roberto Requião disse que a República sofre grave ameaça no Brasil; ele aponta a banalização da política e a falta de projeto de Nação como problemas não enfrentados na atualidade pelo governo Dilma; o peemedebista criticou as PPPs, sobretudo nas rodovias, com cobrança de pedágio; o governo é incompetente para lidar com a crise econômica, pois insiste em medidas tópicas, tangendo a economia a golpes de desonerações fiscais!.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), em discurso na volta do recesso, nesta quinta-feira (1!º), demonstrou que a crise econômica global cerca o Brasil de graves ameaças, e que nem o governo e nem os partidos têm uma estratégia de combate para enfrentar e debelar tais riscos. Segundo ele, enquanto os políticos reagem com indiferença ao vendaval que se aproxima!, o governo insiste em medidas tópicas, tangendo a economia a golpes de desonerações fiscais!.

O senador disse também que não via da parte da oposição qualquer idéia mais séria para o enfrentamento dos problemas que rondam o país, na economia e na política. O máximo que a oposição consegue sugerir é que a presidente corte o número de ministérios e gaste menos no cabeleireiro!, disse ele.

Requião dedicou boa parte de sua fala ao PMDB, conclamando o partido a retomar sua própria história, desempenhando um papel de protagonista e não de mero braço auxiliar!, como acontece hoje. Para tanto, ele propôs a realização urgente de uma contenção nacional extraordinária, para oferecer ao país um programa que atenda as vozes das ruas e retire o país do atoleiro econômico em que se meteu.

Nem sempre os políticos estão à  altura de suas missões, mas neste discurso Requião mostrou que está à  altura do Brasil. Foi um dos mais importantes pronunciamentos deste Senado , até hoje!, disse o senador Cristovam Buarque (PDT-DF).

Assista ao vídeo:

Compartilhe!

    Palácio Iguaçu vê com desconfiança movimentação de Ratinho Júnior, do PSC, cuja equipe na SEDU flerta com o núcleo duro do PT e da ministra Gleisi Hoffmann; Maria Amélia Camargo, irmã do ex-prefeito do município de Colombo, Jota Camargo, também do PSC, está lotada no gabinete do prefeito de Pinhais, Luizão Goulart, um dos generais petista na região metropolitana de Curitiba; nem esperaram esfriar o defunto!, ironiza um palaciano, ao admitir a possibilidade de Richa não disputar a reeleição em 2014.

    Palácio Iguaçu vê com desconfiança movimentação de Ratinho Júnior, do PSC, cuja equipe na SEDU flerta com o núcleo duro do PT e da ministra Gleisi Hoffmann; Maria Amélia Camargo, irmã do ex-prefeito do município de Colombo, Jota Camargo, também do PSC, está lotada no gabinete do prefeito de Pinhais, Luizão Goulart, um dos generais petista na região metropolitana de Curitiba; nem esperaram esfriar o defunto!, ironiza um palaciano, ao admitir a possibilidade de Richa não disputar a reeleição em 2014.

    O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), Ratinho Júnior, ex-candidato a prefeito de Curitiba pelo PSC, é uma espécie de reserva de votos no grupo político do governador Beto Richa (PSDB). Após confronto no segundo turno com Gustavo Fruet (PDT), nas eleições de 2012, soube-se que o pequeno camundongo tem estoque de 400 mil votos só na capital paranaense. O peso do moço na região metropolitana também é algo invejável a qualquer político, digno de quem pode até ousar disputar o Palácio Iguaçu.

    Dito isto, um fato chamou a atenção nesta semana. Um dos principais homens de confiança de Ratinho Junior na SEDU, Jota Camargo, ex-prefeito do município de Colombo, do PSC, emplacou a irmã, Maria Amélia Camargo, em vistoso cargo de confiança no município de Pinhais, também na região metropolitana de Curitiba. Ela bate continência aos petistas todas as manhãs, desde o último dia 22 de fevereiro, quando saiu o decreto 105/2013. A mana de Jota Camargo fora sua secretária de Fazenda nas duas gestões à  frente da prefeitura.

