17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
151 Comentários

Enquete: se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para presidente da República?

eleicoes2018À luz das manifestações deste domingo (16) e da conjuntura política do país, o Blog do Esmael quer saber a sua opinião sobre as eleições de 2018. Se a disputa fosse hoje, em quem você votaria para presidente da República. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Rossoni jura que fica no PSDB

Informante do Blog do Esmael reafirma reunião no escritório de Rossoni.

Informante do Blog do Esmael reafirma reunião no escritório de Rossoni.

O deputado Valdir Rossoni, em contato com Blog do Esmael, jurou que ficará no PSDB. Ele negou que lidere debandada e a realização de uma reunião na manhã de hoje para discutir a revoada. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

PF abre três vagas na carceragem de Curitiba. Quem serão os próximos presos pela Lava jato?

Fortalecido pelas ruas, juiz Sérgio Moro segue em frente com as prisões na Lava Jato; carceragem da PF, em Curitiba, liberou três vagas nesta segunda-feira (17); remoção abre especulações sobre nova da operação e novas prisões nas próximas horas.

Fortalecido pelas ruas, juiz Sérgio Moro segue em frente com as prisões na Lava Jato; carceragem da PF, em Curitiba, liberou três vagas nesta segunda-feira (17); remoção abre especulações sobre nova da operação e novas prisões nas próximas horas.

Por ordem do juiz Sérgio Moro, a Polícia Federal do Paraná vai transferir três presos — Celso Araripe de Oliveira, Jorge Luiz Zelada, Flávio David Barra — para o Complexo Médico Penal de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
4 Comentários

Deputado Valdir Rossoni lidera debandada no PSDB do Paraná

PSDB_debandadaO PSDB do governador Beto Richa deverá perder vários deputados em breve. Assim que aprovada a “janela da infidelidade” pelo Congresso Nacional, ao menos quatro parlamentares debandarão do ninho tucano. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
12 Comentários

Ao vivo: Repercussão da manifestação na Assembleia Legislativa do Paraná

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
30 Comentários

Murilo Hidalgo: ‘Chute da mídia sobre número de manifestantes ultrapassou limites do ridículo e do absurdo’

Presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, confirmou ao Blog do Esmael que incluirá o nome do juiz Sérgio Moro nas futuras sondagens para corrida presidencial de 2018; protestos deste domingo (16) consagraram o magistrado que comanda a operação Lava Jato.

Presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, confirmou ao Blog do Esmael que incluirá o nome do juiz Sérgio Moro nas futuras sondagens para corrida presidencial de 2018; protestos deste domingo (16) consagraram o magistrado que comanda a operação Lava Jato.

Em Curitiba, correligionários do governador Beto Richa (PSDB) e a mídia chapa-branca falaram em 60 mil pessoas no protesto de ontem (16) contra Dilma e o PT. O Blog do Esmael, que transmitiu ao vivo em parceria com a TV 15, contabilizou cinco mil no trajeto entre a Praça Santos Andrade (UFPR) e a Boca Maldita, na Rua XV de Novembro. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
28 Comentários

Protestos lançam juiz Sérgio Moro à Presidência da República e atropelam PT e PSDB nas ruas de todo o País

moro_presidente_2018Nem Aécio, nem PSDB. Muito menos Alckmin e Richa. Também nada de Lula ou PT. As ruas consagraram neste domingo (16), de Norte a Sul do País, o juiz federal paranaense Sérgio Moro. ... 

Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: “Andar de cima” tem de dar contribuição ao ajuste

Gleisi Hoffmann*

Download

Apesar dos nossos avanços sociais nos últimos anos, que não são poucos, o Brasil ainda é um dos países que apresenta a maior diferença de renda entre os mais ricos e os mais pobres. Uma das causas principais desse resultado é a baixa tributação da parte mais rica da população, que vive da renda do capital (juros, lucros, dividendos) e não da renda do trabalho. Esta é mais tributada no nosso país.

Essa situação nada tem a ver com questões meramente econômicas, mas sim com decisões políticas tomadas ao longo da nossa história. Como diz Thomas Piketti em seu Capital no século XXI “A história das desigualdades é moldada pela forma como os atores políticos, sociais e econômicos, enxergam o que é justo e o que não é… Ou seja, ela é fruto da combinação de forças de todos os atores envolvidos”.

Temos a chance, agora, de começar a mudar essa situação. Nessa semana discutiremos, no Congresso, a Medida Provisória que aumenta o imposto sobre o lucro dos bancos. Enviada pela presidenta Dilma, a MP propõe aumentar a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido dos bancos de 15% para 20%. Faz parte do pacote de ajuste fiscal, e visa buscar a contribuição do “andar de cima” para enfrentarmos a crise.

Como relatora da Medida, apresentei duas grandes mudanças ao texto. Passo a CSLL dos bancos para 23%, baixando para 17% para as cooperativas de crédito, e proponho a redução gradual, para o fim em três anos, do chamado Juros sobre Capital Próprio, uma espécie de benefício tributário para reduzir o Imposto de Renda das grandes empresas no Brasil. Uma jabuticaba tributária que só existe aqui.

