2 de Abril de 2018
por esmael
Comente agora

Brasília treme

Prédios do serviço público federal foram evacuados em Brasília, nesta segunda-feira (2), por volta das 11 horas, devido a um terremoto de magnitude 6,8 na escala Richter, oriundo da Bolívia. O abalo, portanto, nada teve a ver com a tensa política desta semana. O tremor também foi sentido em São Paulo, no Paraná, no Rio Grande do Sul, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Leia mais

9 de julho de 2015
por esmael
7 Comentários

Presidente da Bolívia presenteia Papa Francisco com símbolo do comunismo

O presidente da Bolívia, Evo Morales, surpreendeu o mundo ao presentear o Papa Francisco com um peculiar crucifixo em madeira com Cristo sobre uma foice e um martelo, símbolos do comunismo, durante uma reunião que os dois mantiveram na noite desta quarta-feira (8) em La Paz.

Morales se define como um socialista e representa uma corrente regional conhecida como “Socialismo do Século XXI”, que também professam os governos de Venezuela e Equador.

Além do crucifixo, Morales entregou um exemplar do “Livro do Mar”, editado pelo governo da Bolívia, que traz um resumo histórico da centenária demanda do país andino contra o Chile, levada à Corte Internacional de Haia.

Morales fez referência ao tema marítimo em seu discurso de boas-vindas ao Papa, no Aeroporto de El Alto, quando lhe deu uma “chuspa”, uma pequena bolsa de tecido andina.

No encontro na Casa de Governo, Morales também entregou a Francisco o Condor dos Andes, a máxima condecoração do país.

O Papa presenteou Morales com uma reprodução do mosaico “Salus Populi Romani”, imagem da virgem com um menino nos braços, que desde 1611 ocupa a magnífica capela Paulina da Basílica Santa Maria Maggiore.

As informações são da agência AFP.

13 de outubro de 2014
por esmael
30 Comentários

Evo Morales se reelege para terceiro mandato como presidente da Bolívia

via Agência Brasil

O presidente da Bolívia, Evo Morales, conquistou o terceiro mandato nesse domingo (12), de acordo com dados extraoficiais, e prometeu manter, até 2020, seu modelo de crescimento econômico, cujos resultados foram elogiados por organizações como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial.

Morales fez discurso, agradecendo o apoio dos 6 milhões de eleitores, antes mesmo de os resultados oficias serem confirmados. Mas a vitória dele já era esperada: as primeiras pesquisas de boca de urna indicavam que ele tinha mais de 60% dos votos.

Primeiro presidente indígena da Bolívia e da América do Sul, em nove anos de governo Evo Morales erradicou o analfabetismo, reduziu a pobreza e a desigualdade e manteve alto índice de crescimento. Este ano, segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, a Bolívia será o país que mais vai crescer na América do Sul (5,5%) !“ mais que o dobro da média regional.

2 de Março de 2014
por esmael
45 Comentários

FHC: “Que a crise venezuelana nos desperte da letargia”

do Brasil 247 O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não vê motivos para cair na folia do carnaval. Segundo ele, o cenário não encoraja alegrias duráveis.

O clima de quarta-feira de cinzas antecipado se deve, de acordo com o tucano, a uma sequência de erros estratégicos da diplomacia brasileira desde o governo Lula. Escolhemos parceiros errados; perdemos liderança na América Latina; no outro polo, se consolida o Arco do Pacífico, englobando Chile, Peru, Colômbia e México e nós ficamos encurralados no Mercosul!, diz. Para ele, na crise da Venezuela, é incrível a timidez de nosso governo em fazer o que deve: não digo apoiar este ou aquele lado em que o país rachou, mas pelo menos agir como pacificador, restabelecendo o diálogo entre as partes, salvaguardando os direitos humanos e a cidadania!.

Leia o artigo:

Diplomacia inerte

Domingo de carnaval, convenhamos, não é o melhor dia para ler artigo sobre política internacional. Mas que fazer? Coincidiu que o dia de minha coluna fosse hoje e não tenho jeito nem vontade de escrever sobre as alegrias de Momo. Por mais que nos anestesiemos no carnaval, o meio circundante não alenta alegrias duráveis.

