15 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Vampirão cancela redução de juro

Vampirão cancela redução de juro

Ainda magoado com o desfile da Tuiuti, que o pintou como vampiro neoliberalista, Michel Temer (MDB) decidiu cancelar o ciclo de redução da taxa de juro. Essa medida pune os carnavalescos pagãos e privilegia — mais uma vez — os banqueiros e o capital vadio. Leia mais

24 de outubro de 2016
por esmael
73 Comentários

Cenário econômico do país piorou com saída de Dilma, diz Gleisi Hoffmann

gleisi_pec241A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) analisa nesta segunda (24), em sua coluna, a política de juros altos do governo Michel Temer (PMDB). A parlamentar, que é presidente da CAE, relata que, além do juro fazer a economia capotar, o cenário econômico piorou bastante no país após o golpe de Estado que tirou a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT). Gleisi vai liderar amanhã (25), na CAE, debate acerca de alternativas à PEC 241 – que congela investimentos por 20 anos. Abaixo, leia a íntegra:

9 de outubro de 2013
por esmael
2 Comentários

Copom eleva a taxa básica de juros para 9,5% ao ano

da Agência BrasilO Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) elevou hoje (9) a taxa básica de juros (Selic) de 9% para 9,5% ao ano. Foi o quinto aumento seguido desde abril, dos quais quatro com variação de 0,5 ponto percentual, em linha com as expectativas dos analistas financeiros, como mostra o boletim Focus divulgado na última segunda-feira (7) pelo BC.

A ata da última reunião do Copom (dias 27 e 28 de agosto) já manifestava a tendência de a autoridade monetária manter o processo de alta da Selic. Hoje, o colegiado de diretores do BC reafirmou a disposição de dar continuidade à  elevação da taxa de juros para conter a demanda doméstica por compras e impedir o avanço da inflação, que acumula 5,86% nos últimos 12 meses.

Ao final da sétima reunião do ano, o Copom divulgou que a decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano!. A decisão do Copom foi por unanimidade e sem viés (não pode mudar até a próxima reunião do comitê, marcada para 26 e 27 de novembro).

De acordo com números do Tesouro Nacional, referentes a agosto deste ano, 22,6% da dívida mobiliária federal estavam atrelados à  Selic. Com base nesse dado, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos calcula que cada subida de 0,5 ponto percentual na Selic equivale a acréscimo aproximado de R$ 3 bilhões/ano na dívida pública, transferidos em grande parte para os bancos, que são os maiores credores do Estado.

A taxa básica de juros cresceu 2,25 pontos percentuais no ano !“ passou de 7,25%, em abril, para os atuais 9,5% !“ e, de acordo com expectativas dos analistas financeiros, deve aumentar ainda mais nas pr