12 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Governo Erdogan prende mais 700 opositores na Turquia

Governo Erdogan prende mais 700 opositores na Turquia

O governo do presidente Erdogan ordenou, nesta terça-feira (12), a detenção de pelo menos 729 pessoas suspeitas de ter ligações com o pregador Fethullah Gülen, acusado por Ancara de orquestrar o golpe fracassado de 2016, anunciou a agência estatal turca Anadolu. ... 

Leia mais

9 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi leva apoio do PT ao povo da Venezuela na posse de Maduro

Gleisi leva apoio do PT ao povo da Venezuela na posse de Maduro


A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, participa nesta quinta-feira (10) da posse do presidente constitucional da Venezuela, Nicolás Maduro. “O Partido dos Trabalhadores (PT) rechaça o intervencionismo e a posição agressiva do atual governo brasileiro contra o país”, diz a nota assinada pela dirigente petista.

O documento denuncia também a “política intervencionista e golpista incentivada pelos Estados Unidos”, com a adesão do atual governo brasileiro e de outros governos reacionários da região.

Leia a nota do PT de repúdio à posição de Bolsonaro sobre a Venezuela.

1. Para mostrar que a posição agressiva do governo Bolsonaro contra a Venezuela tem forte oposição no Brasil e contraria nossa tradição diplomática.

2. Para deixar claro que não concordamos com a política intervencionista e golpista incentivada pelos Estados Unidos, com a adesão do atual governo brasileiro e outros governos reacionários. Bloqueios, sanções e manobras de sabotagem ferem o direito internacional, levando o povo venezuelano a sofrimentos brutais.

3. Porque é inaceitável que se vire as costas ou se tente tirar proveito político quando uma nação enfrenta dificuldades. Trata-se de um país que tem relações diplomáticas e comerciais importantes com o Brasil. Impor castigos ideológicos aos venezuelanos também resultará em graves problemas imigratórios, comerciais e financeiros para os brasileiros.

4. Porque o PT defende, como é próprio da melhor história diplomática de nosso país, o princípio inalienável da autodeterminação dos povos. Nossa Constituição se posiciona pela não-intervenção e a solução pacífica dos conflitos. Os governos liderados por nosso partido sempre foram protagonistas de mediações e negociações para buscar soluções pacíficas e marcadas pelo respeito à autonomia de todas as nações.

5. Porque somos solidários à posição do governo mexicano e de outros Estados latino-americanos que recusaram claramente a posição do chamado Grupo de Lima, abertamente alinhada com a postura belicista da Casa Branca.

6. Porque reconhecemos o voto popular pelo qual Nicolás Maduro foi eleito, conforme regras constitucionais vigentes, enfrentando candidaturas legítimas da oposição democrática.

7. Em qualquer país em que os direitos do povo estiverem ameaçados, por interesses das elites e dos interesses econômicos externos, o PT estará sempre solidário ao povo, aos que mais precisam de apoio. O respeito à soberania dos países e a solidariedade internacional são princípios dos quais não vamos abrir mão.

Gleisi Hoffmann
Presidenta do PT Leia mais

6 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em PT repudia posição do governo Bolsonaro em relação à Venezuela

PT repudia posição do governo Bolsonaro em relação à Venezuela


A direção do Partido dos Trabalhadores (PT) e suas bancadas parlamentares na Câmara e Senado divulgaram nota neste domingo (6) em que criticam a posição adotada pelo governo Bolsonaro de não reconhecer o mandato do presidente Nicolas Maduro da Venezuela.

Segundo o PT, o governo de Bolsonaro segue a agenda política de Donald Trump, que “visa desestabilizar o governo eleito daquele país e acirrar seu conflito interno”.

Confira a íntegra da nota:

O PT e suas bancadas na Câmara e no Senado repudiam a posição subserviente do governo autoritário de Jair Bolsonaro de apoiar a agenda política de Donald Trump em relação à Venezuela, que visa desestabilizar o governo eleito daquele país e acirrar seu conflito interno.

