março 5, 2014
por admin
Comente agora

O que diz a velha mídia nesta quarta

capa_gazetaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Mensaleiros arrecadam mais em vaquinhas que presidenciáveis

Bem Paraná: Páscoa deste ano deverá ser até 8% mais cara que em 2013

Jornal de Londrina: Cesta básica tem a maior alta desde maio de 2002 em Londrina

Folha de Londrina: Preços dos alimentos têm a maior alta mensal em 12 anos

O Paraná: Mais uma cadeia superlotada entra na mira da Promotoria

Jornal Hoje: Mais de R$ 100 mi já foram pagos em impostos

Gazeta do Iguaçu: Prefeitura fechou 2013 com superávit de R$ 50 milhões

Jornais de outros estados

Globo: Salgueiro leva Estandarte

Folha: Putin diz que tem direito de usar a força na Ucrânia

Correio: Pequenas causas lotam juizados especiais no DF

Valor: Passam de US$ 2 bi atrasos da Venezuela a empreiteiras

Estado de Minas: Abram alas para o BRT metropolitano

Zero Hora: Rússia freia ofensiva na Ucrânia

março 4, 2014
por esmael
100 Comentários

Coluna do André Vargas: “Richa, faça um favor ao Paraná: renuncie agora ao mandato de governador”

O feriadão de Momo não foi o suficiente para aplacar a combatividade do deputado André Vargas que em sua coluna, nesta terça, pede para o governador Beto Richa renunciar ao mandato por "incompetência" administrativa; o petista foca críticas na insegurança! pública do Paraná ao detonar o tucano que, segundo ele, deixou os moradores do bairro Sítio Cercado, em Curitiba, fazerem rifas para consertar viaturas da Polícia Militar; "Imagina uma criança, com idade entre 10 e 14 anos, tirando seu dinheiro do cofrinho ou deixando de tomar um sorvete ou chupar uma bala para poder contribuir com uma ação entre amigos para ajudar o governo Beto Richa"; vice-presidente da Câmara ainda relata casos de veículos da centenária PM sendo empurrados pelos policiais por falta de combustível e até sendo puxado por bois no interior do Paraná; Beto Richa deveria fazer um grande favor ao Paraná. Renunciar ao cargo, porque batemos no fundo do poço!, recomenda André Vargas; leia o texto.

O feriadão de Momo não foi o suficiente para aplacar a combatividade do deputado André Vargas que em sua coluna, nesta terça, pede para o governador Beto Richa renunciar ao mandato por “incompetência” administrativa; o petista foca críticas na insegurança! pública do Paraná ao detonar o tucano que, segundo ele, deixou os moradores do bairro Sítio Cercado, em Curitiba, fazerem rifas para consertar viaturas da Polícia Militar; “Imagina uma criança, com idade entre 10 e 14 anos, tirando seu dinheiro do cofrinho ou deixando de tomar um sorvete ou chupar uma bala para poder contribuir com uma ação entre amigos para ajudar o governo Beto Richa”; vice-presidente da Câmara ainda relata casos de veículos da centenária PM sendo empurrados pelos policiais por falta de combustível e até sendo puxado por bois no interior do Paraná; Beto Richa deveria fazer um grande favor ao Paraná. Renunciar ao cargo, porque batemos no fundo do poço!, recomenda André Vargas; leia o texto.

André Vargas*

A ação entre amigos, que vem sendo realizada por moradores do bairro Sítio Cercado, um dos mais populosos e violentos de Curitiba, para ajudar o governador do Estado, Beto Richa (PSDB), a pagar os consertos das viaturas das polícias Civil e Militar, demonstra claramente a preocupação da população com a falta de segurança. Totalmente descobertos na área de segurança e vendo policiais militares, humilhados, empurrando viaturas nas ruas por falta de reparos e até mesmo combustível, além de dezenas delas estacionadas em pátios de oficinas reparadoras por falta de pagamento, a população da região Sul da capital não teve outra opção a não ser fazer rifas para ajudar o governo que vem dando calote nos fornecedores.

à‰ patético. à‰ vergonhoso, como cidadão paranaense, assistir a cenas desse tipo, onde a população, moradores humildes, que pagam seus impostos, sendo forçados a fazer rifas para poder arrecadar dinheiro e dar ao governador para que pague os consertos das viaturas e as coloquem nas ruas para fazer o patrulhamento.

Você já imaginou uma criança, com idade entre 10 e 14 anos, ter que tirar seu dinheiro do cofrinho, ou deixar de tomar um sorvete ou chupar uma bala, para poder contribuir com uma ação entre amigos para ajudar o governo Beto Richa? Isso é desumano, é anticonstitucional, é um retrocesso na qualidade de vida dos cidadãos paranaenses. Pior que isso, foi vermos uma viatura ser puxada por bois, não estou falando de boy, playboy, mas sim de boi mesmo, aquele de quatro patas. Isto, segundo jornalistas, aconteceu a última vez em 1909. E agora vemos a cena repetida, uma viatura sendo puxada por bois no interior do Paraná.