    Tudo isso não teria importância alguma se a prefeitura de Pinhais não fosse administrada pelo PT. O prefeito da cidade é Luizão Goulart, presidente da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), um dos principais estrategistas da pré-campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, ao governo do Paraná.

    Jota Camargo, cotado para assumir a COMEC (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), é homem de confiança de Ratinho Júnior, que seria homem de confiança de Richa. Deu para entender? Não tem problema, eu explico: a tropa ligada ao PSC também flerta com a tropa de Gleisi.

    à‰ certo que os estrategistas do Palácio Iguaçu consideram a possibilidade de Richa desistir da reeleição em 2014. Especula-se que o tucano tentará o conforto da disputa pela vaga ao Senado, que àlvaro Dias será o nome do PSDB para o governo do estado. Por enquanto são conjecturas, mas parece que a turma de Ratinho Junior nem quer esperar o defunto! esfriar no caixão.

    Compartilhe!

      André Vargas, presidente da Câmara em exercício, vê problemas psicológicos no ministro Joaquim Barbosa; diagnóstico também fora feito em maio passado pelo presidente da OAB-PR, Juliano Breda, para quem "é impossível travar um diálogo inteligente com o presidente do STF!; senador Sérgio Souza, outro paranaense que se destaca nessa luta, afirma que o problema da liminar proibindo a instalação dos TRFs é "transitório"; entretanto, como seguro já morreu de velho, Souza adianta que vai procurar outros ministros da Suprema Corte.

      André Vargas, presidente da Câmara em exercício, vê problemas psicológicos no ministro Joaquim Barbosa; diagnóstico também fora feito em maio passado pelo presidente da OAB-PR, Juliano Breda, para quem “é impossível travar um diálogo inteligente com o presidente do STF!; senador Sérgio Souza, outro paranaense que se destaca nessa luta, afirma que o problema da liminar proibindo a instalação dos TRFs é “transitório”; entretanto, como seguro já morreu de velho, Souza adianta que vai procurar outros ministros da Suprema Corte.

      O presidente da Câmara em exercício, o paranaense André Vargas (PT), em entrevista ao repórter André Gonçalves, correspondente do jornal Gazeta do Povo, em Brasília, afirmou ontem que não é possível estabelecer um diálogo com o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), acerca da criação dos novos tribunais regionais federais (TRFs).

      Ao repórter, o petista declarou que não há outra opção a não ser tentar dialogar com os demais ministros do Supremo.

      Interpretar a opinião do Joaquim Barbosa é um problema mais psicológico do que político e operacional. Nós precisamos de outros dez ministros convencidos nesta causa!, disse André Vargas.

      Não é somente o presidente da Câmara em exercício que vê problemas de ordem emocional no presidente da Corte. Em maio passado, em Curitiba, durante evento plural e suprapartidário pela criação dos mesmos TRFs, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Paraná, Juliano Breda, fora mais incisivo: O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado!.

      Para os paranaenses que lideram a luta pela implantação dos TRFs em Minas Gerais, Bahia, Paraná e Amazonas, o problema com o ministro Barbosa não é político ou técnico: é psicológico. Então, que fazer professor Breda?

      O senador Sérgio Souza (PMDB-PR), coordenador da Frente em Defesa dos TRFs no Senado, prevê vitória em cima de Barbosa: Creio que é um momento transitório. A liminar foi inesperada. A instalação dos novos tribunais atende ao clamor da sociedade para uma justiça eficiente e célere nos termos da nossa Constituição!.

      Souza ainda destacou: Essa é uma luta antiga dos estados envolvidos, e é uma prerrogativa do Congresso Nacional de alterar a Constituição. Temos de pensar nas centenas de milhares de pessoas que serão beneficiadas com a criação desses tribunais!.