A decisão do novo governo brasileiro de apoiar a recente declaração do Grupo de Lima, que não reconhece o mandato do presidente Maduro e incita a realização de um golpe de Estado na Venezuela, contraria as mais altas tradições da diplomacia do Brasil, que, atendendo aos princípios constitucionais da não-intervenção e da solução pacífica das controvérsias, sempre apostou no diálogo e na negociação como únicas formas de resolver o conflito interno daquele país irmão.

Essa decisão agressiva do governo brasileiro demonstra que o nosso país já não tem mais política externa autônoma, tendo-se alinhado acriticamente, e contra seus próprios interesses, à agenda geopolítica belicista e antilatinoamericana de Donad Trump.

Advertimos, por último, que tal agenda belicista deverá agravar o conflito interno da Venezuela, fragilizar a integração da América Latina, apequenar o Brasil e, muito provavelmente, ocasionar grave instabilidade em toda a nossa região.

Senadora Gleisi Hoffmann, presidenta do PT
Senador Lindbergh Farias, líder PT no Senado
Depurado Paulo Pimenta, líder PT na Câmara Leia mais

2 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Em menos de 24h, Bolsonaro toma 17 medidas que ‘ferram’ o povão

Em menos de 24h, Bolsonaro toma 17 medidas que ‘ferram’ o povão

Menos de 24 horas depois de assumir o comando do país, Jair Bolsonaro (PSL) já colocou em prática seu projeto de país que coloca em risco o povo brasileiro, a liberdade da população e a soberania nacional. Da posse até aqui, são ao menos 17 medidas que podem agravar ainda mais a crise iniciada após o golpe de 2016 e aumentar a violência contra pobres, negros e das minorias que tanto atacou durante sua vida parlamentar, denuncia o site oficial do Partido dos Trabalhadores (PT) nesta quarta-feira (2).

As decisões do novo governo vão desde a redução do salário mínimo previsto para 2019 até a disposição imediata para curvar-se aos interesses do governo dos EUA.

Confira as 17 medidas de Bolsonaro contra o Brasil:

1) Garfou 8 Reais do salário mínimo aprovado pelo Congresso;

2) Extinguiu Secretaria da Diversidade, Alfabetização e Inclusão do MEC, para reimplantar o preconceito e impedir o ensino crítico;

3) Proibiu a Funai de demarcar áreas indígenas, que agora será feita pelo Ministério do Agronegócio;

4) Anunciou liberação a posse de armas e disse que vai tornar esse “direito” vitalício;

5) Anunciou que vai impor a prisão de condenados em segunda instância, atropelando o STF;

6) Extinguiu os ministérios do Trabalho, da Cultura, das Cidades, Esportes e Integração Racial;

7) Esvaziou a Comissão da Anistia, remetendo-a para o patético Ministério da Damares;

8) Liberou as chefias do Itamaraty para nomeações políticas, quebrando uma tradição secular da diplomacia profissional brasileira;

9) Anunciou que vai privatizar Eletrobras, apesar do veto do Congresso ao processo de capitalização da estatal;

10) Comprometeu-se com os EUA para atacar Venezuela, Cuba e Nicarágua;

11) Colocou a reforma contra os aposentados no topo da agenda de governo;

12) Confirmou a transferência da embaixada brasileira para Jerusalém, mostrando que é submisso a Trump e ofendendo a comunidade árabe;

13) Reprimiu seus próprios apoiadores na posse e censurou violentamente a cobertura da imprensa;

14) Anunciou demissão sumária de servidores que criticaram suas políticas em redes sociais privadas;

15) Extinguiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), que orienta o combate à fome e o Bolsa Família;

16) Acabou com o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transportes e tirou do Senado a aprovação dos diretores do DNIT;

17) Fez um acordão com os partidos políticos que ele tanto criticou, para que o PSL apoie a reeleição de Maia e ganhe cargos na Câmara. Leia mais

5 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Bolsonaro atrai coalizão anti-EUA às portas do Brasil

Bolsonaro atrai coalizão anti-EUA às portas do Brasil

Foto do Grafite do artista brasileiro Yuri Sousa, conhecido como Bad Boy Preto.

O presidente eleito Jair Bolsonaro conseguiu a façanha, antes mesmo de assumir o cargo, de fazer uma penca de inimigos graúdos e atrai-los às portas do Brasil via Venezuela.