Como já disse, é vergonhoso. Essa vergonha, no entanto, não deixa o senhor Beto Richa sequer ruborizado, pois o mesmo e sua turma estão passeando nos Estados Unidos gastando dinheiro público que deveria ser investido em segurança. Deixaram Curitiba e Região Metropolitana mergulhada em uma greve de ônibus e não pagaram fornecedores. Alguns desses assessores foram para a Alemanha, assistir a jogo de futebol, enquanto outros foram batucar no Carnaval de Guaratuba, Caiobá e Rio de Janeiro. Enquanto isso, os moradores do Sítio Cercado, afundados em violência, fazem rifa !“ sorteio de celulares, televisores !“ para patrocinar a farra desse governo.

Estou indignado, não apenas como deputado federal e vice-presidente da Câmara dos Deputados, mas como cidadão paranaense arrasado por um governo incompetente. Um governo que afundou as economias, que não paga as contas, que não respeita a Lei de Responsabilidade Fiscal e só reclama do governo federal. E, pasmem, um Estado onde os cidadãos de bens não têm sequer segurança.

Gostaria, de entender, como alguns políticos, amigos meus, homens de bem, trabalhadores, ainda se dão ao luxo de defender o governo Beto Richa, em nome de uma falsa aliança. Esses políticos também deveriam ter vergonha na cara e rever suas posições, porque não podemos mais conviver com mentiras e abusos.

Beto Richa deveria fazer um grande favor ao Paraná. Renunciar ao cargo, porque batemos no fundo do poço.

*André Vargas, deputado federal pelo PT do Paraná, vice-presidente da Câmara, é colunista do Blog do Esmael. Escreve sobre poder e socialismo nas terças-feiras.

março 4, 2014
por esmael
25 Comentários

Rússia x Ucrânia: Putin ameniza tensão, mas não descarta guerra

Vladimir Soldatkin e Alissa de Carbonnel, via Brasil 247

Presidente russo disse que a Rússia só usará a força militar na Ucrânia como último recurso, em aparente tentativa de acalmar relações com o Ocidente e com os mercados financeiros; no entanto, se reservou o direito de usar todas as opções para proteger seus compatriotas que estão vivendo em "terror", após o que chama de "golpe anti-constitucional e tomada do poder pelas armas"; por trás de suas ações existe o interesse em preservar a base de sua frota do Mar Negro, em Sebastopol, na Crimeia; Europa julga crise a maior já vivida no século XXI.

Presidente russo disse que a Rússia só usará a força militar na Ucrânia como último recurso, em aparente tentativa de acalmar relações com o Ocidente e com os mercados financeiros; no entanto, se reservou o direito de usar todas as opções para proteger seus compatriotas que estão vivendo em “terror”, após o que chama de “golpe anti-constitucional e tomada do poder pelas armas”; por trás de suas ações existe o interesse em preservar a base de sua frota do Mar Negro, em Sebastopol, na Crimeia; Europa julga crise a maior já vivida no século XXI.

MOSCOU/KERCH, Ucrânia, 4 Mar (Reuters) – O presidente Vladimir Putin disse nesta terça-feira que a Rússia só usará a força militar na Ucrânia como último recurso, em comentários cujo objetivo aparente é acalmar as tensões entre Ocidente e Oriente causadas pelo temor de uma guerra na ex-república soviética. Continue lendo →

março 4, 2014
por admin
Comente agora

O que diz a velha mídia nesta terça

capa_oparanaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: 100 dias para a Copa

Folha de Londrina: Feriados favorecem arrombamento de caixas eletrônicos

O Diário (Maringá): Receita espera 84 mil declarações de Maringá

Diário dos Campos: Receita per capita de PG fica abaixo de outros municípios

O Paraná: Falta de qualificação trava avanço na construção civil

Gazeta do Paraná: Em 2013, cada vereador custou R$ 669.842,41

Jornal Hoje: Projeto do Moinho Escola promete enfim sair do papel

Gazeta do Iguaçu: Nova usina não prejudicará a vazão das Cataratas do Iguaçu

Tribuna do Norte: EUA não confirmam ultimato aos navios da Ucrânia

Jornais de outros estados

Globo: A Ilha não é brinquedo

Folha: Aumento de tensão militar na Ucrânia derruba as Bolsas

Correio: Servidores reclamam da futura sede do CNJ

Estado de Minas: O bom samba à  casa torna

Zero Hora: Europa quer negociar e EUA pressionam Rússia

março 3, 2014
por esmael
56 Comentários

Chanceler responde a FHC: “O Brasil não está mudo diante da Venezuela”

do Brasil 247

Chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, responde ex-presidente FHC, que ontem, em artigo, bateu duro na política externa desde o governo Lula; o tucano criticou a gestão petista por se calar diante de manifestações antidemocráticas quando elas ocorrem nos países de influência bolivariana!; segundo o chanceler, o Brasil defende diálogo com a oposição e os manifestantes na Venezuela, mas diz que o presidente Maduro não precisa de recados sobre como lidar com a crise política.

Chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, responde ex-presidente FHC, que ontem, em artigo, bateu duro na política externa desde o governo Lula; o tucano criticou a gestão petista por se calar diante de manifestações antidemocráticas quando elas ocorrem nos países de influência bolivariana!; segundo o chanceler, o Brasil defende diálogo com a oposição e os manifestantes na Venezuela, mas diz que o presidente Maduro não precisa de recados sobre como lidar com a crise política.

Em resposta à s duras críticas do ex-presidente FHC sobre a política externa da gestão petista, o chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, defendeu a posição brasileira sobre a crise na Venezuela: Muitas coisas se obtêm em diplomacia sem que elas cheguem a público, até porque, se chegarem, não terão resultado!.

Em artigo, o ex-presidente tucano criticou a “diplomacia inerte do Brasil desde o governo Lula e o erro estratégico na avaliação das forças que predominariam no mundo”. Além disso, acusou o país de se encolher enquanto apoia o governo venezuelano, sem qualquer ressalva à s mortes, aprisionamento de oposicionistas e cortinas de fumaça que querem fazer crer que o perigo vem de fora e não das péssimas condições em que vive o povo venezuelano! (leia mais).

O chanceler rebate dizendo que o Brasil é sim a favor do diálogo entre o presidente Nicolás Maduro, a oposição e os manifestantes na Venezuela. No entanto, afirma que não estamos muito diante do país e que Maduro não precisa de recados sobre como lidar com a crise política. Continue lendo →

março 3, 2014
por esmael
42 Comentários

Justiça determina que Richa reabra salas de aula fechadas no Paraná

Vara da Fazenda Pública de Jaguapitã, a 55 km de Londrina, mandou Beto Richa reabrir sala de aula fechada no município; decisão inédita, com base na ação pública movida pelo promotor de Justiça Erinton Cristiano Dalmaso, do Ministério Público do Paraná, obriga a SEED cumprir as Constituições Federal e Estadual acerca da universalização do ensino público fundamental; descumprimento da determinação judicial implica em multa diária de R$ 10 mil até o limite de R$ 300 mil; fechamento de salas de aula consiste em uma política de contenção de gastos! para o governo Richa adequar-se à  LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal); trata-se da cota sacrifício! imposta à  Educação para manter o exército de comissionados no Palácio Iguaçu.

Vara da Fazenda Pública de Jaguapitã, a 55 km de Londrina, mandou Beto Richa reabrir sala de aula fechada no município; decisão inédita, com base na ação pública movida pelo promotor de Justiça Erinton Cristiano Dalmaso, do Ministério Público do Paraná, obriga a SEED cumprir as Constituições Federal e Estadual acerca da universalização do ensino público fundamental; descumprimento da determinação judicial implica em multa diária de R$ 10 mil até o limite de R$ 300 mil; fechamento de salas de aula consiste em uma política de contenção de gastos! para o governo Richa adequar-se à  LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal); trata-se da cota sacrifício! imposta à  Educação para manter o exército de comissionados no Palácio Iguaçu.

Atendendo a uma ação civil pública do promotor de Justiça Erinton Cristiano Dalmaso, do Ministério Público do Paraná, a Vara da Fazenda Pública de Jaguapitã (55 km de Londrina) determinou que o governo do estado volte a ofertar as aulas do sexto ano fundamental noturno na Escola Estadual Dr. Waldemiro Pedroso.

A decisão judicial contraria a orientação do governo Beto Richa (PSDB) pelo fechamento de turmas em todo o Paraná, conforme este blog denunciou ao longo da semana passada. Protestos da comunidade escolar foram verificados na capital e no interior do estado (clique aqui).

A modificação do porte das escolas, como quer o governo Richa, mexe com as condições de trabalho dos educadores, bem como influencia na aprendizagem dos alunos. Ao eliminar turmas, sem discussão com a comunidade escolar, provoca-se a superlotação nas salas e a dispensa de funcionários e professores. Concomitantemente, cai a qualidade do ensino.

O fechamento de salas de aula consiste em uma política de contenção de gastos! para o governo Richa adequar-se à  LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal). à‰ a cota sacrifício! da Educação para manter o exército de comissionados no Palácio Iguaçu.

O promotor Erinton Cristiano Dalmaso viu no fechamento das salas de aula afronta à s Constituições Federal e Estadual, mas também apelou para a sensibilidade social do poder público. “Essa situação [da não autorização de abertura do 6.!º ano para o período noturno] aniquila qualquer possibilidade de escolarização desses adolescentes e adultos que durante o dia, por questões sociais e familiares, precisam trabalhar”.