      Compartilhe!
        Charge de Nani.

        Charge de Nani.

        Compartilhe!

          folhaJornais do Paraná

          Gazeta do Povo: Mais Médicos” atenderá só a 9% da demanda no Paraná

          Bem Paraná: Cápsula do tempo é apenas um dos mistérios de Curitiba

          Jornal de Londrina: “Atravessadores” ficam com até 45% da indenização das vítimas de trânsito

          Folha de Londrina: SALàRIOS NA WEB – Governo, Assembleia e MP aderem à  transparência pela metade

          O Diário (Maringá): Famílias ficam 14h sob mira de ladrões de banco

          Diário dos Campos: Pasto de inverno engorda bovinos na região

          Jornal da Manhã: Executivos da Senoble avaliarão áreas em Ponta Grossa

          Tribuna do Interior: Regulação coloca carros e motos no seu “devido lugar”

          O Paraná: Escassez de leite leva produtor a recuperar perdas

          Jornal Hoje: Cascavel desiste dos Jogos Abertos

          Gazeta do Iguaçu: Edgar Bueno pode ser cassado pelo TRE

          Diário do Noroeste: Contratação de neurocirurgião vai além da questão salarial, diz Prefeitura

          Tribuna de Cianorte: Estado vai gastar R$ 3 milhões no trecho da 323 que corta Cianorte

          Umuarama Ilustrado: Sanepar anuncia ampliação da rede de esgoto em Umuarama

          Tribuna do Norte: Após três anos, Samu sai do papel em Ivaiporã

          Jornais de outros estados

          Globo: Balança no vermelho: Déficit comercial do país é o pior da história

          Folha: Governo paulista deu aval a
          cartel do metrô, diz Siemens

          Estadão: Mantega resiste a projeto que afrouxa gasto em transporte

          Correio: Do céu que nos inspira… à€ realidade que nos dói

          Valor: Licitação de portos terá taxa de retorno de 7,5%

          Estado de Minas: Risco maior

          Zero Hora: 35 cidades vão receber 107 médicos

          Compartilhe!

            do Brasil 247

            Um membro da Comissão Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora Marina Silva tenta criar para disputar a presidência da República, em 2014, foi um dos líderes dos atos de vandalismo que chocaram o País no dia 20 de junho, quando o Itamaraty foi depredado; seu nome é Pedro Piccolo Contesini; "O que me resta é dizer a verdade, como estou fazendo aqui, e reconhecer meus atos. Peço desculpas sinceras a todos os companheiros e companheiras da Rede. Reafirmo que continuarei sendo um enredado! convicto, persistente e esperançoso", disse o vândalo fisgado pela rede da polícia.

            Um membro da Comissão Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora Marina Silva tenta criar para disputar a presidência da República, em 2014, foi um dos líderes dos atos de vandalismo que chocaram o País no dia 20 de junho, quando o Itamaraty foi depredado; seu nome é Pedro Piccolo Contesini; “O que me resta é dizer a verdade, como estou fazendo aqui, e reconhecer meus atos. Peço desculpas sinceras a todos os companheiros e companheiras da Rede. Reafirmo que continuarei sendo um enredado! convicto, persistente e esperançoso”, disse o vândalo fisgado pela rede da polícia.

            Um protesto que chocou o Brasil e o mundo, no dia 20 de junho, quando manifestantes depredaram e tentaram atear fogo no Palácio do Itamaraty, uma das obras-primas de Oscar Niemeyer, teve o dedo de um integrante da Comissão Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora Marina Silva tenta criar para concorrer ao Palácio do Planalto em 2014. Seu nome é Pedro Piccolo Contesini. Identificado pela Polícia Civil do Distrito Federal, ele tentou se defender em seu Facebook. “Não cometi crime”, disse. Leia abaixo: (mais…)

            Compartilhe!