Bolsonaro reuniu à mesma mesa Nicolás Maduro (Venezuela), Kim Jong-um (Coreia do Norte), Vladimir Putin (Rússia), Xi Jinping (China) e Recep Tayyip Erdogan (Turquia). Em comum eles têm disputas comerciais e geopolíticas com os Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM

Contra bravata de Bolsonaro, Venezuela reforça aliança com Putin e Erdogan ... 

Leia mais

2 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em G20: China e EUA suspendem ‘por ora’ guerra comercial

G20: China e EUA suspendem ‘por ora’ guerra comercial


Estados Unidos e a China suspenderam por 90 dias a “guerra comercial” e se comprometeram a continuar as negociações para superar os problemas tarifários e do intercâmbio comercial. A Casa Branca fez o anúncio em comunicado depois do jantar de Trump com o presidente da China, Xi Jinping, ao final da Cúpula do G20 em Buenos Aires.

China e Estados Unidos também fecharam um acordo para não imporem novas tarifas um ao outro a partir do dia 1 de janeiro de 2019 e se comprometeram a continuar com as negociações para buscar uma saída para a guerra comercial entre as duas potências, informou neste domingo (2) a emissora estatal chinesa CCTV.

O ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, que esteve presente no encontro, um jantar de trabalho marcado por um ambiente “amistoso”, destacou que se trata de um acordo “importante”, do qual só revelou que ambas as partes pactuaram não aplicar tarifas adicionais a partir do dia 1 de janeiro.

Este acordo, disse Wang, citado pela agência estatal “Xinhua”, marca a direção das relações sino-americanas para o futuro, que serão baseadas na cooperação “e na estabilidade”.

*Com informações das Agências Leia mais

1 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em “Nunca” é muito tempo, caro Eduardo Bolsonaro

“Nunca” é muito tempo, caro Eduardo Bolsonaro

Mesmo sendo dublê de grilo falante e de diplomata do governo de seu pai, Jair Bolsonaro (PSL), esses predicados não garantem licença nem capacidade para o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) decretar o fim da História.

Em entrevista ao jornalista Lou Dobbs da Fox News, dos Estados Unidos, Eduardo garantiu que o Brasil nunca mais será “um país socialista”.

LEIA TAMBÉM
Kakay: Brasil retrocederá 100 anos e restará o exílio em Portugal

“Nunca” é muito tempo, caríssimo ‘Coisinha’ [quem é filho de Coiso, Coisinha é]. Talvez fosse mais apropriada a palavra “jamais” porque é mais flexível e não paralisa a História. Poder-se-ia determinar mil, dois mil, três mil anos sem socialismo… Mas prever que o Brasil vai parar na História por tempo indeterminado é impossível politica e filosoficamente.

“Estamos muito otimistas porque o Brasil está mudando de uma gestão extremamente socialista para uma economia muito mais liberal. O que eu vim fazer aqui nos Estados Unidos é dar os primeiros passos para o resgate da nossa credibilidade e mandar uma mensagem clara de que nunca mais seremos um país socialista”, declarou ao jornalista.

Ou o ‘Coisinha’ quis enrolar o entrevistador, haja vista que o Brasil “nunca” ainda foi [no pretérito] socialista, ou ele desconhece o que seja socialismo do ponto de vista filosófico, econômico e social.

Eduardo Bolsonaro afirmou também que o governo eleito está muito animado com a proximidade com os Estados Unidos. Aliás, nem precisa dizer isto. Basta ver o boné e Trump que ele usou na cabeça.

Neste sábado (1º), o filho de Bolsonaro voltou à guerra fria dos anos 1950 vestindo uma camiseta com a seguinte mensagem em inglês: “Be nice Don’t be comunist” (seja legal, não seja comunista).

Veja como foi a entrevista (com direito de o Coisinha respondendo em inglês):

A FOX Americana entrevistou Eduardo Bolsonaro. pic.twitter.com/fCyt8VhIlr ... 

