6 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em STF quer acelerar inelegibilidade de Lula, defesa se insurge contra o golpe

STF quer acelerar inelegibilidade de Lula, defesa se insurge contra o golpe

A presidenta do STF Cármen Lúcia planeja julgar em plenário pedido de liberdade para Lula, na próxima quinta (9), a pedido do ministro Edson Fachin. ... 

Leia mais

12 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em “Lula não vai trocar a dignidade pela liberdade”, avisa embaixador Celso Amorim

“Lula não vai trocar a dignidade pela liberdade”, avisa embaixador Celso Amorim

O embaixador Celso Amorim avisou nesta quinta (12), após visita a Lula, que o ex-presidente não trocará a dignidade pela liberdade. ... 

Leia mais

27 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Fachin concedeu habeas corpus em caso semelhante ao de Lula; assista

Fachin concedeu habeas corpus em caso semelhante ao de Lula; assista

O ministro do Edson Fachin, em maio deste ano, de ofício concedeu habeas corpus em cima do “princípio da plausibilidade” semelhante ao caso do ex-presidente Lula. ... 

Leia mais

15 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em URGENTE: Supremo julga pedido de liberdade para Lula no dia 26 de junho

URGENTE: Supremo julga pedido de liberdade para Lula no dia 26 de junho

O ministro Edson Fachin, relator da lava jato no STF, encaminhou para a 2ª Turma novo pedido de liberdade de Lula.  ... 

Leia mais

10 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Lula rejeita acordo para deixar prisão em troca de abandonar candidatura

Lula rejeita acordo para deixar prisão em troca de abandonar candidatura

Luiz Inácio Lula da Silva mandou dizer que rejeita trocar a candidatura à Presidência da República por sua liberdade. O recado foi transmitido pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. ... 

Leia mais

8 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Lula teria obtido habeas corpus, se tivesse sido julgado pelo Código de Defesa do Consumidor

Lula teria obtido habeas corpus, se tivesse sido julgado pelo Código de Defesa do Consumidor

O ministro do STF Ricardo Lewandowski, em seu voto no habeas corpus para Lula, no último dia 4, detonou o punitivismo nos tribunais — em especial o TRF4, que, segundo ele, não “motivou” suficientemente o pedido de prisão do ex-presidente. O juiz deu a entender que Lula obteria mais facilmente o HC se fosse julgado com base no Código de Defesa do Consumidor. ... 

Leia mais

21 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
2 Comentários

O STF marcou um gol ao conceder habeas corpus coletivos para mães presas

O Supremo Tribunal Federal, por meio da 2ª Turma, concedeu nesta terça (20) habeas corpus coletivo para 4.560 mulheres presas, em todo o território nacional, que sejam gestantes ou mães de crianças de até 12 anos ou de pessoas com deficiência. A medida é corajosa e louvável nestes tempos de fetiche penal e de superlotação dos presídios. ... 

Leia mais

8 de fevereiro de 2017
por Esmael Morais
30 Comentários

Cunha foi na jugular de Temer

O depoimento do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ao juiz Sérgio Moro, nesta terça (7), foi bastante emblemático por que puxou pelo cabelo o ilegítimo Michel Temer (PMDB) para o olho do furacão. Leia mais

26 de março de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Zeca Dirceu: “Os 30 anos de liberdade não serão derrubados no Brasil”

Zeca Dirceu*

“O golpe militar de 31 de março de 1964 foi o mais longo período de interrupção democrática pelo qual passou o Brasil durante a República. Qualificado pela história como “os anos de chumbo”, o período da ditadura foi marcado pela cassação de direitos civis, censura à imprensa, repressão violenta das manifestações populares, assassinatos e torturas”. O trecho é de uma reportagem feita pelo jornalista Marcos Chagas, da Agência Brasil, em 2011.

Neste 2015 completamos 30 anos de democracia no país, após um longo período ditatorial, que deixou centenas de brasileiros e brasileiras marcados pela sombra da tortura e outros inúmeros mortos, desaparecidos. Neste 2015, porém, vivemos também um período dúbio: ora sombrio, ora duvidoso.

Sombrio pelo fato de haver pessoas pedindo uma intervenção militar no país. Duvidoso porque é praticamente impossível acreditar que sabendo o que foi o período de ditadura militar no Brasil haja cidadãos defendendo este tipo de regime.

Na década de 60, quando houve o golpe, uma série de fatores culminaram com a ascensão da ditadura. No ano de 1961, com a renúncia do presidente Jânio Quadros, foi feita emenda constitucional que instituiu o parlamentarismo no país até 1963, quando foi realizado o plebiscito que decidiu pelo presidencialismo. Em 31 de março de 1964, como diz a historiografia oficial, na madrugada de 1º de abril, começou um dos períodos mais vergonhosos do nosso país.

João Goulart, então vice-presidente, ocupou legalmente a sucessão presidencial, mas foi deposto por golpistas. Jango defendia direitos trabalhistas. Dias antes do golpe, no emblemático comício na Central do Brasil, afirmou que faria reformas de base, garantindo direitos para brasileiros e brasileiras antes esquecidos. Esse foi o estopim para o golpe.

Hoje, 2015, já estamos maduros o suficiente para avaliar os malefícios de uma ditadura. No entanto, ainda há ecos do que foi o militarismo. Existem aqueles que pedem a saída da presidenta eleita democraticamente, por voto direto do povo, o que é lastimável. Ressalto que até 1985 não podíamos protestar contra governos, muito menos tínhamos direito de eleger um.

Para aque Leia mais

10 de dezembro de 2014
por Esmael Morais
32 Comentários

Dilma vai à s lágrimas ao receber relatório final da Comissão da Verdade

do Brasil 247
dilma_CVA presidente Dilma Rousseff se emocionou nesta manhã ao discursar durante a cerimônia de entrega do relatório dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade, que aponta a responsabilidade de mais de 300 militares por crimes cometidos no período da ditadura. Dilma defendeu que o Brasil tem direito a saber a verdade sobre esse período, e que “a verdade não significa a busca de revanche. A verdade não precisa ser motivo para ódio ou acerto de contas”.

“A verdade produz consciência, aprendizado, conhecimento e respeito. A verdade significa a oportunidade de apaziguar cada indivíduo consigo mesmo e um povo com a sua história. A verdade é uma homenagem a um Brasil que já trilha três décadas de um caminho democrático. Tornar público este relatório nesta data é um tributo a todas as mulheres e homens do mundo que lutaram pela liberdade pela democracia e, com essa luta, ajudaram a construir marcos civilizatórios e tornaram a humanidade melhor”, afirmou, em referência ao Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Dilma chorou e fez uma pausa no discurso ao dizer que os parentes das vítimas da ditadura “continuam sofrendo como se eles morressem de novo, e sempre, a cada dia”. Nesse momento, foi aplaudida de pé pelos presentes. Leia mais