              Segundo observadores políticos, reservadas as proporções e as circunstâncias, a gestão de Kireeff vai ganhando se parecendo cada vez mais com a do ex-prefeito Barbosa Neto; presença do pedetista na prefeitura londrinense foi marcada pela instabilidade política e mexidas na equipe de governo.

              Segundo observadores políticos, reservadas as proporções e as circunstâncias, a gestão de Kireeff vai ganhando se parecendo cada vez mais com a do ex-prefeito Barbosa Neto; presença do pedetista na prefeitura londrinense foi marcada pela instabilidade política e mexidas na equipe de governo.

              O prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff (PSD), teve a quinta baixa e sexta mudança em sua equipe “técnica” em apenas sete meses de governo. Essa instabilidade política está permitindo a seus adversários compará-lo ao antecessor Barbosa Neto (PDT).

              De acordo com o jornalista londrinense Zé Otávio, em seu blog, Robinson Borba deixou hoje a presidência do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUL) de Londrina. (mais…)

              Compartilhe!

                A União Geral dos Trabalhadores, de Paulo Rossi e Ricardo Patah, querem ser o "braço político" da presidenta Dilma Rousseff no sindicalismo; eles querem estancar o movimento "Volta, Lula", defendido por setores do PT e da CUT.

                A União Geral dos Trabalhadores, de Paulo Rossi e Ricardo Patah, querem ser o “braço político” da presidenta Dilma Rousseff no sindicalismo; eles querem estancar o movimento “Volta, Lula”, defendido por setores do PT e da CUT.

                O sindicalista Paulo Rossi, presidente estadual da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, ao analisar a desenvoltura da presidenta Dilma Rousseff, que ontem (31) quebrou o protocolo e foi a pé até a sede do Sindicato dos Comerciários, no centro de São Paulo, disse que a entidade que dirige prefere ela ao ex-presidente Lula.

                “Ela cumprimentou pessoas na rua e foi muito aplaudida!, testemunhou Ricardo Patah, presidente nacional da UGT, ao relatar a caminhada da presidenta até a sede do sindicato, no Vale do Anhangabaú, ao lado da prefeitura.

                “Nós preferimos Dilma a Lula”, afirmou Paulo Rossi, mostrando certo desconforto em relação ao ex-sindicalista fundador da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e ex-presidente da República.

                Na prática, Rossi e Patah querem transformar a UGT no “braço político” de Dilma no sindicalismo nacional. Ao mesmo tempo, eles seriam uma espécie de vacina contra o movimento “Volta, Lula” ensaiado por setores do PT e da CUT.

                Compartilhe!

                  Mansão no bairro Bom Retiro, atrás do Palácio Iguaçu, serve de escritório político para Roberto Requião; estrutura lembra mais um comitê eleitoral; em 2014, senador buscará quarto mandato como governador do Paraná.

                  Mansão no bairro Bom Retiro, atrás do Palácio Iguaçu, serve de escritório político para Roberto Requião; estrutura lembra mais um comitê eleitoral; em 2014, senador buscará quarto mandato como governador do Paraná.

                  O senador Roberto Requião (PMDB) não quer deixar dúvidas quanto ao seu projeto político para 2014, que consiste em tornar-se governador do Paraná pela quarta vez. Como prova dessa vontade, o peemedebista já instalou um confortável gabinete na Rua Carlos Pioli, 670, no bairro Bom Retiro, a alguns metros de distância do Palácio Iguaçu.

                  Da mansão que já funciona com dinâmica de comitê eleitoral, com agenda, mapas fixados nas paredes, assessoria jurídica e de imprensa, é possível monitorar quem entra e quem sai do 3!º andar da sede estadual do governo. Com uma luneta, então, é possível até descobrir o tipo de “perfume” que a pessoa usa ao visitar o governador Beto Richa (PSDB).