Leia mais

14 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Em nota, PT critica a confirmação de Ernesto Araújo para o Ministério das Relações Exteriores

Em nota, PT critica a confirmação de Ernesto Araújo para o Ministério das Relações Exteriores

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota nesta quarta-feira (14) criticando a confirmação do embaixador Ernesto Araújo para o ministério das Relações Exteriores no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro conseguiu promover estragos no país em 10 dias, diz PT ... 

Leia mais

13 de julho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Protestos de milhares no centro de Londres contra Trump

Protestos de milhares no centro de Londres contra Trump

Protestos reuniram mais de 250 mil pessoas no centro de Londres contra Trump nesta sexta-feira (13). A visita do presidente norte-americano foi marcada pelas declarações ao diário Sun, onde criticou o plano de Theresa May para negociar o Brexit com a União Europeia, chegando a dar a sentença de morte a um futuro acordo comercial entre o Reino Unido e os EUA.

Nsta sexta-feira, com praticamente toda a opinião pública contra ele, incluindo muitos deputados que pediam à primeira-ministra que não o recebesse, Donald Trump recuou e apontou o dedo às “fake news” britânicas. Muitos compararam esta visita à cúpula da OTAN, quando Trump largou declarações bombásticas à chegada e recuou nas suas palavras ao longo da visita.

Nas ruas, o ambiente é de festa e também de indignação com as palavras e as políticas de Donald Trump. Adversários do Brexit e do governo conservador compõem a grande maioria das presenças nas manifestações ocorridos nesta sexta-feira no centro de Londres.

O líder trabalhista Jeremy Corbyn subiu ao palco em Trafalgar Square para apoiar o mayor de Londres, visado pelas críticas de Trump e afirmando que esta marcha foi de solidariedade por um mundo mais justo e menos dividido.

*Com informações de Agências/Esquerda.Net
Leia mais

30 de junho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Manifestações em 750 cidades dos EUA pedem o fim da política de Trump contra imigrantes

Manifestações em 750 cidades dos EUA pedem o fim da política de Trump contra imigrantes

Milhares de pessoas se concentraram neste sábado (30) em frente à Casa Branca em Washington para exigir do governo dos Estados Unidos que reunifique as famílias de imigrantes separadas como resultado das medidas implementadas pelo presidente Donald Trump e que acabe com a política de “tolerância zero” que criminaliza os imigrantes ilegais.

A cantora Alicia Keys, a atriz America Ferrera e o dramaturgo de origem portoriquenha Lin-Manuel Miranda lideraram de um palanque montado no local  uma manifestação que, segundo os organizadores, reuniu mais de 30 mil  pessoas no centro de Washington, enquanto outras 750 cidades em todo território americano organizavam manifestações similares. “Nossa democracia está em jogo. Nossa humanidade está em jogo. Estamos aqui para salvar a alma de nossa nação”, disse Alicia Keys em um discurso.

Keys e Ferrera, que é descendente de imigrantes hondurenhos, leram as  histórias reais de uma mãe que foi separada de seu filho e de um avô que teve o pedido de acolher e cuidar de sua própria neta rejeitado pelas autoridades  americanas. “Esta luta não pertence a um grupo de pessoas, a uma cor, a um gênero. Ela pertence a todos nós”, afirmou Ferrera, conhecida pelo seu papel na série “Ugly Betty” (Betty, “a feia”).

Sob o lema “Families Belong Together” (“As Famílias Devem Estar Unidas”, em tradução livre), os manifestantes pediram a reunificação das mais de 2.300 crianças que foram separadas de seus familiares desde abril, como resultado  da política de “tolerância zero” pela qual os EUA processam criminalmente as
pessoas que cruzam irregularmente a fronteira sul.

*Com Agências internacionais –  Foto: Getty Image Leia mais

27 de junho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Republicanos e democratas derrotam projeto de lei migratória de Trump

Republicanos e democratas derrotam projeto de lei migratória de Trump

Com 301 a favor da rejeição e 121 contra, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos derrubou nesta quarta-feira (27) a proposta de lei migratória do governo do presidente norte-americano, Donald Trump. A votação uniu republicanos, do partido de Trump, e democratas, que fazem oposição ao governo.

