21 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Do Exército, espera-se um milagre. Ou a intervenção não é sobre segurança?

O ex-ministro Roberto Amaral observa que a mídia vende o Exército como a panaceia, de quem se espera um milagre, e faz um inquietante questionamento: “Ou a intervenção não é sobre segurança?” Para ele, as Forças Armadas estão sendo utilizadas numa operação, no Rio, nitidamente de caráter político-eleitoral. Leia mais

20 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comente agora

Exército pede o que o golpe não pode garantir: ‘segurança jurídica’ para matar no Rio

Se o futuro pertencesse ao coordenador da Comissão da Verdade, o procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto, do Ministério Público do Paraná, após a pirotecnia da intervenção militar no Rio de Janeiro, membros das Forças Armadas e o próprio Michel Temer seriam julgados pelo tribunal de júri por eventuais crimes dolosos. Leia mais

19 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comente agora

A Intervenção militar no Rio: dos juízes aos generais

Um dos maiores especialistas de segurança pública do país, Luiz Eduardo Soares, em artigo especial, à luz da intervenção militar no Rio, afirma que parece estar em curso uma transição: aos poucos, deixamos de ser o país dos juízes para nos tornarmos a nação dos generais –- de novo, ainda que, dessa vez, com cobertura legal, uma vez que, depois do impeachment, qualquer atropelo às leis poderá ser tolerado desde que os fins justifiquem, para seus operadores, os meios. Leia mais

17 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comente agora

Golpe pode estar ensaiando uma ditadura

O sociólogo Marcelo Zero, em artigo especial, afirma que o golpista Michel Temer não está não está intervindo no Rio por causa da segurança pública. “O Golpe está intervindo no Rio por causa de sua própria segurança.” E prevê final pior: uma ditadura. Leia mais

17 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comente agora

Requião: Intervenção militar no Rio pode significar o fim das eleições livres no Brasil

O senador Roberto Requião (MDB-PR), à luz da intervenção militar no Rio, alerta que as eleições livres e democráticas podem não ocorrer em outubro deste ano. Ou, noutra hipótese, ter o resultado fraudado. Leia mais

16 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Em vídeo, Requião afirma que intervenção no Rio foi “jogada publicitária” de Temer

O senador Roberto Requião (MDB-PR), em vídeo publicado nas redes sociais, nesta sexta (16), afirmou que a intervenção militar no Rio foi uma “jogada publicitária” de Michel Temer que “não vai resolver nada”. Leia mais

16 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comente agora

Temer aposta alto e assume desfile na Sapucaí

O jornalista Ricardo Cappelli analisa os impactos da intervenção militar no Rio. Para ele, Michel Temer aposta alto. “Numa jogada só escanteia Rodrigo Maia, pego de surpresa, abafa a derrota certa na previdência e tenta retomar o protagonismo com uma agenda de forte apelo popular”, escreve. Leia mais

16 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Lindbergh: ‘Temer travará Guerra das Malvinas para evitar derrota na reforma da previdência’

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) denunciou nesta sexta (16) que Michel Temer, ao intervir no Rio de Janeiro, começará a travar uma nova Guerra das Malvinas. “De quebra, arrumou uma saída ‘honrosa’ para evitar a derrota na reforma da previdência”, diz o parlamentar fluminense. Leia mais

16 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Temer autoriza Exército a metralhar no Rio

A intervenção autorizada por Michel Temer, o Vampiro Neoliberalista, dará liberdade plena para o Exército metralhar alvos hostis — leia-se morros — no Rio de Janeiro, como recomendou recentemente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) a executivos do mercado financeiro em evento do BTG Pactual. Leia mais

6 de Janeiro de 2018
por esmael
44 Comentários

Exército deixa MBL ‘na mão’ no julgamento de Lula em Porto Alegre

O Exército Brasileiro deixou ‘na mão’ o prefeito Nelson Marchezan (PSDB), membro do Movimento Brasil Livre (MBL), ao negar patrulhamento nas ruas de Porto Alegre durante manifestações em defesa da democracia e por eleições diretas no próximo dia 24 de janeiro. Leia mais

1 de Janeiro de 2018
por esmael
6 Comentários

É pura ficção acreditar na solução da segurança com Exército ou Força Nacional

O economista e jornalista J. Carlos Assis, em artigo especial, denuncia a degradação da segurança pública e da economia nos estados em virtude da impagável dívida de meio trilhão de reais, por isso, observa, falta dinheiro para pagar a polícia, os servidores da educação, da saúde, os investimentos em infraestrutura, etc. “Pensar que tudo isso vai ser resolvido pela Força Nacional e o Exército é pura ficção”, escreve. Leia mais

10 de outubro de 2017
por esmael
7 Comentários

Exército vai atuar nas eleições 2018 a pretexto de combater crimes cibernéticos

Aos poucos, o Exército vai ampliando sua participação como tutor e na criminalização dos brasileiros. Seja nas comunidades do Rio seja nas redes sociais, a “mão amiga” pode extrapolar ainda mais sua função constitucional. Vem aí o “Exército 2018”.