Em caso de descumprimento da determinação judicial, a Secretaria de Estado da Educação (SEED), cujo titular é o vice-governador Flávio Arns (PSDB), terá de pagar multa diária de R$ 10 mil até o limite de R$ 300 mil.

março 3, 2014
por esmael
24 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: “As bravatas e o continuísmo do ‘xerife’ Fruet”

Advogado Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda-feira de Carnaval, ironiza o prefeito Gustavo Fruet que, no auge da greve dos ônibus, ameaçou prender sindicalistas e empresários pela prática de locaute!; Falou e tomou Doril, sumiu. Coube à  vice-prefeita, Mirian Gonçalves, assumir as negociações e pôr fim à  greve dos ônibus!, registrou o especialista em multas; colunista também observa que Fruet realiza uma gestão de continuidade quando o assunto é trânsito e multas eletrônicas: Se continua a ocupação dos equipamentos da Consilux é porque a solução encontrada na gestão anterior !” do prefeito Luciano Ducci !” foi correta e assim parece que vai continuar!, espinafra; leia o texto.

Advogado Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda-feira de Carnaval, ironiza o prefeito Gustavo Fruet que, no auge da greve dos ônibus, ameaçou prender sindicalistas e empresários pela prática de locaute!; Falou e tomou Doril, sumiu. Coube à  vice-prefeita, Mirian Gonçalves, assumir as negociações e pôr fim à  greve dos ônibus!, registrou o especialista em multas; colunista também observa que Fruet realiza uma gestão de continuidade quando o assunto é trânsito e multas eletrônicas: Se continua a ocupação dos equipamentos da Consilux é porque a solução encontrada na gestão anterior !” do prefeito Luciano Ducci !” foi correta e assim parece que vai continuar!, espinafra; leia o texto.

Marcelo Araújo*

Na semana passada uma palavra passou a fazer parte do vocabulário cotidiano devido aos conflitos do transporte coletivo que é “lock out”, ou aportuguesado “locaute”, numa tradução livre chaves pra fora ou porta trancada, que seria a “greve dos patrões”. O prefeito Gustavo Fruet bradou retumbante que pediria a prisão se fosse caracterizada tal prática. Falou e tomou Doril, sumiu. Coube à  vice-prefeita, Mirian Gonçalves, assumir as negociações e pôr fim à  greve dos ônibus.

Sem advogar em favor nem contra nenhuma das partes (empregados, patrões, poder público), mas ao ouvir o tom ameaçador e firme não peculiar, fiquei curioso para saber a real possibilidade disso acontecer. Vale esclarecer também que não se está falando em “desobediência” à  decisão judicial que ainda não havia e sim ao “locaute”.

O golpe militar de 1964 se iniciou em meados de março daquele ano, e em 01/06/64 é editada a Lei 4330/64 por Castello Branco, que em seus Arts. 29 e 30 trazem a expressão “lock out”, tipificando-o como crime. Esta Lei foi revogada pela 7783/89 do presidente à  época José Sarney, não mais tipificando de forma expressa o tipo penal.

Essa lacuna pode ser preenchida com o Art. 201 do Código Penal que fala da suspensão ou abandono coletivo de trabalho, interrompendo serviço de interesse coletivo.

Tanto quando havia previsão expressa, quanto no dispositivo que nos referimos e que não é tão específico, é considerado um crime de menor potencial ofensivo, o que implica na lavratura de Termo Circunstanciado e os demais benefícios da Lei 9099/95, como transação penal, suspensão condicional do processo, etc., mas não desde que a pessoa se comprometa ao comparecimento no TC, não vai preso.

Certamente antes de seu brado, alto, forte e retumbante o alcaide foi devidamente orientado, tendo a seu lado uma especialista nessas causas, além de ser Advogado.

A jurisprudência resiste em aceitar com tanta facilidade a tese e as provas precisariam ser por demais robustas, afastando ainda a hipótese de fechar as portas para não haver risco ao patrimônio da empresa (ônibus). Todo aquele que ameaça tem que cumprir, sob pena de cair no descrédito. Vou te matar, vou te prender são expressões fortes, marcantes, mas no primeiro caso impõe respeito aquele que tem pelo menos um risquinho na coronha. “TEJE PRESO!!!”.

Sobre os radares, Ducci tinha razão!

Tem assunto que em determinadas épocas insiste em não ser esquecido, e em outros ao contrário, e estamos falando de RADAR. Se continua a ocupação dos equipamentos da Consilux é porque a solução encontrada na gestão anterior — do prefeito Luciano Ducci — foi correta e assim parece que vai continuar.

Se a licitação que estava em andamento à  época fosse ruim teria sido revogada. Apesar de não haver mais qualquer obstáculo no judiciário nem no Tribunal de Contas, nem faz nem desocupa. Elogios, portanto, para a gestão anterior, de Ducci, a ocupação foi a melhor solução e a licitação que foi tão criticada continua apenas parada.