Os bancos tiveram, no primeiro trimestre deste ano, lucros elevados, apesar das dificuldades econômicas por que passa o país. Obviamente que a absurda taxa de juros básica de 14,25% contribuiu para isso. Nada mais justo que com esta lucratividade deem uma contribuição maior para a sociedade brasileira.

A alíquota de 23% trará uma arrecadação crescente nos próximos anos, projetada para R$ 6 bilhões/ano em 2017. Se compararmos ao lucro dos bancos no último  trimestre deste ano ainda é uma contribuição bastante modesta: o Bradesco obteve seu maior lucro trimestral na história, anunciando ter registrado lucro líquido contábil de R$ 4,473 bilhões. No caso do Itaú-Unibanco, o banco registrou lucro líquido de R$ 5,984. Nos três meses anteriores, o lucro havia sido de R$ 5,73 bilhões. O Banco do Brasil teve lucro de R$ 7,4 bilhões. Já Caixa e Santander lucraram menos, porém, ainda assim, resultados expressivos de R$ 1,5 bilhão e R$ 1,6 bilhão.

Já o Juro sobre Capital Próprio abre mão de uma arrecadação de cerca de R$ 4 a 5 bilhões/ano. Funciona assim: o acionista, ou dono da empresa que recolhe Imposto de Renda pelo lucro real, recebe juros do governo quando aplica seu capital na própria empresa. É isso ai. Essa taxa é limitada a TJLP (taxa de juros de longo prazo).
Ele multiplica seu capital líquido pela TJLP e desconta o resultado do IR a pagar.

Isso foi criado por FHC, na implantação do Plano Real e era para ser transitório. Faz 20 anos, e vamos ser sinceros, não Leia mais

17 de agosto de 2015
por Esmael Morais
24 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: O legado da democracia

Luiz Claudio Romanelli*

Download

A primeira faixa que vi da manifestação deste domingo, 16 de agosto, em Curitiba, me deixou perplexo: “intervenção militar já!”

O dia foi marcado por manifestações de apologia ao golpe contra a democracia, nas principais cidades do Brasil. Um movimento, diga-se, articulado por grupos de direita, que se comunicam pelas redes sociais na internet, e velhas raposas da política que desejam um terceiro turno da eleição de 2014. Nunca é demais lembrar as palavras do filósofo e escritor Umberto Eco: “O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.

Muito embora havia entre os manifestantes, cidadãos conscientes protestando contra a corrupção, contra à deterioração da economia e os cortes em direitos trabalhistas e sociais, m‎uitos foram as ruas, qual boiada desgovernada, para vociferar contra a presidente Dilma, o ex-presidente Lula, o PT, os partidos políticos, os políticos em geral, contra a própria democracia. O que mais se viu foram discursos autoritários e anticonstitucionais, discursos de ódio, que põem em jogo a ainda incipiente democracia brasileira.

Defendo o direito a livre manifestação, mas não compactuo com os que bradam pelo impeachment da presidente legitimamente eleita por mais de 54 milhões de eleitores, numa eleição acirrada, já com a Operação Lava Jato protagonizando o debate. ‎

‎Dias desses, li um texto muito bom de autoria do jornalista paranaense Otavio Duarte, no qual ele faz uma analise precisa e inteligente sobre o nosso país e lembra que “é bom ter distanciamento, perspectiva, e um pouco de história não faz mal a ninguém”, para concluir que embora ainda haja muito a fazer, “o Brasil hoje é muito melhor do que antes”.

Quem, como eu, viveu e combateu a ditadura, sabe bem que a melhoria na vida dos brasileiros é o grande legado da democracia.

Nos últimos 30 anos, entre erros e acertos, o Brasil implantou políticas públicas que transformaram o país. De uma Nação atrasada e pobre, nos tornamos um país admirado e respeitado mundialmente, com muitos desafios ainda à enfrentar, mas num outro patamar.

Sarney viabilizou e consolidou a transição democrática, Collor (apesar de todos os pesares) abriu o país ao mercado internacional. Itamar Franco estancou a inflação com a criação do Real, Fernando Henrique Cardoso criou as bases da estabilização econômica, regulamentou e implantou várias políticas sociais que estavam previstas na Constituição de 1988 – a carta que inaugurou a moderna democracia brasileira.

A Constituição trouxe inovações que hoje parecem triviais. Durante mais de 150 anos, os analfabetos – outrora um número expressivo da população – estiveram excluídos da vida política. Pois a Constituição garantiu a eles o direito ao voto, assim como aos jovens entre 16 e 18 anos. Também concedeu a todo cidadão o direito de saber todas as informações sobre ele próprio e sobre o governo.

Depois da Constituição, foram elaborados nos anos seguintes um novo Código Civil, o Código de Defesa do Consumidor, o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Estatuto do Idoso. O racismo passou a ser considerado crime inafiançável. Há ainda um capítulo inovador sobre meio ambiente e uma legislação sobre a questão indígena que, se não evita conflitos pontuais, pelo menos protege a minoria.

Garantiu ainda verbas à educação e permitiu a universalização do ensino. Criou o Sistema Único de Saúde, que se não é o ideal garante o acesso de todos.

Nos oito anos do governo Lula, o Leia mais