2 de novembro de 2015
por esmael
17 Comentários

PT não é responsável pela crise ética, afirma general do Exército

do Brasil 247

general_villas_boasO comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, afirma que há sim uma crise ética no país, mas que a chegada do PT ao poder não tem responsabilidade nisso. Para ele, a corrupção está instalada no Brasil, mas todas as instituições estão em pleno funcionamento, razão pela qual não há chance de intervenção dos militares.

“O Brasil é um país com instituições sólidas e amadurecidas, que estão cumprindo seus papéis. O Brasil é um país sofisticado, com sistema de pesos e contrapesos, ou seja, não há necessidade de a sociedade ser tutelada. Nosso papel é essencialmente institucional, legal e focado na manutenção da estabilidade para permitir que as instituições cumpram suas funções”, disse Villas Bôas ao Estado (aqui).

As declarações do comandante supremo do Exercito sucedem a demissão do comandante militar do Sul, general quatro estrelas Antonio Hamilton Martins Mourão, transferido para a Secretaria de Economia e Finanças em Brasília, por incitação ao golpe contra o governo \Dilma Rousseff. Para Mourão, o Brasil carecia de um “despertar de uma luta patriótica”. Disse ainda que “a vantagem da mudança (da presidente da República) seria o descarte da incompetência, má gestão e corrupção”.

20 de outubro de 2013
por esmael
2 Comentários

Exército já ocupa frente de hotel onde ocorrerá leilão do pré-sal; black blocs convocam protesto

da Agência Brasil

As tropas do Exército já estão posicionadas em frente ao Hotel Windsor Barra, no Posto 4 da Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, onde nesta segunda-feira, a partir das 14h, ocorrerá o primeiro leilão de Libra, do pré-sal da Bacia de Santos, atendendo à s novas regras do modelo de partilha.

Os militares ocupam a entrada do hotel desde a meia-noite de hoje (20), equipados com escudos e armas não letais. A tropa está preparada para agir em casos de manifestações, que estão sendo convocadas pelos petroleiros em greve e pelos movimentos sociais que apoiam a paralisação, contrários ao leilão da camada do pré-sal. Os petroleiros estão parados, por tempo indeterminado, desde quinta-feira (17).

Os black blocs, grupos que se vestem de negro e usam máscaras contra gás, presentes em todas as manifestações, estão convocando pelas redes sociais para um ato unificado amanhã, a partir das 10h, na praia da Barra da Tijuca, entre a Ponte Lúcio Costa e a Praça do à“. O texto diz que o ato unificado é “Um milhão contra o leilão, a opressão e pela educação”. Os black blocs também estão marcando uma concentração, à s 17h, na Candelária, para um ato ao longo da Avenida Rio Branco, com término na Cinelândia.

A segurança na região da Barra da Tijuca, onde ocorrerá o leilão, será feita pelo Exército, com o reforço da Marinha, da Força Nacional e da Polícia Militar. O patrulhamento ostensivo começou na madrugada de hoje (20), na faixa do litoral e nas vias do entorno do Hotel Windsor. A área de atuação das forças de segurança está delimitada pelas avenidas Lúcio Costa, à‰rico Verissímo, Armando Lombardi, Afonso Arinos de Melo Franco e o Canal de Marapendi.

O efetivo total empregado na operação é formado por cerca de 1.100 homens, entre militares e policiais federais e estaduais, policiais civis, guardas municipais e funcionários públicos. Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) pede aos motoristas que evitem a região entre hoje e amanhã, por causa de retenções no tráfego nas vias próximas ao hotel.

De acordo com o assessor de imprensa do CLM, coronel Roberto Itamar, “as coisas estão acontecendo progressivamente”, com o efetivo total a ser empregado até o início da manhã desta segunda-feira.

O comando das operações está a cargo do general Lundgren, coordenador do Centro de Operações do Comando Militar do Leste e pelo general Nolasco, comandante da 9!ª Brigada de Infantaria Motorizada, sediada no Rio de Janeiro.

17 de outubro de 2013
por esmael
13 Comentários

Veja essa: Exército Brasileiro “afrouxa o sutiã” e é convocado para garantir a privatização do pré-sal

da Agência Brasil

Os tempos realmente são outros; Exército Brasileiro que tinha como lema a defesa da soberania nacional

Os tempos realmente são outros; Exército Brasileiro que tinha como lema a defesa da soberania nacional “afrouxou o sutiã”; segundo a ANP, soldados foram convocados para garantir a segurança (dos compradores?) no leilão do pré-sal do Campo de Libra, na Bacia de Santos; privatização está previsto para segunda-feira, 21, no luxuoso Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, disse hoje (17) que a segurança da primeira rodada de licitação do pré-sal será reforçada devido ao risco de haver protestos violentos. Segundo a ANP, a segurança no entorno do Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, onde ocorrerá o leilão, na próxima segunda-feira (21), terá a participação de militares do Exército. Leia mais