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

março 3, 2014
por admin
Comente agora

O que diz a velha mídia nesta segunda

capa_emJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Homenageando vilões, Mocidade Azul é campeã

Bem Paraná: à”, abre alas que eu quero passar

Folha de Londrina: Três em cada quatro unidades custam mais de R$ 200 mil

O Diário (Maringá): Maringá e região têm mais de um caso de aids por dia

Jornal Hoje: Fim de semana violento deixa vítimas fatais

Jornais de outros estados

Globo: Um salto para a eternidade

Folha: Ucrânia fecha o espaço aéreo e chama reservistas

Correio: Jovens reinventam a folia em Brasília

Estado de Minas: Brasil, o meu refúgio

Zero Hora: Alta tensão na Ucrânia

março 2, 2014
por esmael
31 Comentários

Requião sobre o mensalão: “Barbosa aplicou sua vontade, não código penal”

do Brasil 247

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) critica no Twitter o comportamento do presidente do STF, Joaquim Barbosa, que admitiu ter agravado as penas dos réus da Ação Penal 470 para formação de quadrilha a fim de que o crime não prescrevesse e de que os condenados cumprissem pena em regime fechado; "Fácil de entender, independente da lei, Joaquim Barbosa resolveu aplicar sua vontade e não o código penal", escreveu o parlamentar; antes, ele ironizou a "regalia" de Delúbio Soares na prisão, que segundo o Ministério Público, seria uma feijoada; "Lata de 430 gr de regalia do Delúbio (feijoada Bordon) custa R$ 4,00. Mais ou menos o preço da comida de um preso. Feita em casa é barata".

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) critica no Twitter o comportamento do presidente do STF, Joaquim Barbosa, que admitiu ter agravado as penas dos réus da Ação Penal 470 para formação de quadrilha a fim de que o crime não prescrevesse e de que os condenados cumprissem pena em regime fechado; “Fácil de entender, independente da lei, Joaquim Barbosa resolveu aplicar sua vontade e não o código penal”, escreveu o parlamentar; antes, ele ironizou a “regalia” de Delúbio Soares na prisão, que segundo o Ministério Público, seria uma feijoada; “Lata de 430 gr de regalia do Delúbio (feijoada Bordon) custa R$ 4,00. Mais ou menos o preço da comida de um preso. Feita em casa é barata”.

A truculência com que age o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Ação Penal 470, Joaquim Barbosa, foi duramente criticada pelo senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná, na manhã deste domingo. “Fácil de entender, independente da lei, Joaquim Barbosa resolveu aplicar sua vontade e não o código penal”, escreveu o parlamentar, em sua conta no Twitter. Continue lendo →

março 2, 2014
por esmael
45 Comentários

FHC: “Que a crise venezuelana nos desperte da letargia”

do Brasil 247

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso critica a "diplomacia inerte do Brasil desde o governo Lula e o erro estratégico na avaliação das forças que predominariam no mundo"; segundo o tucano, menosprezamos os atores que estão saindo da crise como principais condutores da agenda global e perdemos liderança na América Latina; enquanto o Arco do Pacífico se consolida: "o Brasil comporta-se timidamente quando a Petrobras é expropriada pela Bolívia, interfere contra o sentimento popular em Honduras, se abstém de entrar em bolas divididas, como no conflito argentino-uruguaio, além de calar diante de manifestações antidemocráticas quando elas ocorrem nos países de influência bolivariana".

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso critica a “diplomacia inerte do Brasil desde o governo Lula e o erro estratégico na avaliação das forças que predominariam no mundo”; segundo o tucano, menosprezamos os atores que estão saindo da crise como principais condutores da agenda global e perdemos liderança na América Latina; enquanto o Arco do Pacífico se consolida: “o Brasil comporta-se timidamente quando a Petrobras é expropriada pela Bolívia, interfere contra o sentimento popular em Honduras, se abstém de entrar em bolas divididas, como no conflito argentino-uruguaio, além de calar diante de manifestações antidemocráticas quando elas ocorrem nos países de influência bolivariana”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não vê motivos para cair na folia do carnaval. Segundo ele, o cenário não encoraja alegrias duráveis.

O clima de quarta-feira de cinzas antecipado se deve, de acordo com o tucano, a uma sequência de erros estratégicos da diplomacia brasileira desde o governo Lula. Escolhemos parceiros errados; perdemos liderança na América Latina; no outro polo, se consolida o Arco do Pacífico, englobando Chile, Peru, Colômbia e México e nós ficamos encurralados no Mercosul!, diz. Para ele, na crise da Venezuela, é incrível a timidez de nosso governo em fazer o que deve: não digo apoiar este ou aquele lado em que o país rachou, mas pelo menos agir como pacificador, restabelecendo o diálogo entre as partes, salvaguardando os direitos humanos e a cidadania!.