                  Requião observa o quadro político nacional e local com parcimônia, mas a correligionários tem reafirmado a disposição de disputar o governo. O senador não descarta, inclusive, receber apoio do PT, haja vista a possibilidade de a ministra Gleisi Hoffmann “pular” essa eleição de 2014.

                  “No PMDB, 98% dos convencionais querem a candidatura própria; desses, acredito que 90% preferem a candidatura de Requião”, avalia o advogado Maurício Requião, filho do senador, que tentará uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná.

                  Compartilhe!

                    do Brasil 247

                    Ato público da Frente Parlamentar Mista de Criação dos quatro TRFs, no Senado, teve a participação de associações de magistrados e advogados; para o presidente da Câmara em exercício, André Vargas (PT-PR), Joaquim Barbosa, que suspendeu a instalação de quatro novos tribunais regionais federais no País, "não se comporta" como presidente de poder; deputado Amauri Teixeira (PT-BA), presidente da frente, diz que liminar de Barbosa foi tomada de forma equivocada: "O presidente do Supremo fez ameaças, chantagem e usou números que não são verdadeiros"; comportamento do ministro desagrada a todos.

                    Ato público da Frente Parlamentar Mista de Criação dos quatro TRFs, no Senado, teve a participação de associações de magistrados e advogados; para o presidente da Câmara em exercício, André Vargas (PT-PR), Joaquim Barbosa, que suspendeu a instalação de quatro novos tribunais regionais federais no País, “não se comporta” como presidente de poder; deputado Amauri Teixeira (PT-BA), presidente da frente, diz que liminar de Barbosa foi tomada de forma equivocada: “O presidente do Supremo fez ameaças, chantagem e usou números que não são verdadeiros”; comportamento do ministro desagrada a todos.

                    O comportamento do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, tem desagradado a gregos e troianos. Nesta quinta-feira 1!º, um ato público no Senado reuniu políticos, representantes de magistrados e juízes contra uma liminar do ministro que suspende a criação de quatro novos tribunais regionais federais no País. O objetivo principal é pressionar o Supremo para derrubar a liminar, concedida durante o recesso judiciário unicamente por Barbosa, que já havia se posicionado contra a proposta dos TRFs. (mais…)

                    Compartilhe!

                      Marcos Isfer e Fernando Ghignone, ex-dirigentes da Urbs, serão convocados pela CPI que investiga o transporte coletivo em Curitiba; os dois são considerados homens de confiança do governador Beto Richa; hoje cedo, a sessão da comissão teve que ser interrompida por causa de tumultuo causado pela presença de motoristas e cobradores; foi preciso a intervenção do vereador Rogério Campos, que representa a categoria, para garantir os trabalhadores na reunião.

                      Marcos Isfer e Fernando Ghignone, ex-dirigentes da Urbs, serão convocados pela CPI que investiga o transporte coletivo em Curitiba; os dois são considerados homens de confiança do governador Beto Richa; hoje cedo, a sessão da comissão teve que ser interrompida por causa de tumultuo causado pela presença de motoristas e cobradores; foi preciso a intervenção do vereador Rogério Campos, que representa a categoria, para garantir os trabalhadores na reunião.

                      O ex-presidente da Urbs, Marcos Isfer e Fernando Ghignone, ex-diretor de Transportes, foram convocados na CPI do Transporte Coletivo, na Câmara de Vereadores. Os dois devem ajudar a esclarecer pontos da licitação, que foi feita em 2010, para contratar as empresas que operam o transporte coletivo de Curitiba. Membros da CPI assinaram hoje (1) o requerimento de convocação. (mais…)

                      Compartilhe!

                        do Brasil 247

                        Atualmente o PTB é o único partido governista pacificado em torno da reeleição da presidente Dilma Rousseff. No entanto, em passagem ontem por Brasília, o ex-deputado cassado disse a interlocutores que, se Lula voltar, "zera o jogo" da parceria com o PT. Aos partidários, ele teria citado o ex-ministro José Dirceu, também condenado na Ação Penal 470, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, como figuras com as quais não haveria diálogo possível.