A votação ocorreu em meio à polêmica de medidas de Trump que separam pais e filhos de imigrantes ilegais, levando crianças a abrigos sem contato com as famílias.O último balanço mostrou que havia 51 crianças e adolescentes brasileiros em abrigos norte-americanos. O assunto foi tema ontem de conversas do presidente Michel Temer com o vice-presidente norte-americano Mike Pence.O projeto previa a legalização da situação de  1,8 milhão de jovens imigrantes ilegais, conhecidos como “sonhadores”, que chegaram ainda crianças nos Estados Unidos, mas também incluía a controvertida construção do muro na fronteira norte-americana com o território mexicano ao liberar US$ 25 bilhões.A votação ocorreu enquanto manifestantes se aglomeravam do lado de fora do Congresso gritando palavras de ordem e críticas ao governo Trump.Pela manhã, Trump apelou aos parlamentares do Partido Republicano em favor da aprovação do texto. Porém, há fortes resistências entre os republicanos às ações migratórias de Trump.Apesar da derrota do governo, o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, do Partido Republicano (o mesmo de Trump), conseguiu impedir que democratas e centristas forçassem uma votação no plenário sobre este assunto por meio de uma manobra legislativa. Ele evitou a possibilidade de ser colocada em votação uma proposta mais moderada de migração.O projeto de hoje também incluía uma proposta conservadora para pôr fim à separação familiar na fronteira, um dos temas mais controversos depois que o presidente impôs uma política de “tolerância zero” na fronteira, que provocou a separação de mais de 2.500 crianças dos seus pai, ao chegar em território americano.

A proposta teria anulado o que se conhece como o Acordo Flores, que estabelece padrões mínimos de reclusão e um limite de 20 dias para a detenção de menores.

*Fonte Agência Brasil e com informações da Agência EFE.

Leia mais

21 de junho de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Capa da ‘Time’ mostra criança chorando diante de um Trump insensível

Capa da ‘Time’ mostra criança chorando diante de um Trump insensível

A revista Time, dos Estados Unidos,  publicou a imagem de uma criança chorando diante de um Donald Trump insensível.  O presidente dos Estados Unidos iniciou uma brutal ofensiva contra os imigrantes, principalmente latino-americanos, entre eles, brasileiros. A legenda “Welcome to America” (Bem vindo à América) retrata a postura crítica do veículo com a política de Trump de “tolerância zero” aos imigrantes.

Para os imigrantes indocumentados, o governo realiza a imediata deportação e separa as crianças de seus pais. O que já levou mais de 2 mil crianças a ficarem em abrigos precários, que mais parecem jaulas, separadas das suas famílias.

*Reprodução Time Getty Image Leia mais

15 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em ‘Comparar Bolsonaro com Trump é crueldade contra o presidente dos EUA’, diz jornal alemão

‘Comparar Bolsonaro com Trump é crueldade contra o presidente dos EUA’, diz jornal alemão

O Süddeutsche Zeitung, maior jornal diário e de maior circulação na Alemanha, chamou o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) de “mentiroso” e afirmou que comparar o ex-capitão do Exército com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seria um pouco cruel. “Tirando o seu fervor ultracatólico, o resto é tudo mentira”, cravou o alemão.

Süddeutsche Zeitung – Jair Messias Bolsonaro, 13/02/2018, via Deutsche Welle (

DW Brasil ... 

Leia mais

17 de setembro de 2017
por Esmael Morais
22 Comentários

O Brasil como “bucha de canhão” de Trump

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, foi visto na tarde deste domingo (16) na Cidade do Panamá fazendo conexão para os Estados Unidos. Isso é apenas o introito de uma história que, necessariamente, levará o país do “Fora Temer” à condição de “bucha de canhão” de Donald Trump. Leia mais

16 de junho de 2017
por Esmael Morais
35 Comentários

Vira-latas do Brasil têm orgasmos com discurso imperialista de Trump

Os vira-latas do Brasil tiveram orgasmos com o discurso de Donald Trump, nesta sexta-feira (16), que anunciou uma nova doutrina norte-americana para a América Latina, com viés imperialista, de olho em Cuba e Venezuela (e por que não também de olho no Brasil?). Leia mais