Leia o artigo: Continue lendo →

março 2, 2014
por admin
Comente agora

O que diz a velha mídia neste domingo

capa_gazetaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Uma cidade a serviço da FIFA

Jornal de Londrina: Era uma vez no carnaval…

Folha de Londrina: Concessão a dependentes químicos cresce 40% no Paraná

Diário dos Campos: Receita per capita de PG fica abaixo dos outros municípios

Jornal da Manhã: Bairros de PG concentram novas áreas de cracolândia

O Paraná: Vítimas da violência superlotam hospitais

Gazeta do Paraná: Lei liberando prostituição em trâmite na Câmara

Gazeta do Iguaçu: Começa hoje em Foz o maior evento de Ufologia da América do Sul

Diário do Noroeste: Teruo Kato reavaliando e Cristina Lorenzetti admitindo candidatura são novidades locais

Umuarama Ilustrado: Guarda se prepara para voltar à s ruas armada

Tribuna do Norte: R$ 200 milhões no PAC 3

Jornais de outros estados

Globo: A volta por cima das velhas campeãs

Folha: Rússia autoriza tropas na Ucrânia, e Obama reage

Correio: Homem vira mulher e mulher vira homem

Zero Hora: Porto Alegre de papel

março 1, 2014
por esmael
45 Comentários

Pessuti admite “dobradinha” com o desafeto Requião nas eleições

Secretário-geral do PMDB, Orlando Pessuti, confirma pré-candidatura ao governo do Paraná e anuncia possível dobradinha! com o desafeto Roberto Requião à  Presidência da República; "Ele lá e eu aqui, aliás, ele faz um excelente trabalho no Senado da República, portanto, que continue por lá", considera o ex-governador; nesta semana, senador afirmou que disputará a convenção nacional do PMDB ao apresentar seis propostas econômicas de cunho nacionalistas.

Secretário-geral do PMDB, Orlando Pessuti, confirma pré-candidatura ao governo do Paraná e anuncia possível dobradinha! com o desafeto Roberto Requião à  Presidência da República; “Ele lá e eu aqui, aliás, ele faz um excelente trabalho no Senado da República, portanto, que continue por lá”, considera o ex-governador; nesta semana, senador afirmou que disputará a convenção nacional do PMDB ao apresentar seis propostas econômicas de cunho nacionalistas.

O ex-governador Orlando Pessuti admite pela primeira vez que poderá se entender com o senador Roberto Requião para as eleições de outubro. “Ele candidato a presidente da República e eu a governador do Paraná”, deixou claro a este blogueiro. “Ele lá e eu aqui, aliás, ele faz um excelente trabalho no Senado da República, portanto, que continue por lá”.

Requião e Pessuti, ambos em litígio no PMDB do Paraná, não dividem a mesma mesa desde abril de 2010.

O ex-governador, que é secretário-geral do partido, percorreu esta semana a região metropolitana de Curitiba pela candidatura própria. Por onde ando, tenho recebido incentivo e apoio tanto pela candidatura própria como pela indicação do meu nome para o governo!, disse.

Também nesta semana, Requião colocou-se como candidato à  sucessão da presidenta Dilma Rousseff. Ele afirmou que disputará a convenção nacional do PMDB apresentando seis propostas concretas:

1 !“ Planejamento público centralizado; 2 !“ Criação de um sistema bancário público; 3 !“ Criação de um sistema de empresas públicas estratégicas; 4 !“ Política fiscal/monetária anticíclica; 5 !“ Atuação no câmbio, para assegurar uma taxa ligeiramente favorável à s exportações, como na China; e 6 !“ A articulação desses cinco itens com metas de aumento da renda per capita, redução da desigualdade, mediante políticas sociais específicas, e o estabelecimento de imposto de renda realmente progressivo, a partir de uma renda mensal de R$ 10 mil.

março 1, 2014
por esmael
23 Comentários

Derrotada politicamente, Veja entra na quarta-feira de cinzas

do Brasil 247

Revista mais engajada pela condenação ao longo do julgamento da AP 470 diz que o STF deu sinal verde para a quadrilha! petista e joga nos ministros novatos! Luís Roberto Barroso e Teori Zavascki a responsabilidade pela reviravolta no caso; sem argumentos contra uma decisão legítima que derrubou as condenações por formação de quadrilha no chamado processo do mensalão!, a publicação da Abril veste a carapuça do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, e tenta politizar a votação: sugere que o resultado foi influenciado pela presidente Dilma Rousseff, ao indiciar os novos magistrados; zomba ainda dos milhares de doadores que ajudaram petistas a quitar as multas do STF, encoraja as incoerências de Barbosa e a perseguição do juiz Bruno Ribeiro a José Dirceu e a Delúbio Soares.