                        Atualmente o PTB é o único partido governista pacificado em torno da reeleição da presidente Dilma Rousseff. No entanto, em passagem ontem por Brasília, o ex-deputado cassado disse a interlocutores que, se Lula voltar, “zera o jogo” da parceria com o PT. Aos partidários, ele teria citado o ex-ministro José Dirceu, também condenado na Ação Penal 470, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, como figuras com as quais não haveria diálogo possível.

                        Afastado dos holofotes da política por seu tratamento de câncer, o ex-deputado cassado Roberto Jefferson (PTB) ressurge para comandar no PTB um movimento com Volta, Lula!. (mais…)

                        Compartilhe!

                          Lemos, do PT, denunciou prefeito Edgar por manter caixa 2 na eleição de Cascavel, Oeste do Paraná; juíza que relatou caso no TRE votou pela cassação do pedetista; julgamento foi interrompido por pedido de vistas, mas será retomado na terça; o deputado petista já entrou no aquecimento e espera assumir a prefeitura em breve.

                          Lemos, do PT, denunciou prefeito Edgar por manter caixa 2 na eleição de Cascavel, Oeste do Paraná; juíza que relatou caso no TRE votou pela cassação do pedetista; julgamento foi interrompido por pedido de vistas, mas será retomado na terça; o deputado petista já entrou no aquecimento e espera assumir a prefeitura em breve.

                          O prefeito de Cascavel, Edgar Bueno (PDT), pode dançar na semana que vem na Justiça Eleitoral.

                          Eu explico melhor isso. A juíza Renata Baganha, relatora de uma representação por Caixa 2 de campanha, votou pela cassação do pedetista.

                          O julgamento de Edgar foi interrompido pelo pedido de vistas do juiz Marcos Roberto Araújo dos Santos e volta na terça-feira para julgamento pelos demais juízes.

                          A acusação é de que o prefeito reeleito ocultou e subfaturou gastos de campanha, de aluguel de veículos da Cotrans a cabos eleitorais e propaganda eleitoral.

                          Se realmente Edgar Bueno dançar na Justiça, quem assume a prefeitura é o deputado estadual Professor Lemos (PT). O petista disputou o segundo turno com o pedetista em 2012.

                          A empresa Cotrans é aquela mesma que fornece carros para campanhas políticas e os aluga para a prefeitura de Curitiba e governo do Paraná há décadas, sem ser importunada.

                          Cascavel, no Oeste, fica a 491 km da capital e tem 293 mil habitantes. O município ocupa a 4.!ª posição no ranking estadual do àndice de De!­senvolvimento Humano Municipal (IDH-M).

                          Compartilhe!

                            Ministro Joaquim Barbosa conseguiu a proeza de unir, nacionalmente, tucanos, peemedebistas e petistas; aos poucos, presidente do STF vai conseguindo se tornar uma unanimidade contrária no país; ontem, em Curitiba, o presidente em exercício da Câmara, André Vargas (PT-PR), e o senador Sérgio Souza, coordenador da Frente Parlamentar pela criação dos TRFs, se reuniram com o governador Beto Richa (PSDB), o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), e da Bahia, Jacques Wagner (PT); ato político hoje, em Brasília, pode desencadear em impeachment do magistrado da Corte Suprema.

                            Ministro Joaquim Barbosa conseguiu a proeza de unir, nacionalmente, tucanos, peemedebistas e petistas; aos poucos, presidente do STF vai conseguindo se tornar uma unanimidade contrária no país; ontem, em Curitiba, o presidente em exercício da Câmara, André Vargas (PT-PR), e o senador Sérgio Souza, coordenador da Frente Parlamentar pela criação dos TRFs, se reuniram com o governador Beto Richa (PSDB), o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), e da Bahia, Jacques Wagner (PT); ato político hoje, em Brasília, pode desencadear em impeachment do magistrado da Corte Suprema.