Comecemos do princípio. Acho que houve um erro estratégico desde o governo Lula na avaliação das forças que predominariam no mundo e da posição do Brasil na ordem internacional que se transformava. Não me refiro ao que eu gostaria que ocorresse, mas à s tendências que objetivamente se foram configurando. Nossa diplomacia guiou-se pela convicção de que um novo mundo estava nascendo e levou o presidente, em sua natural busca de protagonismo, a ser o arauto dos novos tempos. A convicção implícita era a de que pós-Muro de Berlim, depois de breve período de quase hegemonia dos Estados Unidos, pregada pelos seus teóricos do neoconservadorismo, e da coorte de equívocos da política externa daquele país (invasão do Iraque, do Afeganistão, isolamento da Rússia, apoio acrítico a Israel em sua política de assentamentos de colonos etc.) e dos desastres provocados por estas atitudes, assistiríamos a uma correção de rumos.

De fato, houve essa correção de rumos, mas a direção esperada pela cúpula da diplomacia brasileira e por setores políticos sob influência de alas antiamericanas do PT era a do declínio do Ocidente!, com a perda relativa do protagonismo americano e a emergência das forças novas: a China (o que ocorreu), o mundo árabe, em especial os países petroleiros, a àfrica e, naturalmente, a América Latina, como parte deste terceiro mundo! renascido. Essa visão encontra raízes em nossa cultura diplomática desde os tempos da políti

19 de setembro de 2013
por esmael
16 Comentários

Para fazer média com a velha mídia, Gilmar desrespeita colegas, La Paz e Caracas

do Brasil 247Com uma comparação questionável para um ministro da Suprema Corte, em sua primeira coletiva após a aceitação dos embargos infringentes na Ação Penal 470, o ministro Gilmar Mendes voltou a dizer que o STF corre o risco de virar um “tribunal bolivariano”. Antes do desempate da questão na Casa pelo voto do ministro Celso de Mello, Gilmar defendeu a tramitação rápida de um novo julgamento de 12 réus condenados, já que, para ele, a Corte não é um “tribunal para ficar assando pizza”.

Após a proclamação da vitória dos réus, o ministro critica aos jornalistas o alongamento “indevido” do julgamento, que já ocasionou na substituição de dois colegas pelos novatos Teori Zavascki e Luis Roberto Barroso e pode tirar mais integrantes até seu encerramento.

Ele afirma ainda que se deve ter cuidado com a credibilidade do Supremo, para não virar algo parecido com nossos vizinhos da América Latina.

Leia o depoimento na íntegra:

Esse julgamento foi lamentavelmente atípico. Dois colegas nossos foram retirados do julgamento por conta do alongamento “indevido”. Portanto, agora vamos ter embargos infringentes e se pretendia talvez que daqui a pouco tirássemos mais colegas. Não é razoável. Se nós começamos a operar nessa lógica, daqui a pouco nós na verdade conspurcamos o tribunal, nos corrompemos o tribunal, nos transformamos isso aqui que tem grande credibilidade, essa casa que tem grande respeito, num tribunal similar a um de La Paz, de Caracas, um tribunal bolivariano. Então precisamos encarar isso com muita seriedade.!

Com uma atitude como essa, quem perde a credibilidade é o próprio ministro, que segue os passos da descompostura do presidente do STF, Joaquim Barbosa. Cabe aqui, aos ministros citados, um desagravo do colega, assim como à s embaixadas dos países pejorativamente mencionados.

5 de Abril de 2012
por esmael
5 Comentários

Prefeito é flagrado passando a mão no bumbum de vereadora; veja o vídeo

via G1

O prefeito de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), Percy Fernández, foi flagrado no mês passado passando a mão no bumbum da vereadora Desirée Bravo durante uma cerimônia (assista ao vídeo). As imagens mostram Desirée tentando impedir a mão boba do prefeito, apesar da insistência de Fernández em acariciar as nádegas da vereadora, segundo a imprensa local. Leia mais