Revista mais engajada pela condenação ao longo do julgamento da AP 470 diz que o STF deu sinal verde para a quadrilha! petista e joga nos ministros novatos! Luís Roberto Barroso e Teori Zavascki a responsabilidade pela reviravolta no caso; sem argumentos contra uma decisão legítima que derrubou as condenações por formação de quadrilha no chamado processo do mensalão!, a publicação da Abril veste a carapuça do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, e tenta politizar a votação: sugere que o resultado foi influenciado pela presidente Dilma Rousseff, ao indiciar os novos magistrados; zomba ainda dos milhares de doadores que ajudaram petistas a quitar as multas do STF, encoraja as incoerências de Barbosa e a perseguição do juiz Bruno Ribeiro a José Dirceu e a Delúbio Soares.

Com uma charge de José Dirceu, José Genoino e Delubio Soares, em clima de carnaval, com a chamada Quanto riso, oh! Quanta alegria!, a revista Veja deste final de semana ironiza a decisão do STF sobre a votação do último embargo infringente da AP 470.

A publicação, que foi a mais engajada pela condenação ao longo do julgamento, diz que a Corte deu sinal verde para a quadrilha! petista e joga nos ministros novatos! Luís Roberto Barroso e Teori Zavascki a responsabilidade pela reviravolta.

Por 6 votos a 5, o STF derrubou as condenações de oito réus por formação de quadrilha no processo do chamado mensalão!. José Dirceu e Delúbio Soares foram os dois principais beneficiados pela absolvição. Na teoria, deixam de cumprir pena em regime inicialmente fechado e ganham o direito ao regime semiaberto, no qual podem trabalhar fora do presídio se forem autorizados pela Justiça.

Assim como fez o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, na falta de argumentos contra uma decisão legítima, a revista Veja tenta politizar a votação. A reportagem de Daniel Pereira sugere que o resultado foi influenciado pela presidente Dilma Rousseff, que indiciou os novatos! para o cargo. O PT venceu as batalhas iniciais do processo, postergando o início de sua votação, o que foi decisivo para a mudança da composição do STF. Agora, ganhou a última batalha relevante, com seus antigos dirigentes assegurando o direito de deixar o cárcere a partir de agosto!, diz. Continue lendo →

março 1, 2014
por esmael
10 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “100 dias para a Copa do Mundo no Brasil”

Ricardo Gomyde, nesta coluna de Carnaval, conta que faltam apenas 100 dias para a Copa das Copas; segundo o diretor de Futebol do Ministério do Esporte, esse campeonato mundial será uma derrota contra os pessimistas de plantão que não acreditam no país; ele destaca o legado que ficará para os brasileiros, as melhorias em infraestrutura, na mobilidade urbana e na qualidade de vida de todos; "Mais do que isso, também queremos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância, um momento da afirmação daquilo que o esporte representa: confraternização, oportunidade de encontro entre as pessoas, nas ruas, nas arquibancadas, expressando, por meio do futebol, a esperança de um mundo pacífico e mais tolerante. O Brasil é o palco perfeito para essa celebração mundial. E que venha o hexa!!!", torce; leia o texto.

Ricardo Gomyde, nesta coluna de Carnaval, conta que faltam apenas 100 dias para a Copa das Copas; segundo o diretor de Futebol do Ministério do Esporte, esse campeonato mundial será uma derrota contra os pessimistas de plantão que não acreditam no país; ele destaca o legado que ficará para os brasileiros, as melhorias em infraestrutura, na mobilidade urbana e na qualidade de vida de todos; “Mais do que isso, também queremos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância, um momento da afirmação daquilo que o esporte representa: confraternização, oportunidade de encontro entre as pessoas, nas ruas, nas arquibancadas, expressando, por meio do futebol, a esperança de um mundo pacífico e mais tolerante. O Brasil é o palco perfeito para essa celebração mundial. E que venha o hexa!!!”, torce; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Terça-feira, 4 de março. A data marcará 100 dias para o início da Copa do Mundo no Brasil. à‰ claro que as preocupações aumentam na medida em que se aproxima a data de abertura do torneio. Mas queremos e teremos tudo pronto para fazer a Copa das Copas.

O Brasil é a casa do futebol. Foi aqui que esse esporte cresceu e se desenvolveu. à‰ brasileiro o maior futebolista de todos os tempos; o Rei Pelé. Mas o entusiasmo também cresce na mesma medida das preocupações. A nossa Seleção Brasileira está bem preparada e a visão dos estádios prontos, o avanço das obras dos portos e aeroportos, a modernização das cidades vai nos dando certeza cada vez maior de sucesso dentro e fora dos gramados.

O Brasil só tem a ganhar com a realização da Copa do Mundo. O torneio abrirá oportunidades de trabalho temporário nas mais diversas áreas. Segurança, alimentação, transportes, logística, eventos e hospitalidade são algumas delas

Os investimentos feitos pelo Governo Federal, em especial nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo, servem à  população do País. A Copa dura um mês, mas ficam como utilidade pública aeroportos, portos,viadutos, vias de trânsito rápido, equipamentos e infraestrutura de segurança e telecomunicações, além de estádios à  altura do futebol brasileiro, com mais conforto e segurança para os torcedores.