                            Daqui a pouco, a partir das 10 horas, na sala 6 da Ala Nilo Coelho, no Senado Federal, em Brasília, um ato político suprapartidário reabrirá a polêmica com o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a criação de quatro novos tribunais regionais federais (TRFs). O magistrado é contra a decisão do Congresso Nacional, que aprovou a implantação dos tribunais regionais federais na Bahia, Amazonas, Paraná e Minas Gerais, ao promulgar a Emenda Constitucional (EC) n!º 73/2013.

                            O impasse tende a se radicalizar a partir de hoje, pois, mesmo com toda correlação desfavorável, Barbosa concedeu liminar em Ação Direta de Inconstitucionalidade n!º 5017 movida pela Associação Nacional dos Procuradores Federais (ANPAF).

                            Dentre várias entidades que compõem o movimento pela criação dos TRFs tem aquelas que defendem, inclusive, o impeachment de Joaquim Barbosa. Muitas lideranças acreditam que o presidente do STF não tem condições políticas, técnicas e morais para continuar à  frente da Corte Suprema do país.

                            A movimentação errante de Joaquim Barbosa acerca dos TRFs, além de unir tucanos, petistas e peemedebistas em torno de uma causa — fato inédito na política recente –, também tem servido de combustível para combatê-lo no campo moral. O último enfrentamento tem a ver com a compra de um apartamento pelo presidente do STF em Miami, nos Estados Unidos, por meio de uma offshore.

                            Compartilhe!

                              A pedido do blog, um dirigente sindical ligado ao serviço público fez uma análise do Portal da Transparência que, a partir desta quinta-feira (1!º), prometia divulgar nomes e salários de todos os funcionários efetivos e comissionados do estado; sindicalistas veem pontos obscuros na medida e desconfiam que o governo Beto Richa estaria a proteger alguns comissionados, ao dificultar a pesquisa exigindo o CPF do pesquisado; perguntado quem estaria sendo protegido pelo tucanato, um dirigente sindical foi lacônico: Tenha certeza que não são servidores estatutários, que ganham uma miséria!.

                              A pedido do blog, um dirigente sindical ligado ao serviço público fez uma análise do Portal da Transparência que, a partir desta quinta-feira (1!º), prometia divulgar nomes e salários de todos os funcionários efetivos e comissionados do estado; sindicalistas veem pontos obscuros na medida e desconfiam que o governo Beto Richa estaria a proteger alguns comissionados, ao dificultar a pesquisa exigindo o CPF do pesquisado; perguntado quem estaria sendo protegido pelo tucanato, um dirigente sindical foi lacônico: Tenha certeza que não são servidores estatutários, que ganham uma miséria!.

                              O governador Beto Richa (PSDB) soltou fogos e artifícios, esta semana, ao anunciar que havia determinado! a divulgação de nomes e salários de servidores públicos do Paraná na internet a partir desta quinta-feira, 1!º de agosto.

                              Este blogueiro mostrou que a história não era bem assim, que o tucano não estava tendo um lampejo de altruísmo. Pelo contrário. Richa fora obrigado pela Lei de Acesso, ou Lei da Transparência, divulgar a contragosto os dados salariais dos barnabés. O fez com mais de um ano de atraso.

                              No Portal da Transparência, do governo do estado, a lista completa com 4,2 mil comissionados foi retirada do ar. Agora, o internauta terá que digitar o nome e o CPF do funcionário pesquisado. Também não tem a identificação da lotação o servidor.

                              Portanto, a transparência tucana é de mentirinha. Ficou mais obscuro do que antes.

                              Afinal, quem os tucanos querem proteger tanto?

                              Compartilhe!
                                Copyright © 2009 Esmael Morais. Todos os direitos reservados.