Outra herança positiva da Copa poderá ser a redução do pessimismo dos que duvidam da capacidade dos brasileiros e brasileiras de realizar empreendimentos de tanta magnitude. Mais do que isso, também queremos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância, um momento da afirmação daquilo que o esporte representa: confraternização, oportunidade de encontro entre as pessoas, nas ruas, nas arquibancadas, expressando, por meio do futebol, a esperança de um mundo pacífico e mais tolerante. O Brasil é o palco perfeito para essa celebração mundial. E que venha o hexa!!!

*Ricardo Gomyde, diretor de Futebol do Ministério do Esporte, especialista em políticas de inclusão social, é membro da Comissão Organizadora da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Escreve nos sábados no Blog do Esmael.

março 1, 2014
por admin
12 Comentários

O que diz a velha mídia neste sábado

capa_cartacapitalJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Nova proposta pode pôr fim à  greve hoje

Folha de Londrina: Frete de grãos deve subir 15%

O Diário (Maringá): Maringá faz 5 a 3 e garante vaga nas quartas de final

Diário dos Campos: Marcelo Rangel anuncia mais uma mudança no secretariado

Tribuna do Interior: Carnaval popular embala Campo Mourão e região

O Paraná: Municípios unem forças para “salvar” a fronteira

Gazeta do Paraná: TSE definiu novas regras para as eleições deste ano

Jornal Hoje: PEC lidera denúncias de violação de direitos

Gazeta do Iguaçu: Meninas Veneno e Bonde do Forró abrem hoje o carnaval

Diário do Noroeste: Mesmo liberada, pesca exige cumprimento de algumas normas

Umuarama Ilustrado: Acusado de crime passional é condenado a 19 anos de prisão

Tribuna do Norte: Sem permissão para dirigir

Jornais de outros estados

Globo: Governador do DF visitou Dirceu na Papuda

Folha: Poupança do governo despenca em janeiro

Correio: A violência faz escola em Brasília

Estado de Minas: BRT arranca devagar

Zero Hora: Dois projetos debatem mudança nos bombeiros

Capas de revistas:

CartaCapital: Como o PCC planeja dominar o Brasil

Veja: “Quanto riso, Oh! Quanta alegria”

Istoà‰: Sem dinheiro

à‰poca: A dança que emagrece

fevereiro 28, 2014
por esmael
31 Comentários

Mirian Gonçalves assume esforço pelo fim da greve dos ônibus em Curitiba

Vice-prefeita Mirian Gonçalves assume os esforços visando pôr fim à  greve dos ônibus em Curitiba; paralisação poderá ser encerrada oficialmente amanhã à s 15 horas; proposta é de reajuste de 9,28% (5,26% INPC + 3,82%), abono de R$ 300, reajuste de 10,5% na cesta básica; vice petista negociou que dias parados não serão descontados pelas empresas; quanto ao aumento na tarifa, bem, isto é outra história.

Vice-prefeita Mirian Gonçalves assume os esforços visando pôr fim à  greve dos ônibus em Curitiba; paralisação poderá ser encerrada oficialmente amanhã à s 15 horas; proposta é de reajuste de 9,28% (5,26% INPC + 3,82%), abono de R$ 300, reajuste de 10,5% na cesta básica; vice petista negociou que dias parados não serão descontados pelas empresas; quanto ao aumento na tarifa, bem, isto é outra história.

Continua o impasse acerca da greve de motoristas e cobradores em Curitiba. Reunião entre as partes envolvidas — empresas, trabalhadores e prefeitura de Curitiba — realizada nesta sexta (28) no Tribunal Regional de Trabalho (TRT) terminou sem consenso.

A desembargadora, Ana Carolina Zaina, que faz a mediação da greve propôs na data-base, em 1 de fevereiro, reajuste de 9,28% (5,26% INPC + 3,82%), abono de R$ 300, reajuste de 10,5% na cesta básica.

A vice-prefeita Mirian Gonçalves (PT), que é advogada trabalhista, participou da audiência de conciliação. Ela assumiu o compromisso de honrar os percentuais propostos.

A juíza estabeleceu até 15 horas deste sábado para que o Sindimoc dê resposta à  proposta e os trabalhadores retornem com 100% da frota operando.

Caso a assembleia de trabalhadores rejeite a proposta apresentada no início desta noite, e não retorno até a meia noite, o TRT convocará o julgamento do dissídio pela Seção Especializada.

A vice-prefeita pediu à s empresas de transporte que não descontem os dias parados.

Quanto ao aumento do preço da tarifa, ah, isso é outra história. O conhecido “grupo do amendoim”, formado por militantes do PT mais velhos, dentre os quais Elias Salomão, Milton Alves e Cláudio Ribeiro, defende o congelamento da passagem e nova licitação de empresas